História Ruínas da Magia - Lágrimas dos Condenados - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Criaturas, Luta, Magia, Mentiras, Romance, Romance Gay, Sobrevivencia, Suspense, Traição, Yaoi
Visualizações 10
Palavras 5.175
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Lemon, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Steampunk, Super Power, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Esse é o último capítulo do
Ato Zero

E a coisa vai ficar feia para os mocinhos. Aproveitem...

Capítulo 6 - Sobreviva


Fanfic / Fanfiction Ruínas da Magia - Lágrimas dos Condenados - Capítulo 6 - Sobreviva

POV. Amanda


Estávamos caminhando pelos corredores do prédio abandonado e protegido por runas místicas, que protegiam de qualquer humano e Tomamos cuidado para não chamar atenção indesejada. Chegamos em tipo de laboratório ou salão de rituais. Tendo vários símbolos e runas estranhas. Caveiras e sangue e partes de pessoas espalhadas por todo o lugar.

Merda.

Tento me controlar para não correr com o rabo entre as pernas. Preciso provar que sou útil e ajudar minha mãe...

Queria que o Théo tivesse aqui...

Olho em volta

E vejo algo gosmento escorrendo da parede e quanto mais escorre pior o cheiro...dessa merda.

Mesmo após os meses de missões e treinos preciso me concentrar para não vomitar.

O cheiro de podre e enxofre faz remexer minhas entranhas.

E as coisas só melhoram diria Théo se tivesse aqui.

Mas ele estaria em risco e de qualquer forma esse lugar precisa de uma limpeza urgente e quem sabe de um exorcismo.

Cindy : Esse lugar fede. E que caralhos é isso?

Diz apontando para um embrulho pequeno com várias manchas negras e vermelhas dentro de um círculo ritualístico.

Balanço a cabeça

E para ao seu lado olhando para o embrulho suspeito é sinistro que parece se mexer.

Amanda: Eu não sei e algo me diz que é melhor não saber.

Cindy: Pode crer mana...

Jesse para ao nosso lado e olha para o embrulho.

Jesse: Não toque em nada. Não sabemos o que poderia acontecer deixe que os buscadores cuidem disso.

Ela mastiga o chiclete e faz cara de nojo.

E com razão

Merda

Pulo para trás quando uma gosma estranha quase acerta minhas botas.

Cindy: Que seja. Eu é que não quero suja minhas unhas.

Eu concorda com a cabeça.

Acho que nesses 2 meses a Cindy me contaminou com o jeito menininha. O que é irônico já que ela é mais durona que muito macho mas é o que dizem. Agradeça o que você tem.

Caminhamos um ao lado do outro

Jesse balança a cabeça. Olhando para todos os lados verificando se estamos seguros.

Jesse para de repente e começa a olhar para vários símbolos estranhos.

Jesse : Estou mais interessado nesses círculos mágicos e ritualísticos...

Diz com um brilho estranho nos olhos.

Pego meu celular no bolso de trás e Tiro fotos dos símbolos e das marcas estranhas.

Quero sair logo desse lugar.

Amanda: Resolvido. Depois quem sabe vamos poder entender essa loucura. E de preferência não fede a bafo de demônio.

Cindy: Querida. Eu nasci nesse mundo e até hoje não entendo essas merdas e talvez ninguém são entenda... E no caso de feder bem, antes vocês do que EUUU...

Diz rebolando e indo. Frente

Sorriu com o comentário.

E Jesse apenas balança a cabeça.

Olho para Jesse que sorri e me olha cumprisse.

Como se Cindy fosse Sá...

Após mais algumas lutas que na minha opinião foram fáceis de mais..

Ate Para mim...

Chegamos em um salão aberto.

Jesse estava tenso como se esperasse uma armadilha. E até mesmo Cindy estava olhando para os lados e tinha jogado o chiclete fora....eu não acreditei quando vi... mas acho que todos sentiam a pressão.

Um sentimento agourento. E de morte estava presente a cada passo.

Tem alguma coisa muito errada aqui...

Tomávamos cuidado onde pisávamos com receio de atrair mais inimigos.

Saímos só prédio mas havia ainda um caminho de terra no meio do mato que levava a um galpão e seguimos o caminho.

Chegamoss em um tipo de galpão ligado ao prédio.

Cindy fez um sinal e apontou para baixo. Iluminando com a espada revelando marcas de pneus de caminhões.

Cindy e Jesse trocam um olhar estranho.

E apertam com força suas armas o que me deixa ainda mais tensa.

Parece que eles sabiam que... Tinha algo errado ...até eu sabia... O que tenho de admitir é raro.

Um estrondo faz com que eu já entre em posição de combate. Escuto um som de algo pesado sendo arrastado. Me aproximo de Cindy que olhava para a entrada do galpão com receio.

Amanda: Você ouviu...?

Jesse: Cuidado!!!

Pulo para o lado e rolo no chão assim como Cindy. A tempo de desvia de uma viga de metal que acerta o chão e se clava nele.

Jesse corre em minha direção e me ajuda a me levantar.

Jesse: Que merda foi...

Cindy: Ali...mas o que é isso...?

Vejo os outros se preparando.

Tô com um péssimo pressentimento.

Vejo um vulto preto de o que parece um homem. Ele se aproxima de vagar e do nada corre em nossa direção.

Um homem careca com várias veias saltadas ...bem isso se forem veias. Uma camisa Blanca e calca jeans.

Jesse: Se preparem! Está vindo!

Amanda: Mas o que está vindo?!

Cindy: Não faz pergunta difícil....

Jesse: Merda...um Adepto!!!

Finalmente ele se torna visível e que bom que não comi nada antes

O cheiro de podre e enxofre exalam dele que está coberto por manchas negras é um líquido negro suspeito que caia no chão a cada movimento seu e pior do que isso é o fato de borbulha. Como se o lodo tivesse vivo.

Jesse faz uma cara estranha

Jesse: Se preparem!...está vindo.

Ele pula e tenta me acerta com um soco no ar

pulo para trás e giro trocando de base e mudando a perna de apoio.. Ele acerta o chão que racha com sua força. E agachado ele se levanta.

Quase me desequilibro com o impacto. Não parece bom...se ele nos pegar.

Uso a runa do equilíbrio e harmonia do movimento e sinto aquela velha queimação.

Aproveito a chance e o atacou com a lâmina celestial. Estocando em sua barriga. Mas ele pula para trás em um movimento rápido.

Jesse corre em nossa direção e tenta dar uma rasteira nele. Enquanto Cindy procura uma melhor posição para atacar.

A coisa pula e rola para o lado.

Jesse se levanta já em posição.

O monstro Já levanta dando um soco potente no ar que por pouco não acerta o rosto de Jesse que pula rolando para o lado.

Jesse se levanta em um pulo e dar um chute no ar girando seu corpo todo. Mas acerta no braço da coisa. Que tenta segurar as pernas de Jesse.

Corro em direção a eles e giro o corpo com a lâmina cortando o ar em direção ao braço da coisa como uma extensão do meu corpo. Mas ele pula para trás desviando com facilidade.

Jesse e eu estamos já ofegantes.

A coisa não é só forte, é rápida e aprende rápido.

Jesse: Usem a runa da proteção e da força a coisa vai ficar feia.. e não deixem ele pegar vocês.

Faço como foi mandado e sinto aquele desconforto e até uma leve tonteira...

Não sei por quanto tempo posso suporta lutar assim.

Jesse já corre para cima da coisa.

Que tenta segura-lo mas no último segundo Jesse pula para trás.

Cindy estala seu chicote e o arremessa prendendo no braço da coisa. Mas a força do movimento quase a faz se desequilibrar.

Jesse aproveita e gira sobre sua perna indo para frente e dar um chute no rosto da coisa. Que cai atordoado rolando no chão e para de barriga para cima com seu braço preso pelo chocolate esticado.

Cindy liberta o braço da coisa e ataca outra vez ao vê-lo se mexer

A coisa tenta levanta mas Cindy usa seu chicote que prende o pescoço do monstro. Que se debate desesperadamente tentando se liberta.

Ele se levanta se debatendo tentando se libertar.

Cindy sorri zombedeira.

Cindy: Não mesmo coisa feia!

Uma luz emana do chicote e chega a sua ponta. A luz se torna raios que paralisam e ferem o monstro. Que começa a se sacudir e a tremer.

Jesse: Muito bem Cindy. Vamos acabar com isso.

Diz olhando para mim.

Giro a espada e a posiciono a frente do meu corpo enquanto vou para frente. Pronta para estocar no estômago da coisa. Assim como Jesse que gira a lâmina e mirando no pescoço do maldito .Mas ele desvia com facilidade pulando para trás surpreendendo todos nos.

E a palavra “fingimento e Armadilha” mostram seu verdadeiro significado

Cindy é arrastada por ele e quase caí no chão. Mas já acostumada com situações assim no combate. Logo recupera sua compostura e puxa o chicote com força o que desequilibra o monstro que cai de joelhos.

Jesse pula para frente e rola entrando no espaço do monstro girando a espada em suas mãos mirando em seu pescoço.

O monstro coloca os braços na frente tentando segurar o pulso de Jesse mas Cindy puxa o Chicote o desequilibrando. Mas mesmo assim ele segura o ataque de Jesse segurando seu pulso com uma mão. E a outra vai ao chão para equilibra-lo. Que logo vai ao chicote que ainda estão com o chiado de eletricidade.

A carne de sua mão é queimada.

E com a outra segura o pulso de Jesse que tenta chuta-lo mas não tem efeito.

Merda

Amanda: Jesse!!

Jesse tenta se soltar mas a coisa torce seu pulso é um estalo é ouvido

Jesse solta um grito agoniante.

Vejo sua espada cair e o brilho se apagar.

Lágrimas começam a querer se forma em meus olhos. Minhas pernas começam a tremer

Medo...estou com medo.

Eu aperto com força a minhas espada. E respiro fundo. Vejo Cindy fazendo uma careta se raiva.

As coisas estão feias.

Ando em volta do monstro procurando uma abertura mas a coisa parece me seguir é sempre saber onde estou.

Cindy puxa o Chicote em um duelo por controle acerrado com o monstro. Que mesmo sendo mas forte que ela é queimado pelo chicote ao entrar em contato com ele pelo choque elétrico que não parece se a única coisa que nos dá vantagem no momento.

Sem o chicote de Cindy já estaríamos mortos.

Em um movimento a coisa puxa Jesse...

Meu coração acelera e eu grito e ele dar uma cabeçada em Jesse..

Jesse fica totalmente tonto e atordoado e sangue em grande quantidade sai de sua cabeça

Cindy puxa com as duas mãos o chicote o que desequilibra o monstro e em um movimento rápido puxa uma adaga de suas costas e arremessa contra o monstro. Que se protege com o braço recebendo o ataque. A adaga perfura seu braço. Profundamente.

Aproveito a abertura e pelas costas do monstro ataco. Usando o equilíbrio da lâmina a arremesso em sua direção. Usando a Runa da Força e do Equilíbrio e da Destreza que me causa certa agonia.

A lâmina corta o ar mas antes de acerta-lo com a mão Livre Jesse dá um soco na clavícula da coisa. Que surpresa solta seu pulso. Pelo susto

Minha lâmina acerta as costas da coisa que rapidamente tenta alcançar a espada.

Cindy usa toda usa força e o poder das runas para dar um puxão e apertar ainda mais o pescoço do monstro. Que se desequilibra e cai. Acertando o chão com tudo e fazendo minha espada sair de seu corpo rasgado e tirando pedaços de carne.

O monstro se debate.

Jesse pula sobre o monstro atordoado. E com a mão ainda boa pega uma de suas facas e clava no pescoço do monstro.

E mesmo de longe era possível ver que sua mão sangrava.

O monstro se debate e tenta segurar Jesse

Mas Cindy vendo a situação puxa com força o chicote apertando o pescoço já ferido do ser fazendo um cheiro de queimado e pulgente enche o ar.

Mas em um ato desesperado ele consegue se levantar derrubando Jesse que logo pula para trás se afastando do monstro e a coisa se levanta e pular para trás. Arrastando Cindy que cai no chão.

Com o movimento a ferida e se abre ainda mais é o monstro grita em agonia.

O corte parece profundo e rapidamente o cheiro de podre e enxofre aumenta e um líquido negro escorre fartamente da ferida. A coisa cai de joelhos e se dobra despencando no chão. Começando a de debater até que para.

Respiro fundo e corro atrás Jesse. E o seguro com força.

Amanda: Jesse! Meu Deus!

Jesse sorrir

Eu acharia lindo se ele não tivesse com a cara coberta de sangue e gomas negra nas roupas.

Cindy: Muito obrigado pela preocupação. De nada. Seus tarados.

Ela se levanta do chão e bate na roupa tentando limpa-la.

Tento ajudar Jesse em quanto Cindy reclama de sempre perder suas roupas caras e que devia receber mais por isso..e blá..blá..blá..

Enquanto ajudava Jesse a se levantar ouço mais resmungos de Cindy. Mas Sinto uma sensação estranha.

Cindy vem ajudar Jesse. E eu me levanto olhando em volta.

Cindy: Ele fez um estrago nessa cara de bebê. Ei Amanda acho que ele vai precisar de uma cirurgia. Que tal pedir ao doutor para reformular esse nariz. Nunca foi muito bonito mesmo...

Jesse mostra o dedo do meio.

Mas estava ocupada demais com a sensação de estar sendo observada.

Vou até próximo ao corpo do monstro e pego minha espada.

A sensação de ser observada aumenta.

Théo sempre disse que quando você quer se esconder é bom se esconder em lugares escuros e altos...

“ Théo: Ninguém olha para cima...”

Engulo em seco...

E olho para cima...como odeio quando ele está certo....

Um ser de forma humanoide e totalmente deformada sorrir de forma diabólica. A coisa é totalmente deformada e saindo de um pesadelo. Com garras e um rabo que parace de escorpião. Mesmo sendo magro seus músculos são bem construídos e com pernas fortes para grandes saltos...ele lembra um pregador dos programas do Discovery...

Ele pula em minha direção

Ergo minha espada por instinto. Cortando o ar.

Mas ao invés de cair sobre mim ele cai atrás de mim. Em uma grande velocidade

Merda...

Pulo para o lado

Cindy: Amanda!!!

Giro o corpo e ataco com a espada e em um movimento a coisa me acerta uma patada.

Me arremessando vários metrôs.

Sangue e vermelho preenchem minha visão. Caiu com tudo no chão e todo meu corpo parece dormente. Minha visão escurece e ficar distante e s foco...não consigo mas ouvir....está tudo escurecendo....não sinto nada.


POV. Jesse


Eu devia ser o melhor, o mais forte, o mais rápido. Uma arma contra os inimigos do Círculo. Fui burro e descuidado. Eu devia proteger Amanda. Mas foram ela e Cindy que me salvaram. Eu subestimei meu inimigo é isso não vai mais acontecer.

Eu estava discutindo com Cindy após ela verificar minha cabeça e dar um jeito no meu pulso na verdade algo nem improvisado. Que mesmo assim não poderia ser usado para segurar uma espada por um tempo. E é claro alguns dedos da minha mão que quebraram por causa do soco.

Mas nada que alguns dias de descanso não curem.

Olho para Amanda e do nada vejo uma coisa monstruosa surgir atrás dela a acertando. Meu coração quase parou nesse momento. Ela é arremessada como uma boneca de pano. Acertando o chão com tudo

O som foi agonizante. Como se seus ossos tivessem sido quebrados com aquele ataque e com o impacto.

Só não corrir para ajudá-la pelos muitos anos de treinamento que assumiram.

Aquela coisa só quer uma chance.

A coisa sorrir diabolicamente.

Maldito

Tento correr em direção a coisa mas Cindy me impede.

Eu respiro fundo e a olho de rabo de olho para Cindy.

A coisa olha de mim para Cindy.

Cindy: A coisa tá feia. E põem feia nisso.

A coisa parece sorrir. E fica de 4 ele bate sua calda no chão e ganha em pulso vindo na minha direção em grande velocidade.

Como um animal selvagem e maligno.

Merda.

Pego a espada com a mão esquerda

Agradeço ao nêmeses pór isso tão exigente e cruel mas útil.

Cindy ataca com seu chicote mas a coisa desvia com facilidade e velocidade felina.

Respiro fundo.

Percebendo que não tenho opção.

Me concentro na Runa da Força e da Destreza.

E corro ouvindo os gritos de Cindy.

A coisa pula na minha direção e eu pulo para o lado desviando.

A coisa vai com as garras mortais riscando o chão com facilidade. Eles causariam um estrago... Amanda...

O monstro usa a calda e ganha impulso

Eu pulo para o lado mas a coisa usa a cauda e ganha impulso mudando de direção e vindo na minha com grande velocidade pulo para o lado.

Cindy da uma chicotada que acerta o rosto do monstro desviando sua atenção.

Mas não consegui desvia e ele me acerta com seu ombro. Sou arremessado e rolo no chão para minimizar o impacto. Mas estava cheio de arranhões e possíveis hematomas.

Respiro ofegante.

E vejo a coisa olhar Cindy com raiva e sinto um arrepio.

A coisa pula alto se prendendo no teto e começa a solta em grande velocidade.

Merda.

Corro em Direção a Cindy.

Vejo a coisa pular se aproximando dela.

Quando estava a poucos metros dela a coisa pula para o chão.

Uso a Runa de Velocidade acelerando meus movimentos.

O monstro está em duas pernas desferindo uma patada de cima para baixo cortando o ar.

Cindy pula para trás e rola.

Correndo em alta velocidade. Eu tento estocar o monstro com minha espada usando o braço esquerdo.

A coisa pula no ar e gira seu corpo e sua cauda serpenteia no ar.

Desviando totalmente do meu ataque.

A cauda acompanha o movimento e vem em minha direção.

Percebendo que não conseguiria desviar.

Pulo para o lado e uso a Runa de Resistência Avançada.

A cauda me acerta com tudo como uma bastão de baseball e eu a bola..na minha cabeça me fazendo quicar.

Maldição

Minhas costas batem no chão me fazendo cuspir sangue e caio com todos meus ossos reclamando. Preciso lutar para não apagar e antes que tente ao menos levantar o monstro põem sua pata com garras na minha cabeça.

Quando minha visão clareia vejo o monstro com o braço sendo segurado a poucos metros da minha garganta pelo chicote de Cindy.

Merda

Droga.

Não consigo falar ou me mover.

Posso ver e ouvir a eletricidade no Chicote mas diferente do monstro anterior esse parece não se incomodar.

Cindy o segura com as duas mãos.

Cindy: Não vai ser tão fácil filho da puta!

Merda

Acabo cuspindo sangue...talvez tenha até mesmo hemorragia no pior dos casos e no melhor apenas uns ossos quebrados...as coisas estão feias

Ela Provávelmente esta usando tudo o que tem...mas não é o bastante.

A coisa segura o chicote e com um único puxão Cindy é arremessada aos pés do monstro.

Em um movimento rápido a coisa tira a pata da minha cabeça.

E há põem no meu peito. E com sua causa envolvendo a garganta de Cindy. A enforcando.

Ela luta para se liberta.

E eu tento me mexer mas nenhum membro do meu corpo responde. Provavelmente pelo stress de te usado tantas Runas em tão pouco tempo.

Me desespero quanto Cindy começa a se debater e revirar os olhos buscando ar.

Tento mover pelo menos meus braços

Mas nada funciona.

Vamos morrer assim...


POV. Edward


Chego ao galpão e vejo uma cena que jamais imaginei Jesse caído e detonado com um monstro pisando em seu peito e Cindy sendo enforcada pela cauda do monstro. Parece a descrição de um filme ruim.

Já que a coisa ainda não me notou. Aperto com força meu arco, pego uma flecha na aljava é a posiciono no arco mirando na cabeça do monstro. Puxo a corda suavemente e a solto.

A seta corta o ar mas o monstro vira a cabeça para mim no último segundo e acerta no ombro da coisa e com o impacto vem a surpresa. A coisa dá vários passos para trás. Soltando Cindy e tirando a pata do peito de Jesse.

Merda

Eu errei.

Já pego outra flecha posiciono e puxo a corda.

A coisa grita e corre em minha direção.

Eu solto a flecha.

Que voa em direção ao seu pescoço mas ele desvia

O maldito é rápido.

Corro para o lado já pegando outra flecha e paro já a posicionando no meu arco.

Mas o monstro já estava em cima de mim e antes que perceba ele para bruscamente deslizando pelo chão e prende suas garras nele girando sua parte inferior e rodando e logo está duas pernas para me acertar.

O maldito está tentando me dar um coice.

Por sorte pulo para trás deslizando com minhas pernas e fico em posição de descanso com o arco mirando para baixo.

Assim que desvio em um movimento tenciono o arco e miro no desgraçado e solto a flecha. Que voa no olho da fera. Que grita de agonia.

Recuo pulando para trás e me afasto já pegando outra flecha e a disparo na coxa da fera. Que ainda gritava em desespero a acertando.

Pego outra flecha.

Em quanto rodeio a coisa.

Já tensionado o arco e soltando a flecha mirando em seu coração.

Mas a coisa usa sua cauda para ganhar impulso e desvia.

Rapidamente pego 2 flechas e ativo As Runas de Força Destreza e Sorte.

E disparo as suas flechas que cortam o ar. Mas a coisa pulo. Acertando apenas de raspam.

A coisa se pendura no teto e começa a usar as vigas para pular e se esconder.

Merda

Esse terreno é totalmente a favor dele. E ainda tem eles...a coisa é forte, rápida e esperta. Ela jamais vai ser atraída para fora.

A coisa pula correndo pelas vigas no teto e se escondendo no escuro.

Giro meu corpo tentando acompanhar a movimentação dele.

Mas como nada da vida é fácil.

Ele acerta a cauda em vários lugares para me distrair.

Deixo o arco posicionado e tensionado o esperando cometer um erro ou quem sabe eu cometa e ele mate todos nós.

Ele ficou vários minutos nessa brincadeira. Quando meu braço cansava de tanto ter o arco tensionado ele se aproximava e então eu atacava e ele desviava e tentava me acerta com a cauda. Eu desviava e contra atacava e começávamos tudo de novo. Uma maldita repetição.

Meu braço queimava não daquela forma quente e saborosa após usar o arco. Era uma dor aguda. E isso não era bom.

Eu soava e respirava pesadamente qualquer som me alarmava.

Merda eu estou ferrado.

Do nada ele pula para o chão e correr em alta velocidade e eu o acompanho de longe e uso a Runa de Velocidade Avançada e Visão.

Para ver para onde ele está indo. Então eu percebo que o maldito está indo em direção aos meus amigos.

Corro desesperado e parando agora dispararam flechas

Estamos a metros de Jesse e Cindy. E eu disparo uma flecha e ele devia e antes que pegue outra ele usa a calda e ganha impulso pulando na minha direção.

Me amaldiçoou por não notar.

O tempo todo estava tão concentrado em protege-los que nem percebi que estava eu mesmo me aproximando dele.

Ele corta o ar vindo na minha direção. Eu pulo para trás e torço para conseguir.

As garras do monstro cortam o ar mirando meu peito e por um centímetro ele não me acerta.

Ele vai girando sobre todo o corpo e usando sua calda como chicote. Eu pulo para o lado mas sou acertado mas ponho o arco na frente. Me fazendo desequilibra e voa alguns metros.

O monstro não perde tempo e ainda no ar ele pula para cair em cima de mim.

Como eu fui burro...

Fecho os olhos esperando o pior. Mas ouço um grito e um barulho de metal se chocando com algo. Abro os olhos apenas para ver uma pedra acertar o olho do monstro aproveito a distração e giro meu corpo colocando meus pés no peito do monstro com os joelhos dobrado e girando e usando a Runa da Força para dar mais força a minhas pernas. O usando como base e trampolim.

Emburro chutando com todas as forças o monstro fazendo com que ele fosse arremessado contra a parede de concreto e eu voasse caindo no chão duro.

Me levanto ofegante e dolorido...

merda isso doeu

Olho em volta e vejo que quem jogou a pedra foi Théo que estava correndo em minha direção. Com agora um tijolo na mão esquerda é um pedaço de metal retorcido. Na direita.

Quem diria um mundano salvando um caçador.

Suspiro.

E me levanto percebendo que agora só tenho 4 flechas

Théo: O que é essa coisa? os outros estão bem? E Amanda?

Que cara chato...

Edward: Calado mundano! Temos problemas maiores.

Como esse monstro estava aqui...sabiam que veríamos? e o fato de você saber dele... Como o mundano sabia que eles estavam em perigo?... merda e como ele entrou e viu o prédio....?

Olho para frente e o monstro se põem de pé puto da vida.

Que ótimo...

Pego uma flecha já me preparando para o que vai vim...ou seja eu vou me foder...de novo..

Respiro fundo.

A coisa solta um grito agudo.

Vejo de canto de olhos Cindy arrastando os outros para o canto

Engulo em seco e vejo o humano “tentando” ou simplesmente se enganando, em uma posição tosca de combate.

Um assobio faz o monstro se vira

E um homem todo de preto surge com uma faxa na barriga. Aproveito que a coisa está distraída e moro em sua cabeça.

A flecha voa com precisão e acerta o monstro que grita em agonia e cai...

O homem gargalha.

Pego outra flecha

Théo pula ao meu lado e bate no meu ombro

Théo: Cara bom tiro!!!

Ignoro ele.

O homem grita

Homem Misterioso: Pelo jeito meu projeto está incompleto...ainda falta alguma coisa...mais...precisa de ...mais...

Diz batendo em sua própria cabeça.

Theo: Então é esse o gênio do mal?!

Diz o mundano com ceticismo.

Edward: Não baixe a guarda.

Me aproximo com cuidado do homem sendo seguido pelo humano desajeitado.

Paro a poucos metros do homem que começa a sorrir.

Deixo o arco preparado mas em descanso se o velho maldito tentar algo.

Velho mistérioso: Sim...Sim.. é claro...vocês sobrenaturais se acham tão superiores Nós... protegendo de coisas que não podemos ver ou lutar mas isso...

Ele gira sobre o próprio corpo como um loco.

Pulo para trás

Ele para e volta a sorrir insanamente.

Velho louco: Essa!!! É A prova!!! Vocês não são tão especiais e mesmo que me joguem em uma cela eu vou aperfeiçoar o projeto e um dia os mesmo que me prenderam iram me libertar vocês vão ver.. Vocês vão ver!!!! Tão divertido... tão divertido...precisa de melhoras sim precisa de melhoras...

Ele é louco

E outra vez ele começou a gira e murmurar sobre melhorias e fórmulas.

Esse velho vai me dar trabalho

Théo: Surtado...o cara pego pesado no bagulho! E aí Edward cadê a Amanda e os outros?

E esse vai me dar dor de cabeça puta merda...

Eu guardo a flecha e aponto.

No instante que ele ver os 3 encolhidos no canto sai correndo.

Idiota.


3 meses depois.


Pov.Théo



Amanda, Cindy e o galã de meia tigela. Ficaram um tempo no hospital dos mega especiais caçadores. Ou seja eu nem pude visita-la.

Que burocracia de merda.

“ Um mundano não pode adentra no território dos caçadores e muito menos na assembleia celestial...”

E blá blá blá....

Nada presunçoso “assembleia celestial”

Até parece que eles tem algo de celestial.

Suspiro

Não posso ter um ataque agora.

Sei que Amanda está bem...mas ...qual é! meio que lutamos junto e....aff

E ainda tem o fato de que se os caçadores souberem que de alguma forma eu sabia que eles estavam em perigo mesmo não tendo ideia de como.

Afinal como eu sabia...Apenas sabia.

Bem o Edward jamais vai dizer nada...pela primeira vez estou feliz que alguém não foi com minha cara. Ou talvez ele só não de a mínima.

E ainda tem aquele velho louco. O pior que as histórias se espalharam entre os humanos.

Adeptos, mutantes...

Suspiro

Isso não vai acabar bem.

Humanos são seres bem filhos da puta. Para dizer o mínimo.

Não vai demorar muito e vai ter humanos loucos por aí dizendo que, o Doutor Cullen, ou O médico biruta, é um herói. Mesmo ele heroicamente tendo sequestrado é feito rituais sinistros em vários inocentes.

Que ironia não?!

Suspiro

E agora eu aqui no meu quarto com anotações do curso de publicidade.

Estou mega interessado...

Mas e se eu me inscrevesse na Midnight. E se eu tiver um poder Jedi...e se eu puder lutar ao lado de Amanda e ajuda-la. E se eu tiver poderes...seria tão MASSA!!!

Sorrio derrotado

Seria estupidez...não séria?

Estou de frente para minha mãe. E ela me encara como se tivesse me pegado fazendo ou dizendo algo ridículo.

Estamos sentados no sofá um de frente para o outro.

Lídia: Então...se eu entendi bem...

Théo: Sim...eu quero entrar na House of Midnight. Eu já contei o que aconteceu...

Ela olha para o lado em direção a janela.

Lídia: Sim contou...mas eu só concordo se me responder uma pergunta.

Ela olha para mim. E seus olhos estão frios e duros.

Lídia: Está fazendo isso apenas por Amanda?

Olho para baixo.

E começo a pensar... seria bom estar ao lado dela...mas a Midnight é independente. E os caçadores são superiores demais para lidar com seres inferiores.

E a probabilidade de ficarmos juntos é nula. Mas ir naquela aventura...mesmo que não tenha feito grande coisa...ou tenha grande importância...ainda sim...me pareceu certo...

Sorrio

Théo: Eu me senti bem...quer dizer foi um pesadelo no início...foi terrível...foi muito ruim...mas depois...eu me senti...

Não achava palavras para definir. Aquela sensação. Aquela...

Lídia: Livre...

Olho para minha mãe que sorri

E retribuo o sorriso

Théo: Sim. É isso mesmo... Como você?! Você também..?

Digo já em pânico já me levantando. De olhos arregalados.

Posso ter 18 anos mais ainda sou nerd.

Ela gargalha

Lídia: É o que senti quando montei o escritório. Foi difícil é desgastante e fiz muitos sacrifícios mas no fim...

Seu olhar brilha como se estivesse perdido em várias lembranças e sentimentos...

Sorrio e me sento

Théo: Valeu a pena.

Ela faz que sim.

E sorri

Ela se levanta e senta ao meu lado. Afinal diferente de mim ela era graciosa.

Ela me abraça e eu aceito de bom grado. Sou filhinho de mamãe sim..

E me deixa é bom...

Lídia: Meu pequeno...só seja feliz.

Midnight

Após Edward e Amanda me indicarem...não que eu tenha visto eles. Para caçadores só consigo entrar em contato pelo Whatsapp. Fala sério.

De melhor amigo virei coleguinha de negra de esquina

É claro também tem o drama que foi me despedir da minha mãe e se Rita.

Que apenas disse

“ Vai logo! Quero espaço para por minhas bonecas”.

A não contei ...

Rita é colecionadora de bonecas do capeta. Elas cantam, elas piscam e pedem sua alma no fim de semana. São uma amor né?

Saio do táxi.

E um homem me espera. Ele está de terno e tem olhos azuis e um tablet nas mãos.

??: Olá estranho. Me chamo Vik. E sou o conselheiro de Midnight. Bem...na verdade apenas seu conselheiro.

Ele diz com um sorriso engraçado

Não sei se fico feliz com isso ou muito preocupado.


Notas Finais


E aí o que acharam?
Comentem por favor


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...