História Rock of Love - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Orange Is the New Black
Personagens Alex Vause, Piper Chapman
Tags Alex Vause, Orange Is The New Black, Piper Chapman
Exibições 261
Palavras 4.675
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá pessoas :)
Mais um capitulo da nossa saga Vauseman xD
Espero que gostem.

Ps: A imagem de capa é do look que duas lindas usaram no show.

Capítulo 9 - Show do Alexander


Fanfic / Fanfiction Rock of Love - Capítulo 9 - Show do Alexander

Alex Vause (POV) 

Minha quarta-feira foi uma loucura. Tive que participar de reunião, agendar shows, planejar gravação de músicas, memorizar músicas, e tudo o que eu queria era ficar um pouco com a Piper, mas o máximo que conseguir foi trocar algumas mensagens, pois assim como eu, ela estava cheia de trabalho. Já minha quinta-feira foi diferente.

Hoje eu teria que gravar algumas músicas, e eu tenho dois estúdios, o meu particular que divido com meu pai e o os vários estúdios que tem na gravadora. Geralmente eu uso o particular, mas como quero muito ver a Piper, vou usar o trabalho como desculpa. Combinei com minha equipe de nos encontramos às 09:00 no estúdio que fica embaixo da cobertura.

Cheguei à gravadora às 08:40 e não fui com as minhas roupas de trabalho padrão. Estava vestida com uma calça jeans preta, uma blusa também preta e por cima uma blusa de manga longa xadrez vermelha. Nos pés eu tinha um tênis preto e para completar, um óculos de sol no rosto. Afinal eu não iria trabalhar na gravadora, iria apenas gravar algumas músicas.

Assim cheguei à gravadora fui até a mesa da Maritza assistente/secretaria da Piper, que assim que me viu abriu um sorriso.

-Bom dia senhorita Vause!

-Bom dia Maritza! E por favor, apenas Alex.

-Tudo bem, Alex.

-Piper já chegou Maritza?

-Já sim, senhori... –olho feio para Maritza por causa do “senhori” e ela logo corrigiu. –Alex.  Você quer que eu avise que está aqui?

-Não precisa. –saio para entrar na sala da Piper, mas lembro que talvez possa ter alguém lá, então volto e pergunto a Maritza. –Piper está sozinha, não está?

-Sim, Alex. Piper está sozinha em sua sala.

-Obrigada Maritza. –Agradeço e vou até a porta da Piper onde dou duas batidas na mesma

-Pode entrar. –a escuto falar e abro a porta. –Alex! –ela abre um sorriso ao me ver e se levanta da sua cadeira onde estava sentada. Vou ao seu encontro e descanso minhas mãos em sua cintura e logo depois deixo um beijo em seus lábios. –O que faz aqui?

-Não está gostando da minha presença senhorita Chapman? –Brinco com ela.

-Você sabe que não é isso. –coloca suas mãos envolta do meu pescoço e as minhas continuam na sua cintura. –É que você falou ontem que tava cheia de trabalho e agora aparece aqui com essa sua calça que te deixa incrivelmente sexy.

-Então quer dizer que sou sexy?

-Muito mais do que sexy. –Piper lambeu os lábios e então me beijou, logo aprofundamos o beijo e nossas línguas travaram uma guerra por poder, guerra essa que a Piper ganhou. Ficamos nos beijando por alguns minutos até que finalizamos o beijo com alguns selinhos.

-Como eu estava falando, mas você não consegue ficar sem me beijar... –Comecei a falar brincando com Piper.

-Eu não consigo ficar sem te beijar? –Perguntou incrédula.

-Sim. Mal cheguei e já começou a falar que sou sexy, depois me atacou em local de trabalho e só Deus sabe o que mais.

-Vou te mostrar quem não consegue ficar sem beijar quem.

-Vai fazer o que? Entrar em greve?

-Exatamente.

-Você não faria. Não teria essa audácia.

-Paga só pra ver. –abriu um sorrisinho vitorioso no rosto. –Nós somos muito idiotas.

-Demais. –lhe roubei um beijo. –Mas como eu tava falando, tenho que gravar algumas músicas e vim te chamar para me acompanhar.

-Vai ser aqui na gravadora?

-Sim. E então? Você vai?

-Lógico. Faz showzinho particular pra mim?

-É só pedir.

-Pode ter certeza que vou. –lhe dei um ultimo beijo e fui me sentar no sofá de couro que tinha na sua sala. –Vai ser que horas?

-Às 9:00. Agora são que horas?

-8:47. Temos um tempinho. –Foi até a sua porta e a trancou.

-O que está pensando em fazer Chapman?

-Não temos muito tempo, então não vai passar de alguns beijos. –Respondeu e se sentou no meu colo e começou a me beijar, mas eu queria mais. Então quando o ar nos faltou e fomos obrigadas a interromper o beijo, falei:

-Acho que podemos chegar um pouquinho atrasadas.

======//======

Às 09:25 eu e a Piper saímos da sua sala e fomos para o andar de baixo, onde fica o estúdio onde eu iria gravar as músicas.

-Vause, você marca um horário e chega outro? –Jimmy, o meu produtor musical falou divertido assim que me viu entrar na sala.

-Jimmy, não enche. –Fui até ele e o abracei.

-Jimmy, prazer. –Jimmy se apresentou para Piper que estava atrás de mim.

-Piper, prazer. –Apertou a mão estendida do Jimmy.

-Piper Chapman? –Ele perguntou para ela.

-Sim. Por quê?

-Nada, só que ta ficando “famosa” aqui na gravadora. –Piper o olhou meio perdida. –Por causa do seu trabalho. –e agora ela fez uma expressão preocupada. –Apenas coisas boas.

-Ah sim. –Abriu um pequeno sorriso.

-E também porque a Vause não parou de falar sobre você no nosso jantar de terça. –Completou e ela me olhou como se dissesse “Bom saber” e eu automaticamente fiquei corada.

-Também não foi assim. –falei. –Eu só comentei. Não foi o tempo todo.

-Sei. –disse Jimmy. –Mas tudo bem casal, vamos gravar isso logo.

Ignorei o comentário do Jimmy e fui até o outro lado do vidro, me sentei em um banquinho que tinha ali e fiquei apenas esperando o sinal do Jimmy, enquanto isso eu peguei meu celular e fiquei mexendo nas minhas redes sócias. Postei uma foto no snap do estúdio e logo os fãs entenderam que se tratava de gravação de música e ficaram loucos.

Comecei a perceber que o Jimmy estava demorado demais então levantei o olhar e vi os dois, Piper e Jimmy, conversando animadamente, e como aqui dentro têm abafamento de som e essas coisas, não conseguir ouvir nada do que falaram. Liguei o microfone e peguntei:

-Ei! Os dois, o que estão falando?

-Nada Vause. –respondeu o Jimmy. –Vamos começar, coloca o fone e quando a música começar você...

-Ta Jimmy. – o interrompi. –Já sei de cor todas as suas “informações necessárias para uma boa gravação” - Usei as palavras que ele usa quando o questiono de sempre me falar a mesma coisa.

-Tudo bem, Vause. Vamos começar então. –coloquei os fones e logo a musica começou a tocar e eu a cantar.

Passamos a manhã inteira gravando e cada musica que eu cantava, eu cantava para Piper, cada palavra, cada letra dita por mim era para ela, e ela sabia que era para ela, o que me motivava a cantar ainda mais.

As gravações ficaram incríveis. Jimmy é um ótimo produtor, mas o que realmente tornou as músicas perfeitas foram os ajustes feitos por Piper. Ela deu ótimas idéias e também fez algumas mudanças nas mixagens, provando seu verdadeiro talento pra coisa.

Acabamos tudo na hora do almoço, por isso convidei a Piper para ir almoçar comigo. Fomos no meu carro até um restaurante até que bastante conhecido e que fica perto da gravadora.

Chegamos no restaurante e sentamos em uma mesa mais ao fundos, pois não queríamos ser alvos de paparazzi, já que a gravadora é aqui perto e eles ficam sempre rondado por aqui. Fizemos nosso pedido e um vinho, que alguns minutos depois chegaram e começamos a comer.

-Pipes, estou impressionada com seu talento. –A elogie durante o almoço e ela ficou levemente corada.

-Não é pra tanto Al, eu apenas fiz alguns ajustes.

-Ajustes esses que tornaram o bom em perfeito. –Ela acabou ficando ainda mais corada eu soltei um pequeno riso, ela fica linda corada.

-Obrigada Alex.

-Só digo verdades.

Terminamos de comer o que pedimos e ainda ficamos mais um tempo no restaurante conversando e tomando vinho. Quando o vinho acabou resolvemos ir embora, e desta vez tivemos que dividir a conta, contra minha vontade, eu queria pagar tudo mas ela não deixou de jeito nenhum. Voltamos para o carro e alguns minutos depois já estávamos no estacionamento da gravadora.

-Pipes, obrigada por me acompanhar lá na gravação e pela ajuda que você deu, o pré-resultado já ficou incrível, imagina o resultado final. –Falei assim que estacionei o carro.

-Não foi nada Alex, eu que agradeço por me deixar te acompanhar e ainda ajudar um pouquinho na produção das suas músicas. –Peguei sua mão esquerda e a beijei, arrancando um lindo sorriso da Piper.

-Queria muito te ver hoje de novo só que não sei se vai ser possível, e amanhã vai ser a mesma coisa. –confessei triste. –Estou de cheia de trabalho com esse novo álbum.

-Está tudo bem. Também queria muito te ver, mas é o seu trabalho e também vamos ter outros dias para nos vermos. –Sorrimos uma para a outra.

-Você vai sábado ao show do meu pai comigo né? –Perguntei receosa dela ter mudado de idéia em me acompanhar.

-Não perderia por nada.

-Então posso te pegar às 21h15min?

-Claro, às 21h15min.

Me aproximei mais dela e posei minhas mãos em sua cintura e a beijei. A beijei com paixão e ao mesmo tempo desesperada. Ela colocou as mãos em meu rosto e se aproximou mais de mim. Nossas línguas entraram em contanto e se entrelaçaram uma na outra, tornando o beijo ainda mais quente. Logo o ar começou a nos faltar e terminamos o beijo com alguns selinhos, e para completar, Piper puxou meu lábio inferior e o soltou me dando mais um selinho logo em seguida.

-Tchau Alex.

-Tchau Piper. –E ela saiu do carro me deixando como uma boba apaixonada totalmente perdida em seus efeitos sobre mim. Fiquei com os dedos nos lábios me lembrando daquele beijo e de como essa mulher mexe comigo.

Piper Chapman (POV) 

Alex está mexendo comigo de uma forma que ninguém nunca fez, e cada dia eu estou me entregando mais e mais pra ela, de uma forma que nunca me entreguei para ninguém antes.

Durante a gravação eu percebi que ela cantou para mim e eu sentia que ia explodir de tanta felicidade que tinha no meu peito, e só aumento quando ela me permitiu ajudar em algumas partes da produção da música. E para completar, almoçamos juntas e ainda tivemos aquele beijo no carro. O que estou sentido não tem como explicar, é uma mistura de borboletas no estômago e felicidade no coração.

O resto do meu dia eu não consegui me concentrar em nada, nos meus pensamentos só tinha imagens da Alex e momentos nossos juntas. Tudo o que eu queria era que pulássemos para sábado de uma vez, pois eu iria reencontrar a morena.

20:15 de Sábado. 

Estava mergulhada em minha banheira apenas com a cabeça pra fora e perdida em pensamentos. Estava mais do que ansiosa para essa noite e ao mesmo tempo nervosa.

Sai da banheira ao perceber que meus dedos estavam ficando enrugados, me enrolei em uma toalha e deixei o banheiro.

No meu quarto, em cima da cama estava a roupa que havia separado: uma calça preta com uma blusa de mangas longas, listrada preta e branca e para completar um coturno com um salto baixo na cor marrom. Vesti a roupa separada, passei um perfume e deixei os cabelos soltos e levemente bagunçados e para finalizar eu fiz uma maquiagem leve.

Olhei as horas e vi que era 21:00, Alex chegaria em 15 minutos, então decidi comer um iogurte com granola apenas para não ir de estômago vazio. Assim que acabei de comer recebi uma mensagem da Alex e eu automaticamente sorrir.

Alex Vause: “Linda, já estou te esperando aqui embaixo :3"

Piper Chapman: “Já estou descendo :)”

Coloquei o celular junto com as chaves no bolso da minha calça e desci. Dois minutos depois já estava no térreo do meu prédio e já podia ver Alex do lado de fora, encostada em seu Porsche, sorrir ao vê-la, mais uma vez ela estava linda. Ela usava uma calça jeans branca, uma blusa cinza e por cima uma jaqueta de couro preta, nos pés tinha um coturno marrom, carregava no ombro uma bolsa de lado preta de franjinha e pra completar o visual, uma touca preta na cabeça, simplesmente perfeita.

-Como sempre, linda. –Alex disse com lindo sorriso no rosto ao me ver.

-Se te alguém linda aqui, é você. –Respondi também com um sorriso e lhe dei um selinho, logo após ela, como sempre, abriu a porta do passageiro para mim e deu a volta no carro entrando em seguida. Ao entrar, Alex me roubou mais um selinho, dessa vez mais demorado e cheio de saudades.

-Estava com saudades, Pipes. –Disse após se afastar.

-Eu também, Al.

Sorrimos e ela então colocou uma música dos Beatles e deu partida no carro indo em direção ao local onde iria ocorrer o show.

Quando chegamos no local estava cheio de paparazzis e tivemos que entrar com ajuda de três seguranças, e no caminho ainda ouvir perguntas como: “Alex, essa é sua nova namorada?”

Fomos para o backstage e ficamos ali um pouco, mas logo fomos para um camarim que haviam reservado para a Alex, e tenho que dizer, que camarim. Nos cantos havia alguns sofás de couro e na parede principal da sala tinha uma mesa com um espelho gigante com vários acessórios para cabelo e maquiagem. Ao lado dos sofás tinha uma maquina de refrigerante e outra de salgadinho. No outro lado da sala uma mesa dividida ao meio, onde uma metade tinha doces e a outra comida saudável. Na parede em frente aos sofás tinha uma televisão e em destaque, bem no meio da sala, tinha uma mesa ping pong onde Nicky estava deitada mexendo em seu celular.

-Nicole! –Alex gritou assim que entrou na sala dando um susto na ruiva que levantou da mesa em um pulo e levou a mão ao peito.

-Vause, sua puta! –massageou o peito. –Você sabe que passei por uma cirurgia no coração e fica fazendo essas putarias.

-Cirurgia essa feita 10 anos atrás. Supere Nicky. –Zombou da amiga que mostrou o dedo do meio.

-Vejo que trouxe a loirinha. –falou maliciosa e apontou pra mim. –Isso está pior do que eu pensei.

-O que está pior do que pensou? –Perguntei confusa e perdida.

-A pai... –Nicky começou a falar, mas Alex a interrompeu.

-Nada! Não é nada. Essa Nicky que é louca e fala nada com nada. 

-Tudo bem Vause, se não quer eu fale, eu não falo, realmente é melhor você dizer. –Piscou pra Alex.

-O que é melhor você dizer? –perguntei a Alex. –Estou perdida!

-Como disse, Nicky é doida. Bateu a cabeça quando criança.

-Mas loirinha, vem cá. – Nicky me puxou pela mão e sentamos em uns dos sofás. –Me conte mais sobre aquele sua amiga.

-Que amiga?

-Baixinha. Cabelos curtos e usa batom vermelho. Segundo a Vause anda pra cima e pra baixo com você. –Forcei a mente a seguir as descrições dadas por Nicky.

-Ah sim, Lorna. –respondi ao lembrar da minha amiga. –Mas o que tem ela? –Perguntei e quando Nicky abriu a boca pra responder Alex se sentou do meu lado e respondeu pela amiga.

-Nicky está caidinha nessa tal Lorna.

-Lorna do que? Vamos loirinha, me conte mais. –Ignorou o comentário da Alex e continuou com as perguntas.

-Lorna Morello. E a única coisa que você precisa saber sobre ela é que ela ta afim de um cara chamado Christopher.

-Uh! –Alex falou com se sentisse dor. –Essa doeu Nicky. Lá se foi nosso encontro duplo.

-Vause, cale a boca. Ela só está afim desse cara porque não me conhece. O encontro duplo vai rolar sim!

-Que encontro duplo? –Novamente estou perdida e confusa.

-O encontro que a Nicky inventou. –Alex respondeu. –Entre nós quatro.

-Que seria?

-Eu, você, Nicky e Lorna. –Olhei com uma cara de “serio” pra Nicky e ela logo rebateu.

-Loirinha você vai ver. Esse encontro duplo vai rolar sim.

-Tudo bem, se você diz.

-Argh. Cansei! Vamos mudar de assunto. –levantou e foi até a mesa de ping pong. –Vamos Vause, melhor de três.

-Joga com a Piper, Nicky. –Alex também se levantou. –Tenho que ir falar com o meu pai.

-Falar o que com seu pai? –Nicky perguntou.

-Nada da sua conta. –Alex respondeu e me puxou pela mão até a porta do camarim fechado a mesma depois de passamos de forma que Nicky ficasse sozinha no camarim e não pudesse nos ver. –Pipes, eu tenho uma coisa muito importante pra falar com o meu pai. Você se importa de ficar alguns minutinhos sozinha com a Nicky?

-Não, tudo bem. –Ela colocou as mãos no meu rosto e me beijou.

-Prometo que vou ser rápida. –outro beijo. –Já volto. –me deu outro beijo e saiu. Então eu entrei no camarim e novamente Nicky estava deitada na mesa ping pong.

-Vamos loirinha. Melhor de três. –Se levantou e me entregou uma raquete e começamos a jogar.

Alex Vause (POV) 

Tive que deixar a Piper sozinha com a Nicky durante alguns minutos, pois tenho que conversar com meu pai para que tudo que eu planejei der certo.

Fui até o seu camarim e dei duas batidas na porta, logo ouvi ele dizer para entrar e foi o que eu fiz.

-Oi, pai. –Disse ao abrir a porta e entrar em seu camarim.

-Ei, filha. –se levantou do sofá que estava sentado e me abraçou. –Como você está?

-Estou bem. –abrir um pequeno sorriso. –Preciso de um pequeno favor seu.

-O que está aprontando, Alex? –Perguntou desconfiado.

-Nada demais, apenas preciso que me deixe subir no palco um minutinho.

-Por que quer subir no palco? –Contei para ele tudo o que estava planejando e de inicio ele achou que estava brincando, mas viu que estava séria e concordou com tudo e ficou super feliz com a loucura que eu estava prestes a fazer.

Após a pequena conversa com meu pai, voltei para o camarim que me tinham reservado e encontrei Nicky e Piper jogando ping pong, e pelo jeito Piper estava ganhando.

-Loirinha você aprendeu a roubar com a Vause né? Vamos, melhor de cinco.

-Nicky, você perdeu! Aceitei. –Piper estava com um sorriso vitorioso no rosto. Cheguei por trás dela e a dei um beijo no rosto.

-Nicky, chorando de novo? –Zombei dela e como resposta ela me mostrou o dedo do meio.

-Vai se foder, Vause. –eu e Piper rimos. –Você também, loirinha. –olhei para Nicky com um sorriso malicioso por sua fala. –Aaaaah, vocês entenderam. –Não aguentei e cai na gargalhada.

Ficamos conversando e brincando por alguns minutos até que a Tv que tinha no camarim começou a transmitir o show que estava começando. O show se iniciou e ficamos cantando e dançando igual três doidas. Tiramos fotos, gravamos alguns snaps, enfim, nos divertimos.

Nicky e Piper ficaram surpresas quando quase no final do show meu pai me chamou no palco, principalmente Nicky, pois raras às vezes eu subia. Porém eu já sabia o que significava e fiquei mais nervosa que tudo, minhas mãos começaram a tremer e a suar.

-Já volto. –Me levantei do sofá que estava sentada e sai do camarim indo até o palco.

O camarim que me reservaram é relativamente perto da entrada do palco, então dois minutos depois eu já estava ao lado do meu pai e os seus fãs gritavam. Me entregaram um microfone e eu comecei a falar.

-Hã... Ei, pessoal. –mais gritos. –Tenho que confessar, estou mais nervosa que tudo. Nunca fiz o que estou prestes a fazer e vocês aí olhando me deixa ainda mais nervosa. São muitas pessoas. –brinquei e soltei uma risada fraca. –Mas enfim, queria que fosse “especial”. –fiz aspas com os dedos ao falar especial. –Então pensei: o que seria mais especial que fazer isso na frente de milhares de pessoas no show do meu pai? Se pensaram nada, estão errados. Com certeza deve ter coisas mais especiais, mas o que posso fazer? –brinquei novamente e o publico riu. –Okay, chega de enrolação. Piper será que pode vir aqui? –todos ficaram em silêncio e o meu nervosismo só aumentou. –Por favor?

Três minutos depois Piper apareceu no palco e pra mim, esses três minutos foram uma eternidade. Fui até ela, dei um beijo em sua bochecha e a puxei pela mão até o meio do palco. Com uma mão segurei o microfone e com a outra eu segurei uma de suas mãos.

-Piper, eu só queria dizer que com os poucos dias que nos conhecemos você já se tornou uma pessoa mais que especial pra mim. Cada minuto ao seu lado é uma alegria sem tamanho que quase não cabe no peito, e cada minuto distante é uma dor sem igual. Você e esse seu olhar de diamante me prenderam no primeiro momento que te vi, e nesse mesmo momento eu já sabia que queria você pra mim. Pode está sendo muito rápido e muito cedo pra essas coisas, mas o que é o tempo nessa vida tão curta nossa? Então... –olhei para o meu pai que automaticamente entendeu o recado e segurou o microfone pra mim. Abrir o bolso da minha jaqueta e tirei de lá uma caixinha de veludo preta, a abrir e Piper pode ver duas alianças de pratas envoltas em diamante. –Piper Chapman, quer namorar comigo? 

Todos começaram a gritar, mas pra mim era só um som de fundo, meu foco estava todo em Piper que estava com olhos marejados e a boca aberta em surpresa. Esperei ansiosamente por sua resposta e novamente o tempo parecia uma eternidade. Logo o silêncio se fez no local ao Piper dar indícios de que ia começar a falar.

-Sim, eu quero namorar com você! –Respondeu e então me abraçou forte causando o maior alvoroço.

Nos separamos do abraço e dei um beijo cheio de paixão em seus lábios, depois peguei uma das alianças na caixinha e peguei sua mão direita, colocando então o anel em seu dedo anelar, após o ato, Piper fez o mesmo comigo.

-Desculpem por interromper o show, mas eu tinha que fazer isso. –disse após trocar mais um beijo com a Piper. –Obrigada por fazerem parte desse momento tão importante pra mim. –Sorrir e acenei com a mão deixando o palco.

-Al, você é louca! –Piper disse ao deixamos o palco e irmos em direção ao camarim onde estávamos.

-Louca por você! –Nos beijamos novamente e então entramos no camarim e Nicky começou com suas piadinhas.

-Vause, sua puta. –pulou nas minhas costas. –Ta mais gamada no mel da xoxota da loirinha do que eu imaginei. –A joguei no chão arrancando uma risada gostosa da Piper.

-Nicole, pelo menos eu estou gamada depois de provar. E você? Que está gamada na Lorna sem nem ao menos trocar uma palavra com ela?

-Vause, já ouviu aquela palavra fuder...

-Faço muito. –a interrompi. 

-Exatamente, é o quero, fuder.

-Me engana que eu gosto. –Zombei e ela mostrou a língua e como sou uma pessoa muito madura, mostrei a língua de volta.

-Que infantis vocês duas. –Piper disse ao ver a cena. Realmente estávamos parecendo duas crianças.

-Foi ela que começou. –Nicky disse para Piper que fez negativo com a cabeça.

-Que mentira, foi você. –Rebati.

-Okay, crianças. Vamos parar? –Piper disse rindo.

-Do que ta rindo? –Eu e Nicky perguntamos juntas.

-Nada. –Continuou rindo e então eu fui até ela e a beijei.

-Serio? Vão transar na minha frente? –Nicky perguntou divertida. –Podem esperar um minuto pra eu pegar a pipoca? –Piper ficou corada e interrompeu o beijo.

-Vai se foder, Nicole. –Me sentei em um dos sofás e trouxe Piper para o meu colo.

-Vause, amanhã à noite na sua casa. –Nicky disse ignorando meu comentário e se sentado do meu lado.

-Tudo bem. O de sempre? 

-Yes, baby.

-O que vai ter na sua casa amanhã à noite? –Piper pergunta pra mim.

-Amanhã a noite vai ter um desfile da Victoria’s Secret e sempre que acontece esses desfiles eu e Nicky nos sentamos em frente a Tv, comemos besteira e ficamos tirando sarro das roupas. –A respondi divertida.

-E você loirinha, ta mais que convidada pra se juntar a nós. –disse Nicky nos pegando de surpresa. –E se quiser levar alguém também, fica a vontade. –E então entendemos que ela apenas queria a Piper fosse e levasse a Lorna junto.

-Ta convidada sim, amor. –Falei e a beijei no rosto.

-Ta convidada sim, amor. –Nicky disse me imitando e deu ênfase no amor, e como resposta, lhe mostrei o dedo do meio.

-Que coisa feia de se fazer, Alex. –Meu pai entrou no camarim quando mostrei o dedo do meio pra Nicky.

-Ta vendo o que tenho que aturar? –Nicky disse para o meu pai fazendo drama. –Toda essa falta de respeito comigo.

-Não enche Nicole. –Falei revirando os olhos. Piper se levantou do meu colo e ficou em pé. 

-Piper! –meu pai foi até ela todo animado. –Vejo que minha filha acertou pelo menos uma vez na vida. Você é uma moça muito bela. –elogiou e Piper ficou corada na mesma hora.

-Hã... Obrigada senhor Vause. –Deu pra ver que estava nervosa e acabei soltando um riso. 

-Alexander, por favor. Esse seu “senhor Vause” me fez sentir velho. –Fez careta.

-Tudo bem, Alexander. E me desculpe... –Começou a se desculpar e meu pai a interrompeu.

-Não precisa se desculpar está tudo bem. –chegou mais próximo dela e falou baixo, porém todos escutaram. –Se minha filha te magoar me fale que eu vou quebrar todos os dentes dela.

-Ei! –falei indignada. –Primeiro: isso não deveria ser ao contrario? E segundo: Eu não vou fazer isso, já passei dessa fase e eu realmente gosto da Piper, ta bom?

-Olha lá heim. –fez sinal de que está de olho em mim e eu revirei os olhos. –E querida, pode contar comigo para qualquer coisa. –Se voltou para Piper e logo engataram uma conversa animada excluindo eu e Nicky.

Fiquei mais do que feliz por meu pai ter gostado da Piper. Ele nunca gosta das garotas que me envolvo, eu até entendo, pois nunca eram coisas sérias, apenas uma companhia para me esquentar na cama.

Deu pra ver que meu pai gostou mesmo da Piper e ficou com medo de que eu a machuque, novamente eu o entendo. No passado eu não fui uma pessoa muito boa, mas como disse: passado. Essa fase passou e a ultima coisa que eu faria no mundo seria magoar a Piper, e se eu magoar, não vou me perdoar nunca.

Os dois ficaram conversando por um bom tempo, excluindo totalmente eu e a Nicky, e por isso começamos a falar sobe a noite de amanhã, mas logo o assunto acabou e lá estava os dois, ainda conversando animadamente

-Ei, desculpe atrapalhar. –cheguei por trás da Piper, coloquei minhas mãos em sua cintura e a beijei na bochecha. –Mas, podem, por favor,  parar de exclui a gente da conversa? –apontei para mim e Nicky que agora mexia animadamente no celular.

-Oh, desculpa filha. Estava falando com a Piper sobre minha coleção de... –Meu pai não conseguiu concluir sua fala, pois Nicky gritou do nada assuntado a todos.

-Isso caralho. –pulou de alegria. –Consegui!

-Conseguiu o que? –Perguntei.

-Passei do nível 124 de Candy Crush.

-Finalmente. Você ficou nessa fase duas semanas.

-E também, aquela francesinha gostosa daquela noite da boate me mandou mensagem me chamado pra ir pra casa dela, então fui. –Mandou dois beijos no ar e deixou o camarim.

-Aproveitando a deixa, também vou embora. –meu pai falou e deu um abraço em Piper. –Até mais, Piper. Foi um prazer conhecê-la.

-Igualmente. –Respondeu sorridente e ele começou a andar em direção a porta sem ao menos se despedir de mim.

-Serio? –indaguei e olhou pra mim confuso. –Vai sair sem pelo menos um “Tchau minha filha, parabéns pelo namoro.”? –Perguntei cínica.

-Oh, desculpe. –veio até mim e me abraçou. –Tchau minha filha, parabéns pelo namoro. –Repetiu minha frase e saiu rindo e eu fiquei aqui, com cara de taxo.

-Own, não fica assim. –Piper me deu um beijo nos lábios. –Eu ligo pra você.

-Vem. –a puxei pelos braços. –Vamos pra casa comemorar nosso namoro. 


Notas Finais


E assim encerro mais um capitulo da nossa saga Vauseman xD Até o próximo capitulo hahah.
Espero que tenham gostado *-*
Bye \o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...