História Reverse criminal-undertale - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Tags Charisk, Reversetale, Yuri
Visualizações 31
Palavras 1.017
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Aproveitem o Cap ^^ eu estou animada para essa fic ja tenho as ideias e vontade de escrever
Estou tentando postar com mais velocidade possível.

Capítulo 7 - Uma cama, duas pessoas


     ~ Frisk~

Agora que a Chara sabe tenho que tomar muito cuidado com minhas expressões, ainda estou surpresa por ela ter notado isso. E mais surpresa ainda por ela não ter percebido que eu estou agindo diferente com ela. Eu prometi a mim mesma que nunca mais iria sentir algo diferente por alguém.

Percebo que Sans estava me olhando desconfiadamente, desvio o olhar e concentro minha atenção em minha arma, a limpando.

S: quem lhe deu essa arma? - ouço sua voz vindo em minha direção.

F: Chara, temos uma história um tanto longa. Agora, me ajude a ver esses documentos para fazermos o próximo passo - falo sem olhar em seus olhos, não está afim de muito papo hoje. E o fato deles terem escondido de mim sobre Chara não ajudava muito.

S: você mudou muito sabia? Não parece ser aquela garota ingênua e gentil - ele estava provocando mesmo, hoje não é um dos meus melhores dias e ele ainda vem falar dessas coisas? Solto um suspiro impaciente e um tanto irritado.

F: pessoas mudam, se não mudassem não sobreviveriam a realidade - falo curta e grossa dando fim naquela conversa - o que iremos fazer com Chara? Não podemos a deixar aqui para sempre.

S: vamos a usar como refém para roubar uma loja. Já temos os documentos então perderam todos os dados sobre nós. E da sua família - merda, como ele havia percebido aquele arquivo sendo que ele estava baleado?

F: quando iremos? - falo mudando de assunto.

S: daqui a uma semana, já estamos preparando tudo. - aceno positivamente e pego minha arma me levantando da mesa.

F: ok, irei para minha casa, tenho que pegar umas coisas. Qualquer coisa me ligue - saio de lá indo em direção a minha casa.

~ Frisk off~

~Chara~

Vejo Frisk saindo e decido a seguir, seria bom saber onde era sua "casa". Vou a seguindo numa distância segura, vista assim ela parecia ser apenas mais uma pessoa normal.

Depois de um tempo ela vira num beco e abre uma porta que julguei ser sua casa, espero um pouco até que ouço a porta se fechar e chego perto dela. Mas quando ia girar a maçaneta sinto uma mão tapar minha boca e me virando.

F: por que me seguiu? Não tem nada para se fazer aqui - ela fala de forma fria sem a fachada de garota de sentimentos. Mas seu aperto não era agressivo, era um que tomava cuidado para nao me machucar. Será que isso significava alguma coisa? Não deve ser apenas da minha cabeça.

C: calma, apenas fiquei curiosa. Não contarei para ninguém. - ela me solta e abre novamente a porta me puxando lá para dentro.

O interior da casa era bem simples. Enquanto explorava vejo duas fotos rasgadas e velhas, a primeira parecia ser de 5 pessoas sorrindo e a segunda de apenas 4, três sérios e uma sorrindo. Deduzi que a primeira era dos nossos "amigos/aliados", mas e a outra?

C: quem são nessa segunda foto? -pergunto curiosa enquanto me virava para a morena para ver seu semblante de neutro e sereno. Aquilo as vezes assustava.

F: eu acho que é uma foto de família, mas nunca vi essa pessoa-- ela aponta para um garoto ao lado da menina que sorria, ele estava sério mas seus olhos transmitiam algo doentil. -- esqueça isso.

Ela vai até a mesa e tira a arma que lhe dei, e então me veio na cabeça a dúvida, essa era sua única arma?

C: você só tem essa arma? Ou te mais escondidas?

F: sim, - vejo que ela estava sendo sincera pelo seu tom de voz - essa é a única arma que eu tenho. Nunca consegui me desapegar dela - ela da um esboço de sorriso o que me faz ter uma pontada de felicidade. Mas logo aquele sorriso desaparece dando lugar novamente a expressão neutra.

C: por que você tem apenas essa expressão neutra? Por que esconde seus sentimentos. - acho que fui fundo de mais naquele assunto, pois ela fica seria e olha em meus olhos me fazendo ter um frio na espinha de tão frios.

F: por que essa é a realidade, aprendi da pior forma que sentimentos são ruins - não aguento aquela frase e a abraço forte não a deixando escapar.

C: está errada, não sei o que você passou, mas irei te fazer mudar - sussurro em seu ouvido. Tive a leve impressão que ela havia corado com isso pois pelo canto dos olhos vejo seu rosto ficar vermelho.

Sucesso.

F: já está tarde,direi para Sans que irei ficar aqui. E não estou afim de ver ele.

C: nem eu, mas o que aconteceu entre vocês?

F: digamos que nossa relação também não está das melhores, ele desconfia de mim e tenho certeza que ele está escondendo algo.

Fico chateada por aquilo, nada disso iria acabar bem. Temo que nisso Frisk acabe perdendo todo o resto de "humanidade" de sua alma.

C: pera eu vou ficar aqui? - falo ligeiramente corada recebendo um olhar sarcástico dela.

F: claro, está com medo é? - a morena fala num tom zombateiro.

C: claro que não! Mas onde irei ficar?

F: teremos que dividir a cama-ela fala normalmente se privando de muita emoção, mas pude percebe em seus olhos um ligeiro divertimento com aquilo e talvez vergonha. Será que a garota no qual conheci e me apaixonei ainda estava viva?

Nos deitamos dividindo o pequeno espaço da cama e ficamos uma de frente para a outra. Como estava escuro não pude dizer se ela estava corada ou não. Adormeço rapidamente por estar cansada do dia.

~Chara off~

~Frisk~

Graças a tudo que ela não percebeu minha vergonha, está ficando cada vez mais embolado esse sentimento, vê-la assim, tão perto, me faz te correntes elétricas de energia. Acho que fui grossa demita quando ela me perguntou sobre minhas emoções, mas não quero que ela se preucupe e nem fique chateada comigo, já fiz besteira uma vez, não vou fazer de novo. Adormeço alguns minutos depois sendo derrotada pelo sono.


Notas Finais


Espero que tenham gostado ^^
Eu já vou avisando que a relação de Frisk com Sans não será das melhores.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...