História Rose School - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fallen
Tags Escolar, Romance, Yaoi
Exibições 10
Palavras 1.009
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Escolar, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi pessoas :3 Desculpem pela pequena demora para postar o próximo capítulo hehe '^^

Capítulo 3 - Finalmente


Quando a porta se fechou, Gabriel passou as mãos sobre os cabelos e os puxou levemente, segurando um riso bobo que lhe subia pela garganta, o que havia quase acontecido em poucos minutos atrás ficou marcado em sua cabeça, seu coração ainda batia forte e ele havia passado a alimentar uma imensa vontade de sentir aqueles lábios colados aos seus de uma vez.
Passos foram ouvidos da escada, ele levantou seu olhar até o local e encontrou o irmão, um sorriso maldoso brincando no canto de sua boca, de imediato, o sangue de Gabriel ferveu e seu coração se apertou, Leonardo tinha visto tudo?
-Ora, ora, ora... -ele se aproximou do irmão, colocando as mãos para trás e tomando uma expressão inocente- Parece que o papai e mamãe não vão gostar nenhum pouco de saber o que acabou de acontecer
-Cale a boca -Gabriel rosna, cerrando os punhos- Cuida da sua vida, Leonardo
-Calma -ele ergue os braços em rendimento- Seu segredo vai ficar seguro comigo, irmãozinho
-Eu não creio nas suas palavras -o moreno soltou uma gargalhada sarcástica, dando as costas para o mais novo e sentiu seu braço sendo puxado-
-Acredite -ele sussurra- Eu não vou querer ver meu irmãozinho sofrendo -ele contorna os lábios de Gabriel com as pontas dos dedos, encarando fixamente os olhos do irmão com segundas intenções, um sorriso malicioso lhe brotou nos lábios e ele se afastou-
Gabriel solta um suspiro pesado, relaxando os ombros, agora sua mente se ocupava com dois fatos que haviam acabado de acontecer, ele nunca seria capaz de entender o que Leonardo realmente queria.
{...}
No dia seguinte, Patrick encontrou o loiro revirando seu armário um tanto impaciente, quando o mesmo sentiu a presença do mais alto, pareceu se acalmar e abriu um sorriso doce.
-Algum problema? -Patrick pergunta, inclinando a cabeça para o lado para ver o que Leonardo fazia-
-N-Não, nenhum... Eu só... Estou procurando o meu livro -ele engole em seco, voltando sua atenção ao que fazia-
-Livro de quê? -o mais alto cruza os braços e morde o canto dos lábios, aquilo fez as pernas de Leonardo bambear-
-Geografia -sua voz falhou um pouco, então Patrick tirou a mochila das costas, a revirando por alguns segundos e então estendeu o livro para o garoto com um sorriso torto-
-Podemos sentar juntos na aula se quiser
-Claro -o sorriso do loiro aumentou, ele sentia seu coração batendo forte, mas tinha alguma coisa errada-
O sinal tocou, ambos se olharam e Patrick revirou os olhos, o que arrancou uma risada do mais baixo, então eles seguiram para a sala de aula em silêncio. Fábio ainda não tinha chegado, o que fez Gabriel começar a ficar preocupado, talvez ele tenha ficado constrangido com tudo que aconteceu ontem, o moreno abaixou seu olhar e logo sentiu uma presença ao seu lado, o mais baixo abriu um sorriso fraco e Gabriel corou de forma violenta, começando a rir um pouco nervoso.
Leonardo os observava sem ao menos perceber, fuzilando o irmão com os olhos, de imediato, Gabriel sentiu que estava sendo observado e dirigiu seu olhar automaticamente para o garoto, que por sua vez desviou, fingindo prestar atenção na aula que se iniciava. O mais velho revirou os olhos e apertou o punho que estava sobre a mesa, Fábio colocou sua mão sobre a dele e o mesmo relaxou, ambos ficaram se olhando por alguns segundos, como na noite passada, então novamente os sorrisos abobalhados tomaram seus lábios, nenhuma palavra foi dita, mas seus olhares já eram capazes de dizer tudo.
{...}
A aula infelizmente havia passado depressa, Gabriel acompanhava Fábio até sua casa, um hábito que ele tinha adquirido, pois ele não morava tão longe de sua casa, ele observava o parceiro chutando uma pedrinha pela calçada e um nó se formou em sua garganta.
-Fábio... -ele praticamente sussurra, até mesmo sua voz estava vacilando- Eu preciso te contar uma coisa
-Eu também preciso te contar uma coisa -o pequeno passa a língua pelos lábios secos e cora, olhando para o chão-
-Você vai me achar maluco se eu te dizer isso -Gabriel procurou as mãos do amigo um pouco nervoso, mas por fim entrelaçou seus dedos e abriu um sorriso-
-Não precisa me dizer mais nada -Fábio fala baixo, andando para trás devagar, agarrando a maçaneta e empurrando a porta para abrir- Seus olhos já me dizem isso
-Não é cedo demais? -Gabriel chutou a porta e agarrou a cintura do mais novo, juntando suas testas, novamente aquelas mesmas sensações, as respirações desta vez pareciam mais ofegantes-
-Se você acredita no que sente, nunca é cedo demais
Aquilo havia sido o suficiente, os olhos transbordavam desejo, os braços curtos de Fábio se enrolaram no pescoço de Gabriel e o moreno finalmente tomou a iniciativa. O corpo de ambos levaram um choque, os lábios se tocaram e um misto de sentimentos começaram a brotar, Fábio enterrou as mãos entre os cabelos do parceiro e os puxou, se entregando totalmente ao beijo, as línguas agora travavam uma batalha sem vencedor, explorando cada pedaço com atenção e querendo que aquele momento nunca tivesse fim. O beijo era apaixonado, mas tinha um toque selvagem e urgente, como se estivessem necessitados daquilo há muito tempo. Tudo se cessou com selinhos demorados, Fábio deposita uma mordida leve no lábio inferior de Gabriel e eles começam a rir, as bochechas do mais novo estavam mais vermelhas que uma pimenta, como se todo sangue de seu corpo tivesse subido somente para aquela região, o moreno deixa um beijo na testa do parceiro e eles se abraçam por alguns minutos, ainda não acreditavam no que havia acabado de acontecer.
-Então... -Gabriel coloca as mãos nos bolsos da calça e limpa a garganta- Até amanhã, baixinho
-Até -Fábio solta uma risada, observando o garoto até sumir de sua visão-
O que tinha sido aquilo? Havia sido a melhor coisa que seu corpo pôde sentir, ele nunca beijou alguém do mesmo sexo que o seu, aquilo era proibido, mas Fábio havia passado a gostar de coisas proibidas.


Notas Finais


Espero que tenham gostado ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...