História Romance de Mangá (Hiatus) - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Chiyo, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Karin, Kizashi Haruno, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Temari
Tags Sasusaku
Visualizações 156
Palavras 3.079
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Heeeyyyyyy!
Olha quem resolveu dar as caras.
Quero pedir um milhão de desculpas para vocês. Foram mais de três meses sem atualização e eu sem o quanto isso é horrível.
Eu tive um motivo muito plausível: Mudança.
Isso é um porre. To sem net e computador em casa ainda, mas tenho net no serviço. Estou escrevendo pelo notebook do meu trabalho.

Espero que a vontade de me matar seja menos depois do capitulo de hoje (ou talvez seja maior).
Bom, perdão pelos erros ortográficos e de formatação.

Enjoy :*

Capítulo 8 - Capitulo 8- "And there's no one else to blame..."


Fanfic / Fanfiction Romance de Mangá (Hiatus) - Capítulo 8 - Capitulo 8- "And there's no one else to blame..."

LEIAM AS NOTAS INICIAIS!

"You make me glow
           But I cover up
            Won't let it show
                So I'm putting my defenses up
                Cause I don't wanna fall in love
..."

-Três meses? - A garota pediu assustada.

-Sim. Será o tempo perfeito para a recuperação. - O médico respondeu calmamente.

-Mas e a empresa?

-Sakura! - Sua mãe a repreendeu. - Pare de pensar nisso agora.

-Desculpa dona Mebuki, mas Sakura tem razão. - Foi à vez de Sasori se pronunciar. - Sem o papai aquele negócio não anda.

-Exatamente! – Sakura concordou com o irmão.

-Eu entendo a preocupação de vocês, mas é necessário todo esse tempo. - O homem cruzou as mãos sobre a mesa. - Ele estava a um passo de ter um ataque cardíaco. Vai precisar de total repouso e evitem problemas.

Os três na sala se entreolharam e matriarca deu o veredito:

-Pode deixar doutor. Evitaremos ao máximo qualquer tipo de estresse.

Depois das últimas recomendações, eles se retiram da sala. Sakura avistou Sasuke próximo à saída. Ele falava ao telefone e parecia agitado. A ruiva se despediu da mãe e do irmão e seguiu em direção do moreno.

Quando notou a presença feminina perto de si, despachou quem quer que fosse e voltou toda sua atenção à garota.

-Oi - Ela sorriu minimamente.

-Oi - Ele retribuiu o sorriso. - O que o médico disse? - Ela suspirou.

-Vamos! No caminho eu conto.

...

-Então você e seu irmão assumirão a presidência? - Sasuke pediu assim que adentraram ao apartamento da rosada.

-Bom, é o que nosso pai quer. - Ela se jogou no sofá.

-Vocês vão tirar de letra. - Ele se sentou ao lado dela.

-Espero! - Ela suspirou e calou-se.

Ficaram encarando o teto sem dizerem nada por longos minutos, até que ela mesma decidiu acabar com o silêncio.

-Sasuke!?

-Hm. - Ele respondeu de olhos fechados.

-E seus pais? Como eles são? - Virou a cabeça para ele. Ele soltou uma risada anasalada.

-Itachi nunca disse?

-Nunca conversamos sobre isso.

-Bom, - Ele iniciou depois de alguns segundos. - Eles são normais...

-A vá. - Ela o interrompeu rindo. - Jurava que eles eram extraterrestres.

O moreno acompanhou a garota nas gargalhadas que se seguiram.

-É sério. Deixa-me terminar. - Ele disse depois de se acalmar. Ela assentiu sorrindo. - Como eu dizia, eles são como quaisquer outros pais. Vivem preocupados e me enchendo de cuidados. Minha mãe e doce é um amor de pessoa. Ela nasceu na Geórgia e toda sua família mora lá. Ela quase teve um infarto quando disse que iria morar sozinho. - O Uchiha sorriu nostalgicamente e Sakura o admirou. - Meu pai sempre foi um homem rígido e durão, mas se derrete todo perto de minha mãe. Eles se amam. Lembro que quando era pequeno meu pai me disse que o amor não é mandar buquê de flores todos os dias e falar "eu te amo" a cada dez minuto. Ele disse que era mais profundo que isso. Me disse que o amor está nas entrelinhas e que nós experimentamos várias formas de amar durante nossa vida.

-Que lindo! - Sakura exclamou.

-Ele tinha razão. - Sasuke a olhou.

-Você já teve a oportunidade de experimentar todas?

-Não. Na verdade tem uma nova. Acho que estou descobrindo ela agora olhando para você. - Ele tocou o rosto dela com as pontas dos dedos. A mesma fechou os olhos aproveitando o toque.

-E você? - Ele pediu quando parou de acaricia-la.

-Eu estou vivendo uma nesse exato momento, mas preciso fazer uma coisa para ter certeza.

Sem esperar qualquer resposta dele, ela tomou seus lábios em um beijo calmo. Ele logo a correspondeu e se separaram quando o ar se fez falta.

-Obteve sua resposta? - Ele perguntou com a testa colada ao dela.

-Acho que sim.

E dessa vez foi o Uchiha que a beijou com desejo.

...

-Bom dia. - Ela disse assim que se sentou a mesa.

-Bom dia. - Chiyo lhe respondeu sorrindo. - Como seu pai está?

-Melhorando. - Ela se serviu de café. -E Sasuke? - Perguntou notando a falta dele.

-Saiu bem cedo. Nem tomou e nem comeu nada.

-Que estranho.

-Também achei, mas ele disse que tinha assuntos urgentes para resolver. 

A ruiva deu de ombros e voltou a degustar seu croissant.

-Ah! Ele pediu para te lembrar do coquetel que terão hoje à noite com os donos e os sócios daquela empresa que deseja fechar uma parceria com vocês.

-Ah não. Tinha até me esquecido disso. - Ela jogou a cabeça para trás. - Não tem como desmarcar?

Chiyo riu.

-Segundo sua secretaria, não.

-Por quê?

-Por que ela falou que já é a quarta vez que remarcam a data. Agora não tem mais como.

A garota revirou os olhos e fez cara de choro. Sua empregada apenas riu e se retirou.

Sakura pegou a bolsa e as chaves do carro e saiu. Dirigiu até a empresa ouvindo rádio.

Chegou e foi abordada por muitos repórteres. Deu uma breve explicação e adentrou no edifício. Respondeu as perguntas dos funcionários sobre o estado de saúde de seu pai e se encaminhou para sua sala.

-Agora é todo dia isso? - Ela observou seus quatro amigos sentados nas cadeiras e sofás de seu local de trabalho.

-Queremos a fofoca em primeira mão. - Shikamaru respondeu fechando a porta e conduzindo a garota que estava confusa até sua cadeira.

-Que fofoca?

-Oras! - Naruto se pronunciou. – Para o Sasuke me ligar às quatro da manhã é porque aconteceu alguma coisa.

-Sasuke te ligou? O que ele queria?

-Nada de mais. – O loiro respondeu dando de ombros. Sakura não ficou convencida do que seu primo dizia.

-Então rolou? - Itachi pediu esperançoso.

-Rolou o que? - Sakura estava mais perdida que um cego em um tiroteio.

-Como o que? Você sabe muito bem. - Temari fez um gesto com as mãos e a garota se tocou.

-Que? Não! Céus! Claro que não. - Ela respondeu chocada.

A decepção no rosto dos quatro era perceptível. A ruiva até sentiu pena, mas não durou muito.

-Cheguei atrasada? - Karin invadiu a sala e todos a olharam.

-Não se preocupe priminha. - O loiro foi o primeiro a respondê-la. - Não rolou nada entre os dois.

-Sério? Então quer dizer que eu despenquei do outro lado da cidade até aqui para nada? - Ninguém a respondeu. - Porra Sakura! Que decepção. - A Uzumaki se sentou.

-Decepção é a minha. Poxa! Quer dizer que vocês pensam que eu só levo os homens para cama? – Indagou ainda perplexa pelo questionamento dos amigos.

Eles se entreolharam e responderam em um coro.

-Sim.

A ruiva ficou mais chocada do que já estava.

-Fora daqui seus pervertidos. - Ela jogou uma caneta em Itachi que facilmente desviou. Os amigos dela saíram rindo e então ela pode desfrutar de um pouco de tranquilidade.

...

Sasuke apareceu somente no horário de ir para o evento marcado. A Haruno achou estranho e quando o questionou, ele mudou de assunto rapidamente.

O Uchiha estava preocupado é isso era perceptível; tanto que a garota achou que algo sobre o ocorrido na noite anterior o estava incomodando.

-Não Sakura. Não é nada com você. - Ele saiu e a deixou no quarto para se arrumar. A ruiva chamou apenas Kakashi para lhe ajudar. Aproveitou e rondou o homem para saber de algo.

-Não soube de nada. - Ele respondeu a olhando com o vestido que escolhera. - Ficou lindo.

-Obrigada. - Ela agradeceu e se sentou para colocar os saltos. - Mas ele não comentou nada?

-Não!

Sakura suspirou triste.

-Relaxa se for algo mais grave, ele ira te contar. - Ele sorriu por debaixo da máscara. A garota o olhou curiosa.

-E você Kakashi? Porque dessa máscara? - Ela sorriu e se levantou para por as joias que escolherá.

-Por que isso me deixa mais misterioso. - Ele respondeu a ajudando colocar o colar.

-Mas porque tanto mistério? – Ela colocou os brincos

-Por que acho legal ser misterioso um pouco. – Ele sorriu mais abertamente.

-Mostra para mim? - Ela sorriu e o encarou. Ele riu.

-Mas assim quebrará todo o encanto. – A ruiva fez cara de decepção e ele deu um beijo em sua bochecha. - Você está incrível.

-Obrigada. – Deu uma leve piscadela para o homem.

Eles foram para a sala. Sasuke estava concentrado em seu celular que não os notou chegando. Kakashi pigarreou baixo e então os olhos negros do Uchiha alcançaram à ruiva. Seus olhos arregalaram um pouco e sua boca abriu.

-Ual! - Exclamou a observando. - Você está maravilhosa!

Ela abaixou a cabeça timidamente e colocou uma mecha do cabelo atrás da orelha.

-Obrigada. - Sorriu. - Vamos então?

Sasuke assentiu e ofereceu o braço para a garota que prontamente aceitou.

Desceram até o estacionamento e gentilmente o moreno abriu a porta do carro para ela. Seguiram até o hotel onde seria realizado o evento em silêncio. Chegaram e foram recepcionados pelos donos da empresa que era bem mais novo que Sakura imaginou. Ele aparentava ter por volta dos trinta e oito anos de idade. Foi simpático com eles e recebeu-os com um abraço. Ele conduziu os dois até os outros executivos.

Sakura foi mais simpática possível. Sabia que seu pai queria aquela parceria há muito tempo e não estava a fim de colocar tudo a perder. Depois de conversar com aqueles homens, Sasuke pediu licença e junto de Sakura se retirou dali.

-Aconteceu alguma coisa? – Ela pediu preocupada. Eles já estavam longe o suficiente para ambos conversaram.

-Não. – Ele ainda estava com a mão no meio das costas dela.

-Então porque saímos de lá? – Estavam no bar do lugar.

-Porque quero dançar com você. – Ele olhou no fundo dos olhos dela. – Vamos?

Sakura sorriu e aceitou o convite. Como um verdadeiro cavaleiro, o Uchiha a levou até o centro do salão. Ao fundo tocava alguma música suave que Sakura não reconheceu.

Sasuke a conduzia na dança. Seus olhos estavam fixos na garota que retribuía o olhar. A dança os envolvia. Na cabeça da ruiva não havia mais ninguém além deles. O Uchiha naquele momento só pensava em toma-la em seus braços e não solta-la nunca mais.

Quando a música acabou e eles se separaram foi algo extremamente difícil para ambos, mas fingiram que tudo estava bem. O moreno foi em direção ao bar e Sakura voltou a conversar sobre negócios com os executivos.

Ficou envolvida naquela conversa por boa parte do tempo. Não notou quando Sasuke se retirou do coquetel e voltou para casa. Deu falta dele quando o senhor Yahiko convidou-os para irem a uma casa noturna que havia ali perto. A Haruno sorriu e aceitou o convite. Quando procurou seu acompanhante não o encontrou. Tentou voltar a trás com a resposta dada anteriormente, mas aquele simpático homem a fez mudar de ideia.

Caminharam juntos por duas quadras até a balada. Entraram pela porta da área vip. Sakura estava preocupada e tentava não transparecer. Ligou diversas vezes para Sasuke, mas ele não atendia suas ligações.

O lugar estava cheio e tocava músicas eletrônicas. Era um lugar onde estava habituada em ficar, mas algo não a deixava ficar relaxada, por isso permaneceu pouquíssimo tempo lá dentro. Queixou-se de enxaqueca e se retirou do local.

Como seu carro não estava mais no hotel, chamou um táxi e voltou para casa.

...

Estava esgotada.

Jogou sua bolsa na mesinha de centro e sentou-se no sofá. Retirou os saltos e relaxou um pouco fechando os olhos.

-Como foi lá?

A voz do Uchiha invadiu seus pensamentos. Lentamente abriu os olhos e o encarou. Ele estava parado na soleira da cozinha de braços cruzados. Vestia uma camisa de malha e uma calça de moletom. Demorou alguns segundos para respondê-lo.

-Que merda foi aquela Sasuke? – Levantou e cruzou os braços.

-Como? – Ele pediu confuso.

-Estou falando de sair de lá e me deixar sozinha. Poxa, era importante você estar lá e me apoiar. – A voz da garota estava ressentida.

O moreno abaixou a cabeça e deu um passo a frente descruzando os braços

-Não podia permanecer lá.

-Por quê? – Ela quis tentar não deixar que a indignação fosse explicita em seu tom de voz, mas não foi possível.

-Por que não Sakura. – Ele se virou para retirar-se

-Não aceito essa resposta.

Ele parou e ainda de costas a respondeu:

-É a única que terá de mim. – Ele voltou a caminhar e a deixou sozinha na sala.

-Mas não vai ser mesmo.

A passos duros, Sakura o segui-o até a cozinha. O encontrou bebendo um copo d’agua.

-Quero uma resposta que faça sentido.

Ouviu-o bufar. Odiava quando bufavam devido algum questionamento que ela fazia.

-Não quero falar sobre isso. – Ele se virou para sair.

-Mas vai. – Ela o impediu de sair daquele cômodo.

-Com licença Sakura.

-Não. Quero no mínimo uma desculpa plausível para sua atitude.

-Você quer uma desculpa?

-Pelo menos isso.

-Estava com dor de cabeça.

-Mentira. – Ela respondeu prontamente.

-Como sabe? – Cruzou os braços e encarou a garota que era mais baixa que ele.

-Você teria me dito algo. Você está estranho o dia inteiro. Foi algo que eu fiz?

-Já disse que não tem nada a ver com você.

-Então me conta o que aconteceu.

-Não é nada Sakura.

-Então porque está agindo assim?

-Assim como?

-Frio e distante.

-Eu não estou assim.

-Claro que está!

Ele a encarou. Ela permanecia parada na porta o impedindo de sair.

Pegou na cintura dela e a puxou. A garota ficou meio desnorteada. Chegou com seu rosto perto do da ruiva. Lentamente a girou e se afastou.

-Você está vendo coisas onde não há.

Ele a soltou e saiu. Sakura balançou a cabeça e voltou a si. Aproveitando que estava descalça correu e jogou-se nas costas dele.

-Você não vai se livrar de mim tão fácil Uchiha!

-Para com isso. Você está sendo infantil Haruno. – Ele a jogou no sofá.

Saiu andando e foi para o quarto. A garota bufou. Caminhou até o bar e retirou de lá uma garrafa de Whisky e serviu um copo para si mesma.

...

-Sakura!?

Apenas levantou a cabeça e observou se aproximar. Havia uma garrafa de bebida ate a metade.

-Você estava bebendo?

-Pode ficar tranquilo. Eu preciso de no mínimo três garrafas para ficar bêbada. – Fez pouco caso da presença do moreno.

Ele suspirou e sentou no chão ao lado dela.

-Me desculpa.

-Só se você contar o que está acontecendo. – Ela o encarou.

-Ainda esse assunto. – Ele revirou os olhos.

-Ainda esse assunto sim.

-Sakura, - Ele iniciou. – Eu não podia ficar lá senão iria cometer uma loucura.

-Que loucura?

-A mesma que estou evitando fazer agora. – Ele a puxou a fazendo sentar em seu colo. Tocou a face dela com os dedos. – Não posso fazer isso. – Seus lábios se aproximaram do dela que fechou os olhos instintivamente.

-Porque não? – Ela roçou seus lábios nos dele.

-Porque é errado. Você é minha cliente.

-Foda-se. Eu quero isso tanto quanto você. – Ela olhou na imensidão negra que era o olhar dele.

Sasuke tomou os lábios da ruiva em um beijo desesperado. Levantou-se com ela no colo e os conduziu até o quarto. Esbarrou em alguns moveis derrubando alguns objetos pela casa.

-Não. No seu quarto. – Ela pediu quando ele parou na porta do dormitório dela.

Sem questiona-la, o moreno atendeu ao pedido da garota.

Deitou-a na cama. Observou os olhos da garota que continham chamas de desejo. O olhar do Uchiha não estava muito diferente do dela; estavam nublados pela luxuria.

Delicadamente a ajudou a se livrar do vestido que usava. Sasuke a admirou.

Impaciente pela demora do homem, Sakura puxou a camisa dele que ajudou se livrar da peça. Voltaram a se beijar. Um beijo quente e necessitado.

A ruiva alisava o peito do homem e abaixou em direção ao cós da calça que ele usava. Com o auxilio dos pés, ela o empurrou para baixo ficando assim os dois apenas de roupas intimas.

...

-É bom dormir sentindo seu cheiro. – Ele disse a fazendo rir minimamente.

-Digo o mesmo. – Ela traçava círculos invisíveis com o dedo indicador no peito desnudo do moreno. Ele depositou um beijo no topo da cabeça dela.

-Acho que está na hora de levantar.

-Não. - Ela abraçou a cintura dele manhosa. – Só mais um pouquinho.

-Sakura, já são nove horas. Você tem uma reunião às dez.

-Odeio essa mania que você tem de decorar minha agenda. – Ela o encarou e depois de dar um selinho rápido nele, levantou e colocou a camisa de malha.

-Isso me pertence. – Disse ele ainda deitado.

-Era. Agora é meu.

A Haruno correu para seu quarto e entrou no banheiro cheirando a camisa do Uchiha. Fez suas higienes matinais e se encaminhou para a cozinha a fim de tomar seu café da manhã.

-Bom dia Chiyo. – Ela cumprimentou a governanta com um beijo no rosto.

-Bom dia minha querida. – Ela sorriu. – Essa camisa não é do Sasuke? – A senhora observou a peça que a ruiva vestia. Sakura sorriu tímida e afirmou com a cabeça. Chiyo sorriu e depois piscou para a garota.

Sakura se serviu com um suco de laranja e pegou um pedaço de bolo além de um pãozinho doce.

-Está com fome hoje, né querida? – Chiyo riu.

-Gastei muita energia essa noite. – Sakura a acompanhou nas gargalhadas que vieram a seguir.

Estava desfrutando de seu desjejum quando a campainha tocou. Como a senhora estava na cozinha, Sakura correu para atender achando que era algum de seus amigos, mas a surpresa foi grande quando não reconheceu aquela bela mulher em sua porta.

-Bom dia. – Ela disse simpática.

-Bom dia. – Sakura respondeu.

-É aqui que mora Sasuke Uchiha? – A Estranha pediu e Sakura ficou confusa.

-É aqui sim, por quê?

-Ótimo! – A loira exclamou e entrou empurrando a ruiva. – Poderia chama-lo, por gentileza?

-Não! – Ela exclamou cruzando os braços e encarando aquele ser que invadiu sua casa. – Primeiro me diga quem é você?

-Sasuke saberá.

-Dane-se o Sasuke. Eu sou a dona da casa e mereço saber quem entra nesse lugar.

-Oh. – A loira pareceu meio deslocada, mas logo voltou ao natural. – Pois bem, me chamo Shion e sou noiva do Sasuke. – Ela sorriu e esticou a mão. Sakura empalideceu e sua surpresa foi tamanha que a outra mulher se preocupou. – Meu Deus! Você está branca, quer uma água?

-Sasuke é seu noivo? 

Ela não podia acreditar no que acabara de ouvir.


Notas Finais


Espero que vocês tenham gostado (Não me matem, please!)
Se vemos no próximo capitulo e não esqueçam de comentar :*

Roupa do coquetel: https://www.polyvore.com/sakura01_coquetel/set?id=223223206


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...