História Reviravoltas da vida - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 16
Palavras 3.411
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 33 - Intenso amor


Fanfic / Fanfiction Reviravoltas da vida - Capítulo 33 - Intenso amor

Saí da casa das meninas correndo, eu odiava chegar atrasada nos lugares, mas era impossível resistir aos pedidos de Camila. Cheguei ao hospital por volta das 09:10h da manhã e agradeci aos deuses por não ter me atrasado tanto. Fui até minha sala, organizei uns papéis e fui falar com meu paciente e seus familiares, os tranquilizei e logo pedi para o levarem para a sala de cirurgia, fui me trocar e o encontrei na SO. A cirurgia durou 8 horas e eu estava exausta, sai da SO e fui direto para minha sala, peguei meu celular e havia mais de 30 chamadas perdidas e 20 delas eram de Camila, então decidir retornar, ela devia estar bastante preocupada.
Ligação ON
- Pollyana Ferraz, você quer me matar de preocupação? Te liguei umas 15 vezes e você não atende a porra do telefone, o que aconteceu? -- Ela realmente estava preocupada e muito, muito brava.
- Amor, calma, por favor!! Você me ligou 20 vezes e eu não atendi porque estava na sala de cirurgia, além do mais eu esqueci o telefone dentro da minha sala, me desculpa! -- Eu expliquei bem calma.
- Ok, me desculpe. Eu só fiquei preocupada. Você já está vindo? -- Ela continuava brava
- Não nesse momento, preciso falar com a família do meu paciente ainda e vê-lo. Mas depois disso eu vou pra casa, estou exausta, a cirurgia durou 8 horas. -- Eu disse realmente cansada.
- Ok, mas tente vir o mais rápido possível. Você não comeu nada durante essas 8 horas? Venha pra casa e eu vou cuidar de você. -- Ela falou preocupada
- Não, amor, não comi nada. Estou faminta e cansada. Vou tentar ir o quanto antes, ok? Eu preciso desligar agora, eu te amo minha sweet child. -- Eu disse toda apaixonada.
- Vamos ter uma conversa séria quando você chegar aqui. Venha logo, estou morrendo de saudades. Eu te amo denguinho. -- Ela disse eu sorrir apaixonada.
Ligação OFF
Terminei de falar com a Camila e fui ver os familiares do meu paciente, conversei com eles e logo depois fui vê-lo, tudo estava ótimo. Deixei orientações ao meu residente e segui para o meu carro. Lembrei que a Camila me chamou para dormir na casa dela, eu não gosto muito da idéia, mas não pude fazer nada a respeito. Saí do hospital às 19:05h e fui em direção a minha casa, cheguei em casa tomei banho e me arrumei, a vontade era de dormir ali mesmo, mas Camila ficaria chateada, preparei uma pequena malinha com as roupas que eu usaria no outro dia e fui direto pra casa dela, ao chegar na porta do condomínio os seguranças liberaram minha entrada imediatamente, provavelmente Camila avisaria que eu iria. Estacionei o meu carro em uma das vagas para visitantes e fui até a porta de entrada, toquei a campainha e fiquei esperando alguém abrir. Não demorou muito e vi minha pequena abrir a porta e pular nos meus braços.
- Que saudades, meu amor... Nunca mais faça isso, não passe o dia inteiro sem falar comigo, eu quase que morro de preocupação. -- Ela disse toda manhosa com o rosto no meu pescoço.
- Desculpa, meu amor... Eu realmente esqueci o telefone na minha sala, mas vou tomar mais cuidado apartir de agora, não quero ouvir você falar comigo daquele jeito. -- Eu disse e ela fitou meus olhos.
- Eu fui grossa, né? Falei palavrão com você... Me desculpa? eu só estava muito preocupada, prometo que não vou mais falar assim. -- Ela disse e me deu um selinho.
- Tudo bem, amor. Eu entendo. Mas gostei de vê-la preocupada comigo. -- A puxei para um beijo mais quente.
Camila me puxou para entrar e depois reclamou por que eu fui primeiro em casa, expliquei a ela que no dia seguinte eu iria gravar bem cedo, ai ela entendeu. Fomos pra cozinha e jantamos juntas, as meninas haviam saído e estávamos sozinhas em casa. O lugar onde minha namorada morava era linda, havia fotos das cinco meninas espalhadas por toda casa, era uma mansão, não tão grande quanto a minha, mas muito bem decorado. Eu e Camila fomos para sala de estar assistir a um filme, já eram quase 22:00h da noite, quando ouvimos as meninas chegarem, mas ignoramos e continuamos assistindo ao filme, que era realmente muito bom e eu estava aproveitando cada minuto perto da minha neném. Quando o filme acabou decidimos ir para o quarto dela, quando estávamos a caminho econtramos as meninas e foi aquela gritaria.
- Minha puta, onde vocês estavam? -- A Dinah perguntou e veio me abraçar.
- Estávamos assistindo um filme na sala de estar, ouvimos quando vocês chegaram, mas preferimos terminar o filme primeiro, antes de vir falar com vocês. -- Falei e abracei Camila por trás.
- Ah, entendi. Vocês já devem ter jantado, né? -- Ally perguntou e eu confirmei com a cabeça.
- Bom, meninas... eu adoraria ficar aqui conversando com vocês, mas infelizmente eu estou muito cansada, passei 8 horas em pé durante a cirurgia. Preciso ir dormir. Amor, fique aqui conversando com suas amigas, não me importo de ir dormir sozinha. --  Eu realmente não me importava.
- Amor, não fala bombagem... É claro que vou deitar com você e te fazer carinho até você dormir. Passei o dia inteiro com as meninas, e só tenho esse tempinho com você. -- Camila disse e virou de frente pra mim, onde selou nossos lábios num selinho carinhoso.
- Você é médica de quê? -- Para minha surpresa a Lauren perguntou me fitando.
- Sou cirurgiã cardiotoráxica, Lauren. -- Eu disse e Camila passou os meus braços ao redor de sua cintura, como estávamos antes, dei um beijo em sua cabeça.
- Pensei que você fosse apenas atriz -- Ela disse e saiu da cozinha.
- Vou levar essa mulher linda aqui para dormir, meninas. Beijo, amo vocês, até amanhã. -- Camila disse e foi beijar e abraçar cada uma das meninas. Eu fiz a mesma coisa e seguimos para o quarto dela. Assim que entrei me joguei na cama, ela riu da cena e deitou ao meu lado. Ter Camila Cabello ao seu lado, vestindo um micro baby doll e você conseguir dormir sem tocá-la, é quase impossível. Puxei a Camila pra mais perto de mim e comecei um beijo quente, cheio de segundas intenções, passei minha mão esquerda por todo o corpo dela.
- Achei que você estivesse cansada, amor. -- Camila disse ao pé do meu ouvido.
- Eu estava, mas ver você vestida desse jeito, é impossível não querer te foder, Camila. -- Eu disse quase murmurando de tanto tesão.
- Mas hoje, quem manda sou eu. -- Ela disse, depois ela subiu em cima de mim e sentou bem em cima da minha intimidade, começou a rebolar, eu já estava ficando doida. Camila tirou minha blusa e sem esperar muito, sentir sua boca quente ao redor do meu mamimo esquerdo me fazendo gemer igual uma vadia. Na maioria das vezes eu sou a ativa, mas com Camila eu viro uma completa passiva, ela passava as mãos por todo meu corpo, como se estivesse conhecendo o território, mas sem tirar a boca do meu mamilo.
- Isso, amor... Com força. -- Levei minha cabeça para trás, curvando a coluna. -- Chupa com força, com vontade... Vai Camila.
Eu pedi e a mesma logo me atendeu, eu estava perdida nas sensações que aquela mulher me fazia sentir, puta que pariu, que boca gostosa era aquela? Camila chupou cada um dos meus mamilos do jeito que pedi, com força e precisão, devagar e lento, mordendo e sugando. Minhas mãos logo foram parar em sua bunda, Camila mordeu meu mamilo esquerdo, logo minha mão acertou um belo tapa na sua nádega esquerda. Logo ela começou a beijar todo meu corpo, tirou toda sua roupa em um rápido stripp e tirou meu short junto com a minha calsinha. Camila subiu em cima de mim de volta e começou a me beijar desesperada, desceu os beijos por todo meu corpo, começou a rebolar em cima de mim, ela logo mandou eu abrir as pernas o máximo que eu pudesse e assim o fiz, a mesma se colocou no meio das minhas pernas e começou a se esfregar em mim de uma forma que estava me levando a loucura.
- Tão molhada, amor -- Ela disse ao pé do meu ouvido, ela começou a gemer rouco e aquele era foda de mais --  Eu estou com vontade de te chupar a noite inteira.
Camila estava no controle da situação, eu não podia fazer mais nada, a não ser me entregar a ela. Passei minhas mãos por suas costas e enfiei meus dedos entre seus cabelos.
- Eu quero gozar na sua boca -- Eu disse e a mesma gemeu alto, sem parar de se esfregar em mim -- Oh!! Isso, amor... Mais rápido, esfrega com força e mais rápido, por favor. -- Eu quase supliquei, mas ela parou o que estava fazendo, eu quase surtei embaixo dela.
- Primeiro eu vou te chupar todinha e com vontade, sugar todo seu gozo e depois eu vou te comer. -- Ela disse gemendo, eu acompanhei ela.
- Depois eu vou te foder, Cabello. -- A única coisa que eu conseguir dizer naquele momento.
Camila me chupou com vontade, parecia que ela necessitava daquilo mais do que qualquer coisa na vida. Ela parou de me chupar, de repente ela enfiou dois dedos dentro de mim sem avisar, gemi alto, cravei minhas unhas em suas costas. Ela começou a chupar meus seios, sem parar os movimentos de vai e vem dentro de mim. Eu gemia descontrolada, ela estava da mesma forma, o que aquela mulher estava fazendo comigo? PORRA!!
- Você é tão gostosa, amor... você tem o melhor gosto do mundo. -- Camila disse entre gemidos.
- Eu vou gozar, Camila... Não para, por favor!! -- Eu disse em desespero.
- Isso, amor... Goza pra mim, bem gostoso, vai... -- Ela pediu ofegante no meu ouvido e eu logo gozei, dei um gemido muito alto, eu nunca havia gozado daquela forma, meu corpo começou a praticamente convulsionar embaixo dela. Assim que parei de gozar, Camila tirou seus dedos de dentro de mim e os levou até a boca, chupando com vontade. Ela em seguida deitou ao meu lado.
- Que mulher gostosa eu tenho... Seu gosto é maravilhoso, Ana... Nunca havia sentido nada parecido. -- Ela disse e me beijou, eu ainda estava me recuperando do orgasmo que ela havia me dado.
- Camila, vira... Fica de quatro pra mim. Não fala nada, apenas faça o que eu mandei, agora. -- Eu disse com um tom autoritário, a mesma sorriu nervosa e me obdeceu.
Camila logo ficou de quadro pra mim, pude perceber seus braços tremulos sobre a cama, seus cabelos caindo como uma cortina ao lado do seu rosto. Mordi o lábio com cena, imagine, você ter Camila Cabello de quatro pra você, é uma visão extraordinária. Subi minhas unhas arranhando suas coxas, pude ouvi-la suspirar, deslizei meus lábios por sua bunda, lambi cada espaço que havia, eu amava a bunda dela, é linda, grande, empinada, me deixa louca. Ela gemia alto!! Enfiei minha mão por entre as coxas de Camila e toquei seu clitóris com dois dedos ao mesmo tempo que enfiei minha língua na entrada encharcada do seu sexo. Ela deu um pequeno grito, seguido de um gemido que me deixou louca, os joelhos dela tremiam, seu corpo ia pra frente enquanto eu literalmente a comia com apenas minha língua. Aquela posíção era completamente satisfatória para receber um oral, e com a habilidade da minha língua que era altíssima, modéstia a parte, era um ponto a mais para fazê-la enlouquecer. Eu masturbava Camila loucamente, dava alguns tapas na sua bunda, enquanto enfiava minha língua o mais fundo possível, ela não estava mais controlando seus gemidos, eles estavam saindo alto e sem nenhuma vergonha, provavelmente as meninas estavam ouvindo, mas não me importei.
- Me bate, amor. -- Ela pediu entre um gemido, levando a cabeça pra trás. -- Me bate forte, me arranha com força, amor.
Eu fiz exatamente o que ela pediu com total dedicação. Tirei minha língua de sua entrada e comecei a lamber ao redor, chupei seus pequenos lábios, desci minha língua até seu clitóris, voltei com lingua para o seu centro e comecei a chupá-la com vontade. Dei vários tapas em sua coxa.
- Eu vou gozar, amor. -- Camila me avisou gemendo alto. -- Eu vou gozar pra você bem gostoso, amor... Não para, por favor... Puta que pariu!!
Ela gemeu alto, praticamente gritando. Logo o corpo dela começou a dar esparmos, ela gemia alto, muito alto. Sentir seu líquido descer melando meus lábios deliciosamente, não parei em nenhum momento o que estava fazendo, bebi todo seu liquido, lambi tudo, chupei com vontade e continuei masturbando ela sem parar, com pressa. Logo seus braços fraquejaram e ela se jogou pra frente, deitando sobre seus seios, mas ainda deixou o seu quadril empinado pra mim, ela não queria que eu parasse e eu não queria parar. Trei minha boca de seu sexo, mordi com força a parte de trás de sua coxa. Ela gemeu alto.
- Vem aqui, Camila... Não mandei você deitar. Sente-se!! -- Eu disse e a puxei pelo cabelo.
Eu não estava pedindo, estava ordenando, logo Camila se sentou na minha frente, minhas coxas abertas sobre as delas, que estavam marcadas pelo meus dedos, sorri vendo aquilo. Comecei a beijá-la, suas mãos sobre meus seios, apertando meus mamilos, ela realmente gostava deles. Eu não estava satisfeita, queria mais dela, então desci minha mão direita para seu sexo encharcado, não resistir e gemi ao sentir ela daquela forma.
- Eu vou te comer... Vou te foder bem gostoso, Camila. Agora. Quero que grite mais, quero que gema igual uma vadia pra mim. -- Deslizei meus lábios por seu pescoço. Sem ela esperar, enfiei dois dedos dentro dela, a mesma gemeu alto, cravando sua unhas em minhas costas -- Você quer gemer como uma vadia, né? -- Eu perguntei e a mesma só confirmou com a cabeça -- Então, eu vou te foder, Camila... Como uma vadia, a minha vadia. -- Deixei bem claro que ela era minha, ela poderia ser uma puta todos os dias, mas apenas na minha cama, só minha.
- Eu sou sua, amor... sua vadia. -- Ela disse gemendo alto no meu ouvido.
Ela curvou as costas pra trás e apoiou as mãos no colchão, seus olhos fechados, os lábios separados, seus seios expostos pra mim. Abaixei a cabeça e chupei seus seios, com a mesma intensidade que eu usava em meus dedos para fodê-la.
- Camila... -- Mordi seu pescoço, apertei sua bunda, sem parar os movimentos dentro dela, ela estava tão molhada que meus dedos escorregavam dentro dela. -- Você está tão apertada... isso é foda. Puta que pariu!!
- Você fode tão gostoso. -- Ela disse e jogou a cabeça pra trás, desceu suas unhas por meus ombros, sua voz quase não saia, ela só gemia. -- E eu vou gozar bem gostoso nos seus dedos.
- Isso, Camila, goza. -- Falei seu nome com tanto tesão que saiu um gemido de prazer. A segurei pelos cabelos, coloquei meus dedos mais fundo que consegui dentro dela, massagiei sua vagina. - Vamos, Camila... Goza pra mim, estou louca pra ver você se desmanchar nos meus dedos. Vamos, goza...
Camila logo atendeu meu pedido, seu corpo começou a convulsionar, grudei seu peito no meu, mas sem parar os movimentos dentro dela.
- Dios.. Oh... huuum. -- PUTA QUE PARIU ela gemeu em espanhol. PORRA!!! Ela gemeu no meu ouvido, eu estava quase morrendo de tanto tesão. -- Ana...
Camila gozou lindamente nos meus dedos, seu cheiro ela divino, me deixava alucinada. Ela gemia muito, muito alto, rebolava sem parar nos meus dedos. Eu a beijava e gemia junto, eu parecia drogada, estava encantada com o cheiro dela. Tirei meus dedos de dentro dela, e os levei até minha boca, chupei todo, saboriando aquele gosto maravilhoso. Degustei até o último vestício que havia nos meus dedos, ela apenas me observava. Passei minha língua entre os lábios, e coloquei minha mão sobre sua coxa.
- Você é uma delícia, Srta. Cabello. -- Eu disse a ela e dei uma piscadinha, junto com um sorriso malicioso.
- Acho bom você parar de me provocar, amor... antes que eu te faça gozar de novo. -- Ela disse me dando um selinho.
- Você foi uma maravilhosa vadia de luxo, Cabello. Eu pagaria 500 mil doláres por uma noite, se você não fosse minha, apenas e exclusivamente minha. -- Eu disse e deitamos juntas na cama, a mesma soltou uma gargalhada linda.
- Eu faria um preço mais barato pra você, amor... Ou, talvez, te daria até de graça... talvez. -- Ela disse e eu sorri apaixonada, como eu amava aquela mulher. Beijei sua boca de uma forma intensa.
- Você iria me dar de qualquer forma, Cabello. Se não fosse por querer, eu te pegaria a força, logo depois você imploraria por mais. A sua sorte é que você já é minha, completamente minha, apenas minhas e jamais vai encontrar alguém que faça mais gostoso do que eu e que te faça ter dois orgasmos maravilhoso numa única noite. -- Eu disse chupando seus dedos um a um.
- Eu tenho certeza disso, amor. Você é a mulher mais gostosa do mundo e é minha. Muitas pessoas te desejam, mas apenas eu tenho e só você me tem, será pra sempre assim. Eu nunca senti nada parecido antes, com ninguém. Eu nunca gozei dessa forma, com essa intensidade... você me levou a loucura, quase me mata de tanto tesão. Que porra de boca gostosa é essa que você tem? E esses dedos? Puta que pariu, amor... é delicioso. Você tem um gosto que me faz querer nunca tirar a boca de dentro de você. -- Camila disse isso olhando nos meus olhos e acariciando meus lábios.
- Você foi incrível, amor... Eu tenho certeza que o sexo entre nós duas nunca vai esfriar, eu te desejo tanto, Camila, tanto, você não tem noção. Sentir teu gosto me fez querer morrer de tanto tesão, você é muito gostosa. E eu preciso de você todos os dias, amor. Você é meu novo vício e será assim até meu último suspiro. Eu quero me casar com você, eu quero ter filhos com você, quero que os meus filhos tenham irmãos do nosso amor, eu quero acordar todos os dias e ver você dormindo ao me lado, com o rosto em paz. Eu quero viajar com você para os lugares mais lindos desse mundo, e te dar tudo o que você quiser, por que você é o amor da minha vida, Camila. Eu nunca fui tão feliz e nunca amei tanto alguém como eu te amo... Eu me pego pensando em você, no teu jeito, nos seus olhos que me apaixonei a primeira vista. Nós podíamos estar juntas a 12 anos atrás, mas o destino quis diferente, mas estamos juntas hoje e é isso que importa, você fez eu me sentir mais jovem e muito amada. -- Eu não podia me segurar mais, eu precisava dizer tudo aquilo a ela, eu a amava tanto que me assustava. Eu disse tudo isso chorando e Camila também estava chorando.
- Eu te amo, Ana. É tudo o que eu posso dizer agora... Você fez eu me sentir mulher, você eu te amar no nosso primeiro encontro, você fez eu me sentir a mulher mais desejada do mundo e sou grata por isso. Eu quero casar com você e quero ter filhos com você também... Você me deu dois presentes lindos, os seus filhos, os dois me chamam de mama e isso é lindo e importante. Eu prometo te amar todos os dias mais, até o meu último suspiro. EU SOU SUA!!
Ela disse isso e a puxei para um beijo cheio de amor, só amor, muito amor. Ficamos ali nos beijando, Camila deitou sua cabeça no meu peito e sua perna direita sobre meu quadril, eu a abracei e não precisavamos dizer mais nada. Aquele quarto exalava amor, nossas respirações diziam o quanto nos amavámos e foi assim que pegamos no sono, curtindo o calor uma da outra.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...