História Rubi - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 6
Palavras 3.854
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Estupro, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Yooo

Capítulo 3 - Capitulo 2



Acordei cedo, como prometi à Glória, mas, por mais cedo que fosse, já estava tudo arrumado, como se não tivesse existido alguma festa.
Olhei para o canto, e continuava lá todas as sacas grandes ou pequenas. Como já era previsto, os presentes eram quase todos joias, mas chamou-me à atenção uma saca vermelha. Abria-a e tinha um cartão:
Meu doce e terno Rubi,
Nesta altura, imagino-te mais alta, eu sei perfeitamente que continuas a ter esse cabelo maravilhoso mas também sei que és linda e que eu te amo do fundo do coração por mais longe que eu esteja.
Infelizmente, não pude ser eu própria a ser a primeira a dar-te os parabéns, a fazer aqueles carinhos que tu tanto mereces neste dia especial, a ajudar-te a escolher o vestido ou a dar-te isto. Lamento muito meu rubiEspero que este seja o teu amuleto de agora em diante, quando tiveres dúvidas ele irá auxiliar-te, tenho a certeza que ele te fornecerá conselhos de ouro.
                                Da tua eterna
                                                                                                  Mãe Camila

Rios de lágrimas inundaram a folha, dentro do saco encontrava-se uma caixa vermelha de veludo, abri-a, lá dentro tinha um fio de prata e um coração também de prata. Com muito cuidado, abri-o e de um lado tinha uma foto minha e da minha mãe, talvez, a última foto que tira-mos juntas, e do outro, um rubi vermelho cintilante. Eu sei, que a minha mãe depois do acidente ficou mais ou menos 3horas lucida e depois acabou por morrer. Coloquei logo o presente dela. Admira-me que nesse tempo, ela se tenha preocupado em me preparar presentes, a melhor pessoa para responder a isto, é o meu pai.
*Truz*truz*
-Sim  -Respondeu rouco
-Pai, o que é isto!?
Gargalhou e depois pude ver lágrimas a surgir
-Um presente da tua mãe - Pausa - Ela preparou alguns antes de morrer, a maior parte, ela deixou um bilhete e de como queria a prenda e eu apenas cumpri a sua vontade. Recebes-te o primeiro aos 18, o vestido. Ela gastou o pouco tempo que lhe restava em ti.O rubi dela
Eu não disse nada, apenas saí.
Os restantes presentes eram joias, algumas roupas e até viagens sem data de expiração.
As roupas mais bonitas acabei por coloca-las na mala, eu quero muito mostrar à tia Paula a prenda da minha mãe!
Decidi ir tomar banho e fazer as minhas higienes pessoais. Vesti um jeans preto, um top preto e uma camisa com quadrados brancos e pretos. Calçei as minhas all star brancas, passei maquilhagem, incluindo batom vermelho e voltei para o quarto.
-Dorminhoca, vamos acordar! - Sussurrei ao ouvido de Mariana, que acordou logo depois
-Hum?
-Queres tomar banho aqui ou preferes que seja a mamã depois? - Perguntei
-Ehehehe eu tomo banho sozinha! Mas eu quero a mamã! - Ela disse, ajudei-a a fazer as higienes, é, simplesmente podia chamar a empregada mas prefiro ser eu.
-Então, vamos vestir! A tua mãe pôs umas calças e uns calções, uma t.shirt da minnie, umas sandálias e umas sapatilhas e uma camisa igual à minha  - Gargalhei
- Calças como a pima! Camisa como a pima! Sapatilhas como a pima! + Ela disse
No fim, ficamos parecidas.
-Vamos tomar o pequeno-almoço! - Disse levando-a pela mão
---
-Glória, dá à Mariana o que ela pedir! Eu vou chamar o Lucas  Disse
-Quer que vá lá?  -Apareceu uma empregada qualquer, mas a sua cara de piranha era visível!
-Nop, eu vou - Disse indo em direção à porta, no mesmo instante que ia bater, Lucas abre a porta, vocês acreditam que eu e ele estávamos parecidos, menos o top e as sapatilhas, porque ele vestia uma t.shirt preta como as sapatilhas, também da all star. A sua camisa era de ganga preta. Ele dá-me a mão e empurra-me para dentro do quarto e fecha a porta e pressiona-me na mesma
-Ah! Esquece o que aconteceu ontem tá? - Disse Lucas, uma raiva dentro de mim cresce,  não o intendo, ele tinha a mão na minha barriga, uma mão fria que me arrepiava. Eu estava quente de raiva!
-Ah, Lucas! Achas mesmo que eu iria querer lembrar? - Disse fria, o seu sorriso sumiu
-Foi por isso que disseste que tinhas gostado do presente?  -Ele disse com cara de otário
-Eu disse que gostei, porque sou educada! Nunca se deve desdenhar de um presente, o que conta é a intenção, eu estou habituada a dizer que gosto das coisas, sem gostar! Agora, tira essas mãos inúteis da minha barriga diva e desampara-me a loja! - Disse, a sua cara mostrava raiva mas mesmo assim não saia da minha frente  -Sai!  -Disse
-Então, não gostas-te? 
-Não! É preciso fazer desenho? - Perguntei. Do nada ele beija-me, implorando enfiar aquela língua venenosa em mim, mas, eu afastei-o.
-Mas o q  .... -Não o deixei terminar, porque dei-lhe um estalo que ficou marcado naquela cara de idiota!
-Aí, Miranda! Estás maluca?-  Ele disse massajando a cara no local onde lhe bati
-Eu sou tua prima, infelizmente, mas sou! Estás proibido de voltar a fazer isso! Estamos à tua espera para ir embora! - Dito isto, fechei a porta na cara dele.
---
-Lucas que tiveste na cara?  Perguntou Mariana, eu apenas bebi um gole de cappuccino
-Ah  -Pausa-  Bati numa ....  -Lucas estava à procura de uma justificação credível e Mariana ansiava a sua resposta
-É normal uma pessoa bater contra as coisas enquanto não conhece o lugar delas - Disse enfiando o último pedaço de panqueca com nutella à boca. - Vá, Mariana come rápido para irmos embora.
Estava superficial em relação àquele assunto.
-Glória?  -Chamei
-Sim, menina Miranda - Ela disse quase correndo da cozinha para a sala de jantar, eu e a Glória tratamo-nos como amigas apesar de nunca passar-mos do respeito em patroa e empregada, ela sabe, que com as visitas, eu e ela temos que ser mais profissionais.
-O Augustus? - Eu estava triste com a Glória desde a nossa conversa sobre eu ficar sozinha, notei que ela percebeu que tinha mudado com ela. Ela sabe como me magoar mas ela também sabe que vai levar o troco!
-Pedi-lhe e ele foi às compras mas deve estar a chegar. Ele... - Interrompi
-O Augustos é o meu motorista! Não é o seu, para ficar a manda-lo de um lado para o outro!
-Descul... .
-Não venha com desculpas! Não preciso delas para nada! Trate de ser útil e informe-me de quando o Augustus chegar, ele se dirija imediatamente aqui!
-Como quiser – Ela disse, pude ver os seus olhos baixos prontos a desabar lágrimas
-Não fique a encarar! Saí-a! - Ordenei, e ela assim fez.
-Caramba Miranda! Não era necessário isto!  -Falou Lucas a comer a sua fatia de bolo de chocolate, ele é 2anos mais velho que eu mas sem dúvida, eu sou mais adulta que ele.
-Prima é má!?  -Falou Mariana
-Ilh....Não começes, a Mira está de mau humor!  -Falou o idiota do Lucas
-Não sou má, meu amor.  -Disse
-A Mira é a mior prima do mundo!
-Mandou chamar? - Apareceu Augustus
-Cozinha!  -Ordenei - Vocês, vão buscar os sacos com a ajuda de uma das empregadas! -Pausa  Lurdes!  -Chamei
-Sim? - Ela apareceu
-Ajude-os agora! Traga a mala que preparou para mim ontem!  Ordenei, e eles subiram, fui em direção à cozinha com o Augustus, quando lá cheguei, Glória levantou-se apressadamente e enxugou os olhos, como calculei, ela estava a chorar.
-No local de trabalho, não se chora! Se quer chorar faça uma pausa, ninguém é obrigado a vê-la como um trapo! Talvez, a senhora faça uma pausa eterna!- Disse
-DesDespedir-me?- Ela estava chocada
-Augustus, vamos perceber uma coisa, aqui quem manda sou eu, nada de obedecer à Glória, estamos entendidos?
-Sim, Srª.Valliere  -Augustos, chama-me assim quando ele sabe que fez asneira
-Prepare o carro! Eu e os meus primos vamos rumo à casa da minha tia Paula.
-Entendido  -Ele disse retirando-se
-E você? Você irrita-me! Não tem trabalho? Saí-a de uma vez! Agora mulher! - Gritei para Glória que saiu tão rápido que pensei que ela caía.
Fui para a frente de casa, local onde, Augustus e Lurdes metiam os sacos na mala.
-Tudo pronto menina. - Disse Augustus  -Tomei a liberdade de colocar a cadeira de segurança para a menina Mariana.
-Obrigada Augustus, sempre prestável. Vamos?
-Sim  -Disse Lucas e Mariana
A viagem é longa, são umas 3horas.
Decidi que ía à frente, para que atrás Mariana tivesse espaço para as suas bonecas e por causa da cadeira, ía cada um, à beira da janela. Eu ia a ouvir música no meu Iphone assim como Lucas no dele, Mariana brincava nas suas bonecas.
- Srª?  -Cutucou-me Augustus
-Ah sim?  Disse retirando um fone
-Tô enjoada  -Disse Mariana
-Lucas? O que a tua mãe faz nestas situações?
-Não sei, mas ela vai vomitar!  Ele gritou e Augustus parou o carro, sorte que estávamos num local onde se podia parar, Mariana estava vermelha e com a mão na boca. Tirei o meu cinto saí do carro assim como Lucas, juntos, tiramos Mariana para fora. Como previsto, ela vomitou, Lucas estava a ajudá-la a suportar aquilo já que ele lhe segurava a mão e eu segurava nos seus cabelos. Depois de uns 10min Mariana assegurou que estava melhor, mas pediu para eu ir atrás, junto dela e do Lucas.
Lucas continuava com os fones, mas eu acabei por lhe roubar um fone, já que Mariana jogava no meu telemóvel. As músicas de Lucas eram normais para um rapaz idiota como ele, eu peguei no seu celular e procurei no youtube a música
-Ah, que coisa chata! - Falou Lucas roubando o celular das minhas mãos
Ele, como é idiota colocou uma música de rebentar os tímpanos.
-E isto é o que? Para dar mais negócio à Minison? -Disse observando o fone que tinha retirado da minha orelha
- O celular é meu! Eu decido a música!
-Lucas poupa-me! Essa música arrebenta os tímpanos!
-Quem está mal muda-se!
-AUGUSTUS! Para o carro! - Disse e ele assim fez
-Algo errado?  -Ele Perguntou
-Deixa-me passar Lucas! Eu vou para a frente! - Disse
-Ah não!  -Disse Mariana-  Vai o Lucas!
Depois de muita discussão, foi o Lucas para a frente e eu fui ao meu saco buscar o meu Tablet.
-Vocês têm fome?-  Perguntei
-Sim!  -Respondeu Lucas e Mari
-Onde vocês querem ir? Conheço um ótimo restaurante aqui!  Disse
-Ah, prima, porque não vamos comprar umas pizzas! É mais fácil e comemos no carro e o Augustus também come, ou vais deixa-lo morrer à fome? – Disse Lucas
-Gosta de pizza Sr. Augustus? - Perguntou Mariana
-Sim menina.
-Que sabor gosta mais?
-Qualquer um. - Ele respondeu profissional, eu não queria comer pizza, eu não gosto muito, mas pronto.
-Vamos?  -Disse Lucas falando comigo
-Não. Vai tu, traz 1para cada um.
-Que sabor?  -Ele perguntou
-Escolha por mim!  -Disse Augustus
-Para mim também. - Disse sem ânimo
-Depois dividi-mos as despesas. Coca-cola para todos?
-Sim  -Disse Augustus e Mari
-Ah, para mim pode ser um Compal.
-Ah, Mira não vais comer pizza com Compal, é nojento! Eu trago uma coca-cola para ti também! - Falou Lucas
-Mas  ...-Ele não deixou terminar já que ele saiu do carro.
10min depois
-Cheguei! Já que vocês não sabiam que pizza trazer, eu trouxe uma de 4queijos para o Augustus, 1 de cogumelos para mim e 1 de queijo e fiambre para a Mira. A Mariana come uma fatia de cada 1 porque ela não consegue comer 1pizza sozinha neh gente!
Abri a caixa quadrangular da minha pizza, cheirava bem, as fatias eram perfeitos triângulos de 30graus, fiquei a admira-la até que:
-Posso comer? - Perguntou Mariana
-Ah!! Sim, sim, claro.
-Pega a tua coca-cola!-  Disse Lucas
Estávamos parados à 5minutos no estacionamento, eu estava na primeira fatia, aquela coca-cola fazia-me bolhinhas na garganta e custava-me a engolir.
-Posso continuar viagem menina?  -Perguntou Augustus
-Já comeu?  -Perguntei estupefacta
-Ah.Sim.
-Então, está bem.
-Prima? Posso comer outra? - Perguntou Mariana
-Ah, Mariana não sejas comilona! Já comes-te 5fatias! Depois vomitas!-  Repreendeu Lucas
-Podes, claro. Mas vê lá, senão depois vomitas.
-Menina? Você quer que vá comprar outra coisa? Você continua a não ser uma grande fã de pizza.
-Augustus! - Repreendi
-Miranda, porque não disseste que não gostavas?  -Disse Lucas
-Eu estou a comer tá! Vamos embora!  -Disse
Passado meia hora avistamos a casa da tia Paula. A minha mãe e a Paula vieram de uma família não pobre mas também não muito rica. A minha tia ainda hoje não é ligada ao luxo, a casa dela continua igual desde a última vez. A sua casa é de pedra rústica mas é muito grande e bonita também.
-Ah! Finalmente chegaram!  Disse Paula saindo de casa
-Oi mãe!  -Disse Lucas
-Mamã! - Gritou Mariana que lhe saltou para o colo logo depois
-Tia!  -Disse abraçando-a
-Pode ir Augustus! Muito obrigada.  -Disse , Augustus que já tinha tirado os nossos sacos do carro e Augustos retirou-se
-Vamos para dentro! - Disse Paula
Quando entrei, pude ver que a mobília estava em sítios diferentes e tinha também mobília nova.
-Miranda?  -Chamou Paula
-Ah, desculpe.
-Ah, já passamos essa fase, tratamo-nos por tu ok?
-Ok!  -Disse sorrindo
-O Lucas foi dormir, a Mariana foi para o quarto para se preparar para tomar banho, eu vou levar-te ao teu quarto e depois instalas-te enquanto trato da Mariana ok?
-Sim.
Segui-a pela casa, entrei num quarto grade, pintado de bege. A mobília é bege também. Quando a minha tia saiu, vi um desenho feito pela Mariana em cima da mesa-de-cabeçeira.
Abri a minha mala, abri o guarda-fatos e a comoda. Como devem imaginar, ficou tudo muito vazio. Na mesa-de-cabeçeira coloquei as coisas importantes. A tarde passou rápido, de repente quando olhei para a janela já estava noite.
*truz*Truz*
-Posso? - Era Lucas
-Sim  -Disse enquanto me sentei na cama
-Já arrumas-te tudo?  -Ele disse entrando no quarto
-Sim  -Disse
-Hum - ele respondeu, um silêncio constrangedor invadiu o quarto
-Vamos jantar?  -Perguntou
-Ah, sim.
Descemos as escadas e entramos na cozinha. A minha tia Paula não tem marido, acho que ninguém sabe nada à cerca disso, creio também que ela não queira falar sobre isso.
-Miranda! - Disse a minha tia zangada
-Que foi?  -Disse confusa
-Não almoças-te nada! A Mariana acabou de contar! Porque não disseste nada? Tinhas ao menos lanchado!
-Ah - Disse coçando a cabeça
-Ai, ai! Vá, senta ai! - Ela disse apontando para um lugar vago entre Mariana e Lucas
O jantar lá, era diferente de minha casa, não tinha empregadas de um lado para o outro, toda a gente comia, ria, havia piadas .Na minha casa jantávamos sempre em silêncio, aqui era diferente, não um diferente pior, simplesmente um diferente melhor, confesso que era divertido, não que eu em minha casa não tivesse visitas, eu tinha, mas como disse, a refeição era silênciosa, só se ouviam o tlintar dos talheres de prata nos pratos de louça ou os copos de cristal a bater na mesa.
-Sobremesa? - Perguntou a tia
Na minha casa, simplesmente trazem as sobremesas, uma grande variedade delas e depois cada um come do que quer.
-ICE CREM!  -Disseram Mari e Lucas
-E tu querida? - Perguntou-me Paula
-Também pode ser.
Eu sentia-me deslocada, não por me tratarem mal ou sei lá.Era porque simplesmente não foi assim que cresci.
-Chocolate, morango, baunilha ou menta?  -Pausa  -Ei! Miranda estou a falar contigo!
-Lucas! Não sejas mal criado! - Disse Paula
-Malcriada foi ela, que não teve a decência de responder!
Eu simplesmente estava desatenta, mas infelizmente ouvi a parte final, levantei-me e saí dalí.
-Viste o que fizesses-te!  Disse Mariana
-Mira?  -Gritou Paula do fundo das escadas e eu virei-me
-Desculpa o Lucas! Anda comer Ice cream!
-Lamento, estou cansada da viagem, vou dormir, até amanhã.
Estou com saudades de minha casa, da Glória, que tratei malela deve odiar-me.
Vesti o meu pijama rosa com corações e deitei-me
-Posso?
Não respondi, Paula entrou.
-A tua mãe quando vinha cá, também se sentia feliz por as coisas aqui serem mais calmas mas ao mesmo tempo mais animadas. Ela chegou a passar aqui alguns dias contigo, provavelmente, tu não te lembras, eras demasiado pequena. Ela ficava com saudades da casa dela, sentia-se deslocada, ela própria dizia isso.
- Eu estou assim, não sei bem se devia estar aqui, o Lucas vai fazer-me a vida negra  -Gargalhei
-Amanhã é um novo dia.
-É segunda .
-Por falar nisso, eu vou trabalhar, a Mariana vai para o infantário
-O Lucas?
-Ah, não sei, ele fica em casa, porque ele desistiu da faculdade, vai inscrever-se outra vez para o ano.
-Ele está a seguir o que?
-Contabilidade.
-Ele fez mal em desistir, é extremamente complicado entrar numa faculdade em Londres, e as propinas devem ser caras.
-Ele ganhou bolsa.
-Bolsa?  -Disse admirada, com que então o Lucas é inteligente, não sabia.
-Eh
-Ah, tia já me esquecia, hoje de manhã quando fui arrumar os presentes, tinha um presente que a minha mãe deixou preparado para mim.
-Posso ver? - Respondeu emocionada e eu dei-lhe o colar
-Muito característico dela, podes ter a certeza que foi ela que pediu para fazer este presente. Ela adorava-te.És demasiado parecida com ela.  Ela disse devolvendo o meu presente
-Eh - Disse sem jeito
-Bom, não te incomodo mais. Até manhã  -Ela disse depositando um beijo na minha testa.
E assim, estou, deslocada da minha casa
*celular a vibrar*
-Alô pai.
-Alô Filha. Chegas-te bem? O Augustus disse que não almoças-te nada.
-Cheguei bem e almoçei sim.
-Está tudo a correr bem por ai?
-Sim, dentro do esperado sim.
-Se não te sentires bem, diz-me que o Augustus vai a correr para aí.
-Eu sei.
-Quanto tempo ficas aí?
-Vou no próximo domingo, com a Mariana, e provavelmente o Lucas
-Por um lado, foi bom ires aí, pode ser que reforçes os laços com a tua família materna, arejes as ideias e assim não ficas sozinha.
-Sozinha?
-Eh, eu vou viajar amanhã para Copenhaga, coisas da empresa, volto na sexta. Eu liguei-te hoje para informar-te.
-Ok. A Glória?
-Ela volta sexta.
-Como assim, volta sexta?
- Ela estava abalada hoje ao almoço, como vou ficar fora, eu dei mini férias à Glória.
-Abalada?
-Também não sei o que aconteceu, ela recusou-se a dizer.
-Hum. Ah, pai, eu acho que vou dormir - Disse fazendo um bocejo falso
- Então está bem, fica bem meu rubi, beijos.
-Beijos.
Desliguei a chamada, eu deixei a Glória triste, decidi ligar-lhe.
***
-Estou, quem fala?  -É, ela não tem o meu número
- Sou eu Glória, a Miranda.
-Menina?
- Só liguei para saber se está bempor causa da forma como falei consigo
-Não, a menina teve razão, não era necessário ter ligado
-Está ocupada?
-Bem, eu.........-  Não a deixei terminar
-Bom, tchau glória até domingo.
Desliguei.
***
Eu não devia ter ligado, estúpida, sou tão estúpida, valha me deus, idiota!
Levantei-me e fui até à janela, não se vê nenhuma luz, está tudo escuro até que senti alguém a agarrar a minha cintura, eu ía gritar mas seja lá quem for, tapou-me a boca, estou apavorada, a solução foi dar um coice naquele sítio, só ouvi pequenos gemidos de dor, corri para a luz e a acendi de seguida, foi aí que a minha boca ficou seca, quando vi Lucas estendido no chão. Ele deve ter caído e batido com a cabeça na parte de madeira da cama. Sem demoras ajoelhei-me junto dele e dei leves pancadas nas suas bochechas
-Lucas, acorda por favor! Anda lá seu idiota! Eu preciso que me atures aqui em casa, anda lá!-  Eu não me perdoaria se lhe acontecesse alguma coisa, abri-lhe a boca e aproximei-me do coração, talvez aquilo fosse só um desmaio, mas e se não fosse?
Mal me aproximei senti as suas mãos a prenderem a minha cintura, fingido de uma figa, e eu aqui preocupada!
-Idiota! Eu ia morrer de preocupação!
-Sério? Aí que fofa!
-Larga-me!
-Não. - Dito isto, virou-me, fazendo com que ele ficasse em cima de mim.
-O que pretendes?
-Não sei, diz-me tu - Ele disse olhando-me maliciosamente
-Porque? Amanha vais dizer para eu esquecer - Disse entrando no jogo dele, mal ele sabe o que o espera
-Não farei isso  -Dito isto, ele começou a beijar o meu pescoço, e eu tirei a sua t.shirt e atirei-a para junto dele, quando ele ia em direção ao meu short
-TIA! - Gritei, apercebi-me logo da luz do seu quarto a acender, Lucas estava no meu quarto, em cima de mim sem t.shirt (que estava junto dele) é claro que ela ía pensar que Lucas estava a obrigar-me, Paula entrou no quarto modo furacão prestes a entrar em erupção, ao ver Lucas naquele estado tirou-o de cima de mim, eu virei-me de barriga para baixo em cima do tapete, eu conseguia ver o que se passava por o espaço livre entre os meus cabelos.
-Não tens vergonha Lucas? - Ela gritava, atirou-lhe a t.shirt à cara
-Eu não fiz nada!  -Ele defendeu-se mas antes que continuasse, Paula deu-lhe um estalo tão forte mas tão forte que nem sei como ele não caiu para o lado
-Primeiro: Ela é tua prima; Segundo: É uma mulher, e tens que a respeitar! ;Terceiro: Ela é nossa visita; Quarto: Vamos conversar sobre treres entrando aqui à socapa a meio da noite! Quinto: Se ela fizer queixa de abuso sexual eu sou testemunha!
-Mas
-Sai logo daqui lucas! Já não te vejo direito!  -Paula gritava descontroladamente, virei-me para cima e fiz um sorrisinho que logo desapareceu quando Paula correu ao meu encontro
-Que ele fez?
-Você saiu do meu quarto, depois o meu pai ligou-me, depois eu liguei para a Glória - Disse mostrando o registo de chamadas-  Depois deitei-me mas levantei-me, fui em direção à janela e estava tudo escuro, eu estava admirada porque da janela eu vejo sempre luzes, do nada senti alguém a por a mão na minha cintura, fiquei apavorada tia, dei uma espécie de coice e corri para o interruptor, quando vi o Lucas estendido no chão fiquei com medo, ajoelhei-me junto dele e estava a dar leves palmadas no seu rosto, aproximei-me para verificar o ritmo cardíaco e ele colocou de novo as mãos na minha cintura, pôs-se em cima de mim e tirou a t.shirt, eu disse para ele me largar, mas depois, quando ele ia para os calções eu chamei por você.  Disse fazendo cara de apavorada
-Vamos fazer queixa!
-Não. A culpa foi minha, eu devia ter ...
-Não foi, vamos fazer queixa Miranda
-Se me obrigar eu nunca mais torno aqui!
-Pronto, tenta dormir, não te preocupes vou agora mesmo conversar com o Lucas.
-Obrigada. - Dito isto, ela abraçou-me e saiu.
Eu comecei esta mentira, por isso, vou termina-la, doa a quem doer! Sim não me esqueci daquilo que ele fez à 8anos atrás, vou destrui-lo, ele que se prepare, sim, isto é uma declaração de guerra!
*****


Notas Finais


Então, o que estão a achar?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...