História Right Place Wrong Time - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Emma Swan, Henry Mills, Regina Mills (Rainha Malvada), Sr. Gold (Rumplestiltskin)
Tags Emma Swan, Once Upon A Time, Regina Mills, Swanqueen
Visualizações 100
Palavras 1.452
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Famí­lia, Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Estou de volta, meus amores, estamos evoluindo lara perto da maldição, fiquem ligados

Capítulo 4 - Os olhares


Fanfic / Fanfiction Right Place Wrong Time - Capítulo 4 - Os olhares

Ao serem despejados na floresta, Emma, Killian e Rumple se levantam limpando a sujeira que se deu em suas roupas. A loira , então, oferece a mão para a morena se apoiar ao levantar, seu cavalheirismo fora apreciado internamente. Ao se firmar no chão, os saltos de Regina afundavam na terra e estava ansiosa para irem para a estrada logo, seria menos incomodo. 

-Deus, isso se parece tanto com a nossa floresta encantada. - Regina falou admirada enquanto inspecionava alguns detalhes lembrando-se de sua antiga casa.

-É o que precisa ser, dearie. - Rumple replicou. - O que mais sabe sobre o que aconteceu?

-Parece que aqui possui personagens com nomes iguais aos nossos. Temo que podemos encontrar uma rainha má. - A morena falou. - Mas pelo que parece é a madrasta da esposa de Henry que está o mantendo preso, Lady Tremaine.

-Lady Tremaine? - O mais velho soltou um riso. -Quer dizer que meu neto se casou com a Cinderella? 

-É o que parece. - Encolheu os ombros. Não estava se acostumando com essa nova realidade ainda. Para ela Henry ainda era um bebê.

-Bem, estamos em vantagem por sabermos do conto, precisamos ir para a vila. A família não possui tanto dinheiro assim, deve ser uma casa simples.

Todos concordaram e seguiram para onde o mais velho informou, mas durante todo o caminho pela floresta Regina estava com uma carranca, porque Hook parecia um cachorrinho atrás de Emma e isso a irritava mais que tudo. Logo seu olhar pairava em Rumple que assistia a tudo com um ar irônico e isso incomodava a morena, parecia que ele sabia de coisas que nem ela sabia. Antes de ter chance de confrontá-lo, ouve um grito vindo de Emma.

-Achei alguma coisa! - Ela volta com um sapatinho de cristal. - É isso!  Temos uma pista agora, parece que estamos no caminho certo. - Exclamou animada e ansiosa por obterem resultados na busca

-Como um sapatinho vai nos ajudar, love? - Hook pergunta pegando-o e girando o mesmo em seu gancho. A rainha dá um olhar desaprovador e pega o sapato o desafiando.

-Parece que não conhece as histórias do livro, capitão. - Seu sorriso era frio. - Será que tem possibilidade de fazer algum feitiço localizador? - A morena desvia a conversa fútil com Killian para algo sério com o senhor das trevas.

-Na verdade eu já trouxe isso pronto. Desconfiava que precisaríamos. Gold faz aparecer um frasco e um conta gotas. - Isso dará, precisamos poupá-lo. - Explica e derrama cuidadosamente uma gota no sapato que começa a flutuar. 

Todos seguem o sapatinho de cristal rapidamente. Regina já trocara até mesmo seu sapato por botas baixas, estava exausta. O caminho fora intenso e com algumas complicações, mas rapidamente o tal objeto para em frente a uma cabana escondida na floresta. Todos se olham preocupados e vão para lá. Antes que possam sequer entrar no local um sistema de segurança um tanto criativo é acionado e são envolvidos por uma rede, ficando suspensos. Logo uma morena sai com uma menininha atrás de seu corpo.

-O que querem aqui?! - Seu tom era acusatório. Logo vê seu antigo sapato de crista ali e o pega com desconfiança. - E como encontraram isso?! - Questiona ainda mais decidida a tirar a verdade daquele grupo de pessoas estranhas, não somente na aparência, mas também no visual, nunca vira nada igual, lembrava-se até mesmo de seu marido com aquelas geringonças modernas.

-Hey, uh... - Emma tentou pensar em algo, mas a posição que ela estava não ajudava, estava pressionada contra as costas de Regina e o encaixe a deixava sem fôlego. Logo Regina não aguentando a demora da loira tomou a frente.

-Somos as mães de Henry. Ficamos sabendo que ele está em apuros e viemos para ajudar, por favor, estamos do seu lado. - Falou com cuidado. - E sobre o sapato... Conhecemos a sua história, está no livro.

A morena olhava com certa desconfiança, mas logo a menininha abriu um sorriso e puxou a mãe para falar algo em seu ouvido sumindo em seguida para dentro. A mulher pega uma faca e corta a corda que suspendiam eles. Todos gritam com o susto e o baque.

-Ótimo, bela forma de receber as sogras. - A prefeita fala com ironia e limpa a sujeira de sua roupa, sentido-se extremamente desabituada naquela situação pouco convencional.

-Eu sinto muito... Isso é embaraçoso. Temo pela segurança de Lucy, Lady Tremaine está atrás de nós e não podia arriscar...

-Eu entendo, querida, faria o mesmo. - Ofereceu um sorriso, mas de alguma forma sentia certo ciúmes. - O que sua filha falou?

A mulher abre a boca para responder, mas a garotinha volta com um livro um tanto improvisado e cutuca Regina com um sorriso adorável que faz a rainha derreter.

-Eu sabia que vocês viriam nos salvar. Papai contou muitas histórias e vocês sempre estiveram lá, sempre o salvaram e salvaram uma a outra... Eu queria tanto conhecer vocês... - Mostrou uma figura de ambas uma de cada lado de um Henry mais jovem. 

Emma vai até a menina e abre um sorriso carinhoso ao espiar o desenho. Seu olhar se conecta com o de Regina da maneira que sempre faziam.

-Oh, meu pai me contou sobre isso também... - Falou com uma expressão sapeca.

-Isso? Isso o que, garota? - A loira perguntou confusa e a criança chamou as duas mais perto para falar baixinho.

-Os olhares. - Sussurrou em meio a risadas agudas e afastou-se para ver a expressão vergonhosa das duas.

Rapidamente as duas se afastaram coradas e Regina pigarreou.

-Está enganada... Bem, isso não importa, estou feliz que finalmente conheci minha neta. - Sorria tentando esquecer o momento anterior.

-Eu também vovó! - Abraçou a mais velha carinhosamente

-Uh... Vamos com calma. "Vovó" faz eu parecer ter 80 anos. - A morena falou com uma careta e afagou os cabelos da criança.

-Mas é o que você dever ter, papai contou que ficaram congelados no tempo.

A loira não pode conter a risada pela esperteza da menina e como Regina estava sem palavras agora.

-Parece que a garotinha te pegou... Bem indo pela linhagem da família, você seria minha avó, bisavó de Henry e tataravó de Lucy. - Zombou logo se arrependendo ao ver o olhar furioso da prefeita. - Eu estava brincando.

-Tem horas que precisa aprender quando fechar a boca, senhorita Swan. - Fuzilou a mesma oferecendo um sorriso forçado.

A "briga" foi interrompida pelos risos da criança. As duas olharam sem entender.

-Ele mencionou isso... As brigas de casal. - Ela continuava a rir e falou isso alto dessa vez deixando todos sem graça e um Killian sem entender nada.

-Eu sou o seu avô também, Lucy... - Comentou sentindo-se excluído.

-Oh, capitão gancho, papai me falou sobre você, mas ele apenas disse que era difícil tê-lo como pai, era mais como amigo, mas não poupou elogios para essa relação.

O pirata ficou um tanto sem jeito, mas aceitou isso como um elogio por fim. Nunca quis ocupar o lugar do pai de Henry e era legal que ele o visse como um amigo pelo menos.

-Bem, acho que temos uma batalha para vencer. - Rumple interrompeu o momento "família feliz" 

-Quem é você? - Lucy perguntou com curiosidade aproximando-se do mais velho.

-Não tem sobre mim no livro? - Perguntou com uma sobrancelha arqueada.

-Provavelmente, mas as imagens não são tão bons assim para eu adivinhar. - Ponderou.

A loira ria de um Rumple sem jeito achando uma forma de explicar que era o bisavô dela.

-Ele é o seu bisavô. - Regina falou de uma vez e mordeu o lábio divertidamente ao ver a cara do homem mais velho.

-Chame apenas de Gold. - Repreendeu a morena.

-Oh! Você é o senhor das trevas.

-Evite me chamar assim, eu mudei nesses anos, estou com os heróis agora, sabia mocinha?

-Tem certeza que podemos confiar nele? - Cinderella olhou desconfiada perguntando num volume baixo isso à Regina.

-Eu posso confirmar. Você está falando com uma "ex-Rainha má", sou a prova viva de que todos podem mudar, até mesmo Rumplestiltiskin. - Sorri sem mostrar os dentes para a nora e lidera a caminhada novamente. - Precisamos que diga onde Lady Tremaine mora.

-Henry não está lá... Não é possível... - Balançou a cabeça negativamente e contraiu os músculos da testa

-Oh, eu acho que sim, ele comentou sobre um porão.

-O mesmo que eu estive... - A morena comentou pensativa e temerosa. - Vamos, sigam-me.

Durante o caminho a pequena Lucy deu as mãos para ambas as avós que sorriram bobas com tal ato, já estavam apaixonadas pela neta.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...