História Roxane - O ser sobrenatural desconhecido - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Kitsune, Lobisomem, Matilha, Shoujo, Yaoi
Exibições 22
Palavras 549
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oi pessoal me desculpa pelo horário mas eu prometi um capítulo pra hoje então ta aí. Provavelmente eu poste mais ( eu digo bastante capítulos) capítulos nesse final de semana.
Espero que gostem, esse capítulo é mais sobre a história da Roxane.
Bjs

Capítulo 6 - Um passado distante


Fanfic / Fanfiction Roxane - O ser sobrenatural desconhecido - Capítulo 6 - Um passado distante

               ~Roxane 

Eu estava indo em direção ao portão , quando vi quatro seres brotados na frente da saída. - Quem são seus amigos, sorvete? - eu disse olhando para os três garotos juntos ao sorvete. 

- Podem ir para casa sem mim, vou ter uma conversa com a cinzas aqui. - Petter falou aos garotos, eles o olharam mas mesmo assim foram embora sem contestar. Eu já disse pra ele o meu nome e ele fica me chamando assim esse garoto está pedindo para apanhar. 

- Pra onde vamos? - eu perguntei , não é como se tivesse medo dele só estava curiosa como sempre. 

- Vamos a um restaurante aqui perto. - respondeu Petter. Eu caminhava em direção ao meu carro. - Aonde você vai? - Petter me perguntou, podia sentir a raiva em suas palavras, não tenho culpa que alfas tem raiva de quem os da as costas.  

- Vou pegar meu carro, não sou louca de deixar meu bebe aqui. - eu disse, continuando a andar, pude sentir que Petter não havia entendido nada, ele deve estar imaginando que eu tenho um filho, idiota, mas mesmo assim ele me seguiu. 

Já no restaurante, eu pedi uma macarronada e Petter pediu o de sempre, sei lá eu o que é esse de sempre.  

- Pode começar. - Petter falou me olhando e cruzando os braços. Nunca ficava preparada quando contava a alguém o meu passado por mais que eu confiasse a minha própria vidas as pessoas que conheciam minhas histórias.  

- Eu nasci em 1150. - Eu apenas falei isso e Petter já engasgou com o suco. - Apenas deixe eu contar tudo de uma vez. - Eu disse antes que Petter fizesse perguntas ou fugisse. - Em 1167 eu descobri que o meu "namorado" que naquele tempo era chamado de amante, a pessoa que você ama, era isso. - eu disse apontando para mim. - Eu o aceitei, mas acabei descobrindo eu ele matava pessoas inocentes. Fiquei semanas pensando o que eu faria se o perdoaria, apenas eu e ele sabíamos como ele poderia ser morto. Acabei descobrindo que o homem que eu amava não existia mais, apenas existia um monstro que fingia ser Hensony, então em 20 de dezembro de 1167 eu matei aquele monstro. Mas antes que ele morresse, Hensony me mordeu por isso sou assim. - eu disse. Não conseguia encarar Petter e apenas fiquei de cabeça baixa. 

                              ~Petter 

- Então você é igual a ele? - eu perguntei. Roxane levantou a cabeça pude ver algumas lagrimas que escoriam e seu rosto.  

- Eu nunca fui e nunca vou ser igual a ele, ele era um monstro, eu nunca me alimentei de humanos e quando matei alguém foi por pura defesa. - Roxane me respondeu limpando as lagrimas em sua bochecha. 

Eu sentia que podia acreditar em Roxane apesar de ter ficado um pouco por ela ser um ser que vivem mais de 700 anos e por já ter matato, mas algo me fez saber que ela não se sentia orgulhosa por ser o que é, e nem por ter matado aquelas pessoas. Eu senti que posso confiar em Roxane.O resto do almoço foi um silêncio infinito. Roxane fez questão de pagar a conta e depois fomos cada um para a sua casa. 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...