História Rien que l'amour - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Exibições 8
Palavras 2.596
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá Lilos, vamos ao primeiro capítulo, espero que gostem e qualquer erro, corrijo depois.

Capítulo 2 - A bela desastrada


Fanfic / Fanfiction Rien que l'amour - Capítulo 2 - A bela desastrada

Miami, 13 de julho de 2015 - Lauren POV

O som do despertador ecoa dentro do meu quarto, mas principalmente dentro da minha cabeça, se existe inimigo pior que o despertador, por favor, não me apresente. Levanto da minha cama bufando e o desligo na mesma hora, sigo para o banheiro ainda cambaleando de sono e com os olhos entre abertos consigo chegar depois de esbarrar em quase tudo pelo quarto, coloco as mãos no rosto e me olho no espelho, solto uma lufada de ar ao ver minha cara de sono.

- E que comece mais uma semana. / Dizia para mim enquanto em quanto encarava o meu reflexo sonolento no espelho.

Tiro minhas roupas e sigo para o chuveiro, o ligo e entro com tudo em baixo da água que caia quentinha, um arrepio percorre todo meu corpo ao sentir a água quente batendo em minha costa, tomo o meu banho cantarolando Get Away – The Internet. Saio do box, pego uma toalha e enrosco no cabelo e uma outra enrolo no corpo, saio do banheiro em passos lentos e sigo para o closet, pego uma cueca box feminina, calça jeans rasgada, sutiã, uma blusa do Metálica e a minha inseparável jaqueta de couro preta, visto tudo rapidamente e calço os meus coturnos pretos. Caço o meu celular pela cama, eu e essa minha mania de dormir com o celular na cama eu sempre o perco no dia seguinte, o acho caído do lado direito da cama, após pega-lo saio em rumo a sala de jantar, reviro os olhos quando vejo a imensa mesa de café da manhã posta e minha mãe sentada na ponta da mesa.

- Dona Clara para que uma mesa desse tamanho se nessa casa é só eu e você? / Disse me sentando ao seu lado

- Bom dia para você também minha princesa dormiu bem? / Dizia alisando o meu braço e com um sorriso maternal nos lábios

- Dormi sim mãe, mais nunca vou me acostumar em ter que acordar cedo. / Falei revirando os olhos

Minha mãe ria da minha frustração enquanto levava uma xícara de chá aos lábios. Peguei umas panquecas, passei Nutella e coloquei uns pedaços de morango, estava eu me deliciando no meu maravilhoso café quando ouço uma voz familiar preenchendo o ambiente.

-Sapatãaaao, oh sapatãaao. Eu espero que você esteja pronta, eu não aguento mais chegar atrasada na faculdade. / Ally dizia enquanto caminhava para sala de jantar

A feição da minha mãe havia mudado, ela tinha o cenho franzido e me olhava com cara de poucos amigos, eu estava prendendo o riso quando eu avistei Ally na porta da sala, minha mãe fuzilou a pequena com os olhos.

- Allyson Brooke, o que conversamos sobre esses palavreados? / Dona Clara mantinha os olhos presos na pequena que aparentava desespero

- Ti-ti-tia Clara. / Ela gaguejava / - A senhora não deveria estar trabalhando hoje?

- Deveria sim, mais não estou Allyson, não quero mais ouvir a senhorita chamando Lauren desses nomes, estamos entendidas? / Clara fitava a pequena

- Tudo bem tia Clara, desculpe-me por isso. Vamos Lauren? Estamos atrasadas! / Conhecia a pequena muito bem, ela estava muito sem graça com a situação

- Vamos sim / me levantei da mesa acabando de beber meu suco, beijo a cabeça da minha mãe / - Tchau mãe, tenha um bom dia. Até mais tarde, eu amo a senhora.

Ally saiu me puxando pelo braço enquanto minha mãe falava algo que eu não ouvi, fomos em direção a garagem, entrei dentro do meu Maserati GranTurismo Conversivel- 2015 na cor branca, confesso que sempre tive um amor por carros, principalmente os esportivos. Vi a pequena entrando no carona, dirigi até a faculdade conversando sobre o fim de semana agitado que tivemos. Estacionei o carro e desci do mesmo colocando os meus óculos escuros e pegando a minha mochila no banco de trás. Vi Ally bate à porta do carro e no mesmo instante o travei, joguei as chaves dentro da mochila, ajeitei a minha jaqueta e rumei a entrada da faculdade aonde eu avistei meu grupo de amigos, Normani, Lucy, Vero, Troy, Harry e Louis.

- E ai cambada, como estão? / Disse após apertar as mãos dos meninos e beijar o rosto das meninas

- Acho que estávamos pior que os zumbis do TWD / pela gracinha eu nem preciso falar que foi a Vero que disse isso.

- Também depois desse final de semana não poderíamos estar diferentes. / Normani disse e bocejou.

- Lauren, olha ali quem está de olhos em você. / Lucy indicava com a cabeça disfarçadamente, era a sua professora de gestão que subia as escadas enquanto me encarava. A vi piscar para mim e revirei os olhos

- Não aguento mais essa mulher no meu pé. / Disse me virando de costas para a escada

- Vou perguntar a Tia Clara o que ela passou em você para eu usar também, porque não é possível as mulheres faltam se jogar em cima de você. / Troy disse batendo no meu ombro direito, arrancando risada de todo mundo inclusive a minha

- Faltam?! Troy sabe aquela Thompson? /Harry disse e Troy assentiu/ -Ela mês passado trancou a Lauren na sala de música e ficou peladinha rebolando no colo dela. Eu fico imaginando a visão do inferno que ela teve / Ele disse, joguei minha cabeça para trás e gargalhei assim como todos

- Olha aqui viado, não me lembre desse episódio, eu suei frio aquele dia, nunca tive que resistir tanto a uma mulher como a Thompson. Mais aquele namorado dela é muito barra pesada, não vale a pena uma foda e pôr em risco a minha cabeça. / Disse em um folego só lembrando da aflição que foi resistir aquela mulher gostosa.

-Gente vamos logo para aula porque já estamos ferrados, perdendo aula então. / Louis disse

Logo estávamos entrando na faculdade e cada um indo para as suas respectivas salas. Minha primeira aula era de Direito empresarial, sentei em umas das carteiras do fundo, desde o tempo de escola o "fundão" é o meu lugar, eu gosto dessa matéria mais hoje o sono falou mais alto, abaixei minha cabeça e dormir até o fim da aula. O intervalo chegou sai rapidamente da sala indo de encontro aos meus amigos, encontrei a todos perto da lanchonete, comemos e jogamos conversa fora, um tempo depois me levantei se despedindo de todos e caminhei até a o meu armário para pegar o material para a próxima aula. Avistei Zara, sorri abertamente e caminhei devagar até ela, parei atrás da bela mulher e envolvi seu rosto com as minhas mãos

- Se descobrir quem é ganha um jantar amanhã hoje á noite, e o melhor de tudo, a sobremesa vai ser você. /Disse baixo em seu ouvido, rouco o bastante para ver os pelos de seu corpo se arrepiarem

- E se eu não acertar o que acontece? / Disse ela com um sorriso malicioso no rosto.

- Vou ser obrigada a te jantar todos os dias da semana. / Mordi o nódulo de sua orelha direita e a vi se arrepiar novamente.

- Então com certeza é a Rihanna. / Ela disse e se virou para mim com um sorriso safado no rosto e eu neguei com a cabeça soltando uma risada baixa / - Droga! Eu errei. / Bateu as mãos nas coxas e levou a mão até a testa, fingindo indignação / - Não acredito que serei o jantar de Jauregui durante uma semana inteira.

Sorri para ela e neguei com a cabeça, a vi se aproximar de mim e senti os seus lábios se chocarem aos meus, a puxei pela cintura com força e colei os nossos corpos, aprofundei o beijo pedindo passagem para a minha língua, e ela concedeu, sentir a sua língua quente em torno da minha, mordi seu lábio inferior e passei a língua por ele, apertei a sua cintura e encerrei o beijo com um selinho demorado.

-Então quer dizer que vamos jantar amanhã e o resto de toda a semana? / Abri um sorriso largo para ela e a vi retribui o mesmo.

- Para Jauregui, quem te ver falando assim até acredita que você se prende a alguém. / Ela dizia pegando umas coisas em seu armário e com um sorriso estupidamente branco e lindo no rosto. Gargalhei ao ouvi-la e neguei com a cabeça.

- O que eu mais gosto em você, Larsson, é que você não se importa com as minhas putarias / Fixei meus olhos no corpo da mulher a minha frente, um belíssimo corpo por sinal.

- Assim como você a liberdade para mim é o que importa e curtir sem compromisso é algo muito mais prazeroso / Zara piscou e saiu andando

Fiquei olhando a Loira andando e lembrando de todas as magníficas noites de prazer que tivemos, sai dos meus devaneios quando sinto alguém esbarrar em mim, me viro furiosa pronta para atacar a quem me esbarrou, perdi completamente as palavras ao ver a mulher linda que estava parada na minha frente. Cabelos castanhos com algumas mechas loiras bem finas, nariz arrebitado, olhos castanhos, boca perfeitamente desenhada e pele branca. Fiquei parada analisando a bela mulher em minha frente até que ela interrompeu meus pensamentos

- Desculpas, ai meu Jesus! Me desculpa Jauregui / Ela dizia enquanto catava os cadernos que estavam espalhados ao chão, aparentava estar nervosa e eu sorri

-Opa espera ai, estou em desvantagem aqui, você sabe o meu nome e eu não sei o seu, será que poderia saber o nome da linda desastrada? E como você sabe o meu nome? / Dizia enquanto a ajudava a pegar os cadernos e fitava a garota a minha frente.

- Quem nessa faculdade não conhece Lauren Jauregui? / Ela revirou os olhos e se levantou já com tudo em mãos / - E não, você não pode saber o meu nome. Desculpe-me pelo esbarrão Lauren. /Ela se virou e sai andando se perdendo no meio dos outros alunos.

Dei os ombros e segui para a minha sala pensando que nenhuma menina naquela faculdade havia se negado a algo que as pedia, e fiquei tentando achar uma maneira de descobri o nome da bela desastrada. Entrei na sala e me sentei, aula de Estatísticas, minha matéria preferida, gosto de analisar o rendimento das empresas. Estava fazendo análise nos rendimentos de umas empresas que nem vi o tempo passar, a aula acabou e eu voei para fora da sala. Fiquei conversando com uma galera na porta da faculdade enquanto espera a Ally, até que vejo a pequena saindo brigando com Troy, esses dois só vivem brigando, todos nós dizemos que vai acabar em casamento toda essa implicância mais os dois relutam dizendo que nem pensar. Fiquei rindo dos dois brigando feito duas criancinhas.

- O casal já terminou a DR para eu poder ir para a minha casa? / Eu disse me aproximando deles com um sorriso sínico no rosto.

- Olha aqui Lauren Jauregui, sem gracinhas hoje por que esse aqui já me irritou o bastante. / Arregalei os olhos com o estresse da pequena e a vi passando por mim bufando e indo em direção ao carro.

- Troy o que você fez para deixar ela uma fera desse jeito? / Perguntei ao Troy que tinha os olhos fixos na pequena

- O babaca do Noah e ela estavam de esfrega no corredor, eu passei e a puxei e disse que você estaria esperando por ela aqui fora, fiz mal? Eu só não queria que ela ficasse nos amassos e você aqui fora esperando que nem uma babaca / Ele deus os ombros com uma cara tristonha e eu gargalhei, ele estava com ciúmes.

- Vocês dois são demais, eu nem falo mais nada viu / Gargalhei mais uma vez e bati no ombro dele / - Tchau Troy até amanhã.

Rumei para o carro, e Ally estava escorada na porta com um bico gigante e batendo os pés freneticamente, sorri para a cena e neguei com a cabeça, peguei a chave do carro na mochila destravei o carro e entrei, vi a baixinha entrar no carro e bater com força a porta

- Ei, tem geladeira em casa não anã? / Franzi o cenho e estreitei os olhos enquanto a olhava

- Me deixa em paz, Gasparzinho. / Ela disse se ajeitando e colocando o cinto

- Não deixo não. / Baguncei os cabelos dela e sorri / - Esse mau humor todo é por que o Troy atrapalhou o seu amasso ou por que não era com ele que estava se amassando?

- Não ferra Lauren, quero ir para casa então apenas dirija. / Ela arrumou os cabelos e ligou o som, eu gargalhei e dei partida no carro

Fui o caminho cantarolando as músicas que tocavam e Ally se mantinha com o bico nos lábios. Adentrei ao meu condomínio e estacionei em minha garagem, sai do carro, me despedi de Ally, a vi atravessar a rua e adentrar em sua casa. Entrei em casa e senti e o silêncio pairou o local, aqui é sempre assim um silêncio quase mortal, olhei em todos os cantos e não encontrei a minha mãe, que com certeza estava na empresa. Fui até o quarto, joguei minha mochila no chão, tirei minhas roupas e fui para o banho que não demorou muito, sai do banheiro peguei o controle do ar o colocando no máximo, me joguei na cama nua e adormeci. Acordei era por volta de 13hrs, senti o meu estômago roncar, hoje é folga da Mery, então eu teria que preparar algo para comer, certo? Errado! Vesti um short e uma regata, sai de casa, atravessei a rua e entrei na casa de minha madrinha. Sempre venho comer aqui quando Mery ou minha mãe não cozinham.

-Tem comida ai? / Disse adentrando a cozinha e avistando Lurdes que cozinhava, a vi dá um pulo e levar a mão ao coração, gargalhei com a cena

- Mais menina, um dia você ainda me mata do coração / Dizia ela enquanto me olhava / - Tem comida sim pimpolha, eu estou acabando de preparar massa com molho 4 queijos

Senti minha barriga ronca mais ainda ao ouvir o que teria para o almoço, sorri para ela e beijei sua bochecha.

-Que a Mery não me ouça dona Lu, mais a massa da senhora é a melhor / Sorri para ela e me afastei / Vou chamar a anã para comermos. Me diz por favor que o pentelho não está ai ?!

-Não está, foi para a escola, Dona Patrícia o levou. / Levantei a minhas mãos aos céus e agradeci a Deus. Imagina aquelas crianças levadas, imaginou? Triplica, essa criança se chama Shawn.

Fui até o quarto de Ally e a encontrei dormindo, pulei em cima da pequena e após ela reclamar bastante e se levantar fomos almoçar. O almoço estava divino como sempre, dona Lu tinha mãos de fada, comemos conversando coisas aleatórias. Passei a tarde assistindo filmes com Ally e a ouvindo reclamar de Troy, ao cair da noite resolvi ir para casa. Minha mãe estava na sala de TV assistindo ao jornal, sentei junto a ela e conversamos até tarde da noite, segui para o meu quarto, tomei mais um banho, coloquei um pijama liguei o ar e me joguei na cama, fiquei pensando na bela desastrada que havia esbarrado em um na faculdade, minutos depois já estava entregue ao sono. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...