História Ruas de Fogo - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Hinata Hyuuga, Kakashi Hatake, Mirai Sarutobi, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha
Tags Borusara, Kakaoc, Naruhina, Narusasu, Sasusaku
Visualizações 45
Palavras 2.298
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Fui, voltei, fui de novo e revisei a história com um pc novo.
Espero que gostem da história e etc. :D
Bjuus

Capítulo 1 - Introdução


Introdução

As pessoas viam Boruto como um arruaceiro. Um arruaceiro de muita sorte. Um garoto, que por mais que desse mancadas de vez em quando, ainda assim, era um bom garoto, quando se tratava das pessoas que ele amava. É claro, que grande parte da percepção dos terceiros, vinha do fato de ele ser constantemente com parado ao seu pai: O Nanadaime Hokage.

O garoto deu um suspiro irritadiço, enquanto se apoiava na pia do banheiro, pensando nessas coisas. Ele não gostava, mas era a verdade e sempre foi. Lançou seu olhar para o seu reflexo no espelho. Há quanto tempo o seu olho não despertava? Desde os incidentes envolvendo a organização que tentava despertar um ser antigo, sugando o Chakra das pessoas, quando ainda estava na academia, nunca mais conseguiu utiliza-lo de novo. Isto o frustrava de uma maneira sem igual, mesmo com o treinamento de Sasuke, não conseguia despertá-lo novamente:

- Boruto! Seus companheiros de equipe estão te esperando!

 A voz de sua mãe ecoou pela casa e o garoto respondeu de imediato. Ele amarrou a sua bandana na testa e desceu as escadas dando suspiros pesados. Boruto se sentia pesado. Como se todas as expectativas depositadas nele, tivessem sido desperdiçadas. Desde o exame Chunnin, fazia dois anos desde que ele havia voltado a ser um ninja, após ajudar a derrotar Momoshiki, que havia sequestrado Naruto. Apesar de ainda ter receber olhar de decepção de Sarada, de vez em quando, ele havia conseguido conquistar o direito de voltar a ser um ninja e conseguido passar na prova Chunnin á um ano, com a sua equipe. Hoje, aos quatorze anos, Boruto ainda tentava encontrar o seu caminho como ninja. Sabia que não queria ser Hokage como o pai e o avô foram. Sabia que desejava ser como o seu mentor, Sasuke. Porém, havia algo em seu coração, que o impedia de encontrar o meio termo.

Cansado de tantos pensamentos, rondando a sua cabeça, Boruto apenas se despediu da mãe de das irmãs que tomavam café-da-manhã e saiu de casa:

- Caramba, como você demorou! – Sarada reclamou, com os braços cruzados e postura típica dos Uchihas. Boruto sabia muito pouco sobre a história desse clã ( esta matéria nunca foi o seu forte na academia, apesar de sempre ter tirado boas notas, ao contrário da irmã mais velha), porém, ele conhecia esta postura. Era algo que o próprio Sasuke fazia às vezes:

- Relaxa cara, foram só uns minutinhos. Você não ia morrer de ter que esperar.

- Eu já deveria estar acostumada á essa falta de pontualidade vinda de você. Parece que não cresce.

- Ora...!

- Você parece um pouco abatido, Boruto-kun.

Mitsuki, que até então somente observava os dois amigos, com seu sorriso misterioso, entrou na conversa, cortando o assunto anterior. Isto fez o rapaz loiro desviar o olhar para o chão, em silencio e Sarada passou a analisar firmemente a postura dele. Mitsuki estava certo. Ele não parecia ser ele mesmo:

- Você está bem?

- Não é nada... É melhor nós irmos. Escoltas não se fazem sozinhas.

O loiro seguiu o caminho á frente dos amigos, com as mãos no bolso. Sarada o observava por trás, um pouco cismada. Mitsuki parecia ser o único que havia entendido o motivo do amigo estar daquele jeito. Andando sempre com ele e Shikadai, já haviam passado por uns maus bocados e aprendeu a lê-lo com exatidão. Isto tinha á ver com o seu poder ocular, que parecia ter desaparecido:

- Parece que as coisas estão quase prontas para o festival da primavera.

A Uchiha comentou observando as lojas serem enfeitadas e todo o comércio preparado. Era faixas rosa, lilases e azuis por todo o lado. Ornamentos de flores, promoções de descontos e produtos com a temática saltavam aos olhos. Konoha era bem grande. Atualmente, a maior cidade do mundo. Tudo parecia uma grande alegria. Não combinava com o humor aborrecido do loiro a sua frente:

- Eu nem tinha notado.

- É este festival que as pessoas convidam alguém que gosta para se beijarem durante a queima de fogos?

Mitsuki perguntou curioso. Por estar sempre entre os garotos e não ser muito bom com o seu lado social, nunca havia reparado nestas coisas, no tempo em que vivia em Konoha. Mas este ano, as garotas começaram a comentar sobre “pares”,“convites” e “beijos”. Ele queria entender o motivo de tanta animação. Sarada corou diante da afirmação, sem saber como responder. Ela nunca foi do tipo que se importava com essas coisas, ao contrário de suas amigas, então, somente balançou a cabeça em resposta:

- Entendo. Você já convidou a pessoa que quer beijar, Sarada?

- Ai, garoto! Que assunto é esse? As garotas não pensam só nisso, sabia?

- Por isto, você é diferente das outras garotas. – Boruto entrou na conversa, debochando:

- Olha só, quem decidiu virar babaca de novo. Para essas coisas você fica bom rapidinho.

A morena respondeu irônica, vendo Boruto soltar um risinho bobo. Ele havia conseguido provoca-la. Como sempre:

- Não precisa ser tão agressiva.

-Não sou agressiva. Vai encher o saco da sua namorada. Ela parece ter paciência com você.

Desta vez, foi Boruto quem corou, sem graça. Ele se virou de costas para os outros dois novamente:

- Sumire-chan não é minha namorada. Ela é uma garota legal.

- Sei...

- Sabe ser mais legal que você pelo menos.

- Não dá idéia pra ele, Sarada. O Boruto ainda acha eu vive no século passado, quando as garotas se enfureciam quando eram comparadas umas com as outras.

A voz era de Mirai Sarutobi, que chegou ao prédio Hokage junto com a equipe. Ela sorriu tocando o ombro de Sarada:

- Você chegou de missão? Minha irmã estava em casa esses dias?

Boruto perguntou para a mais velha, tentando deixar o vacilo que fez para trás:

- Eu estava trabalhando, ajudando uns Genins novos na academia, quando o Hokage me convocou.

- O meu pai?

- Você conhece outro Hokage ativo, maninho? - Outra voz veio atrás do grupo. Dessa vez, era de outra garota, mais velha que Boruto, loira, tinha um olho preto e outro azul.

-Você veio rápido.

-Vocês que estão lerdos. Não posso falar agora, tenho coisas pra resolver aqui e vocês também. Mirai, vem comigo, atrasadinha-chan.

 Ela passou pelo grupo, segurando uma pasta de documentos na mão e entrou no prédio, antes de todos. Mirai deu um suspiro:

-Você e suas piadas. – Resmungou, seguindo-a:

- A sua irmã parece apressada. – Mitsuki comentou:

- Se ela está aqui, quer dizer que o Rokudaime também está.

- Será que vamos fazer a escolta dele? Pensei que só ela dava conta.

- E só ela dá conta. Mas parece que isto pode ser muito mais importante.

Boruto sorriu animado, correndo pra dentro do prédio. Fazia tempo que ele queria um desafio e seus instintos diziam que o seu pai depositaria aquilo em suas mãos...

 

- Substituição?

Mirai perguntou curiosa para a amiga.

- É. Parece que o seu primo, Konohamaru, saiu de uma missão secreta para o meu pai e os garotos precisam de Jounin pra liderar eles na próxima missão.

A loira respondeu, ainda com a pasta de documentos na mão, enquanto as duas andavam pelos corredores:

- Você deveria estar me passando essa coisa, assim... De graça?

- Não. – A loira respondeu rapidamente. Ela era um ano mais nova do que a filha de Kurenai, mas muito boa no que fazia – Mas você me conhece, eu não ligo para essas formalidades. E você é minha melhor amiga, não tem motivo de eu esconder as coisas de você. – Ela parou por um instante e olhou para a amiga – Só preciso que fique de olho nos meus irmãos pra mim.

- Sempre, cara...

- Himawari começou o treinamento dela no clã Hyuuga e espero que ela se saia bem.

- Mas e o Rokudaime? Pensei que ele havia se aposentado.

- E se aposentou. Mas... Parece que o Kakashi não consegue ficar muito tempo parado, sei lá... Não posso falar muito sobre isso, se descobrirem meu pai come meu rabo de strike.

Mirai segurou riso por um momento, observando a outra lançar um olhar curioso para  amiga:

- O que foi agora, garota? – A loira perguntou irritada, com a atitude da morena:

- Naaaaada. Já está até chamando o Rokudaime pelo nome. Como vocês estão íntimos. – Mirai respondeu debochando, achando graça de a loira ter ficado vermelha como um pimentão:

- E menina, me erra!

- E só estou te provocando, sua escrota.

- Continua com isto e você vai ver aonde eu vou te deixar.

- Sei... – Ela reparou na pasta que a amiga levava – E estes documentos aí? Virou secretária também?

- Não, meu pai só esqueceu em casa.

Logo chegaram de frente à porta do escritório, onde Naruto falava com Kakashi, enquanto repassavam algumas informações pelo computador. O Nanadaime mandou que entrassem assim que ouviram as batidas na porta e as duas garotas o fizeram:

- Olá! – Kakashi as cumprimentou, assim que entraram na sala, com o seu habitual levantar de mão. Mirai lhe respondeu, mas a loira passou direto, indo até a mesa do pai. A morena deu um sorriso de lado, com a idéia de que estava certa, os dois pareciam tão íntimos, que o sexto Hokage nem se importou com esta falta de educação. Ele deveria conhecê-la o bastante para conhecer o jeito dela e pelo que conhecia, através de sua mãe e do tempo em que foi a sua escolta, que ele era um homem, que apesar de muito forte, era bem humilde, assim como o Nanadaime. Podia também ser coisa de sua cabeça:

- Pai... A tia Hinata pediu para trazer a pasta que você deixou em casa. Onde você esta com a cabeça?

Naruto olhou um pouco surpreso e logo deu um sorriso sem graça, colocando a mão a cabeça:

- Desculpe... É verdade, ando muito cansado. Pode deixar aqui na mesa.

- Bem, é melhor irmos andando. O trem sai daqui á pouco. – Kakashi seguiu para fora da sala, com as mãos do bolso – Eu ligo assim que tiver uma informação. Vamos PJ.

- Conto com você.

Naruto agradeceu ao seu antecessor, enquanto a filha deixava a pasta na mesa e ia atrás de Kakashi:

- Já falei pra ele não me chamar assim...

Assim que os dois saíram, Mirai deu um passo á frente, fazendo uma mensura leve:

- O senhor me chamou?

- Sim, vou te colocar como responsável da missão de escolta do time Konohamaru.

- Ah, sim senhor. Mas meu primo está bem?

- Sim. Ele só está fora.

“Como ela disse que seria.” Mirai pensou por um instante, era muito bom ser amiga da filha mais velha do Hokage. Por alguma razão, certas informações eram mantidas em sigilo até de parentes próximos. Mas onde ela nasceu parecia não ser assim e por isto, ela costumava passar as informações que sabia e os mais velhos não contavam:

- Entendo... E qual é a missão, senhor?

- Bem...

Mas antes que Naruto continuasse sua fala, outra figura loira entrou esbaforida na sala. Desta vez era Boruto, que parecia mais animado do que estava de manhã:

- Pai! Você tem uma missão importante pra nós, não tem?

Nesta hora, Naruto se lembrou de si mesmo quando era mais novo e tinha todo um desejo de provar para o mundo que ele era capaz como Shinobi. Ele via muito de si no único filho e a relação deles havia melhorado bastante após a prova Chunin. Os outros dois companheiros de time chegaram à sala logo em seguida. É verdade que com o avanço das nações Shinobi como sociedade, havia permitido que os ninjas, tanto escolhessem outras carreiras, quanto expandissem o seu campo de atividades. Desde trabalhar nos correios, quanto fazer uma escolta, até supervisionar uma construção, tudo era considerado digno para a geração atual que não vivia os horrores da guerra e sim o avanço das tecnologias. Por isto, a missão que teriam era muito importante:

- Acalme-se, eu vou explicar.

Neste momento, Shikamaru entrou na sala com uma pilha de documentos para o Hokage assinar e levar outra para o arquivo:

- Um casal real de um país vizinho irá chegar esta tarde, junto dos filhos deles, para participar das comemorações do Festival de Primavera. Eles são príncipe e princesa do País do Demônio e a filha deles será a próxima Sacerdotisa daquele país, então precisará de vigilância constante.

- Mas o festival não é só semana que vem? – Boruto perguntou curioso. Esta missão parecia exigir grande responsabilidade. Isto o animava muito:

- É sim, mas eu tenho algumas reuniões com este casal, então já que eles pretendiam vir para o festival, nós adiantamos a estadia deles. Vou dividir o time de vocês em dois grupos e vocês irão revezar a vigilância. Um grupo acompanhará o rei e a sacerdotisa e o outro servirá como guia de seus filhos pela aldeia. Conto com a Mirai para dividir o grupo mais tarde.

- Sim, senhor.

- Com licença, Nanadaime... – Foi Sarada quem falou – Acha que somente nós quatro somos o suficiente para escoltar um casal tão importante. Não querendo questiona-lo, mas...

Naruto sorriu diante da perspicácia da filha de seus amigos. Sarada era uma mistura da inteligência dos dois, se ela mantivesse o seu desejo aceso, seria uma ótimo Hokage no futuro:

- Não, tudo bem. – Ele se levantou da cadeira - Vocês serão a equipe principal, que se manterão mais perto deles. Mesmo que estejamos em paz, os problemas que tivemos anos atrás me forçaram a abrir uma nova estratégia.

- Por isto, outra equipe irá auxilia-los na vigília caso alguma coisa saia do controle. – Shikamaru respondeu, com os braços cruzados, ao lado do Nanadaime.

- Outra equipe?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Se gostaram comentem e sentem o dedo nos favoritos. <3 Eu volto semana que vem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...