História Roteiro Feira Cultural - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Conquista da Honra
Visualizações 3
Palavras 1.205
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Drama (Tragédia)
Avisos: Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Roteiro


Em meados de 1888, era um dia extremamente quente, escravos trabalhavam na plantação de cana-de-açúcar, suas roupas eram totalmente esfarrapadas, Buiú era um desses escravos, ele via seu amigo quase desmaiando por carregar sacas pesadas de cana-de-açúcar nas costas em um calor infernal, o capataz esbravejante gritava e chicoteava 

- Trabalha! você não está aqui para fazer corpo mole! 

O escravo então tentava se levantar mais não conseguia, pois estava muito fraco, ele falava com pouco fôlego 

- Não consigo

Buiú, ao ver seu amigo naquele estado, tenta ajudar

O capataz avisa Buiu

- Não se mete, se não vai sobrar para você! 

Buiu era obrigado a continuar seu trabalho enquanto o capataz chicoteava ainda mais o escravo

 - Levanta seu negro fedido! 

Ao ver que o escravo ja não estava em condições, o capataz chega perto do ouvido do escravo e fala

- O Mestre não vai gostar nada do seu desenvolvimento no trabalho

E leva o escravo para o grande senhor das terras, o SR Xavier Miranda, o mesmo pensava que o escravo estava fazendo corpo mole e ordena o capataz

- Manda ele para o tortura

O capataz obedece

- Sim senhor

Chegando em casa Xavier se depara com sua filha sofia discutindo com sua mãe 

- Eu não vou me casar com o (fulano)

a mãe tenta a convencer 

- Mas, minha filha ele é o homem ideal para uma mulher da sua classe, ele é Branco rico e a família dele possui grandes posses de terras, é um bom negócio 

Sofia então rebate

- Mas eu não gosto dele! 

Xavier se mete na conversa e grita com a sua filha

- CHEGA! Você vai se casar com ele por bem ou por mal, nós somos seus pais, nós sabemos o q é melhor pra você! Fim de papo!  Já basta esses pretos preguiçosos me dando problemas! 

Mais tarde na sala de instrumentos de torturas, Buiú invade o local para resgatar o seu amigo

- Calma eu vou te tirar daí 

O escravo agonizante de dor fala pra Buiu

- Me tira daqui! 

O capataz de Xavier pega no flagra e o chama

- Senhor! 

Xavier vai correndo até lá para saber oque é, Sofia o segue, ao chegar la Xavier fica indignado

- Mas oque é isso? Faça esse negro nojento aprender a andar na linha! 

Buiu começa a levar varias chibatadas, Sofia fica abismada ao ver Buiu apanhando e implora para o seu pai 

- Pai, manda ele parar! 

Xavier retruca

- Sofia sai daqui, esse lugar não é pra você 

Ela continua insistindo para ele parar, mas Xavier não sede

- Ele merece apanhar para entrar nos eixos

Sofia continua insistindo, até que o seu pai sede

- CHEGA! É o suficiente, esse neguinho ja aprendeu a lição. 

Mais tarde, no silêncio da noite, Sofia caminha escondido até o local onde Buiu foi largado, levando algumas ervas medicinais, Buiu se assusta ao ver a filha do senhor das terras se aproximar, ela diz

- Calma, eu vim aqui pra ajudar, eu posso ajudar a melhorar esses seus ferimentos. 

Buiu, mesmo com receio, aceita a ajuda de Sofia, ela comenta enquanto passa as ervas medicinais nas costas dele 

- Esses ferimentos estão muito feios

Ele permanece receoso e calado 

Um tempo depois ele pergunta

- porquê está me ajudando? 

ela responde

- Não concordo com as atitudes do meu pai, aliás, de todos ia senhores de terras

ele responde

- Você é a primeira pessoa branca que eu vejo pensar assim. 

No dia seguinte, Sofia tomava café com sua mãe, ela pergunta para sua mãe 

- Mãe, você já pensou alguma vez no porquê que os negros são escravizados? 

a mãe responde

- Por que é assim que a sociedade funciona, precisamos de alguém para mão-de-obra, essa é a ordem natural das coisas. 

Sofia responde 

- Mas você já sabe que a lei de independência dos escravos pode ser ser aprovada né? 

a mãe inconformada diz

- Deus me livre! Se essa lei for aprovada, toda a ordem de economia será devastada, tudo se tornará uma bagunça. 

Mais tarde, alguns escravos estavam preparando um ritual de candomblé, cautelosamente para que nenhum dos servos de Xavier descubra, Sofia vai até as senzalas para entregar comidas para Buiu, mas ela chega no meio do ritual dos escravos, os escravos se afastam assustados pensando que ela contará para o seu pai, Sofia os acalma

- Não precisam ficar com medo, eu não sou como o meu pai, olha, eu trouxe comidas. 

Os escravos logo se animam ao ver o monte de comida que ela trouxe. Sofia se encontra com Buiu

- Está melhor? 

Buiu responde

- Ainda dói, mas vou sobreviver. 

Sofia pergunta

- Como vocês conseguem ficar animados mesmo passando por tudo que vocês passam? 

Buiu responde

- Recebemos a notícia sobre a lei Áurea, eles tem esperanças de que finalmente seremos livres. 

Sofia  responde

- Apesar de ser filha do dono dessas terras, eu estou feliz por vocês, eu admiro muito tudo que você passou Buiu

Buiu e Sofia se beijam, Xavier nota que sua filha não está em casa é manda seu capataz atrás de sua filha, depois de tanta procura o capataz descobre o ritual escondido dos escravos e vê Sofia e Buiu juntos, ele conta tudo para Xavier, que vai atrás dos dois, mas Buiu consegue fugir a tempo, depois de ser humilhado por todos ao descobrirem que sua filha se uniu a um ritual dos escravos, Xavier deixa Sofia de castigo severo, castiga todos os escravos presentes no ritual, e jura Buiu de morte. 

Dias depois Buiu continuava fugitivo e Sofia não sabia quando o veria de novo, era o dia a abolição da escravidão, Xavier estava se preparando para vigiar os escravos trabalharem, até que o seu capataz bate em sua porta e diz 

- Meu senhor, tem uma confusão no Palácio Imperial, acho que é sobre a abolição da escravidão. 

Xavier indignado responde

- Oque? Mas não pode ser

Xavier sai de casa com sua esposa, direto para o Palácio Imperial. O lugar estava cheio de gente esperando o resultado tanto escravos quanto senhores brancos, Xavier indignado pediu o deputado satisfação 

- Deputado, a princesa não pode assinar essa lei, a sociedade seria uma bagunça! 

O deputado responde

- Tudo será decidido na comissão, mas a liberdade dos escravos está acima de nossas ideologias políticas. 

Ao entrarem na sala, os parlamentares são recebidoss

- Senhores parlamentares, a princesa espera por vocês 

a princesa chega

- Boa tarde parlamentares

O deputado passa a lei para a princesa

- Aqui está a lei aprovada pelo parlamento 

A princesa assina

- Prorroguei nessa data um ato que meu avô Pedro I inventou juntamente com a proclamação da independência do Brasil, meu pai lutou durante anos para que isso fosse realidade, agora o Brasil pode se orgulhar, pois seus filhos são livres independente da cor

O deputado afirma 

- Senhores a lei Áurea é realidade 

Os escravos comemoram

Xavier fica revoltado com o resultado 

- Mas não pode ser

Dias depois, Buiu está livre e volta a encontrar Sofia, os dois sabem que mesmo com a abolição da escravidão, Xavier continuará a perseguir eles, por isso eles fogem. 

 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...