História Roxanne - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais
Tags Ação, Aventura, Cura, Harry Styles, Heróis, Hulk, Liam Payne, Louis Tomlinson, Mistério, Morte, Niall Horan, One Direction, Poderes, Porrada, Super Herois, Superpoderes, Treta
Visualizações 234
Palavras 2.092
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


◘ OE GENTE!
◘ 60 FAVORITOS AAAAAAAAAAAAAAAAAH! ESTOU EXTREMAMENTE FELIZ POR ISSO, VOCÊS NÃO TEM NOÇÃO, EU ATÉ CHOREI <3
◘ Quero agradecer quem ajudou na divul, vcs são fodas <3
◘ O capítulo de hj promete muitas duvidas, espero eu
◘ Ninguém é obrigado a comentar, mas sua opinião sempre será bem vinda por mim e sua mão não irá cair, sem contar que trará um sorrisão para a pessoinha de cá
◘ Espero que gostem <3

Capítulo 5 - Primeiro Surto.


Fanfic / Fanfiction Roxanne - Capítulo 5 - Primeiro Surto.

Senti um carinho em meu cabelo e despertei com a preguiça que foi embora num susto assim que avistei Hulk deitada ao meu lado.

– O que você está fazendo aqui? – Sentei na cama com pressa e puxei o lençol.

– Vim te trazer o café. – Ela sorriu e apontou para a bandeja atrás de si. – Eu fiz coisas gostosas pra te deixar forte. – Hulk sentou e forçou os braços, fingindo ter músculos. Gargalhei.

– Obrigado, mas não precisava deitar comigo. – Falei em um tom sério.

– Eu só queria te observar. – Sua voz é tão inocente que não dá pra ter raiva dessa coisa. – Eu vou me arrumar e iremos trabalhar. – Ela levantou e segurei sua mão.

– Me desculpe se fui rude, mas você me assustou. – A mesma me olhou.

– Rápido, o café vai esfriar. – Nossas mãos foram afastadas, ela saiu saltitando do quarto e foi aí que eu me toquei de que a mesma vestia minha blusa de frio favorita.

Paciência, Liam.

Puxei a bandeja e vi o que havia ali. Era uma pequena porção de frutas, xícara com café, finas fatias de pães doces e um potinho com sorvete de chocolate. Comi tudo que estava com um gosto maravilhoso e eu adoraria saber onde ela aprendeu fazer tais coisas. Deixei a bandeja na cama e fui para um rápido banho. O terminei e vesti meu "uniforme", logo, desci com a sujeira que sobrou do café e larguei na pia enquanto esperava Hulk.

Em menos de 10 minutos, ela apareceu com os óculos, rabo de cavalo e aquele terninho feminino, mas esse era branco e tinha um enorme decote e mostrava o que parecia ser uma tatuagem abaixo de seu seio direito. Fiquei a encarando por uns segundos e percebi a vergonha tomando conta de sua face. Fiz um sinal para a porta e saímos. Peguei o carro, entramos e dei a partida após nos assegurarmos.

Chegamos a empresa e dessa vez, mais pessoas olhavam para Hulk. Não sei o que é de verdade, mas aposto no decote. É a única resposta. Entrei na sala e eu queria dar meia volta ao avistar Drake sentado em minha cadeira.

– Bom dia, Payne. – Sorriu da forma mais falsa que conseguia.

– O que faz aqui, Drake? Achei que estaria brincando com as bolas de Fheder está manhã. – Coloquei minha maleta na mesa e ouvi a porta sendo fechada. Era Hulk.

– Como você é engraçado. – Ele riu debochado. – Quem é a garota? – Olhei Hulk que estava encostada na porta. – Uma nova prostituta? – O encarei e ele tinha a expressão perversa.

– Não vai me incomodar com essa história novamente. Nós sabemos que ela não era pra mim e você, por ser um invejoso, tomou proveito da situação. – Apoiei as mãos na tábua e ele girou na cadeira.

– Nós também sabemos que ela combina mais comigo do que com você. – Drake ergueu-se um pouco e tomou a mesma postura que eu. – Você nunca poderia sustentá-la da forma que eu faço. Liam, ambos têm ciência de que você não passa de um mero idiota. – O segurei pela gola do terno e aquele desgraçado não deixava de sorrir. – Até ela sabe disso, não é à toa que preferiu a mim.

– Escute aqui, você não irá me afetar com isso novamente. Você pode tentar cutucar a ferida, mas ela já foi cicatrizada e desapareceu.

– Se isso, realmente aconteceu, por que tem tanto ódio de mim? – Ele me olhou nos olhos e o soltei, fazendo seu corpo cair no assento. Drake riu alto e meu sangue ferveu. – Liam, você é tão patético. – O mesmo levantou e caminhou para a saída. – Tome cuidado, boneca, Liam não é o que pensa.

– Sai daqui. – A voz dela engrossou e virei, vendo Hulk com as mãos em volta do pescoço de Drake. – E nunca mais ouse voltar aonde não é bem-vindo. – Ela o levou até a porta e após abri-la com o pé, o jogou para fora e bateu a madeira.

Fiquei a encarando assustado enquanto Hulk respirava de forma pesada e alisava a porta, como se aquilo fosse acalmá-la. Andei devagar e passei a mão em seu braço esquerdo, fazendo sua cabeça virar para mim. Fiz um sinal para alertar que estava tudo calmo e bem e ela se esparramou em meus braços de forma carente. A enrolei neles e fiquei acariciado sua nuca que tinha poucos fios de cabelo solto. Em segundos, ela se livrou de mim e foi para o sofázinho, onde sentou e pegou o caderno que a dei, voltando a rabiscá-lo. Suspirei com indecisão, mas logo, fui de encontro aos papéis que clamavam por minha atenção.

(...)

Terminei de revisar todos os contratos e os levei para Fheder. Havia tantos erros e coisas que não faziam sentido para mim. Ele precisava consertar aquilo, ou a empresa se afundaria mais ainda. Cheguei a sala do mesmo e bati algumas vezes, até que minha entrada foi liberada. Adentrei ao local e sentei de frente para Piérre.

– Ora, ora... Vejo que tenho uma grande visita. – Piérre sorriu. – O que o trouxe aqui?

– Isso. – Joguei os papéis na mesa dele. – Você ficou maluco? – O olhei incrédulo.

– O que foi, Liam? – O mesmo revirou os olhos. – Novamente vai pisar em meus calos?

– Eu só quero saber se enlouqueceu!

– Eu não. Por que?

– Piérre, você está acabando com esta empresa!

– Oh, meu Deus, Liam... – Ele puxou a gaveta e tirou de lá uma garrafa e dois copos. – Você é tão preocupado. – O mesmo suspirou e abriu a garrafa, serviu os copos e estendeu um para mim. – Pegue, garoto.

– Tenho que ser já que o Senhor pirou. – Segurei o copo e cheirei o líquido.

– É uísque suíço, um dos melhores que já tomei. Beba, homem. – Fiquei olhando Fheder por curtos segundos e engoli uma pequena quantidade do tal uísque suíço.

– Piérre, pare de beber essa coisa e se importe com algo mais grave. Não vê que seu dinheiro está indo por água abaixo?

– Liam... – Ele balançou a cabeça sorrindo. – Você é tão descrente de tudo, mas peço que aguarde até encontrarmos o que tanto queremos.

– O que tanto sua imaginação maluca quer. – Deixei o copo na mesa. – Como pode confiar e acreditar tanto nessa farsa que está sendo apresentada a você por meio de Drake?

– Nós já conversamos sobre isso, Liam. Drake está fazendo o que você deveria, mas parece que sua atenção está focada na senhora que habita sua sala desde que chegou. – Fheder olhou para mim com malícia.

– Eu não o entendo.

– Ah, Liam, sejamos francos. Estou falando da morena que veio trabalhar com você ontem e hoje.

– Eu não tenho nada com ela. – Fui sincero.

– E por que a trouxe?

– Porque ela iria botar fogo em minha casa. Eu mal sei o nome dela.

– Sério? – Pareceu surpreso.

– É a mais pura verdade. Ela surgiu faminta numa noite e eu resolvi abriga-la. – Suspirei. – Não quer falar da situação da sua empresa? – O olhei e ele negou com a cabeça. – Okay, vou indo.

Levantei e sai antes de ouvi-lo dizer algo, eu estava cansado demais para cuspir palavras que não fariam a mínima diferença para ele. Retornei à minha sala e vi Hulk deitada no chão enquanto encarava o teto. Ela estava bem pensativa e eu resolvi não tirar sua concentração, seja lá o que estiver em sua mente. Sentei a cadeira e fiquei vendo meus e-mails, até meu celular vibrar. O peguei e vi que era uma mensagem de Harry, então, não demorei muito para abri.

 

"Hey sumido, como está? Espero que não tenha esquecido que hoje a noite é sua casa que nos receberá."

 

Estava surpreso olhando para a tela. Eu havia esquecido completamente dessa droga e precisava abastecer a minha casa. Chamei por Hulk e ela se levantou em um pulo que me surpreendeu por completo. Parecia uma ginasta. A mesma ficou me olhando e falei que iriamos no mercado, já estava na hora de sair do trabalho mesmo. Ela assentiu e desliguei o computador enquanto a via pegando minhas coisas.

Saímos da sala e fomos para o estacionamento atrás do meu carro. Adentramos a ele e seguimos nosso caminho até o mercado. Eu já tinha em mente o que comprar, mas pedi para Hulk anotar, sempre esqueço algo. Chegamos ao mesmo e pegamos as coisas sem muita pressa com a ajuda de um carrinho. Ela sempre lia tudo nos rótulos e brincava com alguns objetos. Após colocarmos tudo no interior do carrinho, pagamos, transferimos para o porta-malas e tomamos o rumo para casa.

(...)

Terminei o banho e me troquei, vestindo uma boxer preta e conjunto de moletom cinza. A noite está um pouco fria. Desci para a cozinha e vi Hulk ao fogão, ela estava fritando algumas batatas e fazendo coisas que eu não sei, mas o cheiro era bom. Até demais. Arrumei a mesa e ouvi a campainha tocando. Caminhei para a porta e a abri, avistando meus amigos. Normalmente, essa reunião que fazemos é para beber, jogar cartas e conversa fora, enfim, esvaziar a cabeça das vidas corridas que temos.

Seguimos para a cozinha e chamei Hulk, pois a mesma estava de costas. Ela virou-se toda sorridente e acenou feliz. Os apresentei e pelas expressões vinda do lado masculino da casa, eu quis escondê-la em algum lugar. Ela não merece tais pensamentos. A mesma contou que já havia terminado de preparar tudo enquanto levava certos recipientes até a mesa, a servindo com as coisas que fez para comer e cervejas. Assim que terminou, a mesma fez uma certa reverência e correu para o andar superior.

– Quem é a garota? – Louis indagou ao sentarmos.

– Nem eu sei. – Gargalhamos enquanto abrimos as garrafas de cerveja.

– Como coloca uma estranha em sua casa?

– Colocando, oras. – Revirei os olhos. – Sei lá, algo me disse para fazer isso.

– Tá chapado? – Harry fez um sinal para representar que meus neurônios não funcionavam bem.

– Não, idiota. – Tomei um gole da bebida. – Eu senti como se precisasse abrigá-la. Hulk necessita de uma ajuda, um carinho... Sem contar que ela é extremamente fofa e cozinha bem.

– Sobre isso, não nego. – Olhamos Niall que comia um bolinho salgado. – Isso está muito gostoso. Acertou em cheio, Liam.

– Não repita essa frase novamente. – Fiz uma cara de tédio.

– Já estava mais do que na hora de você superar. Liam, você é jovem e aquilo não foi o fim do mundo.

– Okay, eu sei. – Peguei o baralho que estava ao canto da mesa. – Vamos logo jogar, antes que eu desista.

Separei as cartas e começamos a jogar truco. A noite foi agravando-se junto a garrafas e berros de animação. Estávamos um pouco alterados e com isso, digo que é o suficiente para passar uma noite na prisão, então, decidimos deixar as cartas de lado e agora, conversávamos sobre assuntos aleatórios e escutávamos música.

Fazia tanto tempo que não me divertia com os meus amigos e com certeza, a culpa é do meu trabalho super estressante. Não sei mais o que é viver por conta dele, mas não posso abandona-lo agora que Fheder abriu essa porcaria dessa competição, mesmo tendo 99% de chances de Drake conseguir o cargo.

Senti minhas pálpebras pesando e olhei para os três caras jogados pela sala já no décimo sono. Levantei devagar contendo o riso que se misturou a um bocejo estranho e com passos lerdos junto ao auxílio da parede, caminhei sentido o quarto de Hulk. Por que? Não sei. Parei de frente para a porta e a abri com cautela, vendo a mesma toda encolhida na cama. Me aproximei sentindo a curiosidade de vê-la dominando minha mente e puxei uma cadeira de rodinhas, deixando bem pertinho dela e a observei por longos minutos.

Hulk mexeu-se um pouco e percebi que ela estava tendo um sonho ruim, pela forma como dizia palavras desconexas e debatia-se.

– Hey garota, tudo bem. – Alisei seu rosto e ela estava febril.

– Não! Não! Não! – Hulk berrava. – Me deixa em paz!

Hulk, relaxa. Sou eu, Liam. – Ela sentou a cama e segurou meus braços com força. Era muito maior do que a primeira vez em que nos vimos. – Hulk!

– Me deixa em paz! – Sua voz ficou tão grossa que eu fiz de tudo para não perder o controle.

– Eu só... – Ela abriu os olhos e eles tinham um brilho intenso e cegante. Hulk empurrou-me e voei em direção a parede com uma força que senti como se tivesse quebrado todos os ossos. Seus olhos fecharam-se e ela ficou um tempo me olhando, até que seu corpo pesou e a mesma foi ao chão.

Eu permaneci acordado por um tempo e de tanta dor que sentia, desmaiei.


Notas Finais


Espero mesmo que tenham gostado e caso isso ocorra, não deixe de dar sua opinião, ela é de extrema importância para mim.
Nos vemos no próximo, se cuidem!
XX. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...