História Romance Proibido - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Visualizações 43
Palavras 1.180
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Mistério, Orange, Romance e Novela, Suspense, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Gente, a partir de agora, os capítulos serão postados toda sexta feira, sem horário previsto, espero que entendam e boa leitura!

Capítulo 9 - Capítulo 9


Apesar de Alasca ter se afastado completamente de mim quando descobriu que eu estava namorando Adam, não me importei, afinal, minha mãe tinha me dito que o que importava naquele momento era a minha felicidade, que eu tinha que estar feliz e sorrindo ao invés de triste e chorando pelos cantos por não estar com minha melhor amiga. Então, eu continuei a levar minha vida normalmente, sempre era levada para a escola de carona com o motorista, mas às vezes, no final da aula, eu mandava mensagem dizendo que ele não precisava me buscar, pois Adam me levaria para casa.

Um dia, enquanto estava na sala, um professor tinha faltado, então Adam me mandou uma mensagem pedindo para me encontrar no refeitório, já que naquele horário não haveria ninguém por lá, só na hora do recreio. Então me levantei e fui ao encontro dele.

- Oi. - ele disse já me cumprimentando com um selinho.

- Oi. - sorri retribuindo o selinho e vi que em sua mão tinha um envelope.

- Toma, é seu. 

- O que é isso?

- Um convite para uma festa de aniversário, sei que parece algo precipitado porque ainda vai demorar uns dias para acontecer, mas eu quero muito que você vá comigo. - sorriu ele.

- Aniversário de quem? - perguntei confusa.

- Do meu primo, ele sempre vem aqui em casa no aniversário dele pra comemorar já que meus pais e eu somos os parentes mais próximos que ele tem.

- Ah sim, entendi. 

- Aí me falou pra levar você também, ele sabe que você gosta de festas assim.

- Vai ser na sua casa ou na dele?

- Nem um nem outro, meus tios alugaram um casarão pra essa festa.

- Puxa, então vai ser legal mesmo. Mas olha, primeiro tenho que falar com a minha mãe e aí eu te falo se vou ou não, ok?

-Tudo bem, respeito sua decisão. - sorriu ele.

Sorri e ele me puxou para um beijo calmo, depois de algumas semanas estava mais segura tanto de nós dois quanto de mim mesma. Mas, apesar de estar segura, tive que confirmar isso com a minha mãe, não podia ir para uma festa sem a autorização dela depois de ter ficado até tarde com Adam na rua. Então, assim que cheguei em casa, me aprontei para o almoço e enquanto comia, procurava pensar nas palavras certas pra falar para minha mãe quando fosse pedir permissão para ir na tal festa, porque pelo que eu entendi, era uma festa onde eu só conhecia mesmo o Adam, o resto era tudo pessoas que eu não fazia a menor ideia da existência, então isso tornava tudo mais complicado, mas como eu sei que minha mãe tem confiança em mim, talvez deixe eu ir à festa. 

Novamente, Alasca não desceu para almoçar, pelo que a Governanta contou, ela apenas pegou o prato dela e foi comer no quarto. Suspirei, mas não me importei, ela que fique engolindo o ódio perpétuo por mim, não vou deixar minha felicidade de lado por causa dela. Então, quando acabei de comer, esperei minha mãe ajudar na louça dos pratos e a ajudei.

- Quer me contar algo filha? - perguntou ela, ajudá-la na louça havia virado um sinal que queria falar algo com ela.

- Sim mãe, mas quero que me responda com sinceridade. - pedi.

- É sobre o Adam? 

- Mais ou menos, ele me convidou pra uma festa do primo dele e eu queria sua permissão para ir, porque sabe, eu não sei se vai ter gente da escola lá, mas pelo que eu vi, só eu fui chamada.

- Não sei se é seguro pra você ir se não conhece ninguém.

- Mas como ele tem uma boa índole, talvez a família dele me receba bem. 

- Sim, isso eu concordo, mas ele vai estar com a família dele, será que não pode haver um descontrole? Por exemplo, ele ver o primo dele começar a beber e aí querer ir junto?

- E se eu chamar um táxi, uber ou o próprio John para me buscar? - a olhei.

- Mas então terá que voltar cedo pra casa, nada de ficar até quase de madrugada lá. - pediu ela me olhando.

- É o que eu pretendo mãe.

- Então tudo bem filha, eu te dou permissão para ir. 

- Obrigada mãe. - sorri e dei um beijo em sua bochecha.

- De nada filha, quando vai ser a festa? - sorriu ela.

- Na semana que vem.

- Então vamos mais tarde hoje no shopping para escolher seu vestido.

- Claro, vai ser ótimo.

Sorrimos e logo subi para o meu quarto, liguei a tv e mandei mensagem para Adam avisando que iria a festa.

"Que bom que vai meu amor, assim te apresento para minha família e garanto que eles vão adorar você"

Sorri e o respondi.

"Vou adorar conhecer eles, mas agora preciso ir, vou no shopping comprar meu vestido ok? Beijo"

"Ok minha pequena, beijos"

Sorri com o pequena e em poucos minutos, minha mãe apareceu na porta para que fôssemos ao shopping, como a governanta deixou, fomos juntas até lá. Quando chegamos no shopping fomos até uma loja de roupas que minha mãe adorava comprar, era a favorita dela. Entramos e olhamos os vestidos. Tinhas muitos vestidos lindos e eu estava em dúvida.

-Filha, vamos fazer aquele esquema, leva alguns pro provador e experimenta, o que você mais gostar a gente leva. - sugeriu minha mãe e eu assenti. Peguei uns três vestidos e fui até o provador. O primeiro era todo preto, curto e apertadinho. Ao me olhar no espelho fiquei contente com o que vi, me senti bonita, mas meus seios estavam um pouco maiores que o normal e eu não queria causar má impressão. Vai que eles pensam que sou aquele tipo de garota exibida que adora vestir roupas decotadas e justas pra se mostrar? Saí do provador e olhei minha mãe.

-Esse ficou lindo filha. - sorriu ela me olhando.

-É, mas ainda não me decidi. - sorri e voltei ao provador.

O outro vestido era preto florido acinturado, a saia dele ia até um pouco acima dos meus joelhos e também achei que ficou legal, pois não marcava tanto meus seios. Saí do provador e minha mãe fez uma cara de mais ou menos e eu concordei com ela, não era lá um vestido tão lindo assim. Então peguei o último, que era vermelho com uma listra roxa de cada lado, apertado e justo também igual ao primeiro, porém, ele não era decotado e não apertava meus seios, de modo que me sentia confortável, não tão exibida para ele. Quando saí, minha mãe sorriu largo, de modo que eu também sorri, ela sabia o meu gosto por vestidos e então, decidimos levar aquele mesmo, pagamos ele e tomamos um sorvete no McDonald's.

Quando chegamos, guardei o vestido dentro de uma caixa e coloquei debaixo da minha cama, para ninguém ver. Sorri e deitei-me na cama para assistir televisão sozinha.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...