História Rolls white || sex - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cameron Dallas, Jennette McCurdy, Maia Mitchell, Matthew Espinosa
Personagens Cameron Dallas, Jennette McCurdy, Maia Mitchell, Matthew Espinosa
Tags Camerondallas, Hentai, Jennettemccurdy, Magcon, Maiamitchell, Matthewespinosa, Sexo
Visualizações 61
Palavras 2.926
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Hentai
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Último capítulo.

Só Isso que vou dizer mesmo, por que escrever isso não foi fácil.

Beijinhos.

Capítulo 2 - Oh, cam!


Fanfic / Fanfiction Rolls white || sex - Capítulo 2 - Oh, cam!

- você sabe que eu te amo não é?

- morre Samantha - reviro os olhos e me sento na cama.

- por favor, sabe a quanto tempo eu estou na seca? - Ela me olhou com um olhar de cachorro sem dono, me fazendo rir e balançar a cabeça negativamente.

- eu não vou ficar uma noite inteira em um quarto com o Cameron - reviro os olhos.

- beleza, dorme lá embaixo! - ela sorri de lado e se senta do meu lado pegando minha mão - Bella, Eu não tô pedindo pra vocês transararem de novo

- aquilo foi em um momento de insanidade, nem me lembre!

- você não lembra mesmo - ela da de ombros.

- você transou ontem caralho - solto minha mão da  dela e me levanto.

- Isabella Smith, Você me deve essa!

- Samantha Smith, Não, Não devo! Oque fez pra mim estar te devendo?

- Eu cuidei de você na festa da semana passada. se não deixar eu Á próxima vez que der PT eu vou contar para o pai e pra mãe - ela se levantou da cama ficando de frente pra mim e levantou uma sobrancelha.

- okay, tudo bem... - respiro fundo - Se eu jogar ele da janela a culpa é sua!

Samantha gargalha e pula dando algumas palminhas, Ela sai do quarto e eu vou atrás, vejo Cameron e Matthew saindo do quarto deles também.

Cameron estava com os braços cruzados e com uma cara de cu enorme.

- aceitou? - os dois disseram juntos, com sorrisos que gigantescos.

- sim - eles continuaram...

Isso estava me dando vontade de vomitar, eu a todo momento encarava Cameron, e ele a mim com uma cara nada boa.

Sam correu até Matthew e os dois começaram a se comer bem ali no meio do corredor dos dormitórios.

- no meu quarto ou no seu? - ouvi Matt falando, Então Cameron e eu desviamos o olhar pro mesmo.

- no meu - Samantha disse enquanto o virava e o empurrava em direção ao quarto, eles passaram por mim, meio que me empurrando e me fazendo ir pra trás.

Assim que entram a porta foi batida fortemente me fazendo arregalar os olhos.

Volto meu olhar a Cameron, com a mesma cara de antes, mas depois abri um sorriso irônico.

- no meu quarto ou no seu? - falei com uma voz fina e um tom sarcástico, depois revirei os olhos e bufei cruzando os braços.

- aparentemente, no meu! - Cameron disse risonho e entrou na porta ao seu lado que dava no quarto.

Fui até lá e entrei no quarto também, ignorei Cameron totalmente e abri a janela, peguei uma cadeira e subi nela, mas quando estava me preparando pra ir ao telhado ouço a voz de Cameron.

- onde pensa que vai?

- aparentemente, no telhado! - disse falando como ele a alguns momentos atrás.

-- esse é meu telhado!- - ele bufou e fez cara de bravo, uma cara sexymente brava.

- seu amigo está comendo minha irmã no quarto onde fica meu telhado!

- se você tivesse negado, poderia estar lá agora! - ele bufou cruzando os braços.

- se você tivesse negado, Eu poderia estar lá agora! - digo dando um mini sorrisinho antes de pegar impulso e finalmente pisar no telhado. Ando até a ponta e me sento ali colocando os pés pra fora.

- por que me odeia tanto? - ouço cameron dizer e subo meu olhar pra ele. Ele se sentou do meu lado e me encarou de volta.

- pelo mesmo motivo que você me odeia...

- mas eu não te odeio - ele franziu levemente o cenho.

- não foi isso que disse ontem a noite na lanchonete...

- nunca mentiu, Não? - ele disse em um tom meio bravo e revirou os olhos.

- você fica me irritando, Cameron! - Bufo e desvio o olhar para o céu, começando a observa-lo.

- você não me odeia, Isabella! - disse em um tom...autoritario?

Desviei meu olhar pra ele e franzi o cenho, soltando uma risada nasalada.

- se me odiasse não teríamos transado - continuo e então eu revirei os olhos suspirando.

- não quero falar sobre isso Cameron...

- há, você quer! - seu tom estava autoritário em todo momento. - você sabe que foi bom.

- como tem tanta certeza que foi bom? Gemidos são só...gemidos. Eu também gemeria se você tivesse me batido, gemeria de dor! - dou de ombros.

- eu me lembro, idiota! - nessa hora eu juro, tenho certeza, que meu coração parou por um segundo.

Minha boca secou e meu corpo tensionou. Meu olhos se desviaram do seu novamente e foram encaminhados mais uma vez pro céu.

- então por que disse que não se lembrava? - minha voz saiu baixa e mais fina que o normal, meus pulmões não estavam mais fazendo seus trabalhos direito.

- talvez tentando convencer a mim mesmo, que não gostei...

- diferente de você, Eu realmente não me lembro - suspiro e engulo em seco, depois passo a lingua entre os lábios.

- não vista essa armadura de garota mimada e marrenta agora por favor - ele respira fundo e deixa de me encarar para olhar para o céu, igualmente a mim.

- olha, Você não espera que viremos amigos depois de tudo que passamos, certo? - olho pra ele com um olhar indignado.

- claro que não - diz me fazendo respirar, talvez aliviada - até por que amigos não transam...

- porra Cameron, por que essa conversa agora? Tão sem sentido?

- telhados mexem comigo - ele solta um riso nasalado e da de ombros voltando a encarar meus olhos.

- por que está agindo Assim? Como um filha da puta?

- muitas perguntas Bella - ele morde o lábio inferior, soltando uma breve risada após isso.

Se ele morder esse lábio de novo, juro que o estupro aqui mesmo. Eu me odeio só por saber que já provei do beijo dele, mas não me lembro.

talvez tenha sido o melhor beijo da minha vida, e não me lembro!

- por que não podemos simplesmente voltar a nos odiar? - indago com a voz manhosa.

- então quer dizer que agora me ama?

- Não! Não quer dizer! - suspiro pesadamente - só...quero não ter que te beijar...

- quem disse que vamos nos beijar?

- bom, é mais fácil e gostoso do que ficarmos brigando.

Cameron parecia surpreso, sua feição mudava a todo momento.

Em primeiro momento, seu soava confuso e surpreso, depois um sorriso leve foi aberto, e agora? Bom... Ele mordeu o lábio inferior novamente, e seu olhar era extremamente malicioso.

Ele deve estar se achando vitorioso, Como se tudo isso provasse que eu realmente quero ele a muito tempo.

Isso tudo é só mais um dos motivos pra ele me zoar e jogar na minha cara.

Entretando, não vou ficar aqui o encarando e pagando um grande mico.

Meu corpo estremeceu com seu olhar, passei minha língua entre meus lábios. Desviei o olhar pra qualquer canto ali e arrastei meu corpo um pouco mais pra trás.

Me levanto e me viro, subo o telhado rapidamente e entro no dormitório pulando da janela para o chão.

Eu não vou ficar aqui. Por mais que amanhã eu tenha aula cedo, Eu realmente não vou ficar aqui vendo o sorrisinho irônico do cameron, enquanto ele joga na minha cara que eu estava com vontade de beija-lo.

Rodei a maçaneta abrindo a porta, mas ela na mesma hora foi fechada, Me fazendo dar um pulo de susto.

Me corpo foi virado bruscamente e preso contra a parede. Meus olhos encontraram os de cameron, que tinham um certo brilho.

Sua boca estava entre-aberta e eu sentia sua respiração bater contra a minha. Sua mão estava espalmada ao lado da minha cabeça, e sua outra mão foi pra minha cintura.

Cameron colou nossos corpos fazendo com que nossas bocas ficassem a centímetros. Estávamos nisso a pouco tempo mas parecia tempo demais.

- por favor, me beija logo - minha respiração estava ofegante, e piorou assim que ouvi sua baixa risada.

Cameron colou nossos lábios com certa pressão, em um selinho calmo. Mas logo sua língua pediu passagem e eu cedi.

Minhas mãos foram pra sua camiseta que foi puxada, Não deixando nenhuma distância entre nós.

Sua língua explorava cada canto da minha boca enquanto praticamente dançava com a minha.

Sua mão que estava na parede deslizou para a minha nuca, entrelaçando seus dedos nos meus fios de cabelo.

Nosso beijo era cheio de vontade e desejo. É como se ele me completasse. Seu beijo é o melhor que já provei, porém o fôlego começou a faltar.

Por sorte ele mesmo parou o beijo. Cameron sugou meu lábio e colou nossas testas. A parede gélida já não me incomoda mais, pois meu corpo estava quente.

- saudades do seu beijo - Cameron indagou com a voz rouca e baixa. Ele mais uma vez mordeu o lábio e sua mão deslizou da minha cintura até minha bunda, onde ele apertou fortemente.

Um gemido baixo saiu do fundo da minha garganta, então ouvi um pequeno risonho vindo de Cameron.

Agora de tão perto eu podia perceber como Cameron é grande!

Colei nossos lábios mais uma vez, mas peguei impulso para me afastar da parede. Agora nosso beijo era urgente e cheio de desejo, até por que, Eu estava cheia de desejo.

Sua mão desceu da minha cintura para a minha coxa, onde ele puxou para a cima, me dando impulso para enrolar minhas pernas em sua cintura.

Cameron se moveu comigo em seu colo até a cama onde me jogou bruscamente.

- sabe, muitas vezes eu tive raiva de você - indagou e tirou sua camiseta a jogando no canto perto da porta. - raiva que eu sempre quis saciar da maneira mais prazerosa possível...

Meus olhos se arregalaram levemente, e sua boca se curvou em um sorriso.

Cameron me deitou e se posicionou por cima de mim. Me deu um selinho e depois foi descendo os mesmos pela meu pescoço.

Suas mãos estavam em minha coxa e sua boca mordia, chupava e lambia meu pescoço me fazendo soltar arfadas altas.

Minha coxa latejava com seus apertos e meus olhos estavam fechados. Meu corpo estava totalmente entregue a ele e minha calcinha extremamente molhada.

- você está muito vestida - disse em um tom bravo. Meus olhos e abriram encarando seu sorriso malicioso que brilhava em seu rosto. Cameron tirou minha camiseta com minha ajuda e foi uma coisa extremamente rápida.

Ele desceu o olhar para meus seios cobertos pelo sutiã e os encarou por um tempo me fazendo rir e corar.

Sua mão foi até o fecho frontal do sutiã e o abriu. Recebi novamente sua encarada e então ele mordeu mais uma vez o lábio, oque me fez fechar as pernas ao sentir eu ficar mais molhada.

Ele foi rápido e agiu, se inclinou e agarrou meus peitos como se fossem algo muito precioso.

Sua língua passou pelo bico do meu seio, que estavam rígidos e minha mão foi automaticamente pro seu ombro nu, onde apertei.

Sua língua era quente e boa mas ele não ficou muito tempo ali.

Seus chupões foram descendo pela minha barriga, então mordi meu lábio levando minha mão a minha boca.

Cameron abriu minhas pernas e encarou minha intimidade, depois encarou meu rosto, ele franziu levemente o cenho e rio fraco.

- está tudo bem? - disse risonho. senti sua respiração contra minha intimidade, que me fez soltar um urro. Porra eu preciso gozar!

- me beija - minha voz saiu falha e quase como um gemido. Essa foi a maneira mais educada de dizer "me chupa" que consegui inventar.

Cameron passou a lingua por toda a extençao da minha vagina e parou no clitóris onde deu um grande e demorado chupão. Minha mão não conseguiu abafar o suficiente meu gemido extremamente alto.

Meu corpo deu uma pequena convulsionada e ouvi mais uma vez a risadinha leve de Cameron. É extremamente ridículo o tanto que eu estou molhada, e ele saber disso piora as coisas.

Cameron agarrou minha coxa e meu quadril subiu automaticamente. Ele passou a língua novamente em toda extençao de minha intimidade, e quando finalmente chegou em meu clitóris, começou a sequência de lamber e chupar, Isso extremamente rápido.

Minha boca se abriu em um "O" e meus olhos se abriram, olhando pra ele "desesperadamente"

Sua boca se curvou em um sorriso novamente, mas ele não parou as lambidas e chupadas.

Minha mão foi até seu cabelo e rebolei meu quadril, fazendo mais pressão em sua boca. Meus olhos e reviraram e e um alto e gemido saiu da minha boca novamente. minhas pernas tentaram se fechar mas cameron as segurou abertas com força.

Meus dedos se fixaram e puxaram seu cabelo novamente, um grito agudo saiu sem minha permissão e meu corpo se contorceu, Se arrepiando com o orgasmo mais intenço e forte que eu já tive em toda minha vida.

Senti a língua de Cameron praticamente me "penetrar" pois ele lambia todo meu líquido. Fechei meus olhos e respirei fundo mordendo o lábio.

Meu corpo se relaxou e eu fiz um pequeno carinho em seu cabelo, Porém meus olhos se abriram rapidamente e meus dedos agarraram novamente seu cabelo assim que percebi que não, ele não parou.

- Cam... - saiu quase como um gemido, Bem sofrido! Eu não vou aguentar mais!

Cameron separou seus lábios da minha intimidade e subiu seu olhar pra mim, fazendo a cara mais fajuta de inocência que eu já vi.

- isa... - respondeu franzindo levemente o cenho. Dava pra notar que ele estava segurando o riso. Filho da puta!

- minha vez! - disse juntando forças, então me levanto e o empurro na cama. Seus olhos estavam sutilmente arregalados. Olhei em seus olhos e percebi que sua pupila estava dilatada e sua boca entre-aberta em um sorrisinho pequeno de lado.

Peguei no cós da sua bermuda e a puxei pra baixo. A tiro completamente e a jogo no chão.

Meus olhos voltaram a você e os mesmos se arregalaram assim que vi o volume.

Bom, Eu já aguentei uma vez, por que não aguentaria novamente?

Respirei fundo e tirei sua cueca também.

Encarei seu membro e passei a língua entre os lábios. Caralho, arrepiei todinha.

Passei minha língua pela cabeça e ouvi o pequeno gemido de Cameron. Sorri e agarrei sua glande, porém senti o dedo de Cameron em meu queixo, oque me fez olhar pra ele.

Ele morde o lábio novamente e balança a cabeça negativamente, me fazendo franzir o cenho.

- só senta... - sua voz saiu rouca e dura. Ele parecia tentar respirar normalmente, e sua mão do meu queixo desceu pra minha mão que estava em seu membro, a fazendo parar. Só agora que percebi que estava o masturbando...lentamente, mas estava.

Abri um sorriso malicioso e soltei seu membro. Me movi pra cima e sentei, mas não em seu membro, e sim um pouco mais pra cima.

- você parece desesperado... - Ele estava ofegante e extremamente duro. Suas mãos foram pra minha cintura a apertando fortemente, me fazendo soltar um gemido de dor.

Suspirei me preparando e minha cintura, se levanou, agora sim...

Senti seu membro me penetrando e fui deslizando por ele lentamente. Minha cintura possivelmente vai ficar roxa com seus apertos.

- porra! - cameron exclamou e subiu as mãos para meus ombros rapidamente, onde fez força pra baixo e me fazendo sentar e ser penetrada por completo, de uma vez só.

Um baixo gritinho saiu da minha garganta e logo senti suas mãos em minha cintura de novo.

Comecei a rebolar e suas mãos me ajudaram com os movimentos.

Com o tempo meus movimentos foram ficando rápidos e fortes.

Eu agarrei os cabelos da sua nuca e soltei um gemido que por "coincidência" foi perto do seu ouvido.

Cameron depois disso parecia insano e já não era mais eu que mexia meu quadril e sim ele, com suas grandes e fortes mãos.

Hora eu quicava, hora eu rebolava. Só sei que os meus gemidos misturados com os de Cameron, possivelmente já acordaram metade da Universidade.

- B-bella... - Ele gaguejou, me mostrando que logo ia gozar. Graças a deus por que eu também estou quase la.

Foram só mais algumas reboladas e mais uma vez meus olhos se reviraram, sentindo meu corpo em êxtase com o prazer do orgasmos novo.

Depois de me recuperar, juntei forças e percebi que Cameron ainda não havia gozado e nem eu tinha parado de rebolar.

Agarro seus ombros e agora sim, Eu estava rebolando, freneticamente.

- BELLA - Ele gritou e fechou os olhos jogando a cabeça pra trás. Eu senti seu líquido quente em mim.

Sorri e sai de cima dele. me levanto e coloco minha calcinha e meu sutiã.

- Eu estou exausta... - disse me jogando na cama de novo. Cameron colocou sua cueca e se jogou na cama, Se posicionando atrás de mim. Ele me abraçou e deu uma baixa risada, fazendo eu me arrepiar.

- boa noite, princesa. - falou baixo no meu ouvido, então sorri fechando os olhos e me aconchegado.

- boa noite, cam. - digo no mesmo tom que ele e fecho os olhos, caindo no sono minutos depois.

- MAS QUE PORRA É ESSA AQUI? - me assustei e abri os olhos me sentando na cama e coçando os mesmos.

- pra que gritar sam? - cameron disse com a voz manhosa e rouca de sono.

- por que? Se tá de sacanagem né? - ela gargalha e se vira pra Matthew que só observava tudo calado, talvez por ter ficado sem fala depois dessa cena tão impactante.

....

Eu tomei um banho, me troquei e desci pra lanchonete, ouvindo Samantha me encher de perguntas.

Me sentei na mesa do canto depois de pegar um copo gigante de café, e encarei Sam dando uma grande golada no café.

- me conta tudo, porra! - ela sorri e da um gole no seu leite com café.

Sorri me lembrando de algumas horas atrás e mordi o lábio deixando o copo em cima da mesa.

- aquela língua não é de Deus Samantha! - confesso e balanço a cabeça rindo meio sem graça.

- viada...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...