História Royals - Capítulo 1


Escrita por: ~

Visualizações 83
Palavras 1.748
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Famí­lia, Musical (Songfic)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa pessoinhaxx!
E aqui to eu novamentchy com uma one-shot! \o/
Eu sempre quis escrever uma song fic, e finalmente eu criei coragem para escrever uma! Eu tava ouvindo um cover e tive essa ideia, espero que gostem! <3
É a minha primeira song fic, entonn, me perdoem se não ficou boa! <3
Me desculpem por qualquer errinho de ortografia ! <3

Capítulo 1 - Capítulo Único



Toda vez que Marinette ouvia a musica "Royals" da Lorde, ela lembrava de seus amigos mais próximos, Nino e Alya, junto com ela.


E isso não era ruim, era bom. A musica descrevia seu pequeno trio como nenhuma outra conseguia, e esse era um dos motivos em que estava nesse exato momento, subindo no palco do show de talentos improvisado junto com Nino e Alya, e um violão que emprestara de Nathanael.


No começo, só participariam para ser uma afronta contra Chloe, Lila e Sabrina, que sempre tentavam os humilhar por terem mais condições que eles, mas viram tudo isso mudar quando começaram a ensaiar. Começaram a sentir algo a mais pela musica, começaram a sentir gosto por cantar, e ainda além, eram com várias músicas que poderiam demonstrar seus sentimentos para os outros.


Marinette foi tirada de seus pensamentos assim que Alya a puxou para o palco. Sentiu seu coração disparar ao subir no mesmo. A primeira coisa que vira fora as 3 cadeiras postas para eles, logo em seguida, viu que a quadra estava lotada pelos alunos. Seu coração falhou uma batida ao ver o loiro que tanto mexia com ela, mas que estava mais para um "sonho impossível", pois o mesmo nunca andaria com pessoas como eles, em sua opinião. Muito menos namoraria alguém como ela.


Seu terceiro foco foi para as três meninas que estavam sentadas ali, Chloe de um lado de Adrien, e Lila do outro. Chloe riu secamente, e murmurou um "perdedores" para que só ela visse. Mari suspirou, mas logo fora puxada por Alya até as cadeiras.
Se sentaram, e logo Nino chegou com o violão, se sentando no meio. O diretor anunciou-os, e então tudo ficou em silêncio. Alya respirou fundo, e começou a cantar.


I've never seen a diamond in the flesh
I cut my teeth on wedding rings in the movies
And I'm not proud of my address, in the torn up town
No post code envy


Só o começo, já fazia com que eles se identificassem de cara.
Nenhum deles havia visto um diamante antes, diferente de muitos que estavam ali ouvindo, pois vários eram filhos de pessoas ricas que só estudavam ali pelo ensino público francês ser bom. Os pais deles eram simples, não viviam na miséria, mas não tinham dinheiro suficiente para terem jóias desse tipo. 


Não moravam em um bairro chique como outros, pelo contrário, moravam em um bairro mais afastado, que muitos "riquinhos" se recusavam em passar perto. Os pais de Mari possuíam uma pequena padaria em um bairro mais afastado do centro, a mãe de Alya trabalhava como chefe de cozinha no hotel dos pais de Chloe, e seu pai trabalhava no zoológico local. Já os pais de Nino trabalhavam em uma pequena empresa, sua mãe como secretária e seu pai com marketing. Tinham sorte que moravam perto, e infelizmente, por isso eram zombados por Chloe e sua gangue, muitas vezes sendo chamados de pobres e "favelados".


But every song's like gold teeth, Grey Goose, trippin' in the bathroom
Bloodstains, ball gowns, trashin' the hotel room
We don't care, we're driving Cadillacs in our dreams
But everybody's like Cristal, Maybach, diamonds on your timepiece
Jet planes, islands, tigers on a gold leash
We don't care, we aren't caught up in your love affair


Em seguida, a voz da azulada se juntou com a de Alya, fazendo com que muitos ficassem de queixo caído. A azulada não era muito de cantar, por ser tímida, por esse motivo quase ninguém sabia do talento que ela tinha escondido, a não ser os três e Nathanael. Sua voz era tão bonita, que atraiu até a atenção de um certo loiro.


Fechou os olhos enquanto cantava, lembrando dos momentos em que passara com os morenos e que tais partes se encaixariam neles.
Lembrava de como eles não ligavam para nada que Chloe dizia ao se exibir, pois tudo o que a loira tinha não era algo que eles sonhavam. Nunca sonharam com carros famosos, limousines ou jóias. Marinette até lembrara que o sonho de Nino era ter um Cadillac antigo, para que pudesse "dirigir com estilo" por ai, assim como seu avô.


And we'll never be royals
It don't run in our blood
That kind of lux just ain't for us
We crave a different kind of buzz


Chloe se achava por ser filha do prefeito parisiense, e se achava como se fosse alguém de alguma realeza, mas aquilo nunca os afetou
Nunca seriam da realeza.


Não nasceram para isso, preferiam ser humanos, que falham e que não precisavam ligar para aparência ou dinheiro. Claro que tinham seus momentos, mas se sentiam felizes por serem quem são, e não algum mesquinho chato.


O luxo não era algo que faziam-os delirar, claro que as vezes sentiam vontade de ter isso ou aquilo e até ficavam chateados por não poderem ter, mas nunca fora uma das coisas mais importantes para eles. Pelo contrário, preferiam outras coisas, como sair em conjunto para assistir algum filme novo no cinema, ou tomar sorvete na sorveteria do bairro do que ir fazer compras caras em Shopping sozinhos, ou com alguma amiga ou amigo interesseiro.


Let me be your ruler
You can call me queen bee
And baby I'll rule (I'll rule, I'll rule, I'll rule)
Let me live that fantasy


A cada semana que se passava, algum dos três era o "governante" do grupo, e decidira o que fariam no fim de semana, ou em algum dia depois da aula. E nunca deixavam isso passar em branco.


Seja um jogo de queimada com outros adolescentes do bairro onde moravam, seja uma noite do pijama na casa de um dos três, nunca passavam um fim de semana sem animação. Até mesmo quando tinham provas, estudavam juntos e faziam questão de um não deixar o outro na mão.


Alguns diziam que curtiam demais, outros diziam que eram apenas adolescentes aproveitando, mas novamente eles não ligavam. Cumpriam sempre suas obrigações, e se viam no direito de curtir, se divertir, serem felizes, viverem sua própria fantasia.


My friends and I, we've cracked the code
We count our dollars on the train to the party
And everyone who knows us knows
That we're fine with this
We didn't come from money


Alya parou de cantar um pouco, para que a voz de Mari se sobressaísse, a mesma estava tão perdida em suas memórias que nem percebeu.
Pensava em como era bom sair com eles, seus amigos. Mesmo todos sendo simples, eles viam que não precisavam de muito para poderem se divertir. Cada um levava sempre o que tinha, ou o que podia. Contavam no metrô, a caminho de alguma festa ou quermesse que iriam, parque de diversões ou coisa do tipo.


Não precisavam ir em festas caras, regadas a drogas e bebidas como muitos dali iam. Não precisavam sair com milhares de euros a fim de gastar tudo com meninas ou besteiras. Quem os conhecia de verdade sabia disso, e admiravam.


Desde pequenos, foram ensinados sobre o valor do dinheiro, e que poderiam muito bem se divertir sem exageros. Não vieram do dinheiro, e se orgulhavam disso, pois era esse um dos motivos de serem como eram.


But every song's like gold teeth, Grey Goose, trippin' in the bathroom
Bloodstains, ball gowns, trashin' the hotel room
We don't care, we're driving Cadillacs in our dreams
But everybody's like Cristal, Maybach, diamonds on your timepiece
Jet planes, islands, tigers on a gold leash
We don't care, we aren't caught up in your love affair


As pessoas estavam bobas com o jeito que as meninas cantavam e Nino tocava, era algo que vinha de dentro deles, expressavam seus sentimentos por meio da música, como se fosse algo deles mesmo. Até mesmo as três estavam boquiabertas, e ficaram com raiva quando muitos se levantaram e começaram a cantar junto com eles.


Mari abriu os olhos, vendo muitos estudantes em pé cantando com eles, e se levantou também, junto com Alya e Nino. Começaram a cantar com ainda mais vontade, como faziam nos ensaios. Dançaram, rodaram, fizeram palhaçadas enquanto cantavam, e se divertiram, enquanto eram assistidos e imitados pelos outros.


And we'll never be royals
It don't run in our blood
That kind of lux just ain't for us
We crave a different kind of buzz
Let me be your ruler
You can call me queen bee
And baby I'll rule (I'll rule, I'll rule, I'll rule)
Let me live that fantasy


Era possível ver que alguns outros estudantes se identificavam com eles, pelo jeito que dançavam e cantavam. Vários que eram tímidos, como Juleika e Max, deixaram a timidez de lado para poderem dançar ao som dos três que cantavam.


Parecia que naquele momento, não haviam mais diferenças entre ninguém. Todos se divertiam, menos as três que ficaram sentadas com um enorme bico. Se recusavam a dançar, estavam se sentindo humilhadas. O pobre Agreste estava com uma enorme dor na mão, de tanto que Chloe a apertava de raiva.


No calor do momento, o mesmo soltou sua mão e saiu de perto das três, indo dançar junto com a multidão no pátio. Viu que toda a sala estava ali já, junto com as outras séries, só não estando as três meninas que pelo rabo do olho, viu todas saindo batendo o pé.


Ooh ooh oh ooh ooh oh
Ooh ooh oh
We're bigger than we ever dreamed, and I'm in love with being queen
Ooh ooh oh ooh ooh oh
Ooh ooh oh
Life is great without a care, we aren't caught up in your love affair
And we'll never be royals
It don't run in our blood
That kind of lux just ain't for us
We crave a different kind of buzz
Let me be your ruler
You can call me queen bee
And baby I'll rule (I'll rule, I'll rule, I'll rule)
Let me live that fantasy


Assim que terminaram de cantar, uma salva de palmas fora ouvida, junto com vários assobios, até mesmo os professores os aplaudiam com um sorriso no rosto.


Não precisara de outro momento para saberem quem eram os ganhadores daquele ano, afinal, depois de uma apresentação daquelas, era impossível não saber.


Eles se abraçaram no palco, e estavam tão animados quando pegaram o troféu que nem perceberam o olhar do loiro sobre eles, um loiro que pensava como eles eram diferentes das amizades que Chloe queria que ele tivesse, e como ele queria os conhecer melhor..


E talvez transformar aquele trio em um quarteto.
 


Notas Finais


Então, o que acharammm? :3
Para quem quiser, me inspirei nesse cover --> https://www.youtube.com/watch?v=CaknWuU_L4Y
Espero que tenham gostado! <3
Comentários, perguntas, sugestões e opiniões são sempre bem vindas! <3
Vejo vocês nos comentários! <3
Beijãoooo! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...