História Rosario+Vampire - Exorcist Capu - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Rosario + Vampire
Personagens Akua Shuzen, Gyokuro Shuzen, Issa Shuzen, Kahlua Shuzen, Kokoa Shuzen, Moka Akashiya, Personagens Originais, Tsukune Aono
Tags Ação, Escolar, Monstros, Romance
Visualizações 6
Palavras 1.219
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Hentai, Magia, Romance e Novela, Shounen, Sobrenatural
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Capitulo mais rápido do que eu esperava, mas ta ai, façam bom proveito, esse mês ainda terá mais um cap ;)

Capítulo 11 - Mulher de cabelos roxos


                O sol estava fraco, acabara de amanhecer. Jogados na grama, Jason e Gina estavam desacordados, Apenas uma mulher de cabelos roxos estava ali entre os dois antes de o grupo chegar. Moka saiu em disparada para acudir o irmão, enquanto Gin e Tsukune prendiam Gina com algemas.

                - Em pensar que eu mesma ensinei a essa garota a lutar - Lamentou a mulher.

                - Você é a mulher de ontem – Moka pegou seu irmão no coloco e colocou sua cabeça apoiada em suas pernas.

                - Onde estão meus modos – Disse rindo - Me chamo Karen. Vou “cuidar” de vocês por enquanto.

                - Mais uma para me treinar? – Tsukune e Gin se aproximavam devagar talvez cautelosos de mais.

                -Não, não.  A ultima pessoa que eu treinei acabou algemada em uma árvore – Ela apontava para Gina – Serei diretora enquanto você não está pronto. Mas não ache que eu simplesmente deixarei você no cargo, querido Tsukune. Por enquanto vamos apenas levar meu pequeno Jay até o quarto dele.

                A caminhada não foi tão silenciosa quanto queriam Karen não parava de falar, contando historias de quando era exorcista e algumas coisas de quando Jason era bebe, era meio constrangedor, Moka agradecia por seu irmão estar apagado e não ouvir aquilo.

                - Coloque o na cama, o efeito do golpe da Gina vai passar logo e ele já vai acordar. Tsukune por favor, leve a Gina para o calabouço antes que ela acorde também.

                Tanto ele quanto Gin saíram do quarto deixando as duas sozinhas cuidando de Jason. Moka ficou quieta tentando entender a situação, observava Karen passando a mão nos grisalhos cabelos de seu filho, ela tinha o máximo cuidado ao tocar em Jason, ela o tratava como uma peça de porcelana de tão suave que o tocava.

                - Eu me arrependo de tanta coisa. - Suspirou. – Principalmente por ter te feito herdar essa maldição, me desculpe Jason.

                Moka ficou atordoada com a cena, quando a viu na floresta ele era imponente, durante o caminho até o quarto era extrovertida e animada, mas gora possuía um grande pesar em seu rosto, uma tristeza que a vampira não conseguia entender.

                - Maldição? – Ela sussurrou, mas o vazio do quarto fez Karen escutar perfeitamente.

                - O que ele chama de “Demon Hunter” é passado de geração em geração. Aposto que ele falou algumas mentiras sobre isso.

                - Jason disse que era a “vertente” mais fraca e que não possuíam muitos dados sobre o poder dele.

                - Clássico! Eu que mandei falar isso, mas acho que você é tão confiável quanto sua mãe foi, Moka Akashiya. – Pausa – Na verdade algumas coisas são verdade, mas que ele é o mais fraco? Que possui poucos dados sobre? Ele é o usuário de “Demon Hunter” que eu já vi, ele exorcizou seu primeiro Yokai com apenas 10 anos. Ele literalmente transformou-o em humano.

                - Logo estranhei, se ele é tão fraco não deveria usar HolyLock.

                - Temos muito a conversar, por enquanto esse papo fica entre a gente, ele já está acordando. – Ela piscou para Moka.

                Jason levantou atordoado, sua cabeça doía por causa do ataque de Gina, ao abrir os olhos teve uma surpresa fazia anos que não via sua mãe. Ele pulou da cama a abraçando e ambos cairão no chão, Jason abraçava mais e mais forte.

                - Certo, certo. Pode me soltar, querido.

                - Não! Eu não vou te perder de novo!.

                Moka ria descontrolada era uma cena hilária para ela ver o tão sério e carrancudo Irmão tendo esse pequeno momento de carinho. Era uma face de Jason que a vampira não estava acostumada.

                - Jason, solta ela – Moka se levantou e tocou em seu ombro, sua mão foi repelida rapidamente, ela sentiu queimar, Jason havia liberado uma grande quantidade de sua aura. – Ei!

                - Me desculpe. – Se levantou e finalmente soltou sua mãe. – Eu só estava... Com saudades.

                A porta de seu quarto quase caiu, fora a vez de Kurumu e Mizore pularem em cima dele o chamando de idiota e afins, Kurumu chegou a chorar preocupada com Jason, ele apenas a afagou passando  a mão em sua cabeça.

                                               ***

                Tsukune junto a Issa-san e Gin levaram Gina até o calabouço, era escuro e úmido, até o momento apenas Eriku estava lá, mas logo teria companhia. Olhando pelas grades ele viu o corpo de Gina sendo levado e jogado em uma cela distante da dele. Depois, voltaram os três e o puxaram pelo colarinho da camisa e o levaram até a floresta e o amarraram em uma arvore.

                - O que vão fazer? Me bater? – Eriku estava nervoso.

                - Faremos um breve interrogatório, uma pergunta e uma resposta. Onde está seu chefe? – Issa tomou a frente.

                - Samon-sama nunca para em um lugar. Boa sorte procurando.

                Tsukune se abaixou, seus olhos estavam vermelhos, uma energia negra saia de seu corpo. Eriku ficou assustado, Tsukune colocou sua mão próxima a garganta dele ela estava mais afiada que aço.

                - Dois ataques seguidos quase mataram meus amigos e ainda se recusa a falar. Eu vou começar a não ter piedade -  Sua mão formou um punho e acertou o rosto de Eriku fazendo sangue jorrar de seu nariz e alguns dentes quebrarem, Tsukune estava irado – Fale logo!

                Issa e Gin apenas observavam, Issa estava orgulho enquanto o lobisomem tarado surpreso e com uma ponta de medo.

                - Samon-sama sempre fala para onde vai, mas só se ele souber que estamos bem. Como eu fracassei ele não vai falar nada. -  Soltou uma gargalhada – Morte ou não pra mim não faz diferença, vocês não vão descobrir nada!.

                Como um flash de luz Issa Shuzen destruiu a arvore onde Eriku estava preso, levando junto sua cabeça e sujando a mão de sangue. Ver o corpo falecido fez Tsukune recuar.

                - Ele era uma perda de tempo. Acho que não vão se importar com um “ninguém” morto. – Issa limpava a mão com um pano de seu bolso.

                Uma chama intensa saiu do morto, começou a se juntar até formar uma ave gigante que rodeou o lugar, depois foi se tornando uma ave menor e menor até ter o tamanho normal, era diferente dos Youkai que conhecia, ela tinha poderes quase divinos ao ver deles.

                - Vejo que meu contrato foi expirado – A ave usava telepatia – Devo encontrar outro que possa utilizar meus poderes.

                Gin se aproximou da fênix, se abaixou até a onde o ser estava, mordeu o dedo até sair sangue e deu para a ave beber.

                - Seu sangue é bom, mas não serve. Sua perversão corrompe minha pureza. Nenhum de vocês me serve. Todos aqui não me servem. São youkais , preciso de humanos!

                A ave começou a se desfazer e se tornar chamas, essas chamas foram voando e parou no bolso de Tsukune, o mesmo bolso que guardava o antigo rosário de Moka.

                - Bem, acho que é melhor manter esse bicho preso ai no selo. – Gin estancava o sangue da mão.

                O dia acabou rápido e turbulento, aconteceram tantas coisas durante a manhã que nem prestaram atenção nas aulas, as provas finais estavam próximas e decidiria muita coisa, o treinamento de Tsukune também chegava ao final, no momento ele nem dava tanta atenção em se tornar o novo diretor da escola, sua cabeça agora estava concentrada em Samon, o homem que queria seus poderes.

 

                 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...