História Rosas brancas (Hiato) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Exibições 25
Palavras 1.160
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Festa, Hentai, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Espero que gostem... ❤❤❤

Capítulo 3 - Será?


Fanfic / Fanfiction Rosas brancas (Hiato) - Capítulo 3 - Será?

POV's Armina Baltazar

Faz uma semana que estamos nessa cidade, nada de diferente aconteceu depois do verdade ou desafio, as coisas ocorreram normalmente, apesar de ter perguntas que não querem sair da minha cabeça. Desde que eu conheci o Armin, nós meio que nos tornamos melhores amigos, e desde lá eu me pergunto como? Eu que tanto dizia que um homem não chegava a ser categoricamente possível a comparação com uma mulher?
Hoje vou sair pra jogar com ele, e as meninas vão vir junto do Alexy pra me ajudar a escolher uma roupa, apesar de que eu acho isso tudo super exagerado, eu estou indo jogar com meu melhor amigo,cara não é pra tanto.
Até que uma hora eles estavam discutindo se era melhor se era pra mim ou com uma calça moletom ou uma saia florida. Eu fiquei irritada e gritei:
- Parem com isso, cara ele é só meu melhor amigo nada demais, e eu amei a saia com aquela blusa branca ( foto de capa do capítulo). - falei pegando a roupa e saindo para me vestir.
Depois de me vestir, fui esperar Armin no parque, chegando no lugar marcado, o Armin me esperava lá, sentado com seu PSP, vou fazer uma surpresa. Cheguei bem silenciosa e tapei seus olhos com minhas mãos e perguntei:
- Adivinha quem é?- perguntei olhando seus cabelos e rindo.
- Não sei há várias possibilidades, vamos ver, Armina??- perguntou fingindo estar duvidoso.
- Acertou- retirei minha mão de seus olhos o abraçando e rindo.
- Vamos lá pra asa jogar?- perguntou guardando seu PSP.
- Claro. - falei saindo de trás do banco.
Fomos o caminho inteiro rindo das suas palhaçadas, que eram tão bobas mas tão fofas.
Chagando em sua casa, largou seu PSP e ligou a TV e me perguntou:
- Que jogo quer jogar?? - perguntou me olhando.
- Mortal Kombat - falei sorrindo.
- Você vai perder- falou em um tom desafiador .
- Quer apostar que eu ganho?  - perguntei devolvendo o tom.
-  Claro se eu ganhar, você vai realizar qualquer coisa que eu quiser e se tu ganhar..- deixou a frase inacabada esperando pela minha resposta.
- Você me paga um sorvete, fechado? - falei estendo a mão para ele apertar.
- Então tá- falou apertando minha mão e me puxando para um abraço e dizendo- espera pra ver o meu desafio - disse desafiador, so que dessa vez eu senti uma ponta de malícia e senti um arrepio passar pelo meu corpo.
Nos jogamos três duelos, e ele ganhou dois. Então ele venceu a aposta.
- O que quer que eu faça? - perguntei derrotada, me recostando no sofá.
- Um beijo, só isso - falou sorrindo
- Mas, p-porque você quer isso??- porque eu gaguejei??
- É só um beijo e so tudo bem?? - perguntou se aproximando.
Eu dei um longo suspiro, me levantei e me aproximei selando nossos lábios, era pra ser um selinho, porém ele colocou uma de sua mão em minha cintura me puxando para sentar em seu colo e outra em meus cabelos aprofundando o beijo. Quando o ar se fez necessário, nos separamos e ele disse:
- Desculpe, fui longe demais. - falou ofegante.
- Não se preocupe, mais uma partida?- perguntei tentando acalma-lo. Era visível seu nervosismo em meio ao jogo é tenho certeza que comigo era a mesma situação.
-Armin eu vou ter que ir pra casa - falei olhando as horas.
- Não tem como tu ficar mais um pouco?-perguntou fazendo carinha de cachorrinho sem dono.
- Eu não posso está tarde- falei com um tom de desapontamento e depois da careta que ele fez eu comecei a rir e ele também.
- Tchau- falei dando um beijo estalado em sua bochecha e saindo.
Só ouvi ele sussurrar um tchau. Sai e fui para meu lugar da paz onde haviam rosas amarelas.
Dei um suspiro pesado ao me perguntar algo e não obter resposta.
" Será que eu estou me apaixonando pelo Armin?" Essa pergunta não sai da minha cabeça. Minha mãe dizia que o destino prega peças nas pessoas pra elas, ou poderem cair na real sobre sua tese, ou defendê-la com unhas e dentes, e isso vai de você.
Em toda minha vida, o destino me enganou da maneira mais chula possível, tirou as pessoas que mais amava pelas mãos da que mais confiava.

Flashback on

Estávamos na sala de cinema, tendo mais uma das noites do filme, quando entrou Federico, nosso mordomo, dizendo que havia pessoas esperando na sala de reuniões. Meu pai foi ver quem era, minha mãe estava apreensiva, e eu na época era ingênua o suficiente para acreditar que era só negócios, até que ouvimos um estrondo, onde minha mãe e eu nos levantamos e fomos até lá onde encontramos meu namorado, que hoje em dia é ex, com uma arma na mão e o meu pai no chão.
Ele disse para mim:
- Se lembra de quando eu falei que eu mataria por você, eu na verdade queria dizer mataria pelo SEU dinheiro - falou rindo e apontando a arma pra minha mãe, naquela hora eu gritei até minha garganta doer, e só vi quando ele estava sendo preso e o Federico me levando para meu quarto.
Depois de um mês no meu quarto chorando, soube que ele havia sido condenado a morte.

Flashback off

Minha vida amorosa nunca foi das melhores, porque meu único "namorado" queria o dinheiro dos meus pais e ainda por cima os matou cruelmente em busca de vingança por algo que eu não sei.
Eu não posso me apaixonar, eu prometi a mim mesma e não vou descumprir.
Sinto falta dos meus pais. Me levantei, limpando uma lágrima e indo para casa. Chegando lá encontrei Federico sentado no sofá com RomRom em cima do seu colo. Ri com a cena e subi para meu quarto fechei a porta e sorri ao lembrar do beijo.
Fiz minha higiene noturna e fui dormir.
(…)
Acordei com alguém pulando em cima de mim, e quando abri os meus olhos e vi o Alexy e a Rosa.
Me sentei e enxerguei todos la.
Fiquei tentando entender até lembrar que hoje era meu aniversário. PUTA QUE PARIU É MEU ANIVERSÁRIO. Abri um sorriso Colgate e dei um abraço no Alexy tão apertado que ele gritou por ajuda e eu ri.
- Não me mata eu ainda quero ir ao seu casamento com o Armin - falou e eu ri
- Nos seus sonhos - falei dando um abraço na Rosa.
- Mas todo mundo já percebeu que tu está apaixonada pelo meu irmão. - falou como se fosse óbvio.
- Eu nunca mais vou me apaixonar, entendendo isso já é um grande presente de aniversário - falei e eles tiram.
Depois disso a Rosa começou a falar tudo que faríamos hoje junto com Alexia, e eu já percebi que hoje o dia vai ser longo.


Notas Finais


Beijos... ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...