História Rin: Com o Senhor Sesshoumaru Para Sempre - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Rin, Sesshoumaru
Tags Inuyasha, Novela Romance
Exibições 88
Palavras 758
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Magia, Romance e Novela, Saga, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Mais um para vocês espero que goste

Capítulo 7 - Sentimentos Ocultos


********No  capitulo anterior*************************

Continuaram a caminhada e logo encontraram o acampamento montado por Jaken. “Ele teve certeza que Rin era fêmea ideal para ter seus herdeiros”. Bem tem o fato dele quer ela somente para ele e achar que ele tem este direito  sobre ela. “Minha protegida, todo este tempo esperei por você. Os sentimentos que carrego dentro de meu ser, são somente para você MINHA RIN como senti sua falta, nunca mas te afastarei deste Sesshoumaru”.

  Cap.7   Sentimentos Ocultos

Sesshoumaru parou numa árvore e ficou pensando no que a jovem havia lhe contado e seus pensamentos voaram.

O príncipe nunca tinha imaginado que Rin algum dia iria crescer: a imagem de criança estava arreigada em sua mente. Ele evitava pensar que ela agora havia  se tornado uma bela fêmea, tão linda e com uma beleza interior perfeita e pura de alma.

A beleza dela o atraia lhe fazia entra em conflito com seu orgulho, que falava que era errado desejar uma humana isto era ser fraco.

Por um instante Sesshoumaru ficou com raiva de si mesmo, mas não deu muita atenção à sua autocrítica. Ele nunca foi do tipo que se condenava, o Inuyoukai ficou surpreso eram raras as fêmeas que tinham sentimentos verdadeiros pelo príncipe, também seu respeito apenas, dele não correspondido. Mas Rin era diferente dela possuía o respeito e admiração do youkai o desejo dele por ela era algo que o intrigava ao mesmo tempo em que o fascinava.

Daiyoukai alcançou com êxito seu autocontrole. Seu corpo não reagia se ele não quisesse. Por isto Sesshoumaru não se entregava facilmente a paixões como a maioria dos youkais inferiores fazia, mais deseja a menina que criou desde que tinha 7 anos o nobre evitou pensar em saber o que um dia se apaixonaria pro ela.

 

Sesshoumaru: Será que foi aquele sorriso?

                         Que conquistou meu coração.

                         Que eu um ser frio nem sabia que existia em meu peito.

                         Quando foi? “Falava para si mesmo em voz alta”.

As duvidas e o desejo o consumia ainda mais por dentro e ainda faltavam dois dias de caminhada ate o castelo, “como vou consegui ficar perto dela sem possui-la os meus desejos estão mais forte agora”.

Sesshoumaru: Pai?

                         Você deve estar rindo deste Sesshoumaru agora.

                          Trilhando o mesmo destino que você e o Inuyasha amando uma simples humana. “Pensava o príncipe”.

....Dois dias de pois.....

Na manhã em uma cabana simples longe do castelo. Um casal tinha uma conversa não muito amistosa.

Naomi: Fui escolhida pelo senhor Jaken para fazer companhia para a protegida do Lord.

Daishi: Não gostei desta ideia.

Naomi: Por quê?

Daishi: Por mim você não entraria, mas no castelo minha flor.

Naomi: Junto dela você vai poder ficar, mas tranquilo.

Daishi: Tranquilo?

             Eu nunca com você dentro do castelo.

              Por que  você diz isto?

Naomi: assim não precisará ficar me vigiando.

              Sei que todos teme o Lord.

              Ninguém ousaria me tocar.

Daishi: Vendo desta forma.

              Mais ainda prefiro que você seja somente minha e fique aqui eu cuidaria de você. “Falou com voz de suplica bem perto do ouvido dela”.

Naomi: Já falei não serei sua concubina. “Respondeu em tom irritado”.

Daishi: Eu marcaria você como minha fêmea.

Naomi: E me manteria aqui isolada.

             Onde esconderia nossas crias?

             Que seriam hanyou, teria vergonha deles também?

Daishi: Não.

             Só não te assumo por causa de minha família.

             Tenho medo do que eles podem fazer com você minha flor!

             Ou com nossas crias!

             Caso venhamos a tê-los.

Naomi: Você sabe que não tenho a eternidade, como você para esperar.

Daishi: Mais um motivo para que ficamos juntos aqui e agora minha flor.

Naomi: não!!!

             Não serei sua concubina.

             E mais uma coisa vá embora. “Falou já com a voz alterada pela raiva”.

Ele tentou beija-la, mas ela não deixou, ele foi embora muito contrariado.

Deixando ela pensativa. “Quem ele pensa que é, não vou deixa-lo me aprisionar”.

...Enquanto isto ao cair da tarde....

Sesshoumaru chegava ao castelo e um soldado veio abri-los, os imensos portões  dourados com símbolos de seu clã cheio de detalhes que o fazia ser muito bonito, o guarda se assustou ao ver uma fêmea humana chegando junto de seu senhor. O reverenciou, porém não resolveu perguntar já que temia sua morte, Sesshoumaru percebeu os olhares dos seus soldados, ele deu um olhar fulminante, os fazendo tremerem  de pavor e por suas vidas.

Rin olhava o belo jardim que continha uma grande variedade de flores de várias cores, caminhado atrais de Sesshoumaru seguindo-o até chegarem aos degraus que os conduzia a entrada do palácio. 


Notas Finais


agora só na próxima semana


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...