História Rivals - Capítulo 19


Escrita por: ~ e ~debbypisa

Postado
Categorias Justin Bieber, Lily Collins
Personagens Alexandra Daddario, Bella Thorne, Gregg Sulkin, Jake T. Austin, Justin Bieber, Kristen Stewart, Lily Collins, Matthew Daddario, Paul Walker, Selena Gomez, Taylor Lautner, Thomas McDonell
Exibições 13
Palavras 1.404
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pesoasss,
Voltamos, comemorem que não estamos tão atrasadas assim.
Enfim, boa leitura.

:)))

Capítulo 19 - Beginning


Fanfic / Fanfiction Rivals - Capítulo 19 - Beginning

P.O.V JUSTIN

Acordo jogado em um canto com uma dor de cabeça insuportável. Olho ao redor e percebo que estou em um dos banheiros. Mas eu não me lembro de ter bebido, só dei um gole na bebida daquela loira que veio falar comigo.

- Droga. – sussurro pra mim mesmo.

Me levanto ignorando a dor de cabeça e volto para o salão de festas. Olho para todos os lados e não encontro Ammy em lugar nenhum.

- Droga, droga, droga. – falo nervoso por ter perdido ela outra vez. – Eu vou matar o Thomas.

Pego o meu celular no bolso do paletó e disco o número do Matthew.

- Fala Justin. – atende com a voz meio sonolenta.

- A Ammy, ela sumiu. – falo logo de uma vez.

- Como assim ela sumiu? – pergunta com a voz tensa.

- Eu me distrai por um segundo e ela não estava mais aqui. – minto para evitar que ele queira me matar.

- Puta que pariu meu pai vai surtar.

- Eu sei, estou indo pra sua casa, reúna todo mundo lá. – peço e finalizo a ligação.

Saio daquele lugar e vou o mais rápido possível para a mansão dos Blanchard, chegando lá estaciono o carro de qualquer jeito e entro na casa correndo.

- O que aconteceu com a Ammy? – Selena pergunta com um olhar de preocupação e raiva ao mesmo tempo.

- Ela foi ao bar e eu estava de olho nela, juro, só que precisei ir ao banheiro e quando voltei ela não estava mais lá. – respondo nervoso.

- Merda, eu não deveria ter mandado vocês lá sozinhos. – Dylan diz passando as mãos pelos cabelos.

- Ok, vamos manter a calma. – Selena nos aconselha. – Quem podia querer sequestrar a Ammy?

- O McDonell claro, quem mais do que ele quer nos derrubar? – Matt sugere.

- Sim, ele é uma opção, mas tem muita gente querendo me derrubar, pode ser qualquer um. – Dylan conclui.

- E o que a gente vai fazer para achar ela?  - Selena pergunta tentando manter a calma.

- Passar um pente fino na cidade, vamos vasculhar todos os prédios de Chicago até acharmos ela. – Matt segure destemido.

- Mas isso pode demorar dias ou até semanas, Chicago é enorme e não sabemos o que essas pessoas podem fazer com ela até lá. – me intrometo.

- O Justin tem razão, tem que ter uma forma mais rápida de acha-la. – Selena concorda comigo.

- Ammy saberia o que fazer. – Dylan comenta cabisbaixo.

- Espera. – falo me lembrando de algo que Ammy me contou um tempo atrás. – Ela tem um GPS no celular, ela o implantou lá depois da nossa viajem para L.A. caso algo do tipo acontecesse.

- Eu já disse que amo aquela garota? – Selena comenta mais aliviada.

- Agora a parte difícil vai ser conseguir entrar no computador dela, ela deve ter colocado uma bela camada de senhas. – Matthew fala e todos mostram um semblante preocupado novamente.

- Vocês acham que a Ammy é idiota? Porque ela colocaria um GPS no celular sem que alguém de confiança pudesse acessar os dados dela? – pergunto com um breve sorriso de canto nos lábios.

- Justin me fala que você sabe essas senhas, por favor. – Selena pede me olhando com esperança.

- É claro que eu sei as senhas. – falo e todos respiram aliviados.

- Então o que estamos esperando? Vamos salvar minha filha. – Dylan faz menção para todos subirmos para o quarto da Ammy.

 

P.O.V AMMY

Acordo totalmente desorientada e com uma dor de cabeça insuportável. Abro os olhos lentamente e olho ao redor, percebendo que estou em um quartinho nojento com meia luz. Ouço passos em cima de mim e concluo que estou no porão de alguma casa, de novo.

- Acordou princesa? – uma voz conhecida fala no fundo do quarto.

- O que você quer Carter? – pergunto o olhando com ódio.

- Ver o seu pai desesperado. – me lança um olhar psicopata.

- Então você só me dopou, me trouxe para esse fim de mundo e me amarrou nessa cadeira só por diversão? - pergunto tentando entender a lógica dele.

- Claro que não princesa, você está aqui porque além de ser uma fonte de informações bem confiável eu quero mostrar ao seu querido papai quem manda nessa porra.

- E quem exatamente manda nessa porra?

- Qualquer um que esteja do lado certo. – sorri de lado.

- Você quer dizer do lado do Thomas? – pergunto intrigada.

- Interprete como quiser princesa.

- Ela já acordou maninho? – ouço uma voz feminina se aproximar.

- Já e está cheia de perguntas. – ele responde olhando para a porta onde se encontrava uma linda mulher loira que não me era estranha.

- Então é você a famosa Ammy Blanchard? – pergunta se aproximando.

- Não queridinha eu sou a fada do dente. – falo sarcasticamente forçando um sorriso.

- Tenho que admitir que você é corajosa. – comenta me olhando de cima a baixo.

- E porque chegou a essa conclusão? – pergunto também a olhando de cima a baixo.

- Bem, você está presa em uma cadeira em uma casa estranha e sabe que eu posso te matar a qualquer momento e mesmo assim ainda tem a audácia de tirar uma com a minha cara.

- Isso é um dom fofa. – pisco pra ela.

- Pois bem, vamos ao que interessa. – Carter nos interrompe. – Temos que conseguir tirar o máximo de informações dela.

- Se vocês estão achando que eu vou contar algo que comprometa minha gangue vocês estão redondamente enganados. – falo os encarando.

- Corajosa você, mas quem dita as regras aqui somos nós. – a loira fala já meio irritada.

- Ui, mas acho importante vocês saberem que eu já estive em uma situação dessas antes e vocês podem fazer o que for comigo que eu não vou falar nada. – falo confiante.

- E quem disse que vamos fazer algo com você? – Carter pergunta apertando um botão.

Quando ele fez isso um grande telão se projeta na parede que está a minha frente e quando eu vi o que ele mostrava meu coração gelou na mesma hora. Mostrava o Justin sentado em uma cadeira com a cabeça baixa e bem machucado. Eu não consegui olhar mais para aquilo então me concentrei nos dois a minha frente.

- O que vocês fizeram com ele? – pergunto fechando as mãos em punhos.

- Isso não importa, o que importa é que a cada pergunta não respondida seu amigo ali vai ficar pior do que já está. – a loira fala com um sorriso seco nos lábios.

- Porque vocês me escolheram para isso? Vocês podiam ter pegado qualquer outro da gangue, porque eu? – pergunto tentando me soltar discretamente.

- Porque você é a mais fraca princesa, a mais sentimental sabe. – pisca para mim e isso faz meu sangue ferver, eu não sou fraca, nunca fui.

Me levanto um pouco da cadeira e sento novamente com toda a força que eu tinha, assim fazendo a pequena cadeira de madeira se espedaçar. Pego um dos braços da cadeira e acerto a loira na cabeça fazendo com que ela caísse desmaiada no chão.

- Você é esperta princesa, mas nem tanto quanto a gente. – Carter fala apontando sua arma para mim.

- A não? – pergunto e pego uma pequena faca que sempre carregava comigo para casos de emergência, a miro no braço que ele estava segurando a arma e como sempre acerto em cheio, corro até ele e tiro a arma de sua mão enquanto ele se contorcia de dor.

- Quem é a fraca agora? – pergunto com um sorriso vitorioso nos lábios.

Saio daquele porão e ando pelos corredores de uma linda mansão até finalmente achar a porta da frente, mas bem na hora que eu ia começar a me aproximar da porta ela é bruscamente arrombada e um sorriso se forma em meus lábios quando vejo que quem arrombou a porta foi o Bieber. Não penso duas vezes e corro para abraça-lo.

- Você está bem. – falo o apertando. – Pensei que eles tinham feito algo com você.

- Eu é que pensei que eles tinham feito algo com você. – diz também me apertando forte. – E falando nisso como você conseguiu escapar sozinha? – pergunta me afastando um pouco para me olhar nos olhos.

- Isso não importa agora. – o encaro profundamente e o beijo, mas não foi um beijo qualquer, foi um beijo desesperado, intenso, como se nossas bocas necessitassem uma da outra.

 


Notas Finais


Então é isso pessoas, esperamos que tenham gostado.
xoxo

:))


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...