História Reviravoltas da vida - Capítulo 39


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Visualizações 20
Palavras 1.947
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 39 - Cirurgia


Fanfic / Fanfiction Reviravoltas da vida - Capítulo 39 - Cirurgia

Fiquei conversando mais um pouco com minha sogra e ela disse que iria dormir, a acompanhei até o quarto de hospedes, depois fui ao quarto dos meus filhos só pra os ver dormindo, eu estava com saudades dos meu filhotes, logo em seguida fui para o meu escritório e fiquei trabalhando a noite toda no caso da tia de Camila, montei toda uma estratégia para a cirurgia, ela não iria perder o coração. Pela manhã arrumei as crianças para leva-las a escola, minha sogra fez umas panquecas deliciosas junto com a Mariah e tomamos um café da manhã recheado de muito amor. Deixei as crianças na escola e segui junto com dona Sinu para o hospital, onde eu conversei com outros cirurgiões sobre o problema da dona Teresa e chegamos a conclusão que seria melhor operar o quanto antes. Fui para o meu consultório e fiquei trabalhando em outros casos até o meu telefone tocar, sorri ao ver que era o meu amor.

 LIGAÇÃO ON

 -- Oi amor, bom dia!! – Eu disse assim que atendi o telefone. 

-- Bom dia, amor!! Dormiu bem? – Camila perguntou. 

-- Dormi sim, amor. E você? Já comeu? – Perguntei preocupada.

 -- Dormi bem sim, vida. Não comi ainda, estou esperando a Dinah terminar de fazer o nosso café da manhã. E como estão as coisas aí com minha mãe? – Ela falou e eu sorri ao saber que Dinah estava cuidado dela, como havia me prometido.

 -- Certo, se alimente bem. Aqui está tudo ótimo, sua mãe é incrível, as crianças a amaram e a Josephine perguntou se poderia chama-la de Vovó. – Eu disse e pude ouvir Camila gargalhar baixo. 

-- Meu Deus, como minha menina é linda!! E o que minha mãe disse, amor? – Ela perguntou.

-- Ela disse que seria uma honra ouvir meus filhos chamando ela de Vovó, já que ela não tem netos, eles agora seriam os netos dela. E posso te garantir, amor, sua mãe é uma vó maravilhosa, hoje ela fez panquecas deliciosas para mim e as crianças. – Eu disse sorrindo. 

-- Como eu queria estar ai e presenciar tudo isso. Odeio ter que ficar longe de vocês e ainda mais nessa situação. Mas me diz, amor, e minha tia? – Ela perguntou num tom preocupado. 

-- Calma, amor. Estaremos todos juntos em breve. Bom, eu vou ter que fazer a cirurgia da sua tia hoje, amor. Infelizmente não podemos esperar mais e eu não quero esperar, quanto antes fizermos, melhor. Seria interessante se seu pai viesse ficar aqui com sua mãe, ela vai ficar sozinha enquanto eu estarei na cirurgia, quero alguém com ela. – Eu falei. 

-- Sério, amor? Como eu queria estar ai, que merda!! Vou falar com meu pai, com certeza ele vai, só não sei se ele vai chegar a tempo. – Ela disse. 

-- Eu vou mandar meu piloto ir buscar ele, ok? Diga que em menos de 1h o helicóptero estará ai. Só vou fazer a cirurgia quando ele chegar, não quero minha sogra sozinha. – Eu disse. 

-- Tá certo. Gosto tanto quando você chama minha mãe assim, me deixa feliz. Obrigada por tudo, amor. De verdade. – Ela disse e eu sorri. 

-- Amor, para de agradecer, ok? Eu faço tudo por que amo você e sua família também. Agora eu preciso desligar, amor. Tenho que ver alguns pacientes ainda e fazer uma reunião com a Neurocirurgiã sobre o caso complicado de um paciente dela. – Eu disse. 

-- Ta certo, amor. Tenha um excelente dia e cuidado com essa reunião, certo? Não quero nenhuma piranha dando em cima de você. – Ela disse e eu sorri com os seus ciúmes bobo. 

-- Certo, amor. Fique tranquila, eu amo você mais do que tudo nessa vida. Agora eu preciso ir, eu te amo. Se alimente e beba muita água, manda um beijo para as meninas. – Eu disse. 

-- Tá certo, amor. Eu te amo, vida!! Se cuide também, não passe muito tempo sem se alimentar. – Ela disse. 

-- Certo. Diga seu pai que o piloto já já chega aí. Beijos

-- Ok, beijos!! 

LIGAÇÃO OFF 

Assim que terminei de falar com Camila, liguei para o meu piloto e pedi para que ela fosse buscar meu sogro, logo depois fui ver alguns pacientes. Liguei pra Ellen e pedi que fosse buscar as crianças pra mim na escola, era o dia de eu cuidar delas, mas meu dia estava um caos, só daria para vê-los a noite. Estava eu e minha sogra almoçando em um restaurante próximo ao hospital, quando eu sou bipada, a dona Teresa estava tendo uma parada cardíaca, voltamos correndo para o hospital, logo vi meu sogro correndo em nossa direção e abraçando dona Sinu, ele tinha acabado de chegar. Mandei levarem dona Teresa para sala de cirurgia e prometi a dona Sinu que faria tudo o possível para sua irmã ficar bem, a mesma disse que confiava em mim e eu a abracei. Quando eu estava indo em direção a SO vi uma mulher saindo do banheiro, pensei por 5 segundos ser Camila, mas não era possível, ela estava em turnê, bem longe dali. Segui correndo pra sala de cirurgia e me preparei, com certeza aquela seria a cirugia mais difícil da minha carreira, afinal de contas, eu estava operando alguém importante para o amor da minha vida. A cirurgia durou 10 horas, durante todo o processo quase a perdemos, mas graças aos deuses, eu consegui reparar o ventrículo e ela não iria perder o coração. Que alívio!!!! Saí da SO e fui direto falar com meus sogros e pude ver assim que eu cheguei um casal que eu nunca tinha visto antes, quando dona Sinu me viu correu em minha direção e eu a abracei, falei que tudo havia dado certo e que sua irmã ficaria bem. Ela chorou copiosamente em meus braços, logo depois meu sogro me abraçou e me apresentou ao casal que ali estava, eles eram filhos da dona Teresa. Ficamos conversando um pouco e eles disseram que passariam a noite com a mãe, mandei arrumar um lugar bom para eles dormirem e depois fui ver minha paciente junto com toda a família dela. Ficamos mais um pouco ali e eu chamei meus sogros para irmos pra casa, estava preocupada com meus filhos, mas eles me garatiram que eles estavam em boas mãos. Fomos todo o caminho conversando, minha sogra contou ao seu Alejandro que meus filhos estavam chamando ele de vovó e ele disse que também queria que as crianças chamassem ele de vovô, sorri ao ver como eles eram incríveis. Chegamos em casa e eu fui logo em direção ao quarto dos meus filhos, não havia ninguém ali, imaginei que eles estivessem na minha cama, junto com a Ellen. Assim que abro a porta do meu quarto quase caio pra trás, vi Camila e meus filhos dormindo calmamente. Fiquei um tempo na porta olhando aquela cena e tentando entender o que Camila estava fazendo ali, ela deveria estar fazendo show daquela hora, logo senti uma mão no meu ombro e me deparo com dona Sinu, olhando a cena e sorrindo.

 -- Dona Sinu, o que Camila está fazendo aqui? Ela deveria estar fazendo show, não estou entendo nada. – Falei baixinho e ela sorriu. 

-- Camila entendeu que a família é mais importante que tudo nessa mundo. Ela veio junto com o Alejandro, as meninas e Will apoiaram que ela viesse pra ficar aqui conosco, só falta dois show’s pra fechar a turnê, as meninas dão conta sozinhas. – Ela disse sorrindo. 

-- Meu Deus, que loucura!! Então foi ela que cuidou das crianças o dia todo? Agora tudo faz sentido, quando eu estava indo pra sala de cirurgia, vi uma mulher muita parecida com ela saindo do banheiro, mas eu não liguei muito, eu estava correndo e tinha certeza de que não era Camila, pensei que ela estivesse longe. – Eu disse e dona Sinu sorriu. 

-- Antes dela sair de lá, ela ligou pra sua amiga Ellen e perguntou quem ficaria com as crianças hoje, e sua amiga disse que seria ela, então Camila disse que cuidaria das crianças. Foi buscar elas na escola, levou elas pra almoçar e ficou com elas o dia inteiro e agora está ali, que cena mais linda!! – Dona Sinu disse e uma lágrima escapou no meu olho.

 -- Como eu amo essa mulher!! – Eu disse e dona Sinu sorriu e saiu de perto de mim. 

Fiquei olhando Camila e meus filhos dormindo por mais um tempo, tirei uma foto e fui para o banheiro, tomei um banho bem quente e fui em direção ao meu closet, coloquei uma roupa leve e quando eu já estava saindo do quarto pra ir comer algo, ouvi Camila me chamando.

 -- Amor? -- Olhei pra ela e sorrir. 

-- Oi, amor!! -- Disse e fui em direção a ela. Beijei sua testa e a mesma sorriu.

 -- Faz tempo que você chegou? -- Ela perguntou manhosa. 

-- Faz um tempinho. Quando entrei nesse quarto quase que meu coração saia do peito ao te ver aqui, meu Deus, eu não estava aguentando. Ai sua mãe veio e me explicou tudo, fiquei um tempo parada, só olhando vocês três dormirem. -- Eu disse e ela sentou na cama. 

-- Quis te fazer uma surpresa, amor. Você deveria ter me chamado quando chegou. -- Ela disse e eu sorri.

 -- Claro que não, amor... Você estava dormindo tão linda, nunca que eu te acordaria. -- Eu disse e beijei a minha neném. Um beijo calmo, cheio de amor e saudade.

 -- Você já comeu, amor? -- Ela perguntou. 

-- Ainda não, neném. Só tomei um banho, mas eu já estava descendo pra ir comer, estou cansada e com fome. -- Eu disse e ela alisou meu rosto. 

-- Então eu vou cuidar de você... Vamos descer, vou fazer algo pra você comer. -- Ela disse levantando da cama. 

-- Não precisa, amor. Provavelmente a Mariah fez alguma coisa, até por que seus pais também estão aqui. Volte pra cama, eu já venho deitar. -- Eu disse e beijei sua testa. 

-- Nada disso, Pollyana. Eu vou cuidar de você e pronto. Agora vamos!! -- Ela disse e me arrastou para fora do quarto. Seguimos de mãos dadas para cozinha e encontramos com os seus pais lá, como eu já sabia, Mariah tinha deixado a janta pronta, só precisaria esquentar. Então, Camila esquentou meu jantar e colocou um copo enorme de suco pra mim, fiquei só admirando cada movimento dela e o jeito que ela fazia tudo com muito carinho. Ficamos os quatro conversando sobre a cirurgia, eu expliquei a eles tudo o que aconteceu, mas que agora dona Teresa ficaria bem. Eu e Camila voltamos para o meu quarto e as crianças estavam dormindo do mesmo jeitinho, eu iria levar elas para seus quartos, mas Camila pediu para deixá-los dormir conosco, então eu deixei. Colocamos os dois do meio de nós duas, fiquei fazendo cafuné na minha namorada até ela dormir. Mas eu demorei um pouco pra pegar no sono, fiquei pensando em tudo o que estava acontecendo na minha vida, do que eu sentir ao ver Camila e meus filhos juntos, do quanto eu a amo, então eu decidi que eu deveria pedi-la em casamento, pode parecer loucura e talvez seja, mas eu amo Camila como nunca amei ninguém, nos meus antigos relacionamentos nunca fui devagar e com ela eu tenho mais pressa ainds, quero acordar ao lado dela todos os dias, quero chamá-la de minha esposa e fazê-la feliz todos os dias... Então planejei fazer algo lindo e diferente pra ela, no dia que nós duas faríamos um mês de namoro. Espero que ela me diga sim!!  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...