História Rise Up - Capítulo 44


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chris Evans
Tags Drama, Romance, Tragedia
Exibições 15
Palavras 1.738
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Carol , calma !!!

Capítulo 44 - Running


Fanfic / Fanfiction Rise Up - Capítulo 44 - Running

Running
CAROLINA 
Achei que o casamento  de Sam e Lou , faria com que Fábio se  sentisse inclinado a tocar no assunto  sobre o nosso  casamento  ... Só  que não .
Mesmo com os meus comentários  entusiasmados  sobre a cerimônia  , como o brinde  de Lucca havia emocionado a todos  , ele se manteve impassível.  Apenas concordando comigo e ficando  a maior parte do caminho para casa em silêncio. 
Apreensiva com aquele  comportamento  pouco  usual , perguntei  :
-  Anjo , está  tudo bem ? Você  está  tão  quieto  ...
-  Hum ?! Ah , tudo bem  ...
Soou desinteressado  e me perguntei  se ele havia escutado  metade  do que eu havia  dito.
-  Não  parece ... – insisti .
-  Eu estou com dor de cabeça  , Carolina. Ok ?!
Seu  tom rude me pegou  de surpresa. 
-  Desculpe  !!! Eu  vou ficar  quieta.
Ele nem se deu ao trabalho  de me olhar  . 
O que estava acontecendo  ?! 
Tentei rememorar se havia  feito algo que pudesse  irrita -lo, mas não  consegui encontrar  nenhuma  atitude que eu tivesse  feito  para desagrada – lo. Ao contrário  de Allie , que havia  deixado Lucca a maior  parte do tempo  sozinho  e dançado  com outro cara , eu não  havia saído  do lado dele e do irmão. 
No dia anterior  , eles haviam  saído  para a despedida  Light de solteiro do Sam , no bar do pai do Dean ( aliás esse era o nome do bar “ Pai do  Dean “ , já  que ninguém  se referia  ao local de outra forma  ) e eu me prontifiquei a ser a motorista  da noite  , levando  cada um deles para casa. E assim  fiz, quando  ele me ligou por volta das  duas da manhã  , fui buscá  - los  no bar e  os entreguei direitinho. 
E desde aquela  maldita  visita , ele havia  se retraído.  Eu procurava demonstrar  de todas as maneiras  possíveis  o quanto  o amava , mas pelo jeito  não  estava dando  muito  certo ...
Chegamos  em casa  e , no  elevador o abracei.  Ele apenas colocou o braço  ao redor  da minha cintura  e apoiou  o queixo em minha cabeça. 
Suspirei ... eu teria que correr  atrás  do prejuízo. 
Entramos e ele foi direto para o banho  , pensei em me juntar  a ele ... mas em meio a minha  hesitação,  ele terminou  o  banho. Fui tomar banho  sozinha  e pensando no que fazer para  evitar que a noite terminasse  em um completo fiasco. 
Porém,  quando  saí  do banho ele já  dormia. Deitado de lado , virado  para a parede. Me deitei  ao seu lado  e , essa foi a primeira  vez desde que havíamos  feito as pazes , que não  dormimos abraçados. 
E eu que sempre  preservei meu espaço,  me senti perdida sem seus  braços .
FÁBIO 
Durante  toda a cerimônia  e a festa , eu só  conseguia pensar se Carol e eu um dia teríamos  aquele  amor  calmo e seguro.  Sem a interferência  dos pais dela e do babaca do  ex namorado.  Ou ainda , sem o preconceito  dela.
Sim , porque  ela ainda  nos via como um casal  inter-racial . Eu sempre  havia  nos visto como um casal , nunca  pensei  na questão  racial  como um obstáculo  para o nosso  amor.
Mas eu tive que encarar  a dura realidade  , de que o que ela havia  vivido com o tal Henry , havia deixado  cicatrizes  profundas e que talvez  o meu amor  não fosse  suficiente  para  ameniza – las .
Durante  o trajeto  para casa , ao ouvi – la falar com tanto entusiasmo  sobre o  casamento  , tive que me segurar para não  pedir sua mão  novamente.  Ela precisava  de tempo e eu o daria , mesmo  que me fizesse  sofrer.
Eu  a quero  por inteiro . Sem dúvidas  . Sem medos. 
Essa angústia  , me rendeu  uma dor de cabeça  intensa e uma irritação  descomunal.
Eu não  estava  afim de papo. E de verdade  , se eu fosse  falar alguma coisa  , seria para ela escolher de uma vez por todas : os pais dela ou a mim !!!
Porque estava  mais do que óbvio  , que ela tinha que fazer essa escolha. Os pais  dela não  iriam  me aceitar.  E eu,   não  estava mais  suportando  essa  indecisão. 
Mas o que me amargurava era o fato  de eles preferirem o babaca , que magoou profundamente a filha deles , à  mim . 
Que insanidade !!!
O cara havia sido  e agido como um perfeito  idiota  e eles  achavam  que  seria melhor  para ela estar com ele ?!
Sério  ?! Só  podem ser desequilibrados  !!!
Como não  queria  conversar para evitar uma explosão  , que traria mais danos  a nossa  relação  ,  fingi dormir. 
Senti quando  ela se deitou e eu me  controlei  para não me virar e  pegá  - la em meus braços. A falta  de  toca – la  provocava  dor física  ... mas do jeito que o nosso relacionamento ia , em breve eu teria que me  acostumar com a ausência  e com essa dor ...
NO DIA SEGUINTE  
Acordei  e ele não  estava  mais  na cama e o apartamento  em completo  silêncio. 
Levantei , fiz minha higiene  e fui para a cozinha.  Na geladeira  havia  um bilhete,  sucinto  :
“ Bom dia , Carolina  .
Fui para a casa dos meus pais , vou almoçar  por lá  .
Fábio  . “
E mais nada . Nem um convite  para me juntar à  ele , um desejo de bom dia ou  um simples  beijo.  Nada.
Me sentei  ao balcão  , ainda  segurando  o bilhete , pensando no que fazer ... 
Algo  estava muito  errado !!! Será  que ele ia  terminar comigo  ?! Havia  deixado de me  amar ?!
Resoluta , liguei  para ele mas caiu direto  na caixa postal  e  toda a minha  decisão  caiu por terra . 
Me senti  como se tivesse  sete anos novamente  , perdida no mercado  sem os  meus pais .
Então  liguei para Allie  , precisava  conversar  ,  desabafar .
-  Allie , sou eu . Carol.
-  Tudo bem ? Sua voz  está  estranha ...
Ela me conhecia. E eu era grata por  isso.
-  Você  pode vir aqui em casa ?! – disse segurando  o choro.
-  Ok . Em quinze minutos  , estarei aí.  Calma tá  ?
Desligamos. 
Me troquei e  fiquei enrodilhada no sofá  , enquanto  as lágrimas  escorriam silenciosamente  por meu rosto. 
Pouco  tempo depois  o porteiro  interfonou , me avisando  chegada  de Allie.
A  aguardei no corredor  e assim que ela saiu do  elevador , a abracei e chorei.
Voltamos  para o apartamento  e quando  me acalmei , falei :
-  Desculpe pelo descontrole ...
-  Carol, por favor !!! Você  é  minha  irmã.  E também  já me apoiou muitas vezes. Eu só  quero saber o que  está  acontecendo  e como posso  ajudar ... – disse – me suavemente. 
- Eu acho que o Fabio não  me ama mais e vai terminar comigo  .
-  Posso saber de onde você  tirou essa ideia ?!
-  Desde que o Henry  apareceu aqui, ele está  diferente  . Distante... Até  o sexo mudou. E ontem  , ele me ignorou  completamente.  Hoje ao acordar ,  encontrei  esse bilhete .
-  Carol , ele está  magoado e  inseguro  com todos  esses acontecimentos  . Hoje ele chegou  muito, mal cumprimentou os pais , ele e o Lucca se trancaram  no quarto . D. Marina  , disse  nunca  ter visto , ele assim  ... Eu acho que vocês têm  que  conversar  abertamente. 
-  Eu não  sei por onde começar  ... o que dizer. Tenho  medo  piorar  a situação  .
-  Carolina  , já passou  pela  sua cabeça  que provavelmente  ele está  se  sentindo  como você  ? Diga sem medo o que está  pensando , o que sente. Evite mal entendidos. 
-  Vou fazer isso hoje . Chega de ficar  nessa agonia  !!!
-Isso  mesmo se resolvam . – disse sorrindo  , mas percebi tristeza em seu olhar .
-  Mudando  de assunto  ... o que  te deu ontem  ? Deixou o Lucca sozinho  ...
-  Eu mais uma vez agi sem pensar e me comportei como uma idiota  ... 
Ela me colocou a par de tudo o que aconteceu , do que disse e de como estava  se sentindo culpada  .
-  E foi isso Carol . Eu fiquei tão  cega de ciúme  e de raiva , que agi irracionalmente .
-  Nós  duas estamos nos saindo muito  bem ...
-  Bem ?! – me olhava com espanto  .
-  Sim . Se a nossa intenção é a  de sabotar  nossos  relacionamentos , estamos de parabéns  !!!
Rimos. E acabamos por passar o dia juntas .
No final da tarde a acompanhei até  a casa dos pais  dele . 
Estava calma e decidida a resolver de uma   vez por todas  essa situação. 
Mas aparentemente,  ele já havia resolvido  do jeito dele.
Assim que Allie estacionou e saímos  do carro rindo , a cena que vi fez o riso morrer em meus lábios . 
Fabio conversava com uma loira linda , próximos  o suficiente  , para que  ela mantivesse  a mão no peito dele com  muita intimidade . Ele ria de algo que ela dizia ao ouvido dele , aproveitando  para roçar  o corpo no dele. Pareciam muito  à  vontade e  demoraram  para se dar conta da nossa  presença. 
Allie me disse :
-  Calma . Ela é  ex namorada dele . Mas não  tem nada a ver ...
-  Eu  estou calma – a interrompi – Pelo jeito , ela logo vai deixar de ser ex. Allie , me empresta  o seu  carro , eu tenho que sair daqui .
-  Carol ...
Não  deixei  que ela terminasse.
-  Por favor , Allie. Por favor .
Ela me jogou as chaves e o som chamou a atenção  dos “ pombinhos “ que se viraram em nossa direção  e finalmente  nos viram .
Virei as costas e fui correndo para o carro. Ainda  ouvi a voz dele me chamando  , mas eu acelerei. 
Só  queria  sair de lá  o mais rápido  possível  ... Era desse  jeito que ele me amava ?!
Para o inferno  com ele e com o “ amor “dele !!!
Eu não  conseguia  enxergar em meio as  lágrimas  , meu celular tocou e por uma fração de segundo  , desviei minha atenção  para ver o nome  dele no visor do telefone ... 
E depois ouvi um som  ensurdecedor   , senti uma pancada e o tudo escureceu  .

 


Notas Finais


Beijos de Luz !!!
Trilha : Beyoncé , Me , myself and I .


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...