História Roommate - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Jin, Jinsuga, Protectseokjin, Seokjin, Sugajin, Yoongi, Yoonjin
Exibições 1.723
Palavras 4.810
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Love is the air!!!

Bom capítulo ♥

Capítulo 18 - Tulipas


Fanfic / Fanfiction Roommate - Capítulo 18 - Tulipas

Yoongi POV

- Isso! Tulipas brancas e pode colocar junto com elas algumas tulipas roxas. – Falava no telefone enquanto Namjoon sorria, me observando. – Certo. Obrigado. Até breve. 

- Você realmente está empenhado nisso, hein? Cuidando dos arranjos de flores que vão ter para enfeitar a passagem dos noivos, cuidando de partes decorativas das mesas. Min Yoongi, você é uma caixinha de surpresas. – Namjoon riu bem humorado, enquanto eu apoiava o celular na mesa e voltava o foco para o caderno diante de mim.

- Ah, eu to me dedicando. – Ri e respirei fundo, tamborilando a caneta que estava em minhas mãos no caderno - Eu e Jin estamos fazendo tudo juntos. Sabe, será algo bem pequeno, só nós, vocês, alguns amigos mais próximos e o irmão e a cunhada do Jin. Mesmo que seja apenas algo simbólico, já que o casamento gay não é permitido aqui, eu queria fazer uma cerimônia e eu quero que seja inesquecível.

- E será! – Namjoon apoiou a mão em meu ombro. – É bonito ver como vocês mudaram um ao outro e de uma forma boa, jamais imaginei você assim tão romântico. Você sempre teve um lado doce que tentava esconder de todos nós, embora falhasse maravilhosamente nisso. – Rimos e reparei na covinha que se formava no rosto de meu amigo sempre que fazia uma expressão feliz. – Vocês se completam, Yoongi. Quero que sejam muito felizes! E pode ter certeza que eu e os membros vamos até os Estados Unidos visitar vocês sempre que possível.

Eu sorri, verdadeiramente feliz por poder contar com o carinho e apoio do meu amigo de longa data. Agradeci a ele pelo apoio e logo voltamos o foco até o caderno, estávamos fazendo uma revisão da lista de alimentos e bebidas que teriam na festa, conferindo se tudo do pedido que havia sido feito para o buffet estava correto, batendo de acordo com o que eu e Jin planejamos previamente.

Depois de algumas horas com Namjoon me ajudando e papeando comigo, ele foi embora para o seu apartamento e eu me senti um pouco solitário sem Jin em casa, mas sabia que ele estava ocupado.

Seokjin tinha saído de manhã com o maknae, ele iria até o sítio onde nos casaríamos para verificar o espaço, a dica tinha sido de seu irmão que passou o contato da empresa que alugava esses lugares para eventos, festas e etc. Além disso, ele iria passar na loja de ternos para conferir como estava o andamento das coisas. Jungkook desenhou nossos ternos e Jin ficou apaixonado com os modelos, eu iria casar de terno branco e Jin de terno rosa. Dentro do bolso superior do terno teríamos pétalas de tulipa azul enfeitando. Jin havia lido uma vez que tulipas simbolizavam o amor, mas o tipo de amor que é recíproco, não é um amor exagerado ou desproporcional onde um se doa mais do que o outro, simboliza o amor em sua forma pura, corações que se encontram e se completam sem nada faltar ou sobrar. Por isso, os arranjos, os enfeites do casamento desde nossas roupas até o ambiente, teriam tulipas diversas, cada cor com seu significado, mas todas remetendo ao amor. A escolha da tulipa azul em nossos ternos foi decidida por ambos, já que significa confiança e lealdade. Seria perfeita para simbolizar a nossa união.

Chequei o telefone um pouco ansioso, pois havia mandado fazia horas uma mensagem para Jin e o mesmo não respondeu, telefonei algumas vezes e também não obtive retorno. Eu estava inquieto, mas sabia que ele estava bem. Me sentei no sofá da sala e decidi me distrair com algum programa de variedade. Acabei dormindo.

Acordei horas depois com o som de uma risada inconfundível e o barulho da porta se fechando. Cocei os olhos.

- Oi amor! – Jin estava animado, colocou no chão uma sacola grande que havia trazido consigo e tirou seu grosso casaco de frio, pendurando no cabideiro de parede próximo a porta.

- Oi! – Sorri, feliz em vê-lo. – Por que não retornou minhas mensagens ou me ligou de volta?

- Ai minha nossa! Me desculpa! – Sua expressão antes leve, estava em pura surpresa e arrependimento. – Eu me distraí com as coisas e acabei nem me lembrando de checar o celular.

Jin se sentou do meu lado, segurando minhas mãos como se quisesse indicar que estava falando a verdade, embora, eu não tivesse motivos para me chatear com ele.

- Está tudo bem, anjo. – Passei a mão em seu rosto. Eu amava tocar na sua pele macia. – Eu apenas fiquei preocupado, mas eu sabia que você estava bem. E então, como foi hoje?

- Foi maravilhoso. Eu me diverti tanto com o Jungkook. Nós visitamos o sítio e o espaço está bem cuidado, é lindo! – Os olhos dele brilhavam. – O lago é no mesmo estilo do sítio que meu irmão casou só que é maior. E tem vários barquinhos que a gente pode usar para curtir o lago, só não esquecer de colocar o colete salva vidas. – Riu com sua observação, onde parecia se lembrar de instruções que a pessoa que lhe apresentou o espaço lhe dera. – O jardim é florido, a parte interna é enorme e bem decorada, podemos ficar lá quando a noite cair, porque nessa época do ano está mais frio. Depois, eu fui com o Jungkook na loja dos ternos e eles estão ficando lindos! Claro, que o seu eu não vi, mas o Jungkook viu e estava empolgado. Aliás, falei que você vai amanhã com ele lá, você precisa ver o seu terno e dizer se está gostando. E então, deixei Jungkook em casa e fui na loja de bolos provar alguns sabores e eu trouxe amostra de alguns que gostei para você experimentar porque eu acho...

- Ei, calma! – Segurei seus braços, rindo. – Você começou a ficar muito afobado, eu não estou entendendo mais nada.

- Desculpe. – Abaixou o olhar, envergonhado, e eu não conseguia resistir a ele quando fazia isso.

- Ah, meu amor! Vem cá! – O puxei para mim, fazendo com que minhas costas caíssem no sofá e ele caísse em cima de mim. Envolvi Jin em um abraço apertado. – Eu te amo.

- Eu também te amo, Yoon. – Sorriu.

- O quanto você me ama? – O olhei e fiz bico.

- Muito, muito, muito. – Falou afinando a voz.

- Muito quanto? – Sorri bobo com a nossa brincadeira infantil.

- Mais que o universo. – Jin falou e apontou seu dedo indicador para cima.

- Mais que o universo? – Fingi surpresa.

- Sim, sim. Mais que o infinito. – Jin arregalou os olhos e abriu as mãos, exibindo todos os seus dedos, como se com o gesto pudesse indicar o que falou.

Nós rimos feito dois idiotas com a nossa brincadeira e eu puxei para um beijo apaixonado. Eu o amava com todo o meu coração e queria ficar para sempre com ele, essa era a única certeza que eu tinha.

Jin suspirou entre nosso beijo e quando o quebrou, apoiou sua cabeça em meu colo. Comecei a fazer carinho em seus cabelos, imerso em lembranças de nós dois.

- Quer ir para o quarto? Você está cansado. – Falei, compreensivo.

- Não, ainda são oito horas da noite, muito cedo para dormir e eu nem fiz o jantar. To com fome. – Falou me olhando e no mesmo instante sua barriga emitiu um som indicando isso.

- Descansa. Eu cuido do jantar hoje. – Beijei sua testa e o empurrei delicadamente de cima de mim para que eu pudesse ir até a cozinha.

- Tem certeza? Não quer ajuda? – Sentou-se no sofá.

- Não precisa, amor. Vai para o quarto deitar, eu te levo o jantar na cama. Prometo não colocar muito sal na comida. – Me virei e vi a sacola grande no chão. Era da casa de bolos. – Vou guardar isso para experimentar os sabores que você trouxe depois.

Disse simplesmente e segui para cozinha, ouvindo passos que indicavam que Jin estava rumando para o quarto. Comecei a preparar tudo com rapidez, queria fazer algo simples para que o jantar não demorasse para sair. Coloquei o novo álbum do BTS para tocar enquanto cuidava disso, eu estava verdadeiramente orgulhoso dos meus amigos por manterem a qualidade do trabalho que havíamos desempenhado juntos por tanto tempo.

Depois de tudo pronto, peguei uma bandeja e organizei cada coisa com o máximo de cuidado, da mesma forma que Jin sempre fazia para mim. Porém, ao chegar no quarto, vi Jin todo encolhido na cama e suando frio. Ele estava tendo um pesadelo. Coloquei a bandeja no chão, perto do criado mudo que havia ao lado de nossa cama e sustentava nosso abajur que estava aceso, em seguida, me deitei na cama, puxando Jin para os meus braços e sussurrando um “eu te amo” em seu ouvido junto com outras palavras de carinho. Os espasmos do corpo de Jin pararam e sua respiração se acalmou, esperei até que seus batimentos ficassem ritmados e não descompassados, assim, sabia que poderia acordá-lo da melhor maneira possível. Sussurrei seu nome enquanto fazia carinho em seu cabelo.

- Hum... Yoonnie? – Gemeu de olho fechado.

- Sou eu amor. Eu te trouxe o jantar.

- Eu tive pesadelo com aquilo de novo, mas, de repente a cena horrível sumiu. Foi você, não foi? O que faz para me acalmar desse jeito mesmo que eu esteja dormindo? – Abriu o olho para me observar.

- Eu te abraço, digo que te amo, que vou estar com você pra sempre e que nunca, nunca, nunca, nunca, irei te abandonar. – Falei firme, como uma promessa e de fato era.

- Oh, Yoon! – Sorriu e me abraçou. – Eu sempre fico com medo, sempre acho que isso vai acontecer de novo e...

Senti suas lágrimas molharem a minha camiseta. Por mais, que Seokjin tivesse ido ao psicólogo e feito tratamento, a gente sabia que iria demorar muito tempo até que ele não tivesse mais pesadelos constantes com aquilo. Jin já havia tido uma grande melhora e os pesadelos eram cada vez menos constantes, o que me deixava feliz, pois sabia que estava fazendo a coisa certa o ajudando a superar o ocorrido no exército.

- Não chore meu amor. Não chore. – Limpei suas lágrimas. – Concentre seus pensamentos em nós dois, em nosso casamento que está próximo, certo?

- Certo. – Fungou, parando de chorar.

- Me prometa. – Ergui meu dedo mindinho.

- Eu prometo. – Jin sorriu e entrelaçou seu dedo mindinho no meu selando nossa promessa.

Me levantei da cama e peguei a bandeja, voltando para a mesma em seguida.

- Vamos comer! E eu vou dar na sua boca. – Falei já pegando um punhado de comida e levando na direção dos lábios do mais velho.

*****

 

Jin e eu estávamos de hanbok, ajoelhados em uma das salas enquanto Joong Min e Whee Young jogavam as castanhas em nós, para desejar uma boa união e prosperidade. Os outros membros do BTS também estavam presentes nessa parte da cerimônia, que deveria ser executada pelas famílias de ambos, então, eles eram a nossa família e apenas olhavam a cena sorrindo, felizes por nós.

Seokjin estava lindo. Eu sempre fiquei bobo com a beleza de meu noivo, mesmo antes de termos um relacionamento de casal eu sempre o achei surreal de tão bonito. Mas naquele dia, ele estava radiante, lindo de uma forma diferente, de uma forma que eu nunca tinha visto até então. O impacto era tanto que eu tinha certeza que apenas um sorriso dele naquele dia seria capaz de causar a paz mundial.

Seguimos com o resto da cerimônia tradicional e terminamos ela selando a nossa união em um selinho. Não tive muito tempo para dizer o quão lindo ele estava, pois Whee Young e seu irmão o arrastou para longe de mim. Era hora da cerimônia normal e precisávamos nos trocar.

*****

 

- E se o Jin desistir? – Falei para Namjoon e Hoseok, enquanto andava de um lado para o outro aflito.

- Yoongi. Vocês já se casaram na parte tradicional, acha mesmo que o Jin iria desistir agora? – Hoseok questionou. – Se ele quisesse desistir já teria fugido de você logo no primeiro beijo.

Ele riu, zombando de mim. É um filho da puta. Peguei a primeira coisa que eu vi diante de mim, que era um lápis de olho e joguei com força na direção dele.

- Crianças, sem violência. – Brincou Namjoon.

Me virei na direção do espelho para arrumar minha gravata. Eu estava me sentindo muito confortável naquela roupa, o terno era muito bonito, Jungkook realmente desenhava maravilhosamente bem e os detalhes da peça foram sugeridos por Namjoon.

- Está na hora. – Namjoon falou.

- E se ele me deixar no altar? – Falei alto, suando frio, tremendo de ansiedade com esse momento.

- Aí a gente tira no “pedra, papel e tesoura” para ver quem casa com você. – Hoseok falou e lhe dei um peteleco certeiro na testa.

- Idiota. – Ri.

Depois de todo o percurso até a área externa, eu ouvi a música a tocar e eu entrei acompanhado de Hoseok, observando os poucos convidados que ali haviam, mas todos com um sorriso enorme no rosto, felizes por mim e por Jin. Me senti completamente abençoado por tê-los e me bateu uma súbita vontade chorar, mas eu segurei firme. Porém, após alguns minutos de espera parado inquieto no altar - achando que Jin teria desistido de mim por mais que todos me dissessem a cada 2 minutos que era normal essa demora - eu ouvi a marcha nupcial tocar e vi Jin passar pelos enfeites de árvores artificiais e flores que haviam sido feitos, formando uma espécie de parede que impedia que eu visse o que estava além dali.

Senti os meus olhos lacrimejarem à medida em que Jin caminhava lentamente em minha direção, com os braços dados com seu irmão mais velho e usando aquele terno rosa que ficara perfeito nele. Jin sorriu abertamente e meu coração se encheu de alegria. Seus olhos tão lacrimados quanto os meus, refletiam o misto de sentimentos que estávamos sentindo.

Por ser o mais inteligente da nossa roda de amigos, pedimos que Namjoon comandasse a cerimônia e assim ele o fez, sem muito enrolar, dizendo algumas palavras bonitas e lendo para nós um texto que escreveu especialmente para a ocasião, o que causou algumas lágrimas em todos os presentes.

- Min Yoongi. Você aceita Kim Seokjin como seu legítimo esposo? Para amar e respeitar, na riqueza e na pobreza, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, até que a morte os separe?

- Sim. Eu aceito. – Falei emocionado.

- Kim Seokjin. Você aceita Min Yoongi como seu legítimo esposo? Para amar e respeitar, na riqueza e na pobreza, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, até que a morte os separe?

- Sim. Eu aceito. – Sorriu para mim e uma lágrima solitária escorreu de seu rosto, lágrima essa, que eu limpei com meu dedão.

- As alianças. – Namjoon falou e Jungkook veio juntamente com Hoseok nos trazer.

Jin havia escolhido como seus padrinhos de casamento seu irmão e sua cunhada, Ken e Jungkook. Eu escolhi Jimin e Taehyung, Namjoon e Hoseok. Porém, como havia certos papéis que deveriam ser cumpridos, Namjoon foi o responsável pela cerimônia, Jungkook e Hoseok cumpriram o papel de “damas de honra”, ou no caso, “cavalheiros de honra”.

Ambos fizeram uma reverência e se ajoelharam um degrau abaixo de nós. Jin pegou uma das alianças primeiro e começou a colocar em meu dedo devagar.

- Com essa aliança... eu selo a nossa união e prometo te fazer feliz... prometo aprender mais sobre os campeonatos de basquete para não te fazer pergunta idiota no meio das partidas... – Todos riram. – E prometo estar do seu lado incondicionalmente... para todo o sempre. Eu te amo. – Jin voltou a chorar e logo eu estava do mesmo jeito.

Respirei fundo e peguei a aliança que faltava na pequena almofada branca de cetim que Jungkook e Hoseok seguravam com uma mão de cada lado do pequeno objeto macio. Repeti o gesto que Jin havia feito anteriormente, colocando o anel em seu dedo lentamente.

- Com essa aliança... eu selo a nossa união, o nosso amor... prometo ser menos chato e ser mais compreensivo... – Falei e arranquei risos de todos. – E prometo te fazer o homem mais feliz desse mundo... para todo o sempre. Eu te amo muito, Jinnie.

Jungkook e Hoseok soltaram um grito de empolgação e jogaram a almofada para o alto se levantando animados.

- Eles se caram! Eles se casaram! – Hoseok começou a fazer uma dança esquisita.

- Hoseok ainda não acabou! Falta o beijo! – Ken gritou enquanto segurava nas mãos de Hani, essa que havia se tornado namorada dele meses depois de nossa conversa no estúdio dois anos antes.

Hoseok ficou vermelho de vergonha e saiu dali sendo puxado por Jungkook que zoava com seu hyung. Olhei para Jin rindo de tudo aquilo e segurei suas mãos.

- Eu os declaro marido e esposo. Acho que você pode beijar o noivo. – Namjoon declarou.

Me aproximei de Jin ainda rindo e ele não estava diferente de mim, ficamos nos encarando hesitantes. Era muita gente olhando, a vergonha nos dominava e não sabíamos quem deveria dar o primeiro passo, quem deveria tomar as rédeas da situação.

- AH, PELO AMOR DE DEUS! PARA DE FRESCURA E BEIJA LOGO!

Taehyung gritou, nos deixando vermelhos, e isso foi o estopim para que todos começassem a entoar os gritos de “Beija! Beija! Beija”. Querendo acabar com a situação constrangedora, agarrei Jin sem avisar e o joguei de lado em meus braços lhe dando um beijo. O mundo inteiro ao nosso redor sumiu naquele momento. Não havia vergonha, não havia nada que pudesse fazer com que outra coisa fosse melhor do que estarmos um junto do outro nos amando. Jin apoiou suas mãos em meu rosto para quebrar o beijo e logo ouvimos os aplausos e gritos de empolgação dos nossos amigos.

- Será que posso gritar agora? – Perguntou Hoseok para os membros do VIXX.

- Sim, Hoseok. Vai em frente. – Hyuk incentivou.

- ELES SE CASARAM! ELES SE CASARAM! – Hoseok gritou fazendo uma dança exagerada enquanto éramos surpreendidos com Jimin, Taehyung e Jungkook jogando confetes e pétalas de rosa para cima.

- VAMOS A FESTA! – Jin gritou empolgado e me puxou pela mão, indo em direção a outra parte do jardim. Todos os convidados nos seguiram.

Horas mais tarde após diversas fotos tiradas, muita dança e bebida, estávamos todos sentados na grama e de frente para o lago, conversando animados.

- Ele estava achando que você ia abandoná-lo no altar. – Hoseok me entregava.

- Verdade! – Jimin comentou. – Quando fui na sala onde ele estava se arrumando, o Suga hyung estava mega nervoso.

- Achei que ele fosse ter um ataque cardíaco. – Namjoon comentou.

- AH QUE FOFO! – Jin, que estava com seus braços enlaçados nos meus, apertou minha bochecha.

- YAH! Vamos parando com isso. Por que só falam de mim? Aposto que o Jin estava nervoso também.

- Nervoso? – Jungkook gargalhou. – Jin hyung estava em um mar de calmaria, era a personificação da meditação.

- Estava mesmo. Me surpreendi em ver como o hyung estava tranquilo. – Taehyung falou bebendo mais um gole de sua vodca.

Lancei um olhar acusatório para Jin, em choque por ouvir o quão calmo meu marido estava no dia de nosso casamento.

- Como você pod...

- É brincadeira! – Ken exclamou, me cortando e fazendo todo mundo rir. – Se Jin pudesse engravidar tinha parido um filho hoje.

Todos começaram a rir e eu dei um tapinha no braço de Jin, fingindo indignação por estarem zoando com a minha cara, algo que eles fizeram o dia todo.

- Isso! Fiquem me zoando, o de vocês tá guardado. – Ameacei, brincando e bebendo um pouco do drink que estava no copo de Jin.  

*****

 

Após toda a diversão que tivemos ao longo da tarde, quando a noite chegou todos foram, aos poucos, se despedindo. Logo, me vi sozinho com Jin no grande casarão do sítio.

No dia seguinte, as empresas contratadas iriam desmontar as estruturas e buscar as coisas já que não quisemos garçons e nem gente na cozinha, tudo que foi trazido de comida e bebida pelos buffets foram organizados, preparados e servidos por nós, cada um fazendo um pouco e ajudando, porque queríamos o máximo de privacidade.

- Agora somos só você e eu. – Beijei Jin com certa urgência até que o mesmo me pegou no colo e me levou até o quarto que escolhemos para ser nosso.

Jin me deitou na cama e colocou seu corpo sobre o meu, beijando meu pescoço e dizendo o quanto me amava. Suspirei com seus beijos e logo tomei o controle da situação.

- Hoje, eu sou o ativo. – Falei e mordi meu lábio para provocá-lo. Jin apenas sorriu e me puxou para um beijo ainda mais feroz que o anterior.

Tiramos os sapatos e Seokjin se sentou comigo em seu colo, tirando meu terno. Eu comecei a rebolar por cima de sua calça sentindo a sua ereção. Sorri com isso. O empurrei de volta no colchão e abaixei as suas calças, fui direto em seu pênis chupá-lo.

- A-ah Yoonnie! – Gemeu manhoso e enfiou os dedos em meu cabelo, os puxando.

Quando percebi que ele estava quase lá, eu parei, sorrindo maldosamente enquanto ouvia seus protestos.

- Mal nos casamos e você já tá fazendo isso comigo? – Fez bico.

- Calma, amor. Temos a noite toda. – Dei um selinho nele e tirei seu terno e minha calça.

Me ajoelhei na cama enquanto observei Seokjin engatinhar lentamente na minha direção, até que sua boca envolveu minha glande e logo ele estava se mexendo freneticamente ali, envolvendo todo o meu pênis com sua boca molhada e gostosa. Senti uma de suas mãos apertar meus mamilos e dei um urro de prazer. Quando o tesão se elevou ainda mais, afastei Jin de mim, me deitando sob seu corpo, fazendo com que nossos membros eretos se tocassem, envolvi ambos com a minha mão direita e apoiei a mão esquerda no colchão, começando a me movimentar sentindo um pênis roçar no outro enquanto ambos estavam sentindo o aperto de minha mão.

- Ah, como eu te amo, Yoongi! Eu te amo! Eu te... ah! – Jin gemia de olhos fechados e suas mãos arranhavam minhas costas.

- Hum... Ah, Jinnie! Isso é tão bom! – Gemia quase ronronando enquanto aumentava ainda mais o atrito de nossos corpos. – Está gostoso amor?

- Sim... está, está muito gostoso! Não... ah!... Não para! – Me pediu, agarrando-se em meu pescoço.

- Ah! – Gemia em seu ouvido. – Você é maravilhoso, eu te amo!

Mantive o ritmo de minhas investidas e senti o líquido de Jin saindo entre minha mão e molhando nossos corpos, mas isso não me parou, eu continuei até que a última gota saísse. Seokjin me beijou com urgência e eu passei meus dedos por sua entrada ainda não lubrificada, sem penetrá-lo. Cuspi em um de meus dedos e passei na região apenas para estimular a área. Me levantei rapidamente da cama e peguei lubrificante e lenço umedecido. Passei o lubrificante em sua entrada e o senti se arrepiar com o líquido gelado. Tornei a beijar seus lábios enquanto estimulava a sua entrada enfiando um dedo e tempo depois, o segundo. Jin dava leves gemidos e eu me afastei dele por um tempo para enfiar os dedos com a máxima profundidade e puxá-los para fora, repetindo o processo. Algumas secreções saíram em meus dedos e em seu anus, peguei o lenço umedecido e limpei tudo, aproveitando também para limpar seu gozo de sua barriga e da minha.

Depois que terminei de prepara-lo, passei lubrificante em sua entrada novamente e por toda a extensão de meu pênis. Jin envolveu suas pernas em minhas costas e eu passei a penetrá-lo, ansioso por aquele momento.

A sensação de fazer amor com alguém que a gente ama é a melhor coisa do mundo e ali, naquele quarto, após ter selado nossos corações em uma união significativa, o movimento de nossos corpos em perfeita sintonia entre quatro paredes era a forma de selar fisicamente aquele sentimento único.

Cessei os movimentos pedindo para que Jin ficasse por cima, ele logo trocou comigo e se sentou em mim, se mexendo lentamente, mordendo os lábios e jogando a cabeça para trás, indicando o prazer que sentia. Segurei sua cintura apenas para sustentar seu corpo, deixando que Seokjin ditasse o ritmo, que aumentou aos poucos, até seu corpo estar se movendo em um sobe e desce acelerado. Em alguns momentos, sentia Jin contrair seu anus, apertando ainda mais meu membro dentro de si, o que fazia eu perder a cabeça.

- Porra! Isso é muito bom! Ah! – Joguei minha cabeça para trás enquanto o som de nossos corpos se chocando e os gemidos altos de Seokjin me deixavam ainda mais sedento por seu corpo.

Jin estava no ápice do tesão quando abriu seus olhos e eles lacrimejavam de prazer. Ele pegou minha mão em um ato desesperado, colocando sob seu coração.

- Sente como ele tá acelerado. Olha o que você faz comigo. Ah! – Falou Jin ainda se movendo.

- Então, sente isso. – Puxei sua mão até meu coração também. – Eles batem no mesmo ritmo, amor. Ah! Pra sempre.

- Ah, Yoon! – Gemeu alto e eu comecei a sentir espasmos em meu corpo. Parei seus movimentos e o fiz deitar, ficando por cima novamente.

Abracei o corpo de Jin enquanto o penetrava rápido e beijava seus lábios. Nada mais fazia sentido. O ritmo foi ficando cada vez mais intenso, ao ponto de a cama ranger e os gemidos se tornarem gritos de prazer.

- AH! YOONGI ME FAZ SEU, ME FAZ SEU PRA SEMPRE! NÃO PARA! EU... AH! PUTA QUE PARIU! – Jin puxava meus cabelos e apertava minhas costas com força, às vezes mordia meu pescoço, deixando marcas na minha pele que eu sabia que demorariam muito para sumir.

- EU TE AMO, JIN! AH! CARALHO! COMO VOCÊ É GOSTOSO, SEOKJIN! – Eu gemia e me contorcia da mesma forma que Jin, ambos tomados por um prazer arrebatador.

Não demorou para que eu preenchesse Jin com meu líquido e nem que ele gozasse pela segunda vez. Deixei meu corpo descansar sobre o seu, exausto.

Quando as respirações ficaram um pouco mais controladas, Jin se mexeu um pouco e eu saí de cima de si, rolando meu corpo para ficar do seu lado. O encarei.

- Será que a gente pode dormir assim mesmo? Eu me recuso a sair dessa cama. – Pedi manhoso. Jin apenas sorriu e meu deu um selinho.

- Também não quero sair. Vou apenas limpar esse gozo com o lenço umedecido. – Riu, tímido.

Jin pegou alguns lenços e passou em mim, limpando meu pênis e minha barriga. Em seguida, também limpou seu pênis, barriga e sua entrada. Deixando os lenços sujos no chão, ao lado da cama.

- Como você pode ser tão gostoso, lindo, inteligente, cheiroso e maravilhoso? – O elogiei enquanto ele se deitava na cama puxando os lençóis para nos cobrir.

- Eu não sei. Eu nasci assim, sabe? – Riu.

- Idiota. Gostoso, lindo, inteligente, cheiroso e maravilhoso, mas... idiota.

Jin me deu um tapa no ombro, fingindo indignação.

- Ninguém é perfeito.

- Eu sou. – Brinquei, o puxando para perto de mim. – Sou perfeito para você e você é perfeito para mim.

- Com todos os defeitos e qualidades, nós nos completamos. – Jin entrelaçou seus dedos com os meus.

- O que você falou mais cedo, no barco, é verdade? Você quer isso? – Indaguei e seu rosto pareceu se iluminar ao se lembrar da tarde do casamento e um momento em que ficamos em um dos barquinhos no lago, curtindo a presença um do outro e conversando sobre o futuro.

- Sim, Yoongi. Eu falo sério. Nós podemos ter nos casado simbolicamente hoje, mas, quando formos para os Estados Unidos para morar juntos e oficializar o casamento no papel, eu quero adotar seu nome de família. – Disse olhando firme em meus olhos.

- Jinnie...

- Eu quero Yoongi, apesar de todos os problemas que ocorreram, eu tive uma família unida por muito tempo, eu senti esse gosto por anos até nosso laço ser rompido. Com você foi diferente, você não sentiu o gosto do que é ter uma família unida, Yoongi. Foi tudo difícil e quando as coisas melhoraram e suas escolhas foram aceitas por seus pais, nós acabamos nos envolvendo, eles souberam e você sabe... – Suspirou. – Eu quero fazer isso. Vamos juntos dar aos Min o verdadeiro significado de uma família. Eu, enquanto Kim, sei qual é a sensação. E eu, enquanto Min, quero fazer você sentir o que é isso também.

- Jin... – Falei com a voz embargada e ele me abraçou.

- Não chora. Eu te prometo que vamos ter uma família feliz. A nossa família. – Me beijou. – Eu te amo.


Notas Finais


E AÍ? COMO VOCÊS ESTÃO SE SENTINDO APÓS TODOS ESSES ACONTECIMENTOS???????
~caps lock porque sim~ SKASKAOPSKAOP' xD

Espero que tenham gostado!

Obrigada por todo o apoio e carinho ♥
Me encontre no Twitter: @protectseokjin


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...