História Rivals? - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Lucy Ashley, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel
Tags Gale, Gruvia, Jerza, Nalu
Visualizações 91
Palavras 2.138
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hi galerous.
Voltei bem rápido, mas se tenho criatividade, preciso aproveita-la antes que resolva evaporar.

Nya nya

Boa leitura ♡

Capítulo 2 - 1 - Um.


    O dia começara agitado para a jovem de estatura mediana. Ela corria apressadamente pelos corredores dos dormitórios, logo, indo em direção ao prédio principal. Chegaria atrasada de novo, e esse atraso a renderia muitos problemas. Parou, sem fôlego, já em frente a sua classe. Não esperou sequer um segundo a mais, e bateu na porta, a abrindo em seguida. 

    - P-Professor? - Perguntou com a voz trêmula, mas percebeu que ele ainda não estava em sala. Suspirou em alívio e foi para o seu lugar de costume.

    Sentiu ser observada, então varreu a sala com os olhos e parou nela. Ela a encarava intensamente como se fosse uma jóia rara. Se preparou, então, para mais uma das provocações diárias, mas passaram-se segundos, minutos, e esta não veio. Voltou a encarar a garota do outro lado da sala, e viu que ela ainda a encarava intensamente. Deu-lhe um olhar de dúvida, mas apenas fora ignorada. A garota quebrou o contato visual e saiu da sala, a passos rápidos. Com a dúvida em mente, a garota abaixou a cabeça encarando a sua mesa. 

    - Levy! - Escutou e levantou a cabeça, dando um sorriso. 

    - Natsu. Bom dia! Parece que hoje foi seu dia de chegar mais atrasado que eu. - riu vendo o rosado coçar a cabeça. 

    - É, mas não tem importância, tem? O professor não veio. - Suspirou sentando na mesa atrás de Levy, e abaixando sua cabeça, em frustração.- E pensar que eu corri até perder o fôlego para nada. 

    - Se serve de consolo, também corri até perder o fôlego. - Deu um sorriso ladino. 

    - Parece que não fomos só nós que resolvemos chegar atrasados. - Afirmou, direcionando seu olhar ao outro lado da sala. Levy sabia exatamente de quem ele estava falando. 

    - Ela? Ela saiu a pouco, não sei o que deu nela, nada de provocações diárias. E os amigos dela não estão lá. Acha que estão aprontando algo? 

    - Hm? Relaxe Levy, acha mesmo que ela fará algo depois daquilo? 

    - Para ser sincera, Natsu? Eu tenho certeza. Ela não deixa nada passar assim, tão fácil, principalmente aquilo. - Suspirou se ajeitando na cadeira. - Ela fará algo, Natsu, e tenha plena certeza de que não será nada bom. 

 


▪▪▪ 

 

    - Lucy; - O moreno correu até a loira, na expectativa de alcança-la, e conseguiu, segurando seu pulso.

    - Bom dia. - Disse com um sorriso de canto.

    - De bom humor? Bom dia. - Diz soltando o pulso da garota e cruzando os braços. - Você vai aprontar uma, não vai? 

    - Não, contaria a você, se fosse o caso. - Disse dando um sorriso aberto desta vez. Gajeel analisou ela por alguns poucos segundos, com a expressão séria. - Oh, vamos, sorria, não te dei motivos para o contrário, ainda. - Disse levantando as mãos, com os dedos indicadores levantados sobre as bochechas e alargando o sorriso. 

    - Ainda. - Descruzou os braços, cedendo e dando um sorriso. - Você não ficou feia, se é o que acha. - Disse pondo os braços sobre os ombros da menor - Combinou com você.

    - Hã? Mesmo assim Gajeel... Eles não vão sair impunes disso. Até sexta, muita coisa vai acontecer. Deseje sorte a esses bolsistas de merda.

    - Lucy... Lucy. Ge-he. - Deu sua risada um tanto quanto peculiar, pegando uma madeixa do cabelo - agora curto - da garota. 

    Não disseram mais nada enquanto iam para a sala. Lucy estava bastante animada, com um sorriso enorme e exagerado. 

    - Gajeel... - Lucy para na frente da porta da sala, cruzando os braços e encarando o nada.- Acho que estou esquecendo de algo. 

    - Algo? - O moreno abre a porta, e antes de entrar diz - Se não lembra, não deve ser importante. 

    - Hm; tem razão. - Diz, mas não muda sua  expressão séria. Entra na sala sem falar mais nada. Sente os olhares sobre si, mas não da atenção alguma para aquilo. 

    - Não estava animada até alguns segundos atrás?- Gajeel pergunta, ao ver a loira se sentando na cadeira a sua frente. 

    A loira nada responde, apenas levanta o olhar para o outro lado da sala. Seus olhos se encontram com os dele. Nenhum dos dois quebra contato visual, e isso faz a loira abrir um sorriso de canto. 

    - Ainda estou. - Responde, depois de alguns minutos, quebrando contato visual e, dessa vez, encarando o moreno. - Ainda estou... - Sussurra, dando, por fim, mais um de seus sorrisos.

 

▪▪▪


    - Jellal, para com isso! Me põe no chão. - A baixinha ordenava, desesperadamente. - Seu monstro de 3 metros de altura. - Disse quando ele colocou-a no chão. 

    - Eu tenho 1.78, nanica. - Disse se abaixando e encarando a azulada, uma forma de provocação. 

    - E eu 1.57, idiota! 

    - Eh? Levy, devia parar de ler um pouco. - Disse levantando e coçando a cabeça.

    - Hein? Como assim? 

    - Você acaba por fantasiar um mundo onde 1.57 é "altura". - E logo, explode em gargalhadas. Natsu que estava ao lado deles, não aguenta e ri junto. 

    - Ora... - A azulada da um chute nos "países baixos" do azulado maior, este que cai de joelhos contendo um grito. - Idiota! Idiota! Idiota! Mil vezes idiota! 

    - Maldita seja... - Solta um gemido sofrido. - Para onde vão? 

    - Biblioteca. - Levy diz, e sai puxando Natsu até o local. 

    - Iih, deve ter doído, né? - Escuta a voz doce e um tanto quanto fina, então levanta a cabeça para encarar a dona, esta que estendia-lhe a mão. - Vem, eu te ajudo. 

    - Tsc. O que você quer? - Foi direto, encarando a mão da garota, que mesmo após seu ato rude e grosseiro, continuava estendida para si. 

    - Ajudar, o que mais? Vamos, eu insisto. - Depois de alguns segundos, vendo que o azulado não pegaria sua mão, a garota se abaixou, pegou a mão dele e puxou ele pra cima. Ele acabou por tombar para trás e puxar ela junto. - ... Desculpe, você deve me odiar. - Disse se afastando dele. 

    - Obrigado. - suspira, ainda sentindo uma pontada de dor. - E eu não te odeio, Lucy. 

    - N-Não? - Isso fez os olhos da loira ganharem um brilho, e ela se animar. - Bom... não sei o que dizer. - Solta uma risadinha baixa - Sua namorada vai acabar te impedindo de ter filhos. 

    - N-Namorada? A Levy? Não mesmo. - Riu corado- É só a minha irmã gêmea irritante. 

    - Gême...os? - Pergunta, tombando a cabeça para o lado com um sorriso de canto. 

    - É, eu sei que não parece nem nada mas... é isso.- Riu sem graça. 

    - Jellal... Você é legal. Eu gosto de você. - O garoto arregala os olhos, em sinal de surpresa, a loira cora ao encarar o maior - Não assim! E-Eu apenas acho que você seria um bom amigo, apenas. - Diz cruzando os braços e desviando o olhar. 

    - Ei, Lucy, você nunca me fez nada de mal, e eu não tenho nada haver com o que você e a Levy tem, seja o que for. - Ele diz pegando uma madeixa do cabelo da garota. - Você ficou bonita com o cabelo curto. 

    - Ahn... obrigado. - Responde corada encarando o maior. - Eu e a Levy... O que posso fazer? Sou uma guerreira de segunda-a-sexta. 

    - Não acho que seja tão ruim como Levy descreve. - Diz soltando o cabelo dela e se espreguiçando - Preciso ir para a aula agora. 

     - Hoje, depois da aula... Gostaria de andar comigo e os meus amigos? 

     - Com vocês? Ia ser legal! É sério? - Lucy faz que sim com a cabeça - Ok, eu vou! Até mais Lucy. - Se despede e sai correndo, por estar atrasado para a aula de física. 

    A loira permanece encostada na parede, agora com os braços cruzados e expressão séria. Estava perdida em pensamentos. 

    - O que pretende com isso? - Lucy leva alguns  segundos para desviar sua atenção para o rosto do moreno.
 
    - Escutar a conversa dos coleguinhas não é legal. - Volta sua atenção para o nada. Gajeel encara Lucy por, no máximo, dois segundos, antes de prensa-la contra a parede, fazendo-a olha-lo nos olhos. 

    - Não sei desde quando decidiu me excluir dos seus planinhos, princesa... - analisa a expressão entediada da loira. - Mas você sabe que eu não estou nem ai para essa promessa boazinha de não entregar uns aos outros e blá blá blá. Isso me enjoa. 

    - Aonde quer chegar, Gajeel? Vá direto ao ponto. 

    - Ge-he... O "ponto" é o seguinte, princesa; - Se afasta dela - Se me excluir, conto tudo o que sei. 

    - Não se preocupe, eu já lhe disse... mais cedo.- A loira empurra ele contra a parede, pondo o braço encostado na parede - Se eu fizer algo, você saberá. Será o primeiro a saber. 

    - Isso é bom, princesa. Por qual motivo está tão séria? 

    Lucy se afastou e voltou a encarar o nada, pensativa. Estava incomodada, tão incomodada que nem sequer deu ouvidos ao que o moreno perguntava. Começou a andar a passos apressados, mas parou e virou bruscamente, encarando o moreno que tinha cara de poucos amigos.

    - Eu estou esquecendo de algo, Gajeel... algo importante. - Disse por fim, apressando ainda mais o passo. 

    Deixou o garoto irritado e se corroendo de curiosidade para trás. Este que quase quebrou o painel de avisos, tomado por uma raiva crescente que só a loira conseguia provocar nele. 

 

   
▪▪▪ 

 

    Neste momento, um azulado estava indo em direção à mesa dos "Guerreiros de segunda-a-sexta" bom, os mais conhecidos. Ficou relutante em falar com algum deles, já que a Lucy não se encontrava na mesa, mas ao se aproximar minimamente do local, foi parado.

    - Você. - Ele engoliu em seco ao ver a ruiva, uma das pessoas mais temidas daquela escola, apontando o dedo na sua cara e chamando a atenção de mais da metade do refeitório. - Jellal Fernandes? 

    - E-Eu não fiz nada, j-juro! - Podia sentir até sua alma tremer. 

    Era isso, afinal? - Pensava, parecendo compreender tudo agora. - Toda aquela história de boa garota, de querer amizade... era tudo fachada para me jogar na armadilha, me fazer vir até o ninho de cobras para levar uma surra. Levy tinha razão, a Lucy não pres- Seu pensamento foi cortado, ao ver a ruiva praticamente pular em cima de si, apertando suas bochechas. 

    - Aaah que fofo, a Lucy tinha razão, esse Jellal é um fofo, olha, olha, olha Sting, ele não é fofo? - Perguntava com os olhos brilhando, logo voltando a apertar as bochechas do azulado. 

    Erza...? Que personalidade é essa? Eu nunca a vi assim... - Continuava a pensar, fazendo careta por conta dos apertos. 

    - Sim, Sim Ellllsa! - O loiro disse, e um sorriso travesso se formou em seus lábios. A ruiva rapidamente soltou Jellal, e partiu para cima do loiro. 

    - É Erza! E-R-Z-A. Er-za! - Dizia dando tapas no loiro, que só gargalhava de forma escandalosa.

    - Eh? Gente, gente, vão assustar meu convidado. Erza, Sting, vocês não tem jeito. Rogue, Gajeel, nem tentam parar? - Lucy chegou, abraçando o braço do azulado - Se o Jellal fugir, vocês vão ter que buscar ele!  

    - Pirralha! Não me dê ordens! - A ruiva falou, fazendo um bico e cruzando os braços- Rum. 

    - Er... você é só 3 meses mais velha que eu. -Disse sem graça. Estendeu um prato para Erza, que quase pulou de alegria ao ver. - Consegui um último pedaço do bolo de morango!

    - Lucy... - Fazia falso choro, pegando o prato- Você é a melhor pirralha gorda do mundo! 

    - O escambau! - E começaram a discutir de novo. Jellal encarava Lucy, com seriedade, mas esta nem percebeu, devido a sua discussão para provar que não era gorda. 

    Então... eu estava errado. Julguei a Lucy... não... julguei ao grupo precipitadamente. Sinceramente, sou um idiota... - E novamente fora tirado bruscamente de seus devaneios, tendo suas bochechas sendo apertadas por uma ruiva de personalidade muito diferente da qual ele conhecia. 

 

    - O que... - Levy cerrou os punhos de raiva - O que ele está fazendo com esses... esses... Natsu! 

    - Jellal... A Heartfilia; - Encarava eles, ou melhor, Ela. Ela que percebeu, quase que de imediato, e virou a cabeça para encara-los. Ainda estava abraçando o braço do irmão da azulada baixinha, o que a fazia se corroer de ódio. Natsu cruzou os braços, sem quebrar contado visual, foi então que Ela sorriu. Não um sorriso inocente, um sorriso que Natsu conhecia muito bem, um sorriso carregado por ódio e rancor. - Tinha razão, Levy. Ela não vai deixar barato.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...