História Ruined - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias My Chemical Romance
Personagens Bob Bryar, Frank Iero, Gerard Way, Mikey Way, Personagens Originais, Ray Toro
Tags Frank Iero, Frerard, Gerard Way, My Chemical Romance
Visualizações 67
Palavras 3.180
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


FRERARD IN BEGIN
IN THE END
IN ALL

Capítulo 15 - Frank - Quinze


Frank -Quinze

 

Assim que pus os pés no JK´s Boathouse Pub e avistei Gerard com aquele sorriso no rosto quis imediatamente me esconder de baixo dos meus lençóis de tanto que corei. Ele abaixou a cabeça e me olhou assim e porra...ele era tão fofo. Pus as mãos no bolso vendo que começara a tremer e fui até ele ao mesmo tempo que olhava a decoração ao redor.

 

 

Sim,definitivamente era um bar. Tinham muitos homens e mulheres conversando,flertando ou apenas bebendo e encarando toda a droga de vida que ainda lhes restava pela frente,tinha certeza que futuramente me tornaria uma dessas pessoas,sem nenhuma esperança de que as coisas melhorassem em minha cabeça.

 

 

Até que não era nada caído como pensei que seria ao que Gerard mencionou o lugar,claro,Gerard nunca me chamaria para um fim de mundo do jeito refinado que ele é. Até agora foram apenas a sorveteria,o restaurante e agora o bar. Sabia que não significava nada,era como Gerard falava ‘’Entre amigos’’ não achava que havia algo explicito nisso. Mesmo depois do dia em que ele quase me beijou e me fez delirar,foi apenas algo do momento e provavelmente seria estúpido demais.

 

 

A música que tocava era Indie e eu gostava disso só um pouquinho,claro,preferia algo mais pesado em outros momentos mas agora,ali,parado na frente de Gerard como um idiota até acharia melhor que Lady Gaga começasse a tocar aleatoriamente para que eu comentasse o quão ruim era aquilo,mas não havia nada do que comentar. I´´ll Be Good era um tanto boa demais para criticar,logo Gerard me acharia um chato. Por isso preferi não falar nada e fechar minha boca já aberta,como um paspalho e me sentar na cadeirinha e apoiar os braços no balcão esperando que Gerard me tirasse daquele sufoco inicial.

 

 

- Uma semana e... – Gerard começou pondo uma mão atrás da cabeça e coçando a nuca,isso era um sinal de que ele também não sabia o que fazer ou que estava entediado? Porra,sou péssimo em sinais. – Você esta...bonito.

 

 

Bonito? Eu estava como sempre estive,tatuagens bizarras,olheiras profundas e olhos grandes,calças rasgadas e tênis sujos suéter ridículo com um desenho do Mickey Mouse e o mesmo cabelo oleoso de sempre. Nada de novo. Enquanto ele estava ali,tênis bem polidos,calças pretas caladíssimas  e sem rasgos,blusa de listras pretas um tanto coladas deixando seu torso nu e bonito a mostra para qualquer vampiro que quisesse sugar seu sangue. Seu rosto angelical e seus cabelos negros tão bem penteados,fios  caindo pela testa deixando-o um tanto charmoso. Eu era o desastre,ele era o bonito ali.

 

 

 

- Não estou não. – Neguei abaixando a cabeça e encarando outro ponto que não fosse o homem lindo na minha frente. Queria tanto esconder-me dele,tapar meu rosto com as mãos. Sentia-me envergonhado dele e sentia que fazendo Gerard olhar-me era o mesmo que uma ofensa para ele. Como se estivesse o obrigando o olhar uma lata de lixo podre. 

 

 

- Ta de brincadeira? Você e tipo o cara mais gato que tem aqui. – Apesar da ‘’sinceridade’’ de Gerard eu sabia que era só para me reconfortar,então levantei a cabeça e o olhei de canto de olho com um sorriso de lado agradecido enquanto sentia o mesmo me encarar por incontáveis segundos. – Acha que não e gato? – Ele continuou a falar e eu só abaixei a cabeça corando pois sabia que não era tudo isso e ouvir alguém falando que eu era,quando sabia que não era doía mais ainda. – Você e bonito pra caralho,falo serio.

 

 

 

- Para... – Ia começar a falar ao que o barman chegou interrompendo aquele momento um tanto constrangedor e fazendo-o desaparecer na hora perguntando o que Gerard e eu queríamos,pedi uma cerveja simples enquanto Gerard com toda sua refinaria tinha que pedir a coisa mais absurda de todas.

 

 

- Quero uma Le Trou Du Diable Dulcis Succubus. – Disse com o nariz empinado,ele era daquele jeito e nem estava se achando. Era ele. Sua refinaria toda e seu jeito de falar esquisito todo certinho,apesar dos palavrões. Pobre  garoto rico...

 

 

- E serio? – Sorri quando ele me olhou com as sobrancelhas arqueadas e pus uma mão no rosto tentando não rir mas era impossível. – Gerard e seus modos e refinarias,suas bebidas e comidas esquisitas. Você por acaso bebeu algo antes de eu chegar?

 

 

- Uh,sim...um vinho Cuvée. – Ele deu de ombros como se aquilo fosse normal demais e porra...era mesmo. Para ele era. Gerard cresceu entre lagostas,bife e Caviar; Mordomos e empregadas e pais que segundo o mesmo eram péssimos. Com certeza ele teve aulas de etiqueta na infância e ficou preso dentro de casa por ‘’proteção’’ ele com certeza saia apenas com os pais e com certeza estudava em casa. Mas tinha um detalhe,ele cresceu e virou um adolescente, Alguma merda rolou porque adolescentes riquinhos e mimados não saem por aí pelos parques de Belleville para fumar com os ‘’amigos’’. Onde estariam esses amigos agora? E tinha Mikey e ele não era como Gerard,quero dizer,ele tinha mania de organização e era mais educado e  reservado para muitas coisas,ele ainda tinha aquelas características mas era Mikey porra,e era diferente de qualquer jeito. Nunca vi ele falar sobre essas bebidas desconhecidas ou as comidas ruins que Gerard gostava. Nunca o vi ser tão refinado quanto Gerard era. Porra porra porra. Eu tenho um gosto refinado. Isso daria um bela musica,ou titulo de musica..oh talvez apenas um verso. Droga,eu não sei apenas...tenho um gosto refinado.  – Frank?

 

 

 

- Hum? – Foquei meus olhos quando Gerard rolou os olhos para o balcão e eu percebi que a bebida já tinha chegado e ele já estava com a dele em mãos,olhei para o nome na garrafa e me foquei ali por míseros segundos ao que segurava minha cerveja espumando pelas bordas e levava a boca.  – Diable...

 

 

 

- O que? – Gerard questionou levando aquilo a boca e me surpreendendo ao não fazer uma careta; indicando que era acostumado a tomar aquilo.

 

 

- Eu já vi isso em algum lugar,esse nome...Diable...E espanhol ou Latim...talvez português,eu não sei são línguas tão parecidas e diferentes do inglês,mas tenho certeza que é Diabo. – Gerard assentiu levando mais um gole a boca e sorvendo daquilo como se fosse o copo com o liquido da vida. – Será que o Diabo e gostoso?

 

 

 

Corei quando percebi o dublo sentido do que havia dito,porra,não....não quis dizer que o Diabo em si era gostoso,me referi a bebida mas o olhar que Gerard me lançou depois  foi um tanto inquisitivo e eu desviei o olhar dele envergonhado e levando o copo a boca de vez em uma tentativa de ficar bêbado logo e perder a lucidez das escolhas e o controle das palavras,assim não me sentiria mal a cada vez que  falasse alguma besteira. Mas é claro que não funcionou ao virar aquele copo tudo o que senti foi uma leve quentura mas percebi que isso não vinha da bebida agora no meu estomago e sim da mão esquerda de Gerard que descansava sob minha coxa esquerda,apertando e afagando de um jeito um tanto gostoso. O encarei com os olhos arregalados e ele lançou um olhar sacana pra mim,certo....aquela porra de Diable tinha quanto de álcool?

 

 

 

 

 - Se você quiser provar. – Gerard disse rindo ao que desceu sua mão mais abaixo arrastando ele  e a cadeira para mais perto,apertando aquela região sensível um pouco mais do que devia. Fazendo-me ofegar e morder os lábios ao que abri mais as pernas apesar de saber que não era certo; Não em publico e com um Gerard alterado por um gole só de uma bebida dos infernos. Então peguei sua mão com muito custo e a afastei vendo-o resmungar descontente;  fechei as pernas e pegando aquela garrafa de cerveja,procurando por um informativo do quando de álcool e bla bla bla continham na bebida e para a minha surpresa era uma cerveja ABV ou seja com pouco teor alcoólico,só tinham sete por cento,a minha  cerveja simples tinha mais teor alcoólico do que a de Gerard. – E você errou,baby,Diablo e Frances.

 

 

O encarei pasmo. Aquilo tudo foi fingimento? Gerard só queria me tocar mesmo? Não era a bebida que estava fazendo isso nele? Porra-Eu....ele quis.

 

 

- Gerard,não esta se sentindo tonto nem nada? – Perguntei preocupado ainda que pasmo com tudo. Gerard agiu por impulso e...droga e as bebidas que ele tomou antes de eu chegar? Um estalo se fez na minha mente enquanto Gerard resmungava o quão bem estava.  – Senhor...hum,Barman,poderia me dizer quantas meu amigo tomou?

 

 

 

- Gerard Way?- Ele se virou rindo e sumiu dentro do recinto,não entendi nada até ele voltar com um copo de água e sal. O olhei tentando entender o que era aquilo e ele apenas deu de ombros,despejando o sal na água. – Ele tem problemas com bebida,toma duas e já esta assim; água limpa o álcool do organismo dele; Isso foi o próprio medico dele que me disse,não estou brincando! – Ele disse me entregando o copo para que eu ajudasse um Gerard quase desmaiado no balcão. – Ele não e alcoólatra nem nada,mas problemas na adolescência o fizeram ficar sensível,ele pode até tomar umas mas claro,simples como a sua e moderado; Mas o garotão aqui e galanteador não e? Ele queria te impressionar com as bebidas caras.

 

 

 

- Não...eu ele somos...uh amigos,eu nem sabia sobre isso. – Puxei Gerard para que ele se sentasse e levei o copo até sua boca vendo-o resmungar algumas vezes antes de finalmente beber o liquido nada bom.  – Obrigado por me dizer isso. Alias,sou Frank.

 

 

 

- Bob. – Ele estendeu a mão e eu apertei enquanto via Gerard deitar a cabeça no balcão; Levei uma mão até suas costas e acariciei mesmo que indeciso se fazia ou não,só queria que ele ficasse confortável. – Isso passa logo,em uma hora ele estará bem de novo. Se ele vomitar e estiver inclinado para trás incline-o para frente ou ele se afogara no próprio vomito.

 

 

 

- Uh,obrigado mas eu assisti Breaking Bad. – Disse fazendo Bob assentir e resmungar ‘’ta bom Walter White,vê se salva ela dessa vez’’   e então ele foi atender outra pessoa. Olhei Gerard resmungar ali e continuei acariciando suas costas. – Ai Gerard porque você fez isso,cara?

 

 

Os minutos passaram voando e eu não sai de perto dele nem um segundo sequer,acariciando suas costas,testando sua temperatura com as mãos e o observando dormir ou quase isso. Não tinha certeza se ele estava em um modo zumbi ou estava realmente em um sono pesado,suas pálpebras se mexiam o tempo todo  então eu acho que ele esta dormindo. Uma vez vi em um programa  de hipnose que o ideal era checar as pálpebras de uma pessoa se quiser saber se ela esta em transe ou não,então se não houver movimentos e porque a pessoa esta fingindo e se há movimentos significa que a pessoa esta realmente em sono profundo.  Pensei até em contar de um a três e estralar os dedos para ver se Gerard acordava mas quando estava prestes a fazer isso ele resmungou algo incompreensível,abrindo os olhos na mesma hora e os focando em mim um tanto sonolento e devagar.

 

 

 

Fiz questão de continuar minha massagem por suas costas vendo que Gerard estava aprovando aquilo e deitando no balcão de novo com um sorriso. Droga....tão bonito. Olhei ao redor e reparei que não havia mais ninguém  senão nos e Bob com um pano nos ombros e um joguinho RPG nas mãos distraído em matar zumbis em pixels de baixa qualidade.  Cutuquei Gerard fazendo-o olhar-me mais uma vez com os sentidos um pouco melhores. Ele de repente estreitou os olhos e pegou minha mão direita com força a apertando enquanto me olhava com os olhos arregalados,senti culpa em seu olhar e tratei de segurar sua mão por cima da minha na mesma hora.

 

 

 

- Oh,Frank me desculpa,eu não devia...Oh merda que horas são? – Gerard pôs a outra mão na testa e franziu a mesma ao que Bob resmungou que já estava perto da onze e que o lugar já devia ter fechado a tempos. Então Gerard largou minha mão com um velocidade estrema e apoiou os cotovelos no balcão com suas mãos juntas em um grande punho na testa. – Eu sou um babaca.

 

 

 

- Não, você não é. – Argumentei rapidamente pondo uma mão no ombro dele e vendo-o olhar-me triste,droga aquele olhar me matou. – Eu estou bem,você esta bem,esta tudo bem.  

 

- Frank eu só queria...- Ele engoliu em seco e se virou completamente pra mim atordoado. – Eu me lembro de tudo o que eu fiz,okay? Aquilo não afetou minha memória apenas minha sensibilidade e essas coisas...entende? Não queria te-lo desrespeitado de modo algum mas mexeu com a minha cabeça,sabe?

 

 

- Sei,olha tudo bem você estava bêbado. – Disse com um sorriso sincero para que ele se acalmasse,não queria que Gerard chorasse ali só porque tocou minha perna. Seria desnecessário ele se lamentar por algo que fora tão gostoso pra mim. – E pra falar a verdade,eu não me incomodei,foi bom...

 

 

 

Gerard me olhou e eu olhei e era isso. Essa explosão de coisas em mim que eu não sabia o que era e nem queria saber. Era como duas galáxias se colidissem a cada vez que esse sentimento tomava posse de mim. Olhar em seus verde-oliva tão puros me faziam querer chorar de tanta emoção. Queria acreditar que era apenas uma forte ligação.

 

 

- Olha,tem um motel cinco estrelas ali na esquina. – Bob falou nos analisando enquanto deixava o jogo RPG de lado e passava o pano pelo balcão distraidamente. Corei com o que ele disse e abaixei o olhar para os sapatos enquanto sentia que Gerard ainda me olhava,de repente ele se levantou e encarou Bob como se pensasse em algo então ele foi até o barman que provavelmente já era um conhecido dele e  lhe disse algo no ouvido,Bob assentiu e desapareceu com um sorriso malicioso. Então As luzes ficaram mais fracas e senti meu estomago afundar ao que uma musica começou. Sabia que musica era aquela. Nothing´s  Gonna Hurt You Baby e Gerard estava bem ali na minha frente com uma mão estendida.

 

 

 

- Para compensar a noite terrível que eu lhe dei. – Segurei sua mão e me levantei o seguindo para o centro do bar onde a luz fraca da lua parecia iluminar o chão e seu rosto pela metade deixando o brilho em seus olhos mais evidente. Bob não estava mais ali e senti meu coração pular pela boca ao que ele me girou e me trouxe de volta ao seu encontro fazendo-me encarar aquele rosto bonito tão de perto; Senti que ia desmaiar. – Aceita dançar comigo?

 

 

- Aceito. – Disse então ele pôs uma mão em minha cintura e eu rodei meus braços em seu pescoço chegando o mais perto possível. A musica já estava rodando e ele apenas fazia sutis movimentos com os pés me levando junto com ele naquele sentimento incrível e avassalador. – Eu não sei dançar.

 

 

 

- Não precisa,basta se mover agarradinho a mim desse jeito e eu te guiarei. – Ele foi claro fazendo-me corar e evitar um sorriso bobo que quase deixou os meus lábios ao que ele me rodopiou mais uma vez fazendo-me rir quando voltei aos seus braços de forma desajeitada. Ele me apertou mais contra ele e eu fiz o mesmo. Então ele sussurrou contra o meu ouvido. – Como se saiu nas provas?

 

 

- Bem,eu acho. – Percebi que falaríamos assim e continuei aos sussurros,sorrindo quando ele desceu os braços como em uma caricia em minhas costas e eu ofeguei sentindo um desejo súbito de encostar a minha cabeça em seu ombro. – Os resultados saem na quarta,estou nervoso.

 

 

- Não fique,o tempo de estar nervoso já passou agora devia estar ansioso. – Giramos em sentido a musica,droga aquela letra era ótima para o momento e eu me senti absorvido pelas letras sendo conduzido por Gerard em uma dança lenta que aprendi a apreciar. – Whispered something in your ear. – Gerard cantou em meu ouvido fazendo-me arregalar os olhos,porra ele estava cantando pra mim e sua voz era...doce,harmoniosa...bonita.  – It was a perverted thing to say... But I said it anyway.  – Sorri com o verso e afundei minha cabeça em seu pescoço apenas apreciando a voz e seu cheiro de perfume de cereja. Sorri mais ainda quando suas mãos fizeram um belo trabalho em minha cintura.  – Made you smile & look away. – Fiz exatamente as mesmas coisas da que ele entoava,quando olhei sorrindo e desviei ol olhar vermelho mas ainda sim sorrindo. – Nothing's gonna hurt you baby... As long as you're with me you'll be just fine

 

 

- Sua voz e linda. – Admiti enquanto me agarrava mais a ele enrolava seus fios de cabelo em meus dedos soltando-os e refazendo-os. Passando a outra mão pelo pescoço dele carinhosamente enquanto nos movíamos em perfeita sincronia. De repente ele me inclinou quase ao chão,ainda segurando minhas costas e me olhou nos olhos,o olhei também mas minha visão total quem recebeu foram seus lábios rosados que se inclinaram em um belo sorriso quando ele me trouxe para cima de novo e me abraçou enquanto dançávamos.

 

 

 

- Você e lindo . – Ele disse aquilo mais uma vez pesar de não ter me sentido confortável me apertei mas a ele quando ele me rodopiou mais um vez fazendo-me ficar de costas para ele,um de seus braços rodando minha barriga enquanto o outro estava em minha cintura. Sentia ele se roçar em mim e deitei minha cabeça em seu ombro ao que ele se movia com mais lentidão e mais proeza. A mão que estava em minha cintura sumiu debaixo da minha blusa e o senti acariciar minha barriga,fazendo-me gemer não propositalmente e corar quase que simultaneamente. Então a mão subiu mais e eu sabia que estava subindo minha camisa mas não liguei,fechei meus olhos e senti as mãos de Gerard passar pelo meu peito,barriga e acariciar cada pedaço o máximo que ele podia. Senti-me nas nuvens com aqueles toques e o deixei usufruir daquilo que estava sendo prazeroso pra mim. Senti meus quadris moverem contra o membro de Gerard  ao que a musica ia finalizando mordendo os lábios e abrindo os olhos ao que não havia mais som nenhum. – Você foi perfeito,Frankie.

 

 

Frankie. Gerard havia me chamado pelo apelido pela primeira vez.

 

 

 

Nos desconectamos e ele me olhou com um sorriso bobo e bochechas coradas. Gerard corado era algo admirável. Então Bob reapareceu dizendo que realmente precisava fechar o local e nos tivemos que ir embora. Não houveram muitos diálogos depois disso. Bob foi embora em seu carro depois de fechar o bar e Gerard me levou pra casa,para a minha quase casa já que eram meus últimos dias ali na verdade. Eram meia noite e lá estávamos nos parados de frente para a porta com um numero ‘’36’’ esperando que qualquer falasse algo. Então Gerard quebrou o gelo aproximado-se e depositando um beijo em minha bochecha que me deixou flutuando. Indo embora em seu carro e me deixando ali plantado com a maior cara de idiota. Por sorte Bert não estava acordado,nem Mikey. Então não deveria desculpas nem precisaria responder besteiras,poderia descansar de verdade e pensar.

 

Gerard bêbado,eu cuidando dele,a dança,os sentimentos estranhos e o beijo na bochecha.

 

 

 

Era sempre assim quando estava com Gerard.

 

 

Sempre tinha algo novo pra descobrir.


Notas Finais


HOOOOOOOOOOOOhi.
Me desculpa,serio.
Ah,melhor voces lerem a cena escutando a musica,tem no Spotify,na playlist que eu fiz e tal.
PLAYLIST:https://open.spotify.com/user/sadthingstuff/playlist/3nmvXvhI4t0uPhcVpkyBAP


O beijo esta próximo,vai acontecer em qualquer capítulo,estejam preparados. Só isso.
OH.MY.GOD gerard safado com o Fank bb


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...