História Ruínas da Magia - Lágrimas dos Condenados - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Criaturas, Luta, Magia, Mentiras, Romance, Romance Gay, Sobrevivencia, Suspense, Traição, Yaoi
Visualizações 22
Palavras 1.417
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Lemon, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Steampunk, Super Power, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Voltei!!!
Depois de uns 3 meses sem escrever nada tomei vergonha na cara. Não me matem. Por favor.

E sim esse da foto é o Théo.
O capítulo estava imenso e como só pode "infelizmente" por uma única foto eu dividi para poder apresentar outros personagens.

Capítulo 1 - Período de tenção.


Fanfic / Fanfiction Ruínas da Magia - Lágrimas dos Condenados - Capítulo 1 - Período de tenção.

E ai gente me chamo Theodoro Martins Toledo mas prefiro que me chamem de Theo para que gastar saliva né.

Sempre fui uma pessoa comum. E sem graça. Em um mundo onde Hunters que caçam demônios e lutam contra o mal. Nada clichê... Ou feiticeiros que obviamente usavam magia. E várias outras caralhadas de seres sobrenaturais. E eu onde fico?

No status : Humano

É uma tristeza isso... sabia?

Mas não sou a pessoa mais corajosa do mundo então que seja.

Caminho pela cidade de Daran, o maior centro misto do mundo. O que obviamente quer dizer que não é todo lugar que pode.

Hoje as coisas são problemáticas.

Olho o relógio...

Merda.

Começo a correr por que alguém aqui esqueceu a merda das horas.

Quem você acha? só uma dica...um nerd de óculos.

Chego no colégio no horário passando pelos corredores.

E vejo um grupo de garotos conversando.

Garoto 1: Dizem que vão abrir a MidNight of House!

Garoto 2: Sério! Esse fim de semana? Queria tanto ver....

Garota 1: Não seja burro só andarilhos da noite podem participar.

Garoto 2: Eu sei mas...

Garoto 1: A gente sabe mas não quer dizer que não queremos ver.

Sorrio involuntariamente

House of Midnight a primeira escola em que mistura todos os Andarilhos da Noite ou filhos da noite. Se qualquer um esperava que eles seriam superiores com seus poderes e tal muito se engana.

Já fui salvo por um Hunter uma vez e sabe o que ele disse?

Sim Theo eu sei eu estava lá se lembra?!

Hunter: Humano burro. Todos os humanos devem ser burros para cair em uma armadilha dessas ou você é mais burro que o normal?”

Suspiro irritado.

Como eu ia advinha que aquela senhora pedindo ajuda era uma vampira?!

Suspiro

Bem pelo menos ela não tirou um pedaço de euzinho.

Procuro pelos corredores tentando achar Amanda minha melhor amiga. Que me deu um cano...ótimo não acha?

Não que seja a primeira vez desde o aniversário de 17 anos de Amanda. Mesmo que a teimosa não fale...eu a conheço melhor do que a mim mesmo. Tá rolando alguma coisa. E a criatura não quer me contar...para seu melhor amigo... é o cúmulo!

Ou era

Calado Téo

Respiro fundo.

Preciso parar de conversar internamente comigo mesmo. Isso é estranho

Você acha?!

Calado.

Passo pelos corredores e entro na sala de aula...o que me deixa feliz. Afinal é o último dia de aula.

E depois faculdade...se bem que....que merda de faculdade eu faria?... Eu pensei então decidi publicidade...não que eu pense muito no assunto. Agora é só esperar o resultado.

Prof° Ian: Abram os livros de português...

Fala sério lá se foi meu bom humor. E ainda por cima...

Olho para a cadeira vazia ao meu lado.

Cadê você Amanda?



Estou em frente a casa de Amanda tocando a campainha. Mas parece que é perda de tempo.

Abro minha mochila e arranco uma folha do caderno e escrevo.


Recado ON


Amanda Cristina Hunt por onde você anda? Estou preocupado.

E sua mãe? Nunca mais a vi...

Tenho saudades...você está bem? Está feliz?

Se precisar de algo...só mandar mensagem e se tiver vergonha na cara me ligue.

De seu MELHOR AMIGO 

Theo.


Recado OFF


Ok. É um exagero sim. É dramático sim...mais lamento dizer esse sou eu.

Suspiro

E volto a caminhar.


Chego em casa e vejo minha doce irmã, Rita... teclando com alguém no telefone...um novo namorado talvez.

A sala possui um sofá branco, em frente a uma mesa de centro. Uma tevê na parede uma estante, uma mesa de jantar com 6 cadeiras. Com uma outra estante atrás. E ao lado uma janela.

Sentada no sofá branco da sala. Com as pernas esticadas com os pés em cima da mesa, que diga-se de passagem é a favorita da mamãe.

Tiro meus fones e me despeço de Evanescence – Imortal, um pouco triste e depressivo. Mas foda-se eu amo essa banda e música.

Théo : Um novo namoradinho seria o Claudinho...

Ela nem desvia os olhos do celular como se tivesse fazendo a coisa mais importante do mundo

Rita: E Amanda parou de deixar você para escanteio. Depois de descobrir que você é um inútil.

Diz sem tirar os olhos do celular

Théo: Uau...pegou pesado mana. Boa tarde para você também.

Rita: O mal educado é você e sim eu e o Claudinho estamos ótimos. Obrigada. E vê se some.

Sorrio

E levanto as mãos em rendição

Théo: Bandeira branca garota. Cesse o ataque.

Ela revirar os olhos e sorrir de lado.

Gargalho subindo as escadas.

Deito na minha cama. No meu quarto espaçoso. Cheio de coisas nerds.

Olho para o teto decorado e pintado para parecer várias estrelas. Com várias constelações. E sorrio pensando onde estaria Amanda.

Sr° Lídia me encara com um sorriso que a muito não vejo em seu rosto. A Senhora Toledo deve estar feliz que seu filho vai se formar e ir para faculdade.

A muito tempo ela não sorrir Assim. Fazendo piadas e sorrindo de verdade.

4 anos atrás meu pai morreu de câncer. Não foi bonito e nem como é em um filme. Acredite...ainda dói...mas eu prometi e acho que todos da família... Que lutariam para superar mas acho que essa palavra não seria a certa... Não há segredo ou forma de superar algo assim. É como ter uma parte do corpo amputada. Tem dias que doem mais do que outros e fazem mais falta. Mas só podemos seguir em frente. Sem jamais esquecer da pessoa querida.

Lídia: ... então ele disse “ Eu disse que era rosa é não Pink seu bobam”. Como uma criança de 3 anos aprende essas coisa. Hum... filho?

Olho para minha mãe que me encara preocupada. Até Rita estava me encarando.

Merda em...

Théo:  Desculpa eu...

Rita: Ele devia tá pensando em Amanda...

Diz fazendo beicinho.

Théo: Estava pensando no pai.

A piada morre.

Todos na mesa ficam em silêncio. Perdidos na próprias lembranças.

Minha mãe olha para janela e seus olhos estão distantes perdidos nas estrelas...

Lídia: Ele estaria orgulhoso. Sabe...

Ela olha para mim e Rita e segurou firme nossas mãos.

Lídia: Ele estaria orgulhoso do filho que vai entrar na faculdade. E de sua linda filha que se tornou uma linda mulher. Ele estaria orgulhoso.

E soltou nossas mãos. E Começou a brincar com um colar. Em formato de coração com a foto de toda família.

Rita: É claro que eu seria linda.

Théo: em compensação a inteligência passou longe.

Rita: em compensação a beleza passou longe né Théodore.

Lídia: Crianças sem brigas.

Os dois juntos: Foi ele/ela que começou.

Lídia: Que seja. Agora sosseguem.

Após terminarmos de comer conversamos mais um pouco.

Théo: Senhora Toledo ainda falta muito para sair o resultado da faculdade.

Lídia: Que seja.



Vários meses se passaram e nada de Amanda e Sua mãe.



Eu já tinha começado na faculdade minha mãe estava orgulhosa. Mas sabe...já se sentiu perdido...bem é assim que eu me sinto.

Talvez publicidade não seja para mim...talvez Amanda...não seja para mim...

Atravesso a rua e paro em frente a entrada da faculdade. Meu telefone toca.

Pego meu celular e é um número desconhecido. O que é estranho. Sou nerd e não importa em que dimensão ou mundo os nerds ou não tem amigos ou tem apenas 1.

Pego meu celular e atendo.


Ligação ON



Théo: Alô?

???: Théo?!

Théo: Amanda? O que? Como? Você está bem? Sua mãe? Por que você sumiu? Onde estava e ....

Amanda: Théo não posso explicar agora. E...eu preciso de um favor.

Théo: Claro mas... *Suspiro* Ok. Qual é o favor?

Amanda: Pode me buscar nesse endereço: Rua Estéreis, N°456 – C. Eu preciso de ajuda.

Théo: Vou chegar logo...


Ligação OFF



É claro que corri o máximo possível e até peguei um táxi...coisa que quase nunca faço. Só por que minha mãe tem um escritório não quer dizer que eu tenha dinheiro. Ou que não deva economizar.

Finalmente eu vou rever- lá minha... amiga... Amanda.

Pago o taxista e saiu apressado quase caindo e quebrando a cara.

Chego em um edifício cinza e estranho...no mínimo. Todo cheio de símbolos estranhos e palavras bizarras. Muitos prédios e casas estão abandonadas por ficarem próximos a floresta. Então seus preços caíram muito. Não importando o quando são lindas e bem feitas. Mas mesmo assim poucos tem coragem de compra-las.

Me aproximo de uma porta de metal e ouço sons estranhos.

A porta é aberta com violência o que me faz cair de bunda no chão.

Théo: Merda...essa doeu...

Amanda: Théo?!



Notas Finais


Só o primeiro capítulo.
Espero que gostem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...