História Riptide - Capítulo 50


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Alicia Clark, Ally Brooke, Camila Cabello, Camren, Dinah Jane, Dinally, Drama, Elyza Lex, Fifth Harmony, Gay, Lauren Jauregui, Lesbians, Love, Normani Kordei, Romance
Exibições 424
Palavras 2.982
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drabble, Drama (Tragédia), Famí­lia, Orange, Poesias, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Yuri
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


qwidnhesv hello então esse cap é pra day, tadinha ta pedindo a um tempão ascn espero que gostem e tcham tcham ta chegando

Capítulo 50 - 50 - Nostro.


-Adivinhem quem chegou?- Lauren gritou assim que passou pela porta de entrada do apartamento da mãe, os dedos entrelaçados ao de Camila e Hector do outro lado, ambos rindo das brincadeiras de Lauren.

-Finalmente. - Alexa, por estar jogada em uma poltrona na sala, foi a primeira a ver os três. –Achei que Luna nasceria e você só chegariam para o aniversario de um ano. - Helena, que estava sentada com Chris gargalhou vendo a cara de babaca de Lauren com a novidade.

-Meu Deus, é uma menina?!- Não foi uma fala e sim um grito. A outra morena assentiu animada. –Eu não vou chorar. - Deu alguns passos para frente abraçando a cunhada, que enquanto era quase esmagada, cumprimentou uma Camila risonha.

-Essa dai não tem jeito com criança. - Helena abraçou Camila a cumprimentando e então passou para o menininho escondido atrás da perna da latina em um súbito ataque de timidez.

-Fala oi com ela, filho. - Hector lentamente olhou para a mulher e voltou a se esconder, fazendo a rir.

-Tudo bem, ate o final da noite eu consigo um sorriso. - Lauren se separou do irmão depois de desejar felicidades umas mil vezes. Alexa cumprimentou Camila com um abraço e nem precisou dizer nada, apenas abriu os braços para Hector. O menino abriu um sorriso perdendo a timidez e se jogando nos braços da professora.

-Filho com calma. - Camila avisou-lhe.

-Esta tudo bem, deixe-me matar a saudades desse menininho. - A morena apertava a bochechas e lhe perguntava milhares de coisas, arrancando risos e frases. Helena colocou a mão na cintura.

-Isso não foi justo. - Chris revirou os olhos para o drama da madrasta e riu logo em seguida, levando um tapa no braço.

-Como vai, Camila?- Disse educado a puxando para um rápido abraço.

-Tudo ótimo e parabéns pela menininha, sei que vai ser maravilhosa. -

-Ah se puxar as mulheres das famílias, será a criança mais linda do mundo. - Nesse meio tempo, Clara apareceu na sala com Taylor e Greg, ocasionando três gritos animados das crianças quando se encontraram. Os dois meninos estudavam juntos, mas era sempre uma festa quando estavam no mesmo lugar, Taylor, como era mais velha sempre arrumava uma brincadeira onde ela era sempre a rainha e os meninos seus servos, chegavam a ser engraçados, mas como dava certo era sempre a mesma coisa.

-Onde esta Olivia?- Lauren perguntou como uma criança querendo seu presente de natal, Clara sorriu abraçando Camila. Tinha muito tempo que não se viam.

-Esta dormindo. - Foi Chris que respondeu. –Ela estava enjoada, mas foi só o tiozão pegar ela que rapidinho ela dormiu. - O homem brincou sorrindo convencido, apenas para receber um tapinha nas costas da irmã.

-Se ela teve que encarar sua cara feia, ela não dormiu. Desmaiou. - Alexa gargalhou. Com o passar do tempo e com os hormônios da gravidez, a professora tinha se mostrado uma pessoa mais extrovertida, para a felicidade da família, que sempre a via mais retraída e reservada como se estivesse desconfortável em um ambiente novo.

-Avisa que somos gêmeos. - Lembrou sentando ao lado da esposa e abraçando seus ombros.

-Detalhe. - Lauren riu. –Eu vou ver minha filha. - Sentiu uma mão na sua e sorriu quando Camila lhe avisou que iria junto. Subiram e entraram no quarto de Taylor vendo o pequeno corpinho dormindo com as perninhas e os bracinhos abertos dentro de um macacão de bichinho.

-Que saudades meu amor. - A morena sussurrou se ajoelhando ao lado da cama. Olivia ressonava tranquilamente, vez ou outra mexia a boquinha como se estivesse mamando.

-Isso é tão fofo. - Camila sussurrou acariciando sua mãozinha. –Hector ainda faz isso e eu ainda fico como uma boba olhando. - Lauren sorriu sentindo os dedinhos gordinhos de sua mão agarrando seu dedo, lhe deu um beijinho e ficaram ali mais alguns tempo velando seu sono.

Quando desceram a mesa já estava posta e o pessoal estava esperando para servir, bom, quase todos. Alexa estava devorando uma rodela de abacaxi o que fez Lauren rir.

-Cuidado para não comer os dedos, hem?- Puxou a cadeira para que a noiva se sentasse e sentou ao seu lado.

-Você nunca teve desejo, não pode julgar. - Disse com a boca cheia arrancando risadas de Clara e dos meninos.

-Deixe a comer. - Helena começou a se servir.

-Minha irmãzinha gosta de frutas, ela vai ficar forte igual a mim. - Greg disse mostrando os bracinhos fininhos como se tivesse muitos músculos, Lauren gargalhou se esticando para apertar a barriga do sobrinho.

-Que nem um grilo, né campeão?- O menino assentiu fazendo Chris tacar um guardanapo na irmã.

-Isso é pecado. - Camila disse olhando o filho e Greg comparando os braços.

-Mamãe eu quero ser forte que nem um grilo também. - Hector gritou animado arrancando risadas da mesa inteira. Lauren tinha uma coloração avermelhada por causa das gargalhadas, parecia uma criança.

-Eu vou te acertar. - A latina disse ameaçando de brincadeira a noiva. –Meu amor, tem que comer muito legume e fruta. - Depois de convencer os meninos a comerem as verduras, se deliciaram com o prato italiano que Clara tinha preparado. Depois de tanto tempo, ainda cozinhava maravilhosamente e a conversa tomou mais gás quando começaram a afalaram do restaurante e da ideia nova do Buffet.

-Falando em Buffet, quando iam me contar que vão se casar?- A mais velha perguntou em um tom tranquilo, Camila arregalou os olhos e Lauren olhou pra Helena, que negou rapidamente apontando pra Hector.

-Foi ele que disse que contou. Disse que também ia ganhar uma irmãzinha já que vocês iam se casar. - O menino arregalou os olhos e tapou o rosto com a mão quando as duas mulheres o encarram.

Camila sentiu o coração derreter com a fala do menino e Lauren mal pode conter a felicidade dentro de si. Ele estava feliz e isso era mais do que bom, era maravilhoso. Mas naquele momento, Hector estava com vergonha, sabia que Olivia não era sua irmã e achou que Lauren ficaria brava com o que tinha dito.

-Ei Hec. - Lauren o chamou mas ele continuou encolhido com as mãozinhas sobre o rosto. –Garotão. - Tirou delicadamente suas mãos de seu rosto e sorriu. Camila olhava a cena com um sorriso satisfeito. –Não tem problema em chamar Olivia assim. Pra ser irmão ou irmã não precisa vir só da barriga da mamãe, é quem a gente ama. - Os azuis encararam a morena e disse em um tom baixo.

-Ela pode ser minha irmãzinha?- Lauren só fez assentir para ver um sorriso enorme crescer em seu rosto. –Mamãe eu tenho uma irmãzinha igual ao Greg, agora. - Todos na mesa riram com a animação do garoto.

-E eu tenho uma irmã também, só que eu sou pequenininha e ela é grandona. - Taylor disse sorrindo pra Lauren que se levantou e foi encher a menor de beijos e cocegas, resultando em risadas e tosses quando engasgou com o a comida, Clara lhe deu um puxão de orelha.

-Levante as mãos filha. - A menina ainda ria com as mãos levantadas e Lauren as puxou brincando.

-Lo esta me esticando, mamãe. - Taylor quase gritou enquanto ria e a mais velha voltou pro seu lugar antes de receber mais um puxão de orelha de Clara.

-Parece que agora Camila cuida de três crianças. - Chris disse e logo recebeu uma guardanapada na cara, que prontamente devolveu.

-Só Camila?- Alexa perguntou com os braços cruzados fazendo o homem não revidar e abaixar a cabeça. Lauren não perdeu a oportunidade e fez um barulho de chicote com a boca e todos riram.

-É assim é. - Helena disse apontando pros dois e encarando as noras. –Vão se acostumando. -

-Não sei se estou preparada. - Camila disse com graça encarando a noiva, que negou.

-Já era. Já disse sim e não tem como voltar atrás. - Segurou sua cintura e depositou um beijo em sua bochecha.

-Não sabe como estou feliz. - Clara disse com um suspiro nostálgico. –Quando que eu ia imaginar que vocês duas iam terminar assim, hem?!- O casal se olhos e sorriram antes de grudar rapidamente os lábios.

-Nem eu. - A morena sussurrou olhando para os castanhos mais brilhantes que já vira na vida. –Nem eu. - Iriam se beijar de novo se Helena não fizesse a pergunta esperada de uma arquiteta/empresaria do rama mobiliário.

-Onde vão morar depois do casamento?-

-Querida, acho que perguntas sobre o casamento vem antes dessa, não?- Helena negou.

-Isso também é importante. - Antes que ambas entrassem em um assunto próprio, Lauren respondeu.

-Ainda não conversamos sobre absolutamente nada. Eu tenho meu apartamento e Camila praticamente acabou de se mudar pro dela, ainda vamos decidir. - Tomou um gole de vinho.

-Não vamos nos casar agora, mas não demorará muito. - Camila disse. –Mas acredito que isso não será um dilema para as duas, certo?- Clara riu um tanto quanto irônica.

-Já escutou o ditado: Casa de ferreiro, esperto de pau?- A latina assentiu. –Justamente, são essas duas. Coloque-as para escolher e resolver coisas de seus próprios imóveis e você passara a vida em um hotel. Quando nos mudamos em Florença, Helena ficaram duas semanas para decidir entre duas casas, e no final... ficamos com uma terceira que apareceu do nada.- A outra mulher fez uma cara de ofendida enquanto todos riam.

-Eu vou defendê-la. - Lauren levantou a mão rindo. –Não é tão fácil assim quando você analisa cada detalhe do nosso ponto de vista. Digamos por Camila... - Olhou para a noiva que tinha as sobrancelhas arqueadas e os braços cruzados. –Você sabe combinar a estação, a estampa, a ocasião e as cores de uma roupa e sair deslumbrante, agora, se eu fosse fazer isso seria uma calça social preta, um sapato preto, um blazer preto e tudo preto e estaria maravilhoso pra mim, mas você veria que às vezes, a ocasião não pedia aquele sapato ou a textura não combinaria. - Camila mordeu o lábio inferior porque realmente fazia sentido.

-Um olhar técnico. - Alexa disse tomando seu suco.

-A cada dia que passa tenho mais certeza que ela é minha filha biológica também. - Lauren gargalhou.

-Foram tantos anos que ate eu já me acho sua filha biologicamente. - E foi nesse clima de brincadeiras e conversas que o jantar transcorreu. Estar com sua família, sua noiva e suas crianças e completamente sem pendencias deixava Lauren tão alegre que seu sorriso não sumia. Camila se alegrava toda vez que via aquele brilho nos olhos da morena. E não mudou depois que chegaram a seu apartamento.

Lauren tinha acabado de colocar Olivia em seu berço, lhe deu um beijo e ligou o abajur antes de voltar para sala e se derreter com a imagem Hector, apoiado na mochila de super. Herói estava quase dormindo com as caricias de Camila por seus cabelos.

-Ei garotão, tem uma caminha gostosa lá dentro. - Se abaixou em as frente e sorriu vendo as pálpebras quase fechadas. –Quer deitar lá? A tia liga... - Antes que ela pudesse acabar de falar, o menino passou seus bracinhos por seu pescoço e deitou em seu ombro. Camila riu baixinho.

-Acho que a resposta é sim. - A morena sorriu satisfeita com aquela espontaneidade do menino e se levantou o segurando contra o peito. –Vai ser difícil trocar a roupa dele. -

-O aquecedor esta ligado e o quarto de Olivia é quentinho, se quiser, só tire sua calça. - Caminhou calmamente com Camila ao seu alcance e entrou na porta mis próxima de seu quarto. Camila sorriu para a decoração delicada em cores de verde e branco e a pouca iluminação deixava o cômodo ainda mais aconchegante.

Não eram como quase todos os quartos de meninas. Tinha um papel de parede de ursinhos e listras entre nas cores entre verde e branco, os moveis brancos e uma cama sem pé disposta ao berço do outro lado. O chão era completamente emborrachado e muitas almofadas espalhadas entre os brinquedos.

Lauren se ajoelhou tirando os edredons nas cores também verdes e o travesseiro para deitar o menino, que agora ressonava tranquilamente.  Ajeitou seu corpinho e tirou a calça deixando o apena com sua cuequinha do Hulk, ele pareceu gostar, pois logo se espalhou. Depois de lhe dar um beijo na testa, o cobriu e se levantou.

Camila estava na beirada do berço de Olivia velando seu sono tranquilo e calmo, acariciou sua bochecha e continuo vendo os detalhes, mas o que mais lhe chamou atenção foi uma porta retrato triplo a sua frente. Debruçou-se contra o móvel para ver de perto. A primeira foto era Olivia, tão pequena que tinham que olhar muito bem para acha-la no emaranhado de mantas brancas e a pequena toquinha verde nos braços de uma mulher loira com um sorriso genuíno nos lábios, não precisava ser um gênio para identificar como Perrie.

A segunda foto parecia aleatória, pois Lauren se encontrava sentada na beirada de uma cama olhando tão fixamente para Olivia que podia sentir seus olhos brilhando e na cama, Perrie olhava para as duas com um sorriso, que Camila teve que admitir tão verdadeiro e feliz que se sentiu emocionada com a imagem.

-São as únicas fotos que... Olivia terá dela.- Fechou os olhos quando sentiu braços passando por sua cintura e um sussurro ao pé de sua orelha. Camila ainda estava emocionada com a foto. Nunca tinha parado para pensar, ate aquele momento, em como a outra mulher tinha praticamente dado à vida por Lauren, por Olivia.

-Ela te amava. - A latina sussurrou sem conseguir desviar os olhos da foto. Procurou as mãos da noiva e fez com que apertassem mais contra sua cintura. Não era bem o jeito que Lauren esperava que aquela noite acabasse.

-E eu a amava também. - Sussurrou olhando na mesma direção que Camila. –De uma forma especial com o passar do tempo. - Por incrível que pareça, Camila não sentia um mínimo fio de ciúmes, pois conseguia sentir como Lauren falava com carinho, admiração e, realmente, um amor por todos os tempos e pela historia que tinham. Camila se virou para encontrar os olhos marejados de Lauren.

-O que sentiu quando soube de Olivia? Do que ela fez?- Acariciou seu rosto esperando a lhe encarar.

-Admiração. - Lauren respondeu com toda certeza do mundo, encarou a noiva. –Ela abriu mão do mundo dela pelo de nossa filha e eu, não me entenda mal. - Sorriu fraquinho olhando pra Olivia. –Gostaria que ela estivesse aqui para viver esse sonho comigo. - Camila ficou em silencio. –Digo, não comigo, mas que pudesse ter a chance de ser mãe. - Lauren suspirou engolindo as lagrima que sempre se formavam quando falava desse assunto e então, como em um estalo, uma teoria veio a cabeça da latina.

-É por isso que quer tanto que conte ao pai de Hector sobre ele e vice versa?- Esperou pacientemente Lauren lhe confirmar com apenas um simples aceno de cabeça.

-Olivia nunca vai conhecer Perrie. - Engoliu em seco quando os olhos verdes lhe encararam com tamanha intensidade. –Ela era uma pessoa maravilhosa, sei que isso é a ultima coisa que quer ouvir de alguém que lhe pediu em casamento... - Riu baixinho antes de continuar. –Mas é verdade, ela seria uma mãe incrível. Ela nunca presenciar como ela se preocuparia toda por uma tosse ou faria uma festa com sua primeira palavra, minha filha não terá essa chance de conhecer sua outra metade, mas Hector... - Camila suspirou apertando ainda mãos os dedos na grade do berço. –Hector tem, assim como seu pai. De saber como é ter uma parte de si em algo tão lindo e magnifico quanto seu filho e dele ver a outra parte de onde ele veio. - Mordeu o lábio vendo a hora que os olhos verdes transbordariam, mas não aconteceu. –Não negue isso a eles. -

-Não sei como fazer isso sozinha. - Sussurrou mais uma vez.

-Você não esta sozinha. - Lauren enlaçou sua cintura lhe beijando os lábios. –Eu vou te ajudar. Nós vamos acha-lo, sei que vamos!-

Camila se sentia tão segura dentro daquele abraço, era como sua casa. Fechou os olhos deixando que o momento filtrar por seu sangue. A noite não havia terminado do jeito que imaginava, mas foi agradável. Ia falar alguma coisa quando Olivia fez um barulho como se estivesse acordando, esperaram para ver e então deixaram as crianças dormirem em paz. Quando voltaram para a sala, desligaram a TV e, a pedido de Lauren, ficavam no sofá namorando. O assunto sobre Perrie e o pai de Hector não tinha voltado e preferiram assim, não havia mais nada a ser dito. E após alguns minutos em silencio, foi Lauren que falou primeiro.

-Estava pensando... - Era um tom de voz relaxado e mais tranquilo que antes. –Depois que casarmos poderíamos comprar uma casa, o que acha?- Beijou o ombro de Camila sentada entre suas pernas.

-Uma casa?- Fez um bico para ponderar e assentiu. -Por quê?-

-Ué, para ter espaço pras crianças, quem sabe um cachorro. - Camila riu se virando levemente para selar seus lábios. –Uma casa com quintal bem grande pra construir uma casa na arvore. -

-Isso é interessante. - Entrelaçou suas mãos esperando a concluir.

-Uma casa que de para as crianças e o bebe brincarem juntos. -

-Mas Hector e Greg... -

-Greg também, mas não estou falando dele no momento. - Camila vincou as sobrancelhas se virando quase completamente encarando os olhos verdes em uma tonalidade verde claro tão serena quanto sua voz.

-Mas você disse as crianças... - Disse confusa.

-Sim, Olivia e Hector. - Lauren respondeu sem desgrudar seus olhos. –E o bebe que eu quero ter com você, nosso filho. Meu e seu. -


Notas Finais


ééééé isso
comentem e me digam o que estão achando
beijo no coração @camilacinica

DURMAM COM BAD THING ASLIJFIDVF


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...