História Rewind - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, JR, Mark, Personagens Originais, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Jaebum, Markjin, Rewind, Sugar Baby, Sugar Daddy, Youngjae
Exibições 611
Palavras 1.538
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá~
Olha eu vindo mais rápido dessa vez.
Como hoje é meu dia de folga, decidi tirar um tempinho pra editar rapidinho o capítulo e vir aqui, postar pra vocês, mesmo sofrendo com a internet caindo toda hora.
Mais uma vez (eu digo isso quase sempre *risos*) muito obrigada por tudo. Pelo apoio, pelos comentários, favoritos, por estarem amando Rewind, muito obrigada <3
Se tiver qualquer erro, perdão. Capítulo não betado.
Sem mais delongas...
Boa leitura!

Capítulo 7 - Capítulo 07


Foram dois longos dias e nesse tempo, JaeBum não havia voltado do hotel. YoungJae sinceramente não sabia se ficava feliz por não ter seu chefe com suas mãos longe de si, ou triste por ter que aguentar aquele clima estranho que sempre se instalava quando estava sozinho com YuGyeom no apartamento. A sua grande sorte era que o mais novo vivia fora de casa. Saía o tempo todo e não era como se trocassem farpas sempre que estavam em um mesmo ambiente. YuGyeom o ignorava, YoungJae o ignorava também e ficava quase tudo okay. Quase.

— Está tudo bem? — JinYoung praticamente se jogou no espaço ao lado de Choi no sofá, que encarava a televisão. Sim, isso havia se tornado seu passatempo quando não estava mexendo no celular.

— Tirando o tédio, sim.

— Você sabe que pode sair sempre que quiser, certo? Não é como se estivesse sendo mantido em cativeiro — dando a atenção a JinYoung, YoungJae fez um bico ao vê-lo sorrir.

— Mas não conheço nada aqui.

— Por isso mesmo deveria sair um pouco, para conhecer os arredores — o outro não protestou, afinal, Park tinha razão. O que poderia dizer? Que estava com preguiça? Tudo bem que se sentia confortável com ele, mas não a esse ponto.

JinYoung era a melhor pessoa que poderia ter conhecido em Seul, junto com Mark, claro. Na noite passada, JinYoung havia voltado do hotel, mas ele nem notara YoungJae e foi direto para o segundo andar. Parecia exausto, então Choi não ousou chamar sua atenção. Agora ele parecia recuperado e bem mais vívido — sem aquelas olheiras e pestanas pesadas.

— Mark me disse que te conheceu — JinYoung comentou, de repente. — O que achou?

— Oh, ele é muito legal — não escondeu o sorriso ao afirmar aquilo e JinYoung retribuiu.

— Fico aliviado. Mark é um pouco na dele, mas é uma ótima pessoa. Não seria meu namorado se não fosse —  JinYoung não conteve a risada ao notar a expressão surpresa do mais novo.

— Ele é seu namorado?

— Sim, há três anos.

— Vocês devem ser um casal incrível. E uma combinação bem… Wow, muito bonita — afinal, só um cego para não perceber que os dois tinham uma beleza incrível. Juntos deveriam ser o colírio para os olhos de qualquer um.

— O que está dizendo? Você e JaeBum hyung também são um casal super bonito.

“Porra”, praguejou mentalmente sentindo seus batimentos se intensificaram com o simples comentário. “Acalma aí, coração, não seja trouxa. Por que raios está agindo assim?”.

YoungJae ficou sem graça e nervoso com aquilo, e desviou o olhar para a televisão mais uma vez.

— Yah, hyung, não diga mentiras. Não somos um casal — resmungou, arrancando mais uma risada de JinYoung. Ótimo saber que era um comediante.

— Você não faz ideia de como JaeBum hyung tem estado cansado e estressado esses dias por causa do trabalho — Park comentou, como quem não queria nada, e YoungJae franziu as sobrancelhas. — Tive que aguentar ele reclamando o tempo todo sobre como queria estar em casa aproveitando esse tempo com certo alguém — Choi sentiu seu rosto esquentar e, caramba! Não acreditava que tinha corado! — Ele disse isso claramente e eu já não aguentava mais. Sério, era a todo instante choramingando e reclamando, descontando em todo mundo que estava ao seu redor!

Agora entendia porque JinYoung havia chegado tão acabado daquele jeito. Mas aquilo não era culpa sua, oras. Por que ficar inventando que era por sua causa que JaeBum estava naquele mau humor?

O barulho da porta foi a deixa para impedir que YoungJae rebatesse aquilo. Nem precisou olhar para a entrada para saber quem era.

— Oi, JinYoung hyung.

— YuGyeom, oi.

Como era de se esperar, toda a educação e tranquilidade presente em YuGyeom foi embora quando olhou para YoungJae, que retribuiu a careta que ele fez, passando direto por si e subindo escada acima.

— Algum problema entre vocês?

— Ele só não gosta muito de mim — respondeu. — Ele deve achar que só estou aqui porque não passo de um puto querendo o dinheiro do JaeBum hyung.

— É apenas teimosia. YuGyeom é um bom garoto.

— Não, eu entendo ele — mordeu o lábio inferior, pensativo. — Eu realmente me sinto como um puto aproveitador.

— Yah!

— Ai! — levou as mãos à cabeça com o tapa que JinYoung lhe deu. Ele tinha uma mão realmente pesada.

— Não fale desse jeito — YoungJae fez uma careta com a repreensão. — Você precisa disso, e JaeBum hyung apenas está te ajudando.

— Ele é tão caridoso assim? — se ele estava se rebaixando ao seu nível — como YuGyeom mesmo havia dito antes —, o cara deveria ser um amor de pessoa e ter um coração de ouro.

YoungJae não soube qual foi a graça, mas JinYoung riu de verdade, como se o outro tivesse acabado de contar a melhor piada do mundo. Até levou as mãos ao estômago. YoungJae ficou assustado. O que diabos estava acontecendo? Ele estava pegando um espírito ou o quê? Choi ficou o encarando completamente perdido até que JinYoung se acalmasse e respirasse fundo, enxugando as lágrimas que já apareciam no canto dos olhos.

— Na verdade, não — respondeu, enfim. — JaeBum hyung é o maior pão duro que você vai conhecer na sua vida. Se alguém estiver precisando de um único won perto dele e pedir emprestado, com certeza vai dizer não. Até uma bala ele recusa compartilhar, mesmo tendo um pote cheio.

Nossa, o homem era mão de vaca mesmo!

— Então… Por que ele está me ajudando?

JinYoung tombou a cabeça para o lado e seus lábios formaram uma linha reta enquanto pensava.

— Não sei. Eu conheço JaeBum desde quando éramos pequenos e nunca o vi agir assim. — Se aquilo era confuso? Imagina. — Na verdade, teve uma única vez, mas foi há muito tempo — JinYoung suspirou, ainda pensativo. — Mas talvez ele realmente tenha gostado muito de você. Tipo, muito mesmo. E de uma forma diferente de como gosta dos amigos dele.

JinYoung sorriu de canto, mas YoungJae ficou sério. “É definitivo, JaeBum apenas quer me comer mesmo”. Ou será que JinYoung estava certo? JaeBum talvez gostasse de si? Não, não. Seria loucura, ele nem o conhecia. Era um absurdo, tsc.

 

. . .

 

A tarde havia se passado tranquilamente. Havia sido a melhor de todos os três dias desde que havia ido morar ali. A companhia de JinYoung era realmente a melhor de todas. Ele nunca deixava o silêncio morrer e conversava o tempo todo, mesmo que de uma forma tranquila e super agradável. YoungJae se sentia estranhamente bem e confortável ao lado dele, o suficiente para estarem rindo de qualquer bobagem o tempo todo. Chegava a ser um absurdo. No entanto, bastou Mark chegar para que Park o largasse sozinho na sala e fosse correndo atrás do loiro. Estaria mentindo se dissesse que não se sentiu traído, afinal, os dois ficaram trancados o resto da tarde no quarto fazendo sabe-se lá o que — para falar a verdade, YoungJae já tinha uma ideia do que era, mas achava melhor não comentar.

YuGyeom apareceu pouco tempo depois na sala e ficou com aquela cara de bunda boa parte do tempo, só parando quando estava mexendo no celular e trocando mensagens enquanto soltava sorrisinhos a todo instante. YoungJae ficou na sala até se cansar e subir para o quarto, enterrando-se debaixo dos cobertores quentinhos e assistindo televisão — para ver o nível de tédio que estava sentindo e o vício que isso se tornou.

Em algum momento, acabou dormindo, mas acordou com a movimentação ao seu lado e abriu os olhos um pouco desorientado, deparando-se com um corpo colado ao seu e braços ao seu redor. Aquele aroma de banho recém tomado e o cheiro que conhecia bem — graças ao quarto que tinha o mesmo perfume do dono — o fez reconhecer JaeBum instantaneamente. Acabou se aconchegando melhor, também enlaçando os braços ao redor de Im. “E o que eu estou fazendo mesmo? Calma, é o sono. É apenas o sono… Eu acho. Espero. É definitivamente sono, YoungJae”.

— Te acordei? — apenas se deu ao trabalho de resmungar em resposta e quase derreteu ali mesmo quando JaeBum começou a alisar seu cabelo em um carinho. Seria possível que ele não tinha noção de que todo mundo amava isso? Era quase que um ponto fraco mundial! — Desculpa.

— Tudo bem — sua voz saiu muito baixa e rouca.

Afundou o rosto contra o peito do mais velho, gostando do calor que JaeBum lhe transmitia, mesmo sentindo seu estômago se revirar e o deixando inquieto. Será que havia comido alguma coisa estragada? Só poderia estar em um nível elevado de trouxice para ficar inventando desculpas para essas coisas que sentia. Era apenas nervosismo, certo?

— Consegui um dia de folga amanhã — YoungJae abriu os olhos sentindo sua espinha gelar. Espera, o que aquilo significava? Como num passe de mágica, seu sono desapareceu completamente, e sendo a pessoa que era, um monte de besteira se passou pela sua cabeça. — Preciso comprar roupas novas para o evento beneficente do hotel amanhã à noite e você vai comigo.

— No evento ou comprar as roupas?

— Nos dois —  uma festa no meio da semana? Espera… Teria que voltar ao hotel? — Também quero te mostrar melhor a cidade, mas não esquente a cabeça com isso. Apenas volte a dormir.

Desta vez, YoungJae não respondeu.

Mas por que demorou tanto para voltar a dormir?


Notas Finais


Mais uma vez, muito obrigada por tudo! Inclusive por disponibilizarem do seus tempos pra lerem minha pequena e simples fic >.<
Espero que tenham gostado e prometo que logo volto com mais capítulos!
Bjs :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...