História Rise Up - Capítulo 48


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chris Evans
Tags Drama, Romance, Tragedia
Exibições 18
Palavras 2.354
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eita homem lindo de bonito !!!
😜😜😜

Capítulo 48 - Good Love


Fanfic / Fanfiction Rise Up - Capítulo 48 - Good Love

Good  Love
FÁBIO 
Os últimos  dias  haviam sido conturbados. 
Com a morte dos avós  de Allie , todos nós  ficamos envolvidos  em uma atmosfera  de tristeza  e preocupação. 
Allie  não  era mais  a mesma .
Tinha  voltado ao trabalho  e aparentemente  estava agindo  normalmente  , mas  seus olhos  não  tinham  mais  brilho. Seu riso parecia  forçado. 
Era a sombra  da Allie  que conhecíamos. 
E Carolina  estava  preocupadíssima  com ela. Eu também. 
Aliás  com ela e  Lucca , que andava aflito por não  saber como ajudá  - la.
Para sairmos um pouco  desse ambiente  de tristeza , convidei Carolina para irmos ao cinema  e depois jantar.
Mas dessa vez , não  iríamos  juntos  . Eu fiz questão  de ir buscá  - la em casa , como num encontro  de namorados  , para quebrar a rotina.
Peguei  a moto de Lucca emprestada , já  que havia  vendido  a minha  há  muito  tempo.
E ao pilotar  de novo , me passou pela cabeça  comprar outra . Minha  mãe  que não  gostaria  nada disso  ...
Na hora marcada , cheguei ao nosso  prédio  e telefonei para que ela descesse .
Ela estava linda !!! Com uma calça  jeans , camisa branca e jaqueta de couro azul marinho e as botas de couro de salto alto que eu adorava.
Ao vê  - la , pensei  em desistir  do jantar e ir direto para a sobremesa.
Mas nós  precisávamos  desse  momento  . Então  contive meus impulsos. 
-  Anjo você  está  linda !!!
-  Você  também  !!! Tem certeza  que quer ir jantar   ?! Nós  podemos  pedir  algo depois ... – sua expressão  era  pura malícia .
-  Não  senhora  . Vamos  seguir o planejamento. Hoje eu quero  te namorar  e garanto que você  não  vai  se arrepender  !!!
Ela subiu  na moto , aguardei que colocasse o capacete  e nos colocamos  a caminho  do  restaurante,  que tinha  vista para o lago e era bem conceituado.
Chegamos  , nos acomodamos em uma mesa reservada   dos demais  clientes do restaurante  por um biombo e bem romântica  e fizemos nossos pedidos .
Ela iniciou a conversa.  Eu estava embasbacado admirando – a e pensando  que a cada dia a amava mais.
-  Eu  não  sabia  que você  tinha  uma moto  .
-  Eu tive  . Depois  que caí  , vendi . Essa é  do Lucca,  ele adora  pilotar  . Quer dizer  , adorava  .
-  Mas você  ficou com medo  depois  que  caiu ?
-  No começo  sim. Mas depois,  foi mais  por pressão  da minha  mãe  que acabei  desistindo  . Cada vez que eu ou Lucca  saíamos,  era um drama . – respondi  sorrindo  ao lembrar  das cenas. 
-  Imagino. Vocês  são  muito apegados  não  é  ? – ela disse com um sorriso  e eu quase  não  consigo  responder.
-  Sim. Sempre  fomos.  Meus  pais eram  e são  muito  presentes  em  nossas vidas ... sempre  nos apoiaram  em nossas  escolhas  e decisões.  E Lucca  e eu sempre  fomos inseparáveis. 
-  Imagino  o quanto  você sofreu  com o acidente  ...
-  Sofri muito  . Pensei  que minha família  ia se separar. Meus pais que sempre foram unidos,  estavam  brigando.  Lucca no hospital com aquele  diagnóstico  terrível  e eu sem saber  o que fazer  ...
-  Ainda bem  que tudo isso  acabou.
-  Sim. E eu posso  dizer que conhecer você  em meio a tudo isso  , foi a melhor   coisa que me aconteceu  !!!
-  Mas você  não  gostou  de mim de imediato ...
-  Nosso primeiro  contato  , não  foi muito  agradável. – Eu falei rindo .
-  Foi um acidente  . E você  reagiu como  um ogro ...
-  E você  foi  atrevida e arrogante. 
-  É  , acho que empatamos.
Ficamos em silêncio  por um momento,  enquanto  comíamos.  
Contudo , precisava tocar em um assunto  delicado.
Tomei um gole de vinho , para angariar  a coragem  necessária  e  comecei :
- Anjo , eu sei que esse é  um assunto  que te incomoda  , mas já  percebemos  que seus pais  não  querem  fazer parte das  nossas  vidas  . Eu sei também  , que  você  sente muito  a falta  deles ,  porém  nós  não  podemos  ficar esperando  que eles se  decidam  a me  aceitar. Eu te amo , quero me  casar com você  e não aguento mais  esperar .
-  Eu sei ... Mas eu não queria  perder as esperanças. E você  quer um evento  ...
-  Carol se você  quiser , amanhã  mesmo nós podemos  ir à prefeitura e nos casarmos.  O que me importa  é  que você  seja minha esposa  . E o mais  rápido possível.  
Eu segurava sua mão  por sobre a mesa.  Ansioso  por uma  resposta. 
-  Não  precisamos  ser tão  radicais. Podemos  fazer uma pequena cerimônia,  só  para os mais  intimos. Eu sei o quanto  isso  é  importante  para você  e seus pais. O que você  acha de casarmos  no dia dos namorados  , 14 de fevereiro  ? Com as bênçãos  de São Valentim  .
-  Sério  ?!  Acho perfeito !!! – 
Eu não cabia em mim de felicidade. 
-  Isso  nos dá  exatamente,  dois meses para organizamos tudo. -  ela disse  prática. 
- Ah , mas nós  damos conta. Podemos fazer a cerimônia e a festa no salão  principal do  Royal  Club , minha  mãe  pode cuidar  da organização  se você  não  se  importar .
-  Mas será  que vamos  conseguir  essa data  ? Está muito em cima ...
-  Meu pai é amigo de um dos sócios fundadores . Isso  não  será  problema  . -  tomei um gole de vinho  e continuei entusiasmado .  -  Amanhã mesmo  , vou cuidar  da parte legal e pedir ao meu pai que fale com o padre Patrick. 
-  Uau !!! Parece  que você  já tem  tudo esquematizado ... – disse  sorrindo  .
-  É  ,andei  pensando  um pouco  sobre  isso  ...
Rimos.  E eu ainda  tinha  mais uma coisa para dizer :
-  Você  se lembra  daquela  casa que vimos à  venda , no final da rua da Lucca  e da Allie ?
-  Lembro  . Eu fiquei  apaixonada por ela. Pena que aquela  família  comprou ...
Então  tirei  uma caixinha  do bolso e entreguei à  ela , que me olhou  surpresa.
-  Eu que você  preferisse me  entregar o anel de  noivado na  presença  da sua família. 
-  E prefiro . Agora , abra.
Ela pegou a caixa e a abriu , retirando  uma chave e me  olhando confusa  .
-  Esse  é  meu presente de casamento  para você  . Aquela  casa é  sua .
Ela ficou  boquiaberta.  E em seguida  seus olhos ficaram  marejados.
-  É  sério ?! Você  é  louco !!! 
-  Sou . Louco por você  !!!
- Meu Deus  !!! Eu não  sei o que dizer ... – ela estava  trêmula. 
Eu levantei  e ela fez o mesmo. 
Me ajoelhou aos  seus pés  e disse :
-  Carolina  Braga Smith  , você  me concede a honra  de ser minha esposa ?!
Eu também tremia.
- Sim!!! Sim !!! E a honra é  minha !!!
Ela  fez com que eu me levantasse e nos beijamos apaixonadamente. 
Fomos para a casa nova e fizemos amor com toda doçura de um amor realizado  .
NO DIA SEGUINTE  
Fomos almoçar  na casa dos  meus pais.
Carol irradiava felicidade e eu não  estava diferente  .
Nós  tocávamos a todo instante ,era como se fosse  impossível  manter nossas  mãos  longe um do outro .
Durante o café  da manhã  havíamos  conversado sobre alguns detalhes  práticos,  como  quem seriam nossos  padrinhos.
-  As meninas  serão  minhas damas de  honra. – ela disse e seus olhos brilhavam alegres.
-  Estou sendo óbvio , mas o Lucca  será  meu “ best man “ . Ele foi o primeiro a perceber  que eu estava  apaixonado por  você e sempre  apoiou  a nossa relação. 
-  Eu sempre soube  que ele é muito sagaz . – disse  rindo. 
-  Engraçadinha. 
Quando  chegamos , fui direto  para o escritório  , onde meu pai e  Lucca  conversavam. 
-  Bom dia . – disse sorrindo  de orelha a  orelha.
-  Oi filho .
-  Oi. Parece que  alguém  viu passarinho verde ...
-  Vi uma ninhada inteira !!! Eu e Carol  , marcamos  a data !!!
Eles  bateram palmas e meu pai me abraçou  , dizendo  :
- Até  que enfim !!! Quem sabe assim , eu consiga ver meus netos antes de morrer ...
Eu e Lucca nós  olhamos , caindo na  risada.
Meu pai era a personificação  do drama .
-  É  sério  ...
-  Bom , e quando será  o tão  esperado enlace ? – disse  Lucca ainda  com ar de riso.
-  No dia dos namorados.  – respondi  sorrindo. 
-  Mas filho , só  teremos dois meses para organizar  tudo !!!
-  Eu sei . Mas conto com a ajuda de vocês  ...
Minha  mãe  ficou em  êxtase  com a notícia .
-  Filho , você  não imagina  o quanto  estou feliz por vocês  !!! Eu não  estou  perdendo  um filho  e sim ganhando  uma filha. 
Nós abraçamos,  minha  mãe  era a melhor pessoa do mundo.
-  Mãe  , eu te amo muito. 
-  Ah , para !!! Assim vai  me fazer  chorar  ... eu também  te amo muito  filho.
Começou  a fazer uma  lista de prioridades  e me  lembrei das listas  que Allie costumava fazer. Eu tinha  certeza que o nosso casamento seria perfeito. 
Enquanto  comíamos  , falávamos  das questões práticas. 
-  Allie  você  pode ir comigo na quarta , comprar o vestido  ? – perguntou  Carolina  .
Todos  nós  olhamos para ela , que parecia perdida em  outro  tempo  e espaço. 
-  Princesa ... a Carol te fez uma  pergunta.  – Lucca  tentava trazê  - la à  realidade. 
-  Oi ? Desculpe  . 
-  Eu perguntei  se você  pode ir na quarta  , comprar o vestido  de noiva comigo  ...
-  Ah , na quarta ... claro . – e deu uma imitação  de sorriso.
Nós nos entreolhamos preocupados .
-  Então  está  combinado  . Faremos uma noite só  das meninas . E vocês  garotos  podem aproveitar  a folga.
-  Carol , bem que estou  precisando . – disse Lucca  , com a  clara intenção  de provocar  Allie. 
Contudo  ela não  reagiu ,  parecia nem mesmo  ter ouvido.
Eu  tentei  inclui- la na conversa novamente. 
-  Minha cunhada preferida , nós  agora faremos  nossas sessões  de filmes da Marvel  lá  em casa , enquanto esses chatos  falam sobre as últimas  tendências  de decoração  . Afinal  , seremos  vizinhos .
Acho que por sentir todos  os olhares  em si , ela respondeu tentando  emprestar entusiasmo  à  voz : 
-  Com  certeza e o lanche fica por minha  conta . Porque  você  na cozinha  ...
-  Ora , as minhas  torradas  são  ótimas  !!!
Todos  nós  rimos.
Depois  da refeição  , eu e Lucca fomos para quarto  dele.
-  Mano , você  está  bem ? A Allie está  tão  distante ...
-  Eu não  sei se estou bem . Vê  - la sofrer , sem poder ajudar,  me martiriza .É  como se ela estivesse se afastando  e eu não pudesse  alcança  - la .
-  Ela parou com a terapia ? Agora é  essencial  a  ajuda de um profissional  .
-  Ela tem ido . Mas acho que a ferida  é profunda  demais  e vai levar muito  tempo  para  fechar. 
-  Você  precisa ter paciência e calma para poder apoia – la . E nem mesmo  os preparativos  para o  casamento  a tiram dessa apatia  ?
-  Não  . É  como se nada mais importasse ...
-  Desculpe  a indiscrição  ... E  na cama ?
-  Ela parece  estar ausente  . Não fazemos amor há algum tempo  ... 
-  Cara ,  então   a situação  é  pior do que pensei .
-  Sim . Eu tento supri – la com todo  o  carinho  . Mas ela se fechou  .
- Eu não  sei o que  te dizer ...
Eu o olhava penalizado.
-  Chega de falar de mim . E você , feliz ?
-  Felicíssimo  !!! Eu fico  cada dia mais apaixonado  .
-  Fico muito feliz por você  !!!  E agora a  pressão  de dar netos aos  nossos  pais vai  recair sobre vocês  . Ufa !!!
-  Idiota !!! Mas a partir  de julho dividiremos  a  responsabilidade  .
Rimos  e  em seguida , eu disse :
- Lucca  , eu quero te fazer um pedido  ... 
-  Fala cara ,por que essa expressão  tão  séria  ?
-  Eu quero que você seja meu  padrinho  .
-  Eu me sinto  honrado .
-  Eu te amo muito.
O abracei e para variar choramos. 
Os Landucci emotivos  estavam  em ação.
Conversamos  por mais algum tempo, até  Carol  vir me chamar para irmos embora. 
Nos  despedimos de todos . 
E já no carro , Carol me  mostrou  o motivo de sua pressa  em irmos  para casa.
Começou  acariciando minha nuca. Depois  passou a deslizar  a mão  por minha  coxa.
-  Se você  quiser chegar  inteira  em casa , é  melhor  parar ... – disse  sorrindo  malicioso.
-  E por que  temos  que esperar  chegar  até  em casa ?!
-  Carol não  me provoque ...
- Eu não  estou fazendo  nada . Só  fiz uma pergunta  inocente ...
Desviei  e entrei em uma rua comercial  , que aquela  hora estava  deserta . 
Desliguei o carro e Carolina  simplesmente  abriu minha  braguilha e me colocou  inteiro na boca. 
Eu arfei e pensei que iria explodir  de prazer .
Ela era habilidosa e sabia  me excitar. Não  aguentando  mais  e sentindo  que ia gozar , a puxei para cima  de mim , levantei  sua saia e rasguei  sua calcinha fazendo  - a sentar  em minha ereção  .
-  Você  é  tão  apertada  ... tão  gostosa.
Ela suspirou e me beijou. Aumentando o ritmo  dos movimentos.
-  Amor mais rápido  ... me fode com  força  .
Aquele pedido  era uma ordem.
Me enterrei nela , repetindo o movimento  até que ela gritasse e me molhasse com seu gozo.
Ela continuou  a se movimentar e eu sabia  que não  ia durar muito .
-  Carol, eu vou gozar ...
-  Goza para mim. 
Atingimos  o clímax  juntos .
-  Anjo , eu te amo.
Nunca  havia me sentido tão  completo.
-  Eu também  . Eu sou sua  para sempre  .

 


Notas Finais


Simplesmente in Love !!!
💑


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...