História Rude Boy (Imagine Jimin - BTS) - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Personagens Originais
Tags Imagine Jimin, Jimin, Park Jimin, Pockyx, Você
Visualizações 1.242
Palavras 2.279
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 17 - Ciúmes


Passei a mão em meus olhos, bati meu braço do outro lado da cama e olhei pro lado ao não sentir o corpo de Jimin. Me sentei um pouco confusa, passei a mão em minha testa, sentindo um pedaço de papel ali. O peguei e sorri enquanto lia. 

"Não tem porra nenhuma na tua casa, fui ao mercado. Dorminhoca"

Me levantei e senti o frio me abater, abracei meu próprio corpo e corri até meu guarda-roupa, pegando um moletom gigante, o vesti, sentindo o tecido bater na metade de meu bumbum. Peguei uma calça de moletom e a vesti enquanto andava para a saída do quarto.

Ouvi a porta do apartamento abrir e corri, Jimin se virou para fechar, quando se virou, ele derrubou as sacolas no chão e segurou minhas coxas, dando com as costas na parede. Foi a corrida mais divertida que ja fiz até hoje. 

- Bom dia. - Sussurrei ao dar um selinho nele. 

- Bom dia. - Me impulsionou pra cima, me segurando com força contra ele. - Acordou agora? - Assenti pendurada nele igual um bicho preguiça. 

- Eu achei que tinha ido embora. - Minha voz saiu sonolenta e rouca. 

- Você sabe que eu não te deixo sozinha. - Ele segurou em minha cintura, deixando as sacolas no balcão e depois pegando minhas coxas. 

O olhei, tirei o cabelo dos olhos dele e beijei a pontinha do nariz dele, Jimin riu baixo e eu logo selei nossos lábios. 

- Você acha que somos aquele casal grudentos? Tipo, meloso? - Jimin riu alto. 

- Você está longe de ser melosa. - Fiz uma careta e bati em seu ombro.

- Eu to com fome, mas estou com preguiça também. - Senti minha bunda fazer contato com a madeira do balcão gelado. 

- Quer voltar a dormir? Eu acordo você depois. - Me deu um selinho. 

Assenti me pendurando nele de novo, Jimin me puxou de novo e caminhou comigo pela casa, murmurei brava ao ouvir o interfone tocar. 

- Deixa que eu vou. - Sai do colo dele e me arrastei até o interfone. - Oi? - Falei ao atender. 

- Seus amigos estão aqui, senhorita. - Franzi o cenho. 

- Quem? - Perguntei, eu estava com muito sono. 

- É o Tae! Hoseok! - Ouvi a voz do Tae e ri. 

- Pode deixar subir. - Desliguei. 

- Quem era? - Jimin perguntou e eu me arrastei até o sofá. 

- Hoseok e Tae. - Me deitei no sofá e abracei uma almofada. 

- Você não vai dormir, sinto muito. - O olhei e ri baixinho. 

A campainha soou e Jimin abriu a porta, no minuto seguinte a gritaria começou, coloquei a almofada em meu ouvido, mas logo senti alguém subir na minha perna. 

- Acorda! Acorda! - Taehyung me chacoalhava de um lado pro outro. 

- Desgraça. - O chutei com minha outra perna. 

- Nossa, que grossa. - Ouvi a voz de Hoseok. - Acorda, anda logo. - Eles me balançavam, eu apenas queria chutar a cara de cada um deles por estarem fazendo isso comigo. 

- AAAH o que foi? - Me sentei no sofá, com o cabelo sobre meu rosto e a cara emburrada. 

- O que foi? Piroca! - Taehyung se levantou. O olhei e arqueei uma sobrancelha, eu não ensino mais nada sobre o Brasil pra eles. - Levanta essa bunda, vamos sair. - Me joguei no sofá novamente. 

- Eu não, meu namorado tá fazendo café da manhã pra mim, vou ficar aqui. - Abracei a almofada. 

- Quem disse que o Jimin sabe cozinhar? - Hoseok falava enquanto ria alto. 

- Sente o cheiro de queimado? - Taehyung perguntou e eu ri. 

- Vocês não tem amor a vida de vocês. - Jimin se sentou ao meu lado e me puxou para seu colo. 

- Viera só pra encher o saco? - Eles se entre olharam e assentiram. - Deixa eu bater neles, por favor. - Jimin riu baixo. 

- A vontade. - Soltei uma risada baixa e beijei seu pescoço. 

- Ah não, eles vão começar. - Hoseok falou e eu ri. 

A porta foi aberta bruscamente, por ela, passou Miranda, totalmente nervosa, ela foi até Hoseok e começou a bater nele sem parar. 

- Me deixou... - Deu um tapa nas costas. - Sozinha na droga do carro. - Jimin ria baixo e escondia o rosto em meu pescoço. 

Jimin me sentou e pegou algo em seu bolso, ascendendo o cigarro logo depois, suspirei e cruzei meus braços. Óbvio que eu não gosto quando ele fuma, isso é prejudicial à saúde dele. 

Ele segurou minha mão, o olhei, seu sorrisinho de canto apareceu e ele soltou a fumaça para o outro lado. 

Miranda ainda discutia com Hoseok, mas ele a acalmou com beijinhos no rosto. 

- Então, o que vamos fazer? - Perguntei. 

- Estava pensando em ir no karaokê. - Levantei uma sobrancelha. 

- Ela? Cantar? - Fuzilei Jimin com meus olhos e ele riu alto. 

- Eu canto sim, e muito, sou uma ótima cantora. - Me gabei, todos pararam o que fazia e depois caíram na gargalhada. 

(...)

Eu ja estava quase pronta, só estava escolhendo uma jaqueta, assim que achei, fui até o espelho e a vesti, olhando minha bunda, somente para ver se a saia a cobria corretamente, arrumei meu tênis e sai do quarto, deslizando a mão por meu cabelo. Jimin estava parado no corredor. 

- Esta... Isso não está muito curto? - Deixou o cigarro de lado e me virou de costas. 

- Estou usando um short por baixo. - Dei de ombros, ele ergueu e analisou, soltei uma risada e me virei. 

- Vão ficar olhando. - Revirei meus olhos. 

- Mesmo que fiquem, o único que pode tocar é você. - Então ele sorriu, totalmente safado. 

- Estão nos esperando lá embaixo, vamos? - Assenti, segurando sua mão e saindo do apartamento. 

Descemos a escada igual dois idiotas, ele corria na minha frente e eu bufava de raiva, ao pé da escada, ele me agarrou, me beijando e me encostando na parede. 

- Para com isso. - Falei rindo baixinho. 

Ele arrumou meu cabelo, logo, segurou minha mão, entrelaçamos nossos dedos. Era nítido que eu estava feliz com meu namoro com Jimin, eu queria tentar com ele, de diversas formas, eu quero ele somente pra mim. 

Saímos do prédio, tendo reclamações feita daquelas três pessoas chatas, soltamos uma risada e logo entramos no carro de Hoseok. 

- Nós não comemos, podemos passar em algum lugar antes? - Hoseok me olhou. 

- Devia morrer de fome, fez a gente esperar. - Soltei um riso. 

- Eu devia te bater, eu queria estar dormindo, mas não estou, então shiu e me leva pra comer. - Ele riu. 

Repousei minha cabeça no ombro de Jimin, vendo ele brincar com meus dedos, expalmei minha mão sobre a dele. A mão dele não é tão grande, não como a dos outros homens, é fofinha, mas tem calos por conta de que ele faz desenho e se esforça demais. Minha mão é menor que a dele, olhando agora, pude perceber isso, em como ela se encaixa perfeitamente com a dele. 

Comecei a brincar com os dedos dele, o vendo apenas olhar pela janela, medindo dedo por dedo, chegando ao dedinho dele eu sorri, não era tão grande, era menor. 

- É pequenininho. - Ele me olhou e sorriu ao ver o que eu estava fazendo. 

- O que? - Tae perguntou. 

- Falou pequeno ele se pronuncia. - Jimin brincou e eu ri baixo.

- Vocês são tão desagradáveis. - Miranda falou e eu ri baixo. 

Jimin olhou para a janela, agora eu brincava com o cabelo se sua nuca, vendo aquela tonalidade escura, soprei ali, vendo ele se encolher e me olhar depois. Soltei um sorriso inocente e ele negou me puxando, passando o braço por meu ombro. 

- Chega de brincar. - Falou baixo.

Neguei rindo, coloquei uma de minhas pernas sobre a dele, fazendo a saia subir um pouco, mas logo cair entre minhas pernas. Jimin repousou a mão em minha coxa e a apertou, deslizou para meu joelho e ficou com a mão ali. 

Meu primeiro namorado nunca foi assim, amoroso e cuidadoso, não como Jimin é, tudo é diferente, os toques, as palavras, o método que ele usou para me conquistar. Sou grata por isso, grata por ele ser diferente e tão único. 

- O que tanto pensa? - O olhei e neguei com um sorriso. 

- Nada demais. - Levei minha mão ao seu rosto e o beijei, sentindo a textura daqueles lábios carnudos. 

Ele sorriu e uniu minha testa na dele, me aconchegando para mais perto, fiquei o encarando. Jimin, sim, ele é totalmente diferente, tanto na aparência, quanto em personalidade. 

(...)

- Acorda ela. - Tae sussurrou e eu abri meus olhos lentamente. 

- Chegamos. - Jimin sorriu e eu me ajeitei no banco. 

- Nossa, andamos muito? - Assentiu. 

- Duas horas. - Pisquei algumas vezes, Jimin desceu do carro e me ajudou, abraçando minha cintura por trás e se encostando na lataria. 

- Aqui é muito legal, você vai gostar. - Miranda falou. 

- Eu quero é comer, isso sim. - Jimin riu abafado em meu pescoço, me causando um arrepio e um sorriso. 

- Vamos entrar. - Hoseok puxou Miranda pela mão. 

Olhei para trás quando Jimin passou o braço sobre meu ombro, vendo alguns caras pularem de uma picape, passei meu braço pela cintura de Jimin e beijei sua bochecha. 

- Fique longe deles. - Sussurrou. 

- Vai me explicar depois. - Ele assentiu e eu sorri de canto. 

- Boba. - Apertei a cintura dele, o fazendo apertar meu ombro. 

Entramos no local, o qual era um bar mal iluminado, mas dava para ver o bastante, avistei os meninos e Miranda sentando em uma das mesas, andamos até eles é logo nos sentamos também. 

- O que vai querer? - Jimin pegou o cardápio e eu o encarei. 

- Tem batata frita? - Ele sorriu e assentiu. - Escolhe uma bebida. - Ele assentiu, Hoseok levantou e uma garçonete veio em nossa mesa, apoiei meu queixo em minha mão e fiquei encarando Jimin, depois, a garçonete, que queria se inclinar para frente de alguma forma. - Já anotou, querida? - Perguntei cruzando minhas pernas. 

Ela me olhou com uma cara nojenta, entortando a boca e saindo de perto da mesa. Escutei a risada baixa de Jimin, o olhei, fulminando ele com meus olhos. 

- Ciúmes? - Soltei um riso. 

- Eu confio no meu taco. - Ajeitei minha postura. 

- Não parece. - Bati a mão na mesa. 

- Fica quieto ou eu corto a sua língua. - Apontei o dedo para ele, o mesmo segurou minha mão e mordeu a ponta de meu dedo. - Idiota. - Ele segurou meu rosto, me fazendo ficar com um bico e logo me beijar. 

Fiz um murmuro e ele riu me dando mais um selinho, praticamente o puxei quando ela voltou com nossos pedidos, deixando minhas duas pernas sobre as de Jimin e sua mão sobre meu joelho direito, ele me olhou e sorriu convencido. 

É um idiota mesmo, adora me provocar, vou arrancar esse sorriso com meus dentes, isso que eu vou fazer. 

Puxei a cerveja da mão dele e a bebi, o olhei um pouco brava, então seu sorriso aumentou quando ele olhou para o lado. 

- Vem cá. - Se levantou e estendeu a mão. 

- Não. - Virei para frente. Ele suspirou e tirou a latinha de minha mão, logo me puxando com força. 

- Sabe jogar? - Apontou para a mesa de sinuca. 

- Mais ou menos. - Fiz um bico torto. 

Ele pegou um dos tacos e me estendeu, o peguei, vendo ele ajeitar todas as bolas sobre a mesa. 

- O que eu ganho se fizer mais pontos? - Ele me olhou. 

- Um beijo. - Soltei um riso. 

- Isso eu ganho toda hora, algo à... Mais? - Inclinei minha cabeça para o lado e ele sorriu maroto. 

- Ok, ganha o que quiser. - Mordi meu lábio. 

- Pode começar. - Ele assentiu. 

Jimin se inclinou, e numa tacada só, acertou três bolas nos buracos. Suspirei, isso ia ser meio impossível, me inclinei um pouco e acertei, mas somente duas foram encaçapadas. 

- Acho que eu ganho esse jogo, eim. - Revirei meus olhos. 

Jimin acertou mais um, tentei de novo é não consegui encaçapar nenhuma, ao contrário dele, que olhou todas as bolas, acertou quase todas, restando somente uma. Bufei, aquele jogo já estava ganho, Jimin é o vencedor com toda a certeza, me inclinei, acertando a última bola, quando me levantei, Jimin já estava do meu lado, passando sua jaqueta por Minh cintura e a amarrando. 

- Eu falei que essa droga estava curta. - Então eu escutei risadinhas e olhei para o lado, vendo alguns caras me medirem. 

- Esquece eles. - Ele segurou meu pulso. - Jimin, olha pra mim. - Seus olhos pegavam fogo. - Relaxa, ok? Lembra o que eu te falei? Podem olhar, mas o único que toca em mim é você. - Passei minha outra mão por seu peito, o qual subia e descia rapidamente. 

- Droga, vamos sair daqui. - Suspiro e assenti. 

Acenamos para os meninos e saímos do lugar, indo para os fundos e tendo meu corpo prensado contra a parede. 

- Eu vou queimar essa saia. - Soltei um riso. 

- Não quer queimar outra coisa? - A feição dele se suavizou e um sorriso de canto apareceu. 

- Com certeza. - Mordi meu lábio, relaxando nos braços dele e encostando nossos lábios. 


Notas Finais


Eu não irei me desculpar, nem pedir que me amém, nem nada do tipo, eu simplesmente.... Desabafo aqui? Mas acho que está na hora de eu crescer e arcar com minha responsabilidade.
Quando vocês dizem que eu me atraso, é pq tenho uma vida fora daqui, quando peço para comentarem, é pq eu consigo ter aquele tempo, chora lendo o comentário de minhas leitoras, bem... Eu não peço que tenham pena, a ultima coisa que quero é que sintam isso por mim, mas quero que tenham compreensão, apenas isso.

Amo vocês, não sei quando o próximo capitulo sairá s2

Meu perfil, para quem quiser me acompanhar > @Park_Nick


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...