História "Rosas para Helena" - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Drama, Poesias
Visualizações 5
Palavras 680
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Poesias, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Desculpe os erros
Boa leitura

Capítulo 2 - Eterna madrugada


"E o Sol se põe novamente! Dando um colorido diferente ao céu. E eu assisto a tudo com calma"
Lembrava Helena pela décima vez do dia em que foi à praia com Dilan. Helena lembrara perfeitamente do dia, como se fosse ontem, mas isso era ruim, pois ela queria esquecê-lo de qualquer maneira. Ela precisava de algo para preencher o vazio que Dilan deixou em seu coração.

2:30 da manhã, cigarro quase no final e o sono tomando conta da mesma.
Helena olhava com os olhos pesados de um pós choro para o céu e apreciava as estrelas nunca percebidas por ela.
-Que lindo!-falou baixo.
-É lindo mesmo né?!
De repente ela se assusta com uma voz desconhecida.
-Você me assustou!-falou se sentando e sentindo sua cabeça doer muito com o ato.
-Me desculpe! Sou Todd...prazer!
-Helena!-estava prestes a colocar o cigarro na boca, mas percebeu que o mesmo tinha caído no chão.
-O que faz aqui à essa hora?-perguntou o tal garoto chamado Todd.
-Você também está acordado.
-Eu sempre estou acordado. Eu venho aqui toda noite para pensar.
-Já eu...terminei um namoro.-jogou sua cabeça para trás.
-Vir aqui e fumar faz parte do luto?
-Aí, porque quer saber? Porque se importa?
-Só fiz uma pergunta. 
Ficaram em silêncio pois suas bocas não sabiam o que dizer.
-Sei que não é da minha conta, mas quando vocês terminaram?
-Será que dá pra sair do meu pé? Para de querer se meter na vida dos outros!
Helena cometeu um erro por ter sido tão rude e por ter perdido o início de uma amizade.
Ou mais que isso.
*•*•*•*
Eram por volta das 4:00 horas da manhã quando Helena entrava em casa sorrateiramente para não acordar sua mãe.
Andava na ponta dos pés até a cozinha para pegar um copo d'água e um pote de biscoitos.
Por sua incrível habilidade de se mover lentamente e com paciência o suficiente, ela conseguiu não acordar sua mãe que dormia na sala, dando a entender que ela pegou no sono durante seu programa favorito.
Subiu as escadas, encontrou com o corredor do andar de cima iluminado pela luz da televisão ligada no quarto do padrasto que manteve a porta aberta mas os olhos não.
Foi até seu quarto e fechou a porta devagar.
Só aí se sentiu em casa! Estava 'livre' para fazer suas coisas.
Deu um único gole no copo d'água e pegou o pote com os biscoitos, sentou-se na cama e cobriu seu corpo até o pescoço. 
Estava frio e ela adorava isso.
Adorava sentir o frio em suas pernas e guerrear consigo mesma, testando por quanto tempo ela consegue aguentar o frio.
Mas também adorava se sentir quentinha sabendo que fora daquele cobertor estava tudo frio.
Olhou pela janela e viu as estrelas brilhando novamente. 
Não sabe explicar o porquê, mas lhe veio a lembrança vaga do menino que conhecera horas atrás.
"Todd" pensava ela.
Repetindo o nome do mesmo mentalmente.
Garoto de cabelos longos e loiros, o suficiente para ser chamado de 'gótico'.Uma mistura do estilo hipster, indie e rockeiro. Olhos tão negros quanto o céu às duas da manhã.
Sua pele arrepiou de uma maneira que lhe fez suspirar.
Seu coração começou a bombear mais sangue naquele momento, ou seja, estava batendo mais rápido.
Assistiu a um show de fadas dançarinas que não estavam ali realmente.

Estava drogada?

Seria sono?

Seria...

��
Sintomas da droga 'amor':
Muitos dos sintomas físicos são os mesmos: aumento da energia, aumento da freqüência cardíaca e pressão arterial (especialmente quando você vê a pessoa), e incapacidade de dormir ou comer.
��
O pote de biscoito foi inútil. 
Não estava com fome nem sono.
Ficou acordada olhando suas redes sociais e apagando as fotos antigas com Dilan.
Fez tudo friamente e não deixou nenhuma lágrima descer pelos seus olhos desta vez.
Nem sentiu vontade de chorar.
Estava com a cabeça preenchida por outra coisa...
Sim, ela ainda pensava no garoto misterioso que havia encontrado na rua.
"Será que o verei de novo?"
 Mal sabia ela que a resposta para essa pergunta estava com ela.


Notas Finais


O capítulo infelizmente está pequeno porque eu não tive tempo de atualizar.
Olha a hora que eu tô atualizando.
Desculpa a demora do segundo cap,vou tentar ser mais rápida!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...