História Rises and Falls - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 4
Palavras 851
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Mistério, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Voltei, depois de sei lá quantos dias :/ sorry..
Vamos ao cap..

Capítulo 15 - Uma parte revelada


Fanfic / Fanfiction Rises and Falls - Capítulo 15 - Uma parte revelada

Acordei no outro dia em um quarto diferente... Ah claro... A casa do delegado. Preciso.ir embora. Arrumei a cama escovei os.dentes e sai do quarto. Quando já estava no corredor Rafael aparece...
  - Achei que nunca iria acordar Kkk.
  - Pois é, acordei..
Eu não pude deixar de perceber a sua feição de alegria. O que ele tem?? Será que está doente?
  - Vem.. Desce... Precisa tomar café...
  - Ok... Estou indo...
Ele desceu as escadas e eu o segui até a cozinha. Na mesa estava o de sempre Pães, café, leite e achocolatado.
  - Fica tomando café ae que eu preciso sair. Quando for para casa fecha a porta.
Disse e saiu sem pressa nenhuma. Terminei de tomar o café e sai da casa fechando a porta como fui informado, segui direto para minha própria casa. A porta estava aberta e quando dei o primeiro passo para dentro não pude acreditar no que vi... A casa estava toda destruída, tudo estava destruído, e a comida toda jogada no chão. Subi a escada e fui para meu quarto, todo destruído. O que irei fazer agora? Fui no quarto de meus pais e entrei.
O que???!! Todo arrumado??!!!
Por um motivo muito estranho tudo estava arrumado e limpo, enquanto a casa ao redor dele estava em ruínas. Ainda impressionado olhei para o pequeno criado mudo e vi um bilhete escrito com letras recortadas e coladas de livros e revistas.
* Oi!!
Gostou da nova arrumação?? Eu que decorei pessoalmente. Não avisei porque quis que fosse uma surpresa. Tá surpreso?? Espero que esteja, mesmo não sendo tão trabalhoso eu fiz a decoração de coração... Talvez assim aprenda a não se meter na vida dos outros.
Só porque sou caridade em vida te avisarei. Cuidado por onde anda. Mantenha os olhos abertos, alguém pode estar te vigiado Ok??
Tchau !!! *
Que bilhete estranho, como foi parar aqui?? O que está acontecendo?? Tenho que descobrir por onde andam meus pais. Do mesmo jeito que estava fui para a escola. Nem prestei atenção em o que foi falado. Ao final dos horários escolares fui na delegacia ver se tinham descoberto algo sobre meus pais e estranhamente ninguém tinha feito um registro da ocorrência de
desaparecimento.. Por que será que meus amigos não registraram a ocorrência? Estavam esperando eu agir?? Fiz o registro dando todos os.dados necessários. Chegou a hora de respostas. Fui na casa de Paul e pedi para ele chamar Livia e Shameeka.
  - Oi pessoal. Eu disse fingindo animação. Mas nenhum me respondeu.
  - Tudo bem com vocês?
  - Sim e com você? Perguntou calmamente Livia.
  - Ótimo.
  - Por que nos chamou aqui?? Foi a vez de Shameeka perguntar.
  - Queria perguntar algo.
  - Pergunte. Disse Paul agora concentrado em mim.
  - O que aconteceu durante meu coma??
Por um momento sinto que eles pensam em cada letra que vão dizer.
  - É complicado..  disse Lívia desviando o olhar.
  - Olha Anthony.  Acho que voce não precisa saber, afinal não aconteceu nada de mais. Disse Shameeka com um tom de voz preocupado.
  - Realmente Thony. Foram só duas semanas. Ele disse passando a mão na parte de tras da nuca.
  -   FIQUEI EM COMA POR DUAS SEMANAS E QUANDO ACORDO TODOS FICAM ESTRANHOS, DURMO UMA NOITE FORA DE CASA E QUANDO VOLTO ELA ESTA ARRUINADA, E PRA PIORAR SEM OS MEUS PAIS. AGORA VOCÊS VEM ME DIZER QUE NÃOBÉ NADA DE MAIS??? eu ja estava totalmente estressado e fora de controle...  preciso me manter controlado.
  - Thony nós sabemos que a vida de órfãos não é nada fácil. Quando você chegou aqui desolado, nós te ajudamos não foi?? Paul disse gesticulando as mãos como se fosse um discurso.
  - Queremos te ajudar novamente... Completou Lívia dando um sorriso visivelmente forçado.
  - Quer saber?? Não quero mais saber de nada, vocês querem me complicar mais. EU NUNCA FUI ÓRFÃO... Acabei me estressando e para não sair do controle, fui em direção da porta e sai.
Fui na delegacia e o delegado me disse que nenhuma delegacia contatada tinha registro do nome dos meus pais,nem mesmo dos meus, ele me disse que acabou sabendo que minha casa foi destruida e me obrigou a aceitar morar com ele... tive que aceitar afinal não tinha mais ninguém.
Enquanto estava no quarto da minha "nova casa" ouvi conversas pela casa, parecia o Rafael discutindo com os pais..
  - Eu não aceito isso... o que deu em vocês??? Disse uma voz que me parecia o Rafael.
  - Filho, por favor Rafa, entenda... ele não tem ninguém, vamos deixà-lo na rua?? Disse uma voz mais feminina que era a de Rosa.
  - Eu como delegado não posso negar boas ações ao pobre coitado. Agora aceite nossas decisões.
  - OK. Mas não pensem que irei tratar o órfão como um rei, pra mim ele é só mais um mendigo, um pobre coitado. E ao terminar ouvi passos e corri para a cama, e com os olhos meio abertos vi a feição de raiva que Rafael exalava quando ele abriu a porta. Saiu e a casa toda entrou em profundo silêncio.


Notas Finais


Tenso?? Sei lá achei tudo simplesmente um lixo... xau pessoas e não-pessoas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...