História R.P.G. - UnTrue - Capítulo 8


Escrita por: ~, ~LRRondaoOficial e ~RaraWolf

Exibições 55
Palavras 2.331
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Policial, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Gomeeeeeennnn eu atrasei >////<
Onegai não me matem ^^'
Complicações pessoas envolvendo falta de internet e mal estar ( que me impediram de postar antes ), aí quando fui postar vi que o cap anterior tinha cido postado a 8 dias ( pensei que a Tiazinha ia me matar T^T ), aí cabei de explicar pra ela e ela deixou eu postaaaarrr uhuuuuuuuuuuuuu
Tiazinha é gente boa ^^
Não vou falar nada sobre o cap. descubram por si mesmos... muahhahahah
Fiquem com essa treta O.O

Capítulo 8 - Aparências - RaraWolf


Fanfic / Fanfiction R.P.G. - UnTrue - Capítulo 8 - Aparências - RaraWolf

Tokyo, Japão

 

- Já faz um tempo Kabuto. – disse entrando no trailer.

- Sim... – disse apreensivo pela presença da pessoa.

- Entre em contato com ele agora, sim? – disse em tom de pergunta deixando bem claro em sua expressão que o platinado não tinha outra escolha.

- Como quiser... – disse mexendo rapidamente em seu equipamento para a ligação não ser rastreada – O Naruto sabe de seu envolvimento nisso tudo? – perguntou temendo a reação que poderia chegar a qualquer momento.

- Não e nem vai saber, se isso acontecer você vai ser o próximo corpo a ser encontrado... – disse agora com um sorriso sereno o que tornava o demônio a sua frente ainda mais assustado – Mas isso seria uma pena não acha? – continuou com o mesmo tom calmo e inocente de antes, fazendo subir um calafrio pela espinha de Kabuto.

- Claro, não há necessidade. – disse em resposta com seu melhor sorriso.

O ambiente ficou em um silencio totalmente desagradável e sinistro até que finalmente o platinado terminou os preparativos e conseguiu completar a ligação, passando em seguida o telefone para a pessoa ao seu lado.

- Ibiki como andam as coisas? – perguntou em tom profissional.

- Tudo nos conformes, temos atualmente três prováveis amiguinhos, aguardando para brincar. – disse em tom de divertimento do outro lado da linha.

- Quem são eles? – perguntou sem qualquer mudança em suas reações.

- Temos um insetinho, não é mesmo Fuu-chan. – disse acompanhado do som de algo se chocando contra um corpo e um grito abafado seguido por vários soluços de choro entre outros protestos ao fundo – Temos um sushi ambulante, né Bi-sama. – dessa vez foi possível ouvir o som repetitivo de vários golpes ao invés de um, porém não havia choro o que parecia incentivar que o homem continuasse.

- Ibiki! – chamou voltando a atenção do homem para si.

- Perdão, acho que me empolguei um pouco. O que posso fazer se gosto de comida japonesa. – disse rindo ao fundo e recebendo apenas o silencio como resposta deu um suspiro e continuou – Você não tem mesmo senso de humor né, nem mesmo quando eu brinquei com a garota Hyuuga na sua frente você pareceu se divertir. – disse em tom de lamentação – Em fim, nosso ultimo convidado é alguém especial, um amigo de família eu diria... – disse imitando o rufar de tambores – Eu voz apresento o nosso nadador fracassado, Suigetsu-chan. – disse enquanto se ouvia o som de agua sendo derramada como se Ibiki tivesse entornado um balde de agua sobre o homem a fim de humilha-lo.

- Parece que todo esse tempo convivendo com Guren e Hidan fritaram seus miolos de vez. – disse pela primeira vez tento alguma reação enquanto balançava sua cabeça em negativa.

- Que isso, vai! Depois que se perde tudo não há prazer maior do que o de tirar tudo de todos! – disse em um tom que deixava claro o fato de estar sorrindo do outro lado do celular.

- Já escolheu quem vai ser o próximo ou não? – perguntou sem mais paciência para aturar sua recém adquirida, pelo que jugou se fruto da convivência com Hidan, tendência teatral.

- Pensei em te perguntar que seria o melhor, mas se quer saber eu estou morrendo de fome e você sabe como eu gosto de comida japonesa né!? – disse dando uma sonora gargalhada do outro lado da linha.

Kabuto que até o momento escutava tudo calado estava como de costume aterrorizado com os atos que eram cometido de baixo do nariz de todos, inclusive de Naruto que não fazia ideia que aquela pessoa podia ser tão vil como a figura que estava em sua frente. Se sentia mal e enojado consigo mesmo por estar fazendo parte daquilo, mas se não fizesse sabia que seria Naruto a estar em seu lugar e como conhecia o loiro tinha plena ciência de que ele nunca se perdoaria se fosse cumplice nesses crimes. O platinado já conseguia ver a profunda tristeza do loiro por simplesmente não ter chego a tempo de impedir a morte dos avós e a dor que carregava por ter que assumir uma culpa que não era sua para proteção do irmão que lutava com todas as forças para que o mesmo o odiasse e assim estaria salvando a vida de Menma.

A verdade, da qual Kabuto fugia com todas as suas foças, era que não estava fazendo tudo aquilo por Naruto, como sempre dizia para si mesmo incontáveis vezes, ele simplesmente tinha medo de contrariar a vontade daquela pessoa que com maestria controlava todos, até mesmo Naruto que com muito suor conseguira se tornar tão influente como era mesmo na pouca idade que tinha. Kabuto queria de todo coração acreditar que fazia aquilo pelo loiro, por quem se via apaixonado a muito tempo mesmo que não fosse correspondido, e para que conseguisse manter sua sanidade depois de todas as coisas que ouvia as pessoas ao lado conversar com frequência, como torturas entre outros, da forma mais natural do mundo, como pessoas conversando sobre um filme interessante ou algo do qual queriam comprar, Kabuto começou a juntar provas contra essas pessoas, mesmo que nunca entregasse para Naruto, era tudo o que tinha para se convencer de que fazia a coisa certa e que os fins justificavam os meios.

- Então já está decidido. Tente fazer a autopsia mais interessante dessa vez, eles estão chegando perto e acho que já está na hora de mudarmos um pouco o padrão. – disse friamente como quem fiz o preço de um enlatado.

- O que tem em mente? – perguntou animado do outro lado.

- Vou deixar você decidir isso, afinal você é bem criativo. – disse com um sorriso de lado antes de desligar. – Continue com o trabalho e é bom que o Naruto nunca desconfie disso, se não, não garanto a segurança de nenhum dos dois. – disse com o sorriso de uma criança recebendo um presente.

- Você não faria isso com el... – antes de terminar percebeu o quão equivocado estava por achar que a pessoa a sua frente sentiria alguma simpatia pelo loiro – Ele tem acordo com gente graúda, você não pode encostar nele! – disse querendo acreditar em minhas próprias palavras.

- Me pergunto... -  disse sorrindo virando de costas e andando enquanto cantarolava uma cansanção de ninar.

Kabuto voltou ao trailer e se sentou em sua cadeira, sentindo todo o peso dos últimos minutos sobre si. Se sentiu um monstro novamente por consentir com tudo aquilo, ao mesmo tempo que até seu arrependimento era ofuscado pelo medo de perder sua vida e o sorriso da única pessoa que já lhe mostrou afeto, Naruto.

 

...

- Eaí Kabuto. – disse com um sorriso cumprimentando o platinado.

- Oi Naruto. – disse apreensivo, pelo forte pulsar de seu coração e a culpa que o corroía sempre que olhava nos olhos incrivelmente azuis do loiro.

- Qual o problema, você está pálido. – disse se aproximando colocando a mão sobre a testa de Kabuto, fazendo-o quase perder-se de si mesmo.

- Nada, só um pouco cansado por ter madrugado. – disse afastando a mão de Naruto a fim de recuperar sua zona de conforto – Mas o que está fazendo aqui? Pensei que estaria com o Uchiha. – disse sentindo uma pontada de ciúmes.

- Pois é, era para o Teme estar aqui, mas acho que com a morte de Konan não teve como evitar... Nos nós conhecíamos do colégio, ela era uma senpai gentil. Quando entramos na escola media ela já estava prestes a concluir, mas mesmo depois de se formar e fazer sucesso ela sempre manteve contato conosco e quando soube o que estava acontecendo correu para cá... – estava claro que Naruto não iria conseguir concluir após algum tempo de silencio enquanto segurava o choro.

- Mudando de assunto Naruto. – disse tentando mudar o foco da conversa a fim de amenizar o clima que se seguiu a historia de Naruto e Sasuke com Konan – Você acha sensato fornecer tantas pistas assim para o Obito-san, mesmo assumindo papel nisso tudo? – perguntou claramente preocupado com o rumo que o loiro estava tomando.

- Eu já disse que se eu tiver que ser o vilão e ser punido para que isso acabe, é exatamente isso que eu vou ser. – disse desdenhando da pergunta de Kabuto enquanto encarava um monitor – E referente a informação, não seria divertido se eles ficassem totalmente no escuro, tô certo! – falou agora encarando o platinado com um sorriso.

 

Necrotério - Departamento de Policia - Tokyo Japão

 

A mulher já estava cansada e abalada o suficiente para um ano inteiro e mesmo assim tinha que dobrar seu turno. Pelo menos sabia que sua filha estava bem e se divertindo com o pai, o que não alivia muito o fato de ter que ficar em um necrotério sozinha até tarde da noite, necrotério esse que estava repleto de corpos de pessoas que lhe eram queridas e que só serviam para deixa-la para baixo e reforçar a sensação que a rosada tinha de que aqueles não seriam os últimos. Já estava acabando de verificar os corpos antes de reunir coragem para fazer a autopsia de Konan quando ouviu um movimento atrás de si e se virou rapidamente comprimindo a mão sobre a boca a fim de segurar o grito.

- Merda, não faça mais isso Menma! – disse nervosa com o menino, tinha que admitir que o fato de ele ser extremamente parecido com Naruto não ajudava muito a mulher se acalmar, mas se forçou a isso.

- Desculpe Sakura-san, não foi minha intensão. Pensei que tinha me ouvido, mas pelo jeito você estava muito concentrada. – disse abaixando um pouco a cabeça mostrando seu arrependimento.

- Tudo bem Menma-kun. – disse suspirando – Mas o que te trás a esse tipo de lugar. – perguntou sem real interesse.

- Estava precisando pensar, e em todo o lugar que costumo ir aqueles seguranças não desgrudam do meu pé! Eu não tenho nem um pingo de privacidade mais. – queixou-se fazendo um muxoxo.

- Antes não ter privacidade e continuar vivo do que ter toda a privacidade do mundo debaixo da terra. – Sakura sabia que estava sendo fria de mais com o menino, mas não conseguia se conter, sempre que olhava para ele e reparava em seus trejeitos mais se recordava de Naruto e isso a deixava extremamente irritada.

- Olha Sakura-san, eu não vou atrapalhar, então me deixa ficar aqui um pouco por favor? – perguntou cabisbaixo fazendo Sakura praguejar contra si mesma, gritando em sua mente que aquele não era Naruto e que Menma não merecia sofrer por sua revolta.

- Okay, mas é melhor ficar quieto. – advertiu.

Enquanto Sakura trabalhava no corpo de Konan, tentando ao máximo não prestar atenção em Menma, o moreno parecia extremamente concentrado em tudo que a mulher fazia e não tinha qualquer reação de repulsa com o cheiro ou a aparência do corpo enquanto Sakura abria o corpo da mulher fazendo anotações. A falta de reação de Menma, diante da cena só serviu para deixar a rosada ainda mais incomodada com o garoto, era como se ele apreciasse a visão, parecia até se divertir um pouco.

- Você parece acostumado a ver gente morta. – comentou praguejando contra si mesma, sabia que estava seguindo um rumo nada agradável para a conversa.

- Eu já vi alguns... entre eles os corpos de vovó e vovô. – disse com um sorriso triste – Acho que você acaba se acostumando não é. – disse limpando uma pequena lagrima que se formava em sua face.

Institivamente Sakura abraçou o menino e fez carinho em sua cabeça enquanto pedia desculpas pela pergunta. Até aquele momento ela não havia prestado atenção em Menma de verdade, não tinha reparado que seu cabelo estava estranhamente maior do que o habitual, que as vestes eram de um estilo completamente oposto ao que o menino normalmente usava e que seus olhos que eram preto e um com a estranha coloração um pouco avermelhada eram agora incrivelmente azuis. No momento em que viu os olhos do menino e reparou que o mesmo era um pouco mais alto do que Menma, teve a certeza de que não era o menino ali, e sim uma das pessoas que passou a odiar, se não tanto, chegou bem perto disso.

- Você... – disse se afastando rapidamente.

- Ops, acho que fui pego. – disse sorrindo – Demorou para perceber que era eu hein Sakura-chan. – disse curvando levemente a cabeça e alargando ainda mais o sorriso.

- Não haja com tanta intimidade! – disse se segurando para não dar um soco na cara do moreno.

- Não fica assim Sakura-chan, eu até pintei o cabelo para vir te ver. – disse fingindo decepção.

- O que você veio fazer aqui? – perguntou recuando até os instrumentos médicos.

- Eu já disse, vim te ver. – disse sorrindo.

- Conta outra Naruto, sei que você sempre foi burro, mas não burro ao pondo de vir na DP onde querem te prender só pra me ver. – cuspiu a resposta para o homem que pareceu não notar o desprezo no seu tom.

- Você está muito fria Sakura-chan. – disse negando com a cabeça em desaprovação – Mas tem razão que não só por isso que eu vim. – disse apontando para um papel que deixara em cima da bancada – Agora eu tenho que ir. – disse acenando e se distanciando em passos lentos.

- E o que te garante que eu não vou gritar e te denunciar? – disse frustrada.

- Gostaria de dizer que é por que nós somos amigos, mas acho que você não me considera mais assim. – disse triste – No papel tem a pista que estavam precisando para ir atrás do assassino, acho que isso paga minha fuga não? – disse piscando e se dirigindo para a saída sem esperar resposta.

Normalmente a mulher rapidamente iria atrás de Naruto, mas estava cansada de mais e a surpresa a havia afetado mais do que gostaria de admitir. Ignorando a presença de Naruto que se tornava cada vez mais distante, se dirigiu até a bancada e pegou o papel onde continha dois nomes escritos ‘Sarutobi Hiruzen’ e ‘Guren’. 


Notas Finais


Espero que tenha ficado interessante pelo menos ^^'
Eu fui :P


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...