História Rich - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~stayeols

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Baekyeol, Chanbaek
Exibições 457
Palavras 3.900
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oláá~~

Aqui é a Nat e esse plot foi enviado pela ~whyexolover, obrigada por confiar em nós <3. Eu me esforcei bastante para fazer como você pediu, espero que goste <3

A Mai que betou <3.

Capítulo 1 - Porque eles eram, unicamente, um do outro.


Era impossível não prestar atenção neles.

O saguão daquele lugar era imenso e luxuoso, com o piso brilhando e podendo servir de espelho às pessoas que passavam ali. Em uma das extremidades do lugar havia a entrada para o cassino, na outra se encontrava a entrada para um saguão menor pertencente especificamente ao hotel.

Mesmo o espaço estando lotado de pessoas que iam e vinham a todo momento, não havia uma que não os notasse.

O moreno — que também era o mais baixo — andava de um jeito que transbordava confiança. Os fios escuros faziam contraste com a pele clara e sem nenhuma imperfeição, mesmo que houvesse uma marquinha ou outra em seu pescoço escondida com maquiagem; as outras espalhadas no corpo eram cobertas pela roupa. Os primeiros botões abertos da camisa social o davam um charme provocativo, assim como os olhos delineados eram espertos e persuasivos.

O ruivo ao seu lado media uns quinze centímetros a mais; vestia uma jaqueta de couro, jeans justo e um sorriso presunçoso. Os olhos também delineados e com lentes claras chamavam atenção e, combinados com as tatuagens, faziam um conjunto exótico. Seus traços eram considerados perfeitos, o que contradizia completamente sua personalidade, visto que suas ações nunca foram algum tipo de exemplo.

De longe era possível notar o envolvimento dos dois, o modo como os braços se roçavam enquanto caminhavam e como os sorrisos eram cúmplices e cheios de significados. A forma como o moreno erguia a cabeça para sussurrar algo e o ruivo imediatamente se inclinava para ficar ao seu alcance demonstrava que já eram muito familiarizados um com o outro.

Todos os funcionários tinham a classe e a delicadeza exatos para tratar bem os seus clientes. E não havia sequer um desses clientes que não estivesse envolvido com algo ilícito. A imagem podia ser boa, os negócios podiam estar servindo de exemplo para qualquer um que estivesse começando no mundo dos negócios lá fora. O nome, com certeza, estava em alguma lista de pessoas bem-sucedidas.

Entretanto, era extremamente raro encontrar alguém que não tivesse, pelo menos, um dedo sujo; um esquema ali, outro aqui. Às vezes nada muito grandioso, contudo, alguns estavam atolados na ilegalidade até o pescoço.

E era esse o caso de Chanyeol e Baekhyun.

 

[...]

 

— Boa noite, senhores. — a recepcionista do hotel saudou com um sorriso amigável. — Em que posso ajudá-los?

— Há dois caras nos esperando em uma das suítes. — Baekhyun respondeu com um sorriso pequeno enquanto apoiava os cotovelos no balcão. — Chanyeol e Baekhyun. — apontou para o ruivo ao seu lado e para si logo depois.

 

A jovem acenou e olhou ligeiramente para a tela do computador, logo alcançando um cartão ao moreno.

 

— Nono andar, quarto 909. Tenham uma boa estadia.

— Será boa se for curta. — Chanyeol murmurou divertido quando já estavam a caminho do elevador.

 

Baekhyun riu contido.

 

— Temos que comemorar, Chanyeol. — sorriu ladino e checou a aparência no espelho quando entraram no elevador. — Já tinha um tempo que não ganhávamos tanto dinheiro em apenas uma noite.

— Ah, por favor, nós já temos dinheiro suficiente para o resto das nossas vidas. — revirou os olhos. — Ficar apostando com esses velhos é chato, sinto falta de fazer algo realmente interessante.

— Você assaltou dois bancos semana passada. — arqueou uma sobrancelha assim que o elevador parou no andar certo.

 

Chanyeol deu de ombros e se pôs a caminhar ao lado do menor enquanto percorriam o corredor iluminado, o chão era completamente coberto por um carpete em tons de creme e os números nas portas eram grandes e na cor preta; talvez para não haver engano com aqueles que chegavam ali alcoolizados demais.

Baekhyun olhou o ruivo pelo canto do olho quando sentiu um toque familiar em seu quadril.

 

— Eu já disse que você fica extremamente sexy com essa blusa e com essa calça de couro, bae? — o hálito quente acariciou sua pele descoberta.

— Sim, inclusive você é o campeão de fazer comentários em momentos inoportunos.

— Mas nenhum momento é inoportuno para elogiar você! — exclamou de um jeito falsamente ofendido.

— Você se distraiu demais falando gracinhas pelo fone no último assalto e quase levou um tiro, idiota. — revirou os olhos, contudo, precisou disfarçar um arrepio ao sentir os dedos enganchando no passador da sua calça e a mão grande pesando ali.

— Sabe o que eu gostaria de fazer agora? — o maior indagou num tom baixo ao mesmo tempo em que fazia o mais velho caminhar devagar, estavam quase chegando.

— O quê?

— Queria mandar essa comemoração ridícula para os ares e pegar um quarto aqui só para nós dois. — sussurrou, a mão descendo para apertar uma das nádegas bem marcadas pela calça. — O que você quer para hoje?

 

Baekhyun mordeu o lábio com força, Chanyeol o conhecia de tal forma que bastava um sussurro e um toque certo para deixa-lo excitado. Compartilhavam todos os segredos, planos e até mesmo os sonhos manchados pela ambição. Aquele nível de intimidade que tinham chegava a ser assustador às vezes, porque havia ali mais sentimento do que eles gostariam de admitir.

Amor era mais fatal que uma bala direto no coração quando se vive no crime.

 

— Quero você de quatro. — lambeu os lábios, aquele jogo o excitava ainda mais. — Algemado.

— Se você quer, você terá. — foi o que o ruivo sussurrou antes de beijá-lo.

 

O corpo de Baekhyun foi contra a parede do corredor vazio quando as bocas se chocaram repentinamente e com uma ânsia inigualável. Chanyeol parecia faminto ao chupar os lábios finos até deixá-los inchados e vermelhos, e a intensidade se fazia mais presente conforme o Byun embrenhava os dedos nos fios coloridos e os puxava com brusquidão.

Não havia suavidade ali, mas era sincero, porque os corações retumbando no peito de cada um sabiam a verdade. Baekhyun suspirou ao chupar a língua de Chanyeol de modo obsceno ao mesmo tempo em que sentia as mãos quentes encontrando sua pele arrepiada por baixo da blusa. Com um último estalo úmido, as bocas se separaram vagarosamente.

E o Park sentiu algo pulsar fortemente em seu baixo ventre ao ver o mais velho bagunçado com apenas um beijo, a respiração desregulada e os lábios vermelhos como morangos maduros.

 

— Acho melhor irmos encontrar eles logo. — o menor falou baixinho.

— Você tem medo de acabar não resistindo aos meus encantos? — sussurrou provocativo. — Foder em um lugar onde qualquer pessoa poderia nos ver, nós já fizemos isso antes. — continuou enquanto a língua fazia um contorno úmido no lóbulo do mais velho. — E você gostou tanto...

 

Chanyeol pressionou a coxa contra o volume crescente em sua calça e precisou pressionar os lábios com força para não deixar um gemido escapar. Os olhos claros sedutores e a boca convidativa estavam próximos demais para que pudesse pensar direito. Tomou a iniciativa de empurrar o Park antes que acabasse cedendo — coisa que não demoraria muito se continuassem daquele jeito.

Penteou os fios para trás enquanto via o mais novo lamber os olhos ao esquadrinhar seu corpo por inteiro.

 

— “Você tem medo de acabar não resistindo aos meus encantos?” — repetiu lentamente. — Acho que essa frase é minha. — sorriu divertido.

 

Baekhyun havia sido expulso da faculdade quando conheceu Chanyeol.

O Byun tinha uma mente ambiciosa e inteligente demais, assim como nenhuma paciência com os colegas nerds metidos a sabe-tudo. Acabou se envolvendo com coisas pesadas e com hackers de ficha suja, e gostou daquele mundo muito mais do que um dia gostaria de uma vidinha sem graça qualquer.

A ideia de ser o cara por trás dos melhores planos lhe agradava imensamente, contudo, era claro que precisava de alguém que cuidasse da parte da ação. Porque, por mais que soubesse como segurar uma arma — e atirar muito bem inclusive —, tinha de ser outra pessoa a cuidar da parte de executar tudo que a sua mentezinha diabólica tramasse; que envolvia desde assaltos grandiosos até assassinatos por encomenda ou interesse próprio.

Vira Chanyeol pela primeira vez quando fora assistir uma luta clandestina, estava procurando alguém para ser seu parceiro e, na verdade, nunca acreditou que fosse achar alguém a sua altura num lugar como aquele. Mas estava enganado. Muito enganado.

Pelo o que ouvira, o Park crescera naqueles ringues e aprendera a bater em gente maior e mais velha que ele mais rápido do que Baekhyun decorava códigos. Vê-lo lutar tão ferozmente, com os olhos frios mesmo que tivesse um sorriso convencido nos lábios, fez algo latejar no Byun; tanto em seu baixo ventre como na sua cabeça.

Precisava dele.

 

— Eu roubei ela de você. — respondeu com o mesmo sorriso enquanto o menor voltava a andar e o acompanhava. — Porque acho que ela soa melhor falada por mim agora. — piscou.

 

Baekhyun riu porque era a apenas a verdade. Chanyeol nunca resistiu a si, e aprendeu a fazer o mesmo consigo.

Tudo entre eles era recíproco.

 

(...)

 

— Essa noite está realmente legal. — Chanyeol comentou distraído, mas seus olhos eram completamente atentos aos movimentos do mais velho.

— É verão. — o moreno respondeu como se fosse uma ótima resposta para uma pergunta não feita.

 

No fim, quando encontraram os dois amigos chineses, Luhan explicou que ele e Lay tinham marcado um voo para aquela noite para a China. Então não poderiam comemorar juntos como tinham combinado inicialmente, por isso logo dividiram todas as malas lotadas de dinheiro e se despediram. Os dois também bem sabiam que Chanyeol e Baekhyun preferiam comemorar sozinhos, do seu próprio jeito.

Claro que a volta para a casa que dividiam foi lotado de toques quentes e mãos bobas, porque Chanyeol era bom em provocar, mas o Byun sabia todos os seus pontos fracos, sem exceção alguma. O mais novo aproveitava os sinais fechados para beijar a boca deliciosa com força, isso quando não ultrapassava os sinais vermelhos na ânsia de chegar logo em casa para desfrutar do corpo macio e flexível que lhe tirava completamente a sanidade.

E, quando finalmente chegaram, Baekhyun deu a incrível ideia de comemorarem na piscina, porque a noite estava linda e quente e aproveitar um banho de piscina era uma ótima ideia. A residência que dividiam não era grande, contudo, era luxuosa em todos os detalhes e fora decorada para combinar com os dois.

O Park estava sentado na cadeira ao lado da mesa pequena em que se encontrava o balde com gelo e a garrafa enquanto Baekhyun terminava de servir champanhe nas taças, quando Chanyeol perdeu a pouca paciência que ainda tinha e o puxou para o seu colo. Eles já haviam colocado roupas mais leves e aquilo facilitou para que o ruivo sentisse bem o corpo moldado contra o seu.

 

— Você está muito apressado, Chanyeol. — o Byun deixou escapar uma risadinha ao passo em que se ajeitava em cima do outro, virando de lado e rodeando o pescoço do mais alto com um dos braços.

— Eu só tenho pressa para poder te tocar, o resto.... Nós vamos fazer do jeito mais lento possível. — sussurrou contra sua orelha e a mão foi certeira nas coxas descobertas, segurando firme e fazendo o Byun sorrir em aprovação.

 

Ele gostava como Chanyeol o tocava sem medo desde a primeira vez, como ele sabia ser firme sem ser violento e como o fazia ofegar com pouco. Ele vestia uma regata preta que deixava suas tatuagens a mostra, e elas faziam um conjunto muito atraente com os olhos claros e o cabelo vermelho.

O menor sentiu os lábios do mais novo selarem sua mandíbula e em seguida começando a descer, distribuindo beijos úmidos pelo pescoço até alcançar a pele atrás da sua orelha. Um suspiro satisfeito abandonou seus lábios enquanto as mãos contornavam os músculos dos ombros e braços do ruivo, logo depois indo até nuca e puxando os fios de cabelo dali.

Chanyeol grunhiu baixinho, parecendo muito satisfeito ao passo em que levantava a blusa larguinha que o moreno vestia, tendo como objetivo alcançar a pele quente que havia por baixo. E o Byun se dera conta de que a ideia de ser preenchido por Chanyeol parecia muito mais excitante naquele momento.

Moveu-se vagarosamente para que ficasse montado no colo do Park, uma perna de cada lado, e não demorou para que sentisse as mãos quentes apertando sua bunda com vontade. Remexeu-se respirando pesado e buscando cegamente pela boca deliciosa que lhe tirava o juízo.

 

— Bae. — o maior murmurou enquanto sugava seu lábio inferior.

 

A forma carinhosa como o chamava muitas vezes deixava o moreno atordoado, eles sabiam que tinham uma relação, que pertenciam um ao outro, mas não costumavam demonstrar esse tipo de afeto com frequência. Logo, ouvir a voz rouca murmurada no seu ouvido daquela forma fazia com que o corpo do mais velho esquentasse ainda mais. Pois, apesar daquela pequena palavra, Chanyeol ainda o pegava forte e deixava marcas das suas mãos e dentes por toda a pele que podia alcançar.

 

— Hm, você não quer champanhe? — Baek indagou quando seu lábio inferior foi solto.

 

Chanyeol acenou com a cabeça enquanto o menor estendia a mão para alcançar apenas uma das taças, tomou um gole longo e em seguida entregou ao mais novo. Ele tomou tudo o que restava, os lábios cheios ficando úmidos e ainda mais rubros sob a iluminação das luzes da casa e da lua acima deles.

Baekhyun sorriu ladino.

 

— Parece delicioso. — comentou encarando fixamente a boca alheia, logo vendo um sorriso malicioso se formando ali.

 

O mais velho inclinou-se e tomou a boca convidativa vagarosamente, saboreando e prendendo os lábios macios entre os dentes. Os olhares nunca se desviando um do outro enquanto uma das mãos de Chanyeol o agarrava pela nuca. O beijo iniciou-se sedento, os estalos molhados e os suspiros mal contidos acompanhando cada inclinar das cabeças para que as bocas se encaixassem dos mais diversos jeitos.

E as mãos do Park não ficavam paradas. Ele tinha essa necessidade de tocar cada pedacinho de Baekhyun, de explorar repetidamente a pele, os músculos e as pintinhas que já havia gravado há muito tempo.

 

— E então? — o ruivo indagou com um sorriso de lado.

— O quê? — Baekhyun já nem lembrava o que havia dito antes do beijo.

— Você disse que parecia delicioso.

— Hm, não sei. — pareceu pensativo enquanto tirava a camisa leve que vestia. — Acho que preciso provar de novo.

 

Chanyeol riu soprado e não esperou mais nada para tomar a iniciativa de um novo beijo, tão intenso quanto o anterior e com o moreno se remexendo inquieto ao sentir as mãos do maior na parte interna das suas coxas, muito perto da virilha. Um apertão mais forte o fez ofegar entre o beijo e o Park interrompeu o contato entre as bocas para alcançar a sua orelha.

 

— Já está excitado, bae? — sussurrou enquanto passava a sugar o lóbulo devagarzinho.

— Chanyeol…

— Hm? Já está duro, não é? — continuou com as carícias, os dedos roçando perigosamente no volume na bermuda do mais velho.

 

O Byun enroscou os dedos nos fios vermelhos antes de se mover mais para frente, colando os peitos e com as respirações se misturando. Moveu seu quadril, ondulando de leve e mordendo o lábio inferior quando sentiu as mãos de Chanyeol agarrando seu quadril, ajudando-o a se mover com mais intensidade. Fechou os olhos e jogou a cabeça para trás, a pele sensível do pescoço ficando totalmente à mercê da boca faminta de Chanyeol.

 

— Nós ainda temos que aproveitar a piscina.  — o mais novo comentou com uma voz divertida.

 

Baekhyun sorriu e parou de mexer o quadril, apenas deixando um selar rápido sobre a boca cheinha antes de se levantar. A ereção entre suas pernas era bem visível quando pegou a garrafa de champanhe e entornou alguns goles diretamente do bico. Chanyeol tirou as próprias roupas, ficando totalmente nu e apreciando os olhos escuros do Byun sobre si.

Baekhyun o devorava e não fazia questão alguma de tentar disfarçar, também não conseguia ver motivos para tal. O corpo de Chanyeol era incrível na sua concepção, excitante e com as medidas certas para agradá-lo dos mais diversos jeitos.

O Park lambeu os lábios e foi em direção a água, logo pulando dentro da piscina e esperando que o menor terminasse de tirar as próprias roupas. Coisa que ele não demorou em fazer, pois logo encontrava-se dentro da água também e sendo prensado contra a borda pelo corpo grande.

 

— Você é perfeito, sabia? — o sussurro pegou o Byun de surpresa.

— Do que você está falando? — indagou meio incrédulo, mas um suspiro pesado escapou quando sentiu uma das mãos do maior rumando para a sua virilha. — Hm… Me toca logo, caralho. — xingou pela demora, estava perdendo a paciência e completamente duro.

 

Chanyeol riu e o tocou, envolvendo o pênis rígido na mão e movendo devagar, tanto por conta da água quanto por querer torturar o moreno um pouco.

 

— Estou falando de você. — continuou. — Com todo esse jeito manipulador, os planos infalíveis e uma mente tão suja quanto a minha. — beijou os ombros molhados, Baek se contorcia contra seu corpo. — Você também é lindo.

 

Baekhyun demorou um momento para assimilar aquelas palavras, mas depois que o fez imediatamente puxou Chanyeol para um beijo afoito, mordendo os lábios de um jeito provocativo e chupando a língua para dentro da sua boca. Gemeu entre o beijo quando as mãos habilidosas agarraram sua bunda com força, separando as nádegas e apertando com vontade.

Quando o beijo findou e Baekhyun sentia os dedos acariciando sua entrada e o preparando aos poucos, envolveu os ombros de Chanyeol com os braços e aproximou-se da sua orelha.

 

— E você é perfeito para mim. — beijou atrás da orelha e desceu os selares molhados pelo pescoço até alcançar o início das tatuagens nos ombros. — Em tudo.

 

Gemeu entregue ao sentir o primeiro dedo o estocando devagar, dobrando levemente para encontrar sua próstata e sendo bem-sucedido nisso. Não demorou mais que alguns momentos para que o moreno implorasse por mais, uma das pernas enlaçando sua cintura e começando a rebolar contra a sua mão.

 

— Você está satisfeito com apenas os meus dedos? — o ruivo provocou enquanto estocava de forma ritmada com os dois dedos, às vezes parando e os mexendo dentro do menor para atingir sua próstata em cheio.

— Você sabe que não, Chanyeol. — murmurou quase sem ar. — Vamos parar com as brincadeiras agora.

— Você não aguenta mais nenhuma provocaçãozinha, Baekkie? — retirou os dedos lentamente e agarrou o quadril largo, o puxando para si.

— Você sabe que eu aguento muito mais do que isso. — um sorriso pervertido desenhou seus lábios. — Mas agora eu só quero que você me foda logo.

— Hm… — mordeu os lábios ao mesmo tempo em que encaixava a glande na entrada judiada pelos seus dedos. — Seu desejo é sempre uma ordem.

 

Os dentes de Baekhyun encontraram seu pescoço com certa agressividade enquanto deslizava para dentro da cavidade estreita. O quadril do menor já devia estar pintado pelas marcas dos seus dedos, e ele parecia gostar daquilo, das marcas de Chanyeol pelo seu corpo.

Por manterem uma vida sexual mais do que ativa, não demorou muito para que o Byun começasse a se mexer, rebolando com o membro dentro de si e sentindo-o pressionar sua próstata diversas vezes.

 

— Você rebola tão gostoso. — sussurrou rouco contra o ouvido do menor, estocando-o devagar e com intensidade. — É assim que você ansiava me ter dentro de você, Baek?

 

Baekhyun gemeu mexendo o quadril com cada vez mais pressa, rebolando de um jeito que fazia Chanyeol estocá-lo com cada vez mais vontade. Rodeou o pescoço dele com os braços e enlaçou a outra perna na cintura dele também, fazendo com que o mais alto o segurasse pelo quadril com as duas mãos e colasse mais os corpos.

 

— Mais forte, Chanyeol… — gemeu arrastado.

 

O Park grunhiu e agarrou as nádegas do menor mais vez, apertando de um jeito que deixaria ainda mais marcas e o guiando enquanto estocava sem intervalo de tempo. Os movimentos de Baekhyun coincidiam com os seus, de modo que as paredes internas o apertavam cada vez mais e sabia estar acertando o Byun no lugar certo repetidamente pelos gemidos altos que ecoavam. 

Ainda bem que as casas eram distantes uma das outras.

A água ao redor deles se mexia, mas eles sequer prestavam atenção enquanto continuavam muito focados apenas um no outro, nos quadris se movimentando juntos e nos gemidos que abafaram quando as bocas se juntaram mais uma vez. Baekhyun sentia-se terrivelmente quente, era esse o efeito que Chanyeol causava em si. Uma das suas mãos agarrou os fios vermelhos de modo brusco enquanto se movia cada vez mais necessitado.

Gemeu baixinho quando o ruivo chupou a sua língua de um jeito absurdamente obsceno e levou uma das mãos até o membro que pulsava, masturbando-se um tanto desajeitado pela posição e por estarem na piscina.

 

— Chanyeol… — gemeu arrastado quando sentiu que seu orgasmo estava próximo demais. — Mais rápido. — pediu.

 — Chanyeol… — chamou em tom pedinte. — Mais rápido.

 

O mais novo assentiu, os seus gemidos eram mais baixos, porém de um tom animalesco que demonstrava muito bem o que Baekhyun causava nele. O cenho franzido e os músculos tencionados o deixavam absurdamente sexy na visão do mais velho que já estava à beira do seu orgasmo. Com o resto das suas forças, rebolou mais forte, decidido a fazer Chanyeol gozar com ele.

 

— Caralho, Baekhyun. — rosnou sentindo seu baixo ventre repuxar intensamente.

 

Não demorou muito para que as paredes internas de Baekhyun contraíssem a sua volta e ele impulsionasse o quadril com força, gemendo longamente enquanto gozava e rebolava buscando estender a sensação incrível. Aqueles movimentos somados ao aperto gostoso em seu membro, fez com que o Park chegasse ao ápice também, não perdendo tempo em morder a pele macia da curvatura do ombro do menor.

Ficaram quietos por um momento, ouvindo apenas as respirações pesadas; as mãos do maior diminuindo a força com que segurava o Byun e o ajudando a ficar em pé quando as pernas deslizaram da sua cintura.

Baekhyun arrepiou-se ao sentir os lábios de Chanyeol beijando suavemente as prováveis marcas que deixara em seu pescoço.

 

— Vamos para dentro. — disse baixo enquanto suas mãos passeavam pelas costas largas e tatuadas. — Mas acho que vou precisar que você me carregue até o quarto. — comentou com um sorrisinho arteiro nos lábios.

— A princesa precisa ser carregada? — indagou brincando.

— Você vai ver a princesa quando estivermos lá dentro, Chanyeol. — seu sorriso aumentou. — Não pense que a nossa comemoração acabou aqui.

— Mal posso esperar.

 

(...)

 

Depois de Chanyeol realmente carregá-lo para dentro e ainda voltar para pegar mais champanhe e gelo, o quarto que dividiam teve o chão forrado por todo o dinheiro que haviam ganhado, porque os dois gostavam de comemorar daquele jeito: jogando as notas para o alto e bebendo champanhe enquanto os beijos se tornavam cada vez mais lascivos.

As horas não importavam nem um pouco para Chanyeol, principalmente quando ele tinha seu companheiro ali, provocando-o com aquela boca bonita vermelha e úmida pela bebida, com os olhares longos e com as mãos que logo arrancavam as roupas mais uma vez.

Mas o melhor foi quando o moreno o mostrou um par de algemas.

 

— Você insinuou que eu não aguentava nem uma provocaçãozinha, lembra? — aproximou-se de Chanyeol que estava sentado na beirada do colchão. — Vamos ver o quanto você aguenta antes de começar a implorar.

 

Baekhyun e Chanyeol nunca seriam um exemplo de casal, na verdade, nenhum deles servia para ser exemplo de qualquer coisa. Entretanto, o que tinham era verdadeiro e a cumplicidade entre eles era algo que nem mesmo os melhores parceiros de crime seriam capazes de ter.

Porque eles eram, unicamente, um do outro.

 

 


Notas Finais


Eu procurei o perfil da moça que nos enviou o plot, mas acho que ela mudou de user, pois não encontrei ninguém com esse no Spirit :/. Mas aqui está o Twitter dela: https://twitter.com/byunprincesa

É isso aí, até mais~~
https://twitter.com/stayeols


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...