História Rise Up - Capítulo 49


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chris Evans
Tags Drama, Romance, Tragedia
Exibições 17
Palavras 4.997
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Allie e Lucca 💓💓💓💓

Capítulo 49 - Can We talk


Fanfic / Fanfiction Rise Up - Capítulo 49 - Can We talk

Can We Talk
LUCCA 
A tristeza  e  apatia de Allie me preocupava  cada vez mais.
Ela  vivia entre nós  , mas nos mantinha  a distância. Permanecendo isolada em seu mundo  de desolação  e dor.
Eu precisava  fazer algo . Só  não  sabia  o quê  .
Em busca de ajuda ,  conversei  com minha mãe. 
-  Eu não  sei o que fazer para ajudar a Allie  ... Eu sinto  que a estou perdendo , mãe. 
Eu não  queria  soar  desesperado  , mas não  tive sucesso. 
-  Meu amor , além  de toda a paciência  e carinho que você  tem tido  com ela , tem que ser firme. 
-  Firme  ?! Como ?!
-  Dar um choque  de realidade.  Eu sei que a dor dela é  imensurável  , mas a vida continua. E tenho certeza  que os avós  dela , não  gostariam  de vê  - la assim,  desistindo  de viver. Converse  com ela , mas sem ser condescendente  . 
-  Eu tenho  medo de mágoa – la ainda  mais  ...
-  O amor também  é firme. Ela vai   compreender  que você  e todos nós  só  queremos  o bem dela  .
Ficamos  em silêncio  por alguns  instantes  e minha mãe  continuou :
    - Leve – a para algum  lugar  que seja especial  para você  . Surpreenda . E aproveite  o momento  para ter essa  conversa. Agora que seu carro  está  pronto , por que você  não  vai buscá  - la no trabalho  ? – sugeriu  sorrindo. 
-  Obrigado  mãe  !!! Eu não  sei o que faria sem a senhora  !!!
A abracei , recebendo  um beijo  em retribuição.  
Fui para o meu  quarto  e liguei para Allie , que já  devia estar  na Universidade  , pois havia  saído  mais cedo dizendo  ter  provas para corrigir. 
Depois  do quarto  toque  , ela atendeu  :
-  Oi bebê  . Tudo bem ? 
Sua voz  soou  apreensiva  . 
Tratei de tranquiliza – la.
-  Oi delícia  !!! Tudo  bem sim . Eu quero  te fazer um  convite  ...
-  Convite  ? Lucca eu não  ...
-  Allie , me escute .
-  Ok . Desculpe  .
-  Eu quero levar  você  para jantar.  Para passarmos  um tempo sozinhos.  Eu sinto muito  a sua falta , princesa.
Falei carinhoso .
Percebi  sua hesitação. 
-  Hum ... tudo bem .Eu passo para te pegar ...
-   Não  precisa . Me espere aí  mesmo. Às  19 h 30. Até  mais  tarde.
Desliguei antes que ela mudasse de ideia ou fizesse  perguntas .
Agora a parte  prática  precisava ser resolvida.
Liguei para meu pai .
-  Oi filho . Tudo  bem ?
Quando  será  que  as pessoas  vão  voltar a me atender , sem soarem  apreensivas ?
Resolvi ignorar  e ir direto  ao assunto  :
-  Tudo certo  . Pai preciso  de um favor ...
-  Pode falar .
-  Eu  quero levar  a Allie ao Le Blanc  ,  mas preciso  de privacidade.  Será  que o senhor  consegue falar com o Olivier e pedir que ele reserve o segundo andar para mim ?
-  Claro , vou ligar para ele . E por ser segunda  - feira , acho  que não  haverá  problema  . Mas o segundo  andar ?
-  Sim.  Eu  sei o que o senhor está  pensando . E aí  vem a segunda  parte  do meu  pedido,   pai eu preciso  que leve minha  cadeira  e deixe lá  . Eu vou  buscar  a Allie e sei que vou precisar  da cadeira  .
-  Entendi. So não  abuse , ok ?  Você  sabe a recomendação  ...
-  Eu sei  e não  pretendo  estragar  tudo  , tendo  um acidente  no meio do jantar. 
-  Certo  .  Considere feito  . Te mando uma mensagem  confirmando.
-  Obrigado.  Te amo pai.
-  Eu também  filho. Muito  .
A última  etapa do plano ... conseguir  que um DJ amigo nosso  , tocasse para nós  .
Liguei  para ele ,  rezando  para que não  tivesse  compromisso  naquela  noite.
-  Lucca  meu irmãozinho  , o que você  manda ?
-  Andrew  preciso de um favor cara ...
Expliquei  a situação  para ele , que topou  na hora.
Elaboramos a playlist  e nos despedimos. 
Logo  em seguida, recebi a  mensagem do meu pai.
“ Filho , tudo certo.
Daqui a  pouco  passo  aí  para pegar a cadeira.
O Olivier pediu que você  mande uma mensagem  , se  quiser algo  diferenciado e fora do cardápio .
Te  amo . “
Meu pai era o máximo  !!!
Resolvi não  abusar e mandei  uma mensagem  agradecendo  e garantindo que o menu que ele oferecia era espetacular e complementaria perfeitamente  a surpresa. 
Com tudo acertado  , resolvi descansar  um pouco.  Já  estava começando  a sentir  uma dorzinha incomoda  e hoje nada poderia dar errado.
Programei o celular  para despertar  . Tomei  um analgésico e peguei no sono rapidamente .
Acordei  bem disposto  . Tomei  um banho  e  me  arrumei.
Eu estava  apostando  alto nesse encontro.
ALLIE 
Deliguei o telefone  , meio contrariada . 
Ultimamente,  não vinha me sentindo disposta a  fazer nenhum  tipo de programa  , estar em meio à  pessoas estranhas. Alias ,eu  não  estava  afim de nada.
Mas o meu príncipe não tinha culpa de nada e eu não podia perde -lo também. 
Se bem , que todas as pessoas que eu amei , acabei  perdendo. Talvez  fosse a minha  sina ...
Bom, mas já  havia aceitado  e faria um esforço  para aproveitar  a noite. Por  sorte  , eu havia me arrumado  um pouco  hoje.
Como fui  convocada para  uma reunião  com a direção,  que me convidou  para assumir o cargo de coordenadora  , tive que ir  apresentável. 
E o tempo também  colaborou  , 16 °  no  inverno  de  Michigan , era  considerado um tempo agradável.  Portanto  , eu  havia colocado um vestido de lanzinha e botas de alto com salto alto e fino. Meus cabelos  estavam soltos e escovados. 
O meu  traje não  seria problema. Só  precisava  , passar  um pouco  de  maquiagem  , para disfarçar  as olheiras.  
Eu  só  estava  intrigada ... como ele viria me buscar ? 
O carro dele ainda  estava na oficina realizando  as  adaptações  necessárias, inclusive  ele havia ficado possesso com o  atraso na  entrega.  E ele odiava pegar  táxi.
A não ser que ele tivesse pedido para um dos pais ou Fábio , já que Carolina estava viajando. 
Parei de divagar , em dez minutos eu teria minha curiosidade sanada .
Me apressei em me maquiar,  passei o perfume  que ele gostava.  E ao me olhar no espelho , gostei do que vi.
Fui para a portaria  da Universidade, aguarda – lo e fiquei conversando  com o sr . Pérez , o porteiro. 
-  Boa noite , sr .  Perez. – disse afável  .
-  Boa noite , professora . A senhorita  está  muito elegante. 
-  Obrigada  . Meu noivo  vai me levar   para jantar  .
-  Comemorar  a  promoção  ? Aliás  , meus  parabéns  !!!
Me surpreendi por ele já estar sabendo  . Eu  havia aceito o convite  um pouco antes  do  almoço  ... As notícias  voavam por ali.
-  É  ,  vamos comemorar ...  E obrigada. – falei , dando  um sorriso  meio sem jeito. 
Olhei  para  frente , onde um Lexus chumbo havia parado e imediatamente  reconheci o carro. 
Me despedi rapidamente do senhor  Perez  e fui  para o carro. 
-  Oi . Desculpe não  descer para abrir a porta .- ele disse sorrindo e me dando um beijo nos lábios. 
-  Oi . Seu bobo ... Você  não  me  disse que o carro  havia  ficado pronto .
-  Entregaram  logo  depois que você  saiu.
-  Que bom  . E como você  está  se  sentindo ?
-  Independente  . – e seu sorriso  me aqueceu por dentro.
-  Imagino.  Você  sempre  gostou de dirigir  .
-  Sim . E o fato de  deixar de ser um fardo  ...
-  Fardo  ?! -  olhei para ele indignada  .
-  Ok . Me expressei mal ... Eu quis  dizer , que  agora  ninguém  vai precisar  deixar  seus compromissos  de lado , para  atender minhas necessidades.  Melhorou  ? – perguntou  sorrindo. 
Ele estava  com um humor ótimo. 
-  Sim . Melhorou bastante.  – retribui o sorriso  . 
E pela primeira  vez , desde o falecimento  dos meus  avós  ,  o meu sorriso  era genuíno  e não  forçado. 
Eu estava  me sentindo bem. Surpreendentemente  bem .
Chegamos  ao Le Blanc , a  noite prometia ser agradável  .
Começamos  bem. Estávamos  no meu restaurante  preferido .
LUCCA 
Ela estava linda !!!
E sorrindo.
Só  de olhar para  ela , sentia meu corpo  se aquecer .
Durante  o trajeto fomos  conversando  e falamos  muito  mais do que nos  últimos tempos.  Allie  só  respondia , o que perguntavamos .
Entramos  no restaurante  e fomos recebidos  por Olivier  , que fez questão  que usassemos seu elevador pessoal. 
Dei graças  ao céus  por isso.
Quando  chegamos ao  segundo  andar , percebi o ar de curiosidade  que  Allie tinha estampado em suas feições. 
Fiz um  gesto  discreto  e Andrew  começou a tocar a seleção  que  eu havia feito. 
A conduzi até  a mesa , esperando que ela se  acomodasse e só  então  me sentei , apoiando as muletas na parede  atrás de mim .
Ela não se conteve e perguntou :
- O  que está  acontecendo  ? Por que  aqui  em cima , que é  a área  mais disputada está vazia  ?
-  Porque  hoje a noite é  nossa . Temos  até  uma pista de dança  .
-  Lucca !!! Eu nem  sei o que dizer ...
-  Não  precisa dizer nada – peguei  em sua mão  por sobre a mesa . – Eu só  quero te ver feliz  .
Fizemos  nossos pedidos e assim que  fomos  servidos , eu puxei  assunto .
-  Na quarta você  vai acompanhar  a Carol para  comprar o vestido , não  é  ?
-  Sim. E  espero que ela  encontre o que  procura . Não  tem muito  tempo hábil  para escolher. 
Ela disse  preocupada  .
-  Vai  dar tudo  certo. E ... você  pode tentar  encontrar o seu . O que acha ?
Eu não  queria  pressiona -la, mas ela  havia  abandonado  completamente  os preparativos  do nosso   casamento. 
- Sim . É  uma boa oportunidade.  Vou dar uma olhada  ...
-  Allie , você  quer adiar o casamento  ? – perguntei  temendo  uma resposta afirmativa. 
-  Não  !!!  De jeito  nenhum  !!!
Respirei  aliviado. 
Ela continuou  :
- Por que você  está  me perguntando isso ? Você  quer adiar  ?!
Ela me olhava assustada.
-  Não  , Allie  . É  que você  tem  estado distante  , deixou  de lado  a organização  . Eu pensei  que talvez  ,  você  quisesse um tempo  . Eu sei que está  sendo  muito  difícil  lidar com  o que aconteceu  ...
-  Desculpe  . Eu sei que  tenho sido relapsa ... Deixado você  de lado. Mas ...
-  Princesa,  eu não  estou cobrando  nada . Eu só  quero saber em que pé estamos. Eu quero  te ajudar, mas você  precisa permitir  ... Por favor  , não  me afaste.
Ela estava  com os olhos  marejados e percebi que tremia , ao ver como a taça  balançava  em sua mão. 
Me senti aflito , mas antes que eu pudesse falar  algo, ela disse  :
- É  que dói  tanto ... Às  vezes eu acho que vou me partir  ao meio. Tenho medo de sucumbir  à  essa dor ...
- Eu não  tenho  como mensurar a sua dor . Mas de uma coisa  tenho certeza , você  não  está sozinha. Nós  te amamos , só precisamos que você  nos deixe ficar  ao seu lado.  Não  se esconda de nós  , não  finja  que está  tudo  bem . Nós  somos a sua  família. 
As lágrimas escorriam  por seu rosto e eu não conseguia identificar sua expressão. 
Ela se levantou e se aproximou  de mim , eu afastei a cadeira  permitindo  que ela se sentasse  em meu colo. Ela me abraçou  e chorou.
Chorou copiosamente  ,  extravasando parte de sua dor . E eu me juntei à  ela, misturando  nossas  lágrimas  .
Quando  ela se acalmou , me olhou enxugando as lágrimas  restantes  e segurou meu rosto  com as duas mãos  , olhando – me profundamente.
-  Eu  te  amo , nunca duvide disso.  Eu posso falhar em demonstrar ... Ter você  e sua família me dando apoio , é o que  tem me sustentado , me dado forças  para continuar. Me perdoe se tenho sido  distante , eu não  quero  magoar  nenhum  de vocês.
-  Nós  sabemos  disso  . E queremos ficar  ao seu  lado. Nos sentimos  angustiados  e de  mãos  atadas , vendo  o seu sofrimento  , sem podermos  fazer nada. Nos deixe te ajudar. 
- Eu  vou tentar  ... Prometo. -  sorriu timidamente. 
A abracei apertado e para amenizar o clima emotivo  disse  :
- Bom ,  agora  que já nos acertamos , não  podemos  desperdiçar  o nosso  jantar. Isso  seria uma  heresia !!! – disse sorrindo ironicamente. 
-  Nem pensar em cometer esse pecado. – falou  me beijando  e voltando ao seu lugar  .
Terminamos  de  jantar , em um clima  amistoso. 
Conversando sobre diversos  assuntos  , precisávamos  recuperar  o tempo  perdido. 
-  Hoje tive uma reunião  com a direção  da Universidade  . – ela disse  fazendo  mistério. 
-  E ?!
-  Fui convidada a assumir  a coordenação  da escola  .
-  E você  aceitou  ?!
-  Sim  . Contudo  minha carga horária  vai aumentar  , mas o salário  também  .
-  Parabéns  ,  princesa  !!! Sua competência  e dedicação  , estão  sendo reconhecidas . Estou  muito orgulhoso  de você  . E sei que  seus avós se estivessem  aqui  , também  estariam. 
Uma  nuvem  de tristeza  nublou por um instante  sua expressão  . E eu me arrependi de falar  neles . Mas ela precisava  falar  sobre eles  e ouvir , não  adiantava  negar o que havia acontecido. 
-  Obrigada . E no fim das contas  , estou  seguindo  os passos  da minha avó  . – seu sorriso  estava impregnado  de tristeza  , mas de orgulho  também. 
-  E o bom  é  que vou poder parar de trabalhar  e viver  sendo  sustentado  por minha linda esposa coordenadora. Eu espero que você  mantenha  o meu padrão  de vida . Não  vou sair  da casa dos meus pais , para ter menos  do que estou  acostumado  . – emprestei seriedade à  voz e fiz uma expressão  de  garotinha  mimada.
-  Seu palhaço  !!! – ela gargalhou e aquele  som foi como música  para os meus ouvidos  . – Acho melhor  você  baixar seus padrões  querido  . Vamos  viver de amor ...
-  Com  você  uma cabana e amor ... Mas nós  podemos  ter Internet e Tv  à  cabo ?! Por favor   !!!
-  Você  é  impossível  !!!
Ficamos  em silêncio  por um momento  e me lembrei do recado que tinha  que dar à  ela :
- Ah , a Lou ligou  e avisou que a cesariana está  agendada para vinte sete de dezembro.  – Eu a avisei.
- Nossa !!! Semana  que vem !!! Preciso comprar  um presente  para Julian. E os presentes de natal ... onde  eu estive durante  esse tempo  ?!
Ela falava  estarrecida. 
-  Calma  amor ,  nós  temos tempo. Podemos  ir amanhã ao shopping  e resolvemos isso. 
- Mas amanhã  você  vai voltar  a trabalhar  no escritório,  vai  ficar cansado. 
-  Ei !!! Cansado de ficar  sentado. Vai  ser bom sairmos. E se eu me sentir  cansado  , eu te aviso e vamos  embora. 
-  Ok. Só  não  quero que você  abuse e  depois fique  com dor . Eu sei o quanto você  sofre.
-  Prometo  me comportar.
- Ai você  é  terrivelmente  teimoso !!!
-  E você  adora !!!
Rimos e  eu disse  :
-  Lembra -se quando  você  disse que estava com saudades  de sair para dançar  ?
- Isso foi uma bobagem ... Eu  só  estava sendo nostálgica. Nós éramos  ótimos  juntos. E ainda  somos em outras coisas  ...
-  E ainda  podemos ser dançando também ... com algumas  adaptações. 
-  Como  assim ?! – ela estava bastante curiosa. 
-  Você  pode por favor , pegar a minha  cadeira  ? Está  ali perto  do elevador  .
Ela foi andando rapidamente  e eu fiquei observando o balanço  dos seus quadris .
Suspirei  saudoso de sentir aquele  corpo , de te -la delirando  em meus braços. Minhas divagações  foram interrompidas por ela que trazia  a minha  cadeira  e me  olhava em expectativa. 
Ela me ajudou a sentar . Ainda sem entender muito  bem o que eu tinha  em mente ...
-  Allie  sente no meu colo . – a acomodei de lado , mas de forma  que  ainda  pudéssemos nos olhar  . 
À  um gesto  meu Andrew colocou a seleção  romântica para tocar e saiu discretamente.   
Photograph de Ed Sheeran , começou  a tocar. Encostei  meu rosto  no dela , girando  lentamente  minha cadeira  .
Senti suas lágrimas  molharem meus lábios  e a beijei ,enquanto  a letra da música  dava voz aos  meus sentimentos e a melodia nos embalava.
“ Amar pode doer 
Mas é  a única que eu sei
[ ...]
Me abrace ate nossos olhares  se encontrarem 
E você  nunca estará  sozinha  ... “
Apesar  de não  ser o modo  convencional de dançar  , era o nosso  modo .
E mais uma vez eu  tive certeza de que faria qualquer  coisa por ela .
Allie é a minha pessoa . 
ALLIE  
Agora eu tinha certeza  que o amor pode nos regatar das profundezas  do sofrimento. 
Eu havia  sido resgatada por amor e pelo meu amor.
Meu sol particular  afastou  as  sombras , me fazendo achar o  meu caminho.
Ele me completava e realizava meus  desejos  ...
Aquela  dança  , seu modo  de me abraçar,  nossa  música  tocando  , tudo me fazia  vibrar  E me fazer perceber  que a vida  continua. 
A tristeza e a saudade sempre  vão existir  , mas não  têm  que me dominar. 
Me senti renovada e com o ânimo  restabelecido.  Pronta  para continuar  trilhando  meu caminho. 
Eu não  estava sozinha  ... Lucca  era minha pessoa  .
Voltamos  para casa tarde da noite, felizes  e exaustos.
Depois do banho  , nenhum  de nós  tinha forças  para mais  nada. Nós aconchegamos um nos braços do outro e dormimos  o sono reparador  de quem está  de bem consigo mesmo .
NO DIA SEGUINTE  
Saímos  logo após  o café  e os pais dele sorriam felizes nos olhando. 
Nós  irradiavamos contentamento  , como há  muito não  acontecia.
Ele me levou ao trabalho  e combinamos  o horário  que ele viria me buscar para fazermos  as compras  de Natal. 
-  Bebê  já  que nossos  horários  coincidem , vou deixar  você  me trazer e buscar do trabalho. Não  é ótimo  ?
-  Estou sentindo  um cheirinho  de exploração  no ar ... -  respondeu rindo. 
-  Exploração  ? Você  só  está  retribuindo o excelente  padrão  de vida que vou te proporcionar  .
Gargalhei .
-  Estou perdido. 
E fomos  brincando  durante  o trajeto  de vinte minutos  . Como  chegamos quinze minutos  adiantados  , eu quis  aproveitar  de forma útil  o tempo  .
O beijei apaixonadamente  , aprofundando  o beijo e sentindo  o corpo dele responder de imediato  .
-  Allie , nós  estamos  na frente  da Universidade  ...
-  Ainda é  cedo  ... E eu estou  com muita saudade  de você  , meu delícia . – falei enquanto  deixava minha mão  escorregar por cima de sua ereção  visível  na calça  jeans. 
-  Princesa ...
-  Esse é  só  um aperitivo  do banquete  que te espera ...
Saí  do carro  rindo  da expressão  dele abobalhada. Voltei  e me  abaixei na janela do seu lado e sugeri :
-  Nós  podíamos  chamar a Carol e o Fábio  para irem conosco  ao shopping  . O que você  acha ? 
-  Ótimo  . Eu ligo para  eles. – disse me olhando com volúpia  ,deixando bem claro que passear  no shopping  era a última   coisa em que ele  estava  pensando. 
Para provoca – lo  ainda mais ,  roubei  um beijo  e quando  ele tentou aprofundar  o beijo , suguei seu lábio  inferior  e me afastei .
-  Allie você  é  uma menina  muito  má  e merece um castigo  ... – a voz dele estava rouca , cheia de desejo .
-  Hum ... não  vejo a hora  de ser castigada  .
Saí  rindo  dos seus  murmúrios .
O dia passou  rápido  e nem tive  tempo de almoçar. 
Me apropriar  da nova rotina,  estava sendo trabalhoso. Mas gratificante  .
No final  da tarde , tentei  me arrumar um  pouco e disfarçar  a cara de cansada. 
Soltei os cabelos  , mas eles estavam  marcados  por terem  ficado presos o dia todo.  Então  fiz um coque  frouxo e puxei alguns cachos aleatoriamente  para que emoldurassem meu rosto.
Dei  de ombros  , isso  era o melhor  que  eu podia  fazer depois  de um dia de trabalho  E depois era só  uma ida ao shopping  . Não  sei porquê  , eu estava tão  preocupada. 
Não  era nosso  primeiro encontro  , pelo amor de Deus !!!
Ri da minha  ansiedade  e fui espera – lo.
Ele foi pontual . Nós beijamos  e eu percebi  que ele estava cansado. 
-  Oi delícia  , como  foi o seu dia ?
-  Cansativo  , princesa  . Mas produtivo . E o seu  ?
-  Idem . Não  tive tempo  nem de almoçar  . Aliás  estou faminta  . E o Fábio  e a Carol ? – perguntei  de um fôlego  .
-  Já devem estar nos  esperando . Ele foi vistoriar  uma obra e depois  ia buscar  a Carol na casa de um cliente  .
-  Ótimo  . Nós  podemos comer alguma coisa antes de começarmos  a maratona de compras  ? – perguntei  já pensando  em um lanche gigante  , cheio de bacon e cheddar .
- Claro . Eu também  estou com fome . Só  que agora  fiquei  preocupado  , o que você  quis dizer  com maratona  de compras  ?! Eu achei que fossemos  comprar apenas  alguns presentes  ...
-  Santa inocência  ... mas não  se preocupe , você  e o Fábio  podem  ficar na praça  de alimentação  , se sentirem cansados  .
-  Se ?! Quando  .
Demos  risada e seguimos  em um silêncio  confortável  .
Ao chegarmos  , sugeri que ele usasse  a cadeira  de rodas . Pois , iríamos  andar  bastante. 
Ele aceitou  minha sugestão  de imediato  . Então  devia estar com dor e tentava disfarçar. 
Falei  preocupada  :
-  Se você  quiser  ir embora  , não  tem problema  ... podemos  voltar na quinta-feira  .
- Allie está  tudo  bem  . Só  estou  um pouco  cansado  , ok ? Vamos  à  maratona  ...
- Mas você  promete  que vai me avisar  ...
-  Prometo mamãe  !!!
Me interrompeu . E antes que ele se irritasse por achar  que eu estava  sendo super protetora  , mudei  de assunto.  
-  Acho que  vou comer um  “ x – bacon duplo “ , batatas mega e um milkshake de chocolate. 
Ele riu e disse :
-  Depois disso tudo  , duvido  você  participar de qualquer  maratona .
Irmos e fomos ao encontro  de Fábio  e Carol  , que nos aguardavam na praça  de alimentação  .
Perfeito  !!!
Nos cumprimentamos e logo  fomos  comprar  os lanches.  Fábio  e  Lucca ficaram  na mesa.
-  Allie que bom ter você  de volta . – disse Carol ,enquanto aguardávamos  para fazer nossos  pedidos  .
-  É  bom estar de volta . – e contei tudo  o que  Lucca havia  feito , ficando  com os olhos  cheios  de lágrimas  ao relembrar.
-  Ai meu Deus  !!! Eu sou  apaixonada  por  esses irmãos  Landucci  . – ela brincou  , mas seus olhos também  estavam marejados  .
-  Carol  , será  que é  normal nos apaixonamos por quem já  amamos  ?
-  Acredito  que sim . Eu a cada dia descubro  algo no Fábio que faz com que eu me apaixone . 
Seu sorriso seria capaz de derreter  uma geleira . A abracei  e disse  :
-  Estou  muito  feliz por vocês  terem se acertado . E ansiosa  pelo casamento  . Você  já  tem  ideia  do modelo  de vestido  que quer usar ?
-  Obrigada  . Eu também  estou muito  feliz  por  você e o Lucca.  E quanto ao vestido  , já tenho o modelo  definido.
- Quando  eu crescer quero  ser como você  ... – disse  sorrindo .
-  Engraçadinha  !!! -  respondeu  rindo .
Fizemos nossos  pedidos. E depois de alguns  minutos  de espera , fomos  para a mesa.
Lucca e Fabio  rima de alguma coisa  ,mas  ao ver as bandejas  arregalaram os olhos. 
-  Qual  o batalhão  que vai se juntar  a nós  ? – perguntou  Fábio  .
-  Ah  anjo , eu e Allie  estamos  com fome . E vocês  dois também  comem bem. E não  queríamos  enfrentar  fila de novo , então  ...
-  Compraram comida para um exército.  – disse  Lucca  rindo. 
Enquanto  eles falavam eu já  havia  começado  a comer vorazmente  .
Senti três  pares de olhos  fixos em mim e ergui meus olhos  do lanche que devorava. 
-  O que foi gente ?  - perguntei. 
Carol sorriu , enquanto  Fábio  perguntava  ao irmão  :
-  Você  a tem mantido  a pão  e água  ? 
-  Na verdade  , ela é  a representante  do pelotão  que se juntaria a nós  . – respondeu  Lucca em meio  as gargalhadas  de todos. – Eu queria  manter segredo  , mas ela estragou  o disfarce. 
-  Olha se demorarem muito  , eu  como o de vocês  também  !!! – falei rindo. 
Comemos em meio à  brincadeiras  . E depois  Carol e eu  fomos às  compras. 
Carol  comprou para o Fábio  os filmes  em Blu Ray  3 D  da Marvel  : Capitão  América  - o primeiro  vingador  até  Guerra  Civil  , o ultimo  lançamento  . Para d. Marina  uma blusa de cashmere  , senhor Gian Carlo  um livro  sobre churrasco  ( ele queria  se aventurar  nessa área  culinária  ) e para Lucca  a biografia de Lina Bo Bardi ,  uma arquiteta famosa.
Eu  comprei para d. Marina  uma bolsa Prada , que  ela havia  elogiado . Para o meu sogro um kit de utensílios  para churrasco ( Eu e Carol  tínhamos  concordado em combinarmos  nossos  presentes ) e para Fábio  os  três  filmes  do Homem de Ferro  , Homem Formiga  e Deadpool , assim  a coleção  ficaria  completa. 
Só  não  sabia  o que comprar  para o meu  príncipe  . Depois  de algumas sugestões  de Carol que descartei , entrei  em uma joalheria  e escolhi um cordão  de ouro  e um pingente que era uma placa de ouro , como àquelas  de identificação  do exército . Mandei gravar duas coroas entrelaçadas e a frase “ eu te amo super mais  “.
Decidirmos  deixar  para o dia seguinte  o presente  de Julian , para podermos escolher  com calma .
Compras  realizadas, encontramos  nossos  amados impacientes  . 
Eles ficaram  abismados  com a quantidade  de sacolas.  E quando  falamos  que  não  havíamos  terminado , Fábio  não  se conteve :
-  Irmão  nós  vamos  ter que arrumar  uns três  empregos  !!!
-  Eu não  . Vou ser sustentado  . Allie foi promovida  a coordenadora  .
Eles me cumprimentaram alegres  .
Conversamos  por mais  alguns  minutos  , acertei  com Carol o horário  do dia seguinte. E ao  olhar  para Lucca  notei que ele se mexia inquieto e mordia os lábios  .
Apressei as despedidas  e  nos separamos  , havíamos  estacionado  em locais  diferentes. 
Já  no carro :
-  Princesa  você  se importa  dirigir  ? – falou  com voz rouca.
-  Não  . Só  preciso que  mostre como o câmbio  funciona. 
Ele me explicou  que estava no  cambio automático e que eu apenas teria que acelerar e frear.
-  Lucca  ... amor está  tudo  bem  ? – perguntei  preocupada   com sua expressão  de dor.
-  Tudo  bem . Nada que um banho e um analgésico  não  resolvam. Se bem que uma massagem  nós pés  , seria muito  bem vinda .
Eu tentei sorrir , mas estava  me sentindo  culpada e ele percebeu.
-  Allie  está  tudo  bem . Eu abusei  no escritório  hoje. Você  não  tem culpa  de nada.
-  Eu não  devia ...
-  Por favor  , desse  jeito  eu vou me sentir  mal . Justo agora que tudo está  entrando  nós eixos .
-  Desculpe  . É  que ver você  sofrer , me faz sofrer também  .
-  Então  me faça  feliz !!!
Fomos para casa e os pais dele já  haviam  se recolhido.
Enquanto tomávamos banho , lembrei do seu  pedido  ...
Fiz com que ele sentasse na bancada de mármore do boxe  e comecei a beija – lo , massageando seus ombros  , suas costas  , desci para as pernas e pés.  Subi beijando  e  mordiscando  cada pedacinho , até  chegar em seu membro.  O agarrei  e fiz o movimento  de sobe, desce que fez com que ele se contorcesse e tentasse  me agarrar  . 
Mas quem estava  no comando  era eu . 
Coloquei  seu membro  em minha boca , brincando  com a glande. Depois  abocanhe tudo e ele gritou de prazer, puxando  meu cabelo .
-  Que delícia  !!!  Alicia  assim eu não  vou durar  muito ...
Eu sabia  como enlouquece – lo . Aumentei  o ritmo , enquanto massageava suas bolas. 
Ele gemia e apertava meus ombros.  Retesando os dedos  dos pés , as coxas , como que para  impedir  o êxtase  que se aproximava.
Ele gozou  gritando  meu nome , me deixando louca de paixão . Me sentei de costas em sua ereção e rebolei em seu colo , enquanto ele acariciava meus  seios  e descia para o meu clitóris , me fazendo gozar. Continuamos nos movendo  e  atingimos  o orgasmo  juntos  .
Quando  recuperamos o fôlego  , terminamos  o banho e fomos  para a cama.
-  Acho  que não  vou conseguir  trabalhar amanhã  ... Quer dizer , daqui a pouco.  Princesa , você  me deu uma surra ... – disse  sorrindo  , com os olhos  brilhando.
-  E  isso  porque  você  disse  que eu era uma menina  má  e   que  merecia ser castigada . – disse  debochada.
-  Foi bom  você  lembrar  ... Agora sou  obrigado  a cumprir  minha palavra .
E começamos tudo de novo  . Mas agora quem estava no comando  era ele ... E sabia ser muito rígido  em sua maneira  de castigar  .
As meninas más  também  vão  para o céu  ... eu  havia chegado  lá  nesse exato momento  !!!

 


Notas Finais


Beijos de Luz.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...