História Roubarei teu coração para mim - Capítulo 94


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai)
Personagens Arthur Pendragon, Ban, Diane, Elaine, Elizabeth Liones, Escanor, Gowther, Guila, Hauser, Hawk, Jericho, King, Meliodas, Merlin
Exibições 65
Palavras 909
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Hentai, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 94 - Sentença da Kath?


(...)
 Todos, vão até a masmorra do castelo, localizada no subsolo, embaixo do porão. Eles caminham lentamente, pelo corredor escuro e úmido, repleto de prisões, a onde estão todos os criminosos do reino. Elizabeth, segura uma vela na mão, para ajudá-los à enxergar.
 Eles param, em frente à uma das celas. Nesta cela, está uma criminosa querida, a Kath. Ela está acorrentada, nos punhos e nas canelas, presa na parede e olhando para o chão.
 Meliodas, dá algumas batidinhas, nas barras de ferro, que fecham a "jaula".
-Quem está, aí?-Kath pergunta, levantando a cabeça e olhando para a direção do som.
-Somos nós.-Gowther responde.-Viemos te avisar, que você foi setenciada à morte por enforcamento.
-E quando vão me matar?-ela pergunta.
-No dia do casamento da princesa.-Escanor responde.-Todos os súditos, estarão presentes na cerimônia. Assim, poderão te matar, sem que ninguém perceba.
-Elizabeth, eu não ia ser a madrinha do teu casamento? Por que, está agindo desta forma? Não somos, melhores amigas?
-Você é um monstro.-Elizabeth responde, friamente.-Eu não quero monstros, no dia do meu casamento.
 Kath começa à rir, de um jeito desesperado e tristonho, num tom de voz baixo.
-Sim. Eu sou um monstro. Mas, não faça eu me sentir como um. Isso, me magoa muito.
-E você, pensa que não nos magoou, quando tentou nos matar?!-Meliodas pergunta, nervoso.
-Não foi eu, que fiz isso!-Kath grita, tentando se mover, fazendo barulho com as correntes, que estão chacoalhando.-Meu pai, estava me controlando. O espírito dele, tinha tomado controle do meu corpo. Eu, nunca faria isso com vocês... Nunca, mesmo!
-Faria, sim. Pois, você é filha do Tempester.-Ban diz.
-Você acha, que eu gosto de ser filha dele?! Por causa disso, nunca tive uma vida normal; Fui adotada, por aqueles ingratos, que só pensam em mim como uma fonte de dinheiro; E todos os "amigos" que consigo, fogem de mim, como se eu fosse um vírus de uma doença mortal, sem cura!
-Você, é muito mais perigosa do que uma doença mortal. Porque, você, é capaz de tudo.-Merlin responde.
-Sim. Eu sou.-Kath responde.-Mas, pensem bem: se eu consigo fugir daqui, quando eu quiser, por quê resolvi ficar? Porque eu quero que vocês acreditem em mim... Ao menos, uma vez! Se eu morrer, vocês vão me perdoar e pensar em mim, como amiga de vocês?
-Você, não é mais nossa amiga.-Diane responde.-É uma assassina, que quase nos matou!
 Kathleen começa à chorar, sem fazer barulho. Suas lágrimas, caem como cachoeira.
-O que eu tenho que fazer, para vocês me perdoarem?! Eu não tenho culpa, de ter nascido com este sangue podre de dragão!
-Nós, não vamos te perdoar.-King responde.-Por tua culpa, o filho do Gowther e da Guila, morreu!
-Elizabeth, obrigada.-Kath diz, de um jeito tristonho.
-Por que está me agradecendo?-a princesa pergunta, confusa.
-Com tua autoridade real, poderia dar somente uma ordem, para me libertar. Mas, em vez disso, resolveu me deixar para morrer... Obrigada. Se eu morrer, talvez, toda esta minha dor, acabe.-Kath diz, sorrindo, enquanto suas lágrimas escorrem.-Não se preocupe. Não vou fugir. Vou ficar aqui, por você. Porque você, é minha melhor amiga. Mesmo, depois de tudo isso, ainda tenho muito carinho por ti.
-Eu não preciso, deste carinho imundo!-Elizabeth responde, aumentando o tom de voz.
 James, fecha a mão, com muita força. Como, se estivesse se segurando.
 Kath, desvia o olhar, lentamente, para o chão.
-Vamos embora, pessoal!-Elizabeth diz, começando à andar. Os outros, a seguem.
 James, fica parado, em frente à cela.
-Por que está parado, aí?-Kath pergunta.-Vai, logo, com eles!
 Assim que os outros saem da masmorra, James coloca as mãos nas barras de ferro e as empurra para os lados, fazendo um buraco grande. Ele, entra na cela.
-O que está fazendo?-ela pergunta, confusa e nervosa.
-Eu, vou te salvar.-ele responde, usando a ponta da garra como chave, para abrir as fechaduras das correntes.
-Mas, por quê? Se me libertar, eu poderei te matar, sem perceber.
-Então, faça isso.-James responde, tirando a segunda das quatro correntes.-Não vou perder, quem eu amo, pela segunda vez. Se quiser me matar, fique à vontade.
-Mas, você não perdeu tua esposa. Ela, ainda está viva.-Kath responde.
-Você, está enganada. O Jamy, mentiu.-ele responde.-Eu procurei, por todo o planeta, durante dez mil anos, pela minha esposa e meu filho. E só o que encontrei, foi o cadáver deles... Jamy, não é meu filho. Ele, é teu tio, e irmão do Tempester. Ele disse aquilo, para eu não desconfiar de nada.
-Desconfiar do quê, exatamente?
-De que ele, está interessado em ti.
James tira todas as correntes. Ele estende a mão para a Kath, e diz:
-Vamos, sair daqui.
-Não, posso. Prometi à Elizabeth, que eu ia ficar.
-Deixa de ser teimosa, e vem logo!-James diz, a pegando no colo e fugindo com ela.
*Mais tarde...
O pai da Elizabeth, junto com o melhor detetive do reino, vão até as masmorras. Pois, estão desconfiados, devido ao barulho, que veio da direção das prisões subterrâneas.
-Majestade-sama, Kath não fugiu. Ela, foi libertada.-o detetive explica.
-Como sabe disso?-o rei pergunta.
-Considerando o poder destrutivo da criminosa, se ela fugisse, não teria nem correntes para "contar história". Além disso, as fechaduras, foram abertas com muita facilidade. Seja lá, quem a libertou, deve possuir muita experiência no assunto.
*Algumas horas depois, em um canto qualquer do palácio...
-Pessoal, apareceram cartazes de procurados, novos.-Gowther diz, amostrando os cartazes para os outros.
-Eren e... Kath Tempester?! São o James e a Kath!-Diane diz, surpresa.
C.O.N.T.I.N.U.A.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...