História Ruined - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias My Chemical Romance
Personagens Bob Bryar, Frank Iero, Gerard Way, Mikey Way, Personagens Originais, Ray Toro
Tags Frank Iero, Frerard, Gerard Way, My Chemical Romance
Visualizações 98
Palavras 2.556
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Não vai rolar nada. Já to avisando desde o começo. Só Gerard fofíneo

Capítulo 17 - Gerard - Dezessete


Gerard - Dezessete

 

‘’ Frank Anthony Thomas Iero Junior’’

 

 

Assim que seu nome foi pronunciado em alto e bom tom pela diretora ele olhou pra mim e engoliu em seco. Apertei sua mão e disse que estava tudo bem e que ele deveria ir buscar o que ele tanto fez por merecer. Seus pais estavam logo ao seu lado,seu pai parecia nem perceber minha presença já a Sra. Iero me olhava a cada cinco segundos como se soubesse de algo extra confidencial. Não havíamos sido apresentados ainda pois eu cheguei tarde e só pude me sentar ali ao lado dele e ver os últimos quinze minutos da cerimônia de formatura.

 

 

Estava um tanto frio e todos usavam casacos,cachecóis e adornos do tipo. O céu estava nublado e o clima era um tanto fúnebre para um dia como esse. Não que eu não gostasse,muito pelo contrario,adorava o inverno. As pessoas na rua mal me notavam,todos sempre apressados demais e cada um preso em seu mundo particular; Era um tempo mais romântico apesar de tudo,os casais andavam por aí colados como nunca e os restaurantes lotavam as noites,posteriormente motéis;

 

 

Acompanhei Frank com olhar enquanto ele caminhava até a senhora magra e alta com um sorriso no rosto, o mesmo que ela deu a cada um dos estudantes que subiram lá. Mikey já havia recebido o seu há tempos e eu sequer havia presenciado,mas ele não se importava pois estava aos beijos com Alicia na ultima fileira, Bert não estava presente,logo deduzi que aquele colega esquisito de Frank havia reprovado,me senti mal por ele,apesar de toda a maluquice,ele parecia um cara legal.

 

 

 

A mãe de Frank tirava várias fotos com um sorriso bobo no rosto resmungando o quanto estava orgulhosa do ‘’seu bebe adulto’’ enquanto o pai de Frank assistia tudo calado com uma expressão leve que dizia ‘’Okay,esse e o meu garoto’’ , Frank pegou o diploma com lágrimas nos olhos e colocou contra o coração. Me senti o cara mias sortudo do mundo por presenciar uma felicidade como aquela tão real e sorri ao que ele olhou pra mim e devolveu o sorriso. Enquanto todos aplaudiam,inclusive eu a diretora sussurrou algo no ouvido de Frank e eu já sabia o que era; Sabia bem que ele teria que fazer um discurso improvisado e segurei uma risada ao que vi seus olhos arregalados e a boca levemente aberta. Ele acenou positivamente para a mulher e ela deu dois tapinhas nos ombros dele deixando-o escondido atrás de um palanque e com as mãos cruzadas atrás das costas ele começou seu discurso. Me concertei na cadeira  e dei plena e total atenção a ele.

 

 

- Bem,uh eu não esperava ter que fazer um discurso agora. – Ele declarou um tanto tímido e vermelho e olhou para todos ao que continuava. – Eu tenho que me acostumar com isso agora porque...graças a vocês professores e colegas eu posso finalmente fazer algo que vai influenciar outras pessoas e isso inclui ser o centro de atenção de um lugar só. – Ele disse e algumas pessoas riram,a mãe de dele levantou mais o pescoço prestando atenção detalhadamente em cada palavra que o filho dizia e eu ri porque...droga aquela senhora parecia ser uma mãe adorável completamente o posto da minha e comparar Donna a mãe de Frank dava até graça. – Sabe,eu não estou mais tão nervoso na verdade, - Ele continuou e olhou seu diploma por alguns segundos antes de continuar . – Eu consegui! Terminei a escola e graduei na faculdade,agora  eu vou...caramba,vou levar musica para a vida de crianças e isso e tão...animador. – Ele sorriu,radiou no placo e eu não pude deixar de notar o quanto seus olhos brilhavam,não mais pelas lagrimas agora realmente era alegria e emoção. –  Sabe... Quando eu era criança queria ser um monstro como aqueles dos filmes de terror clássicos. – Alguns riram porque geralmente o maior sonho de uma criança e ir ao espaço,conhecer as estrelas ou ir ao fundo do mar  mas Frank era especial,ele foi uma criança peculiar. –  Quando era adolescente quis ser cantor/guitarrista/quis estar em uma banda/quis ser escritor de historias de horror/quis ser um grande skatista mas cheguei a uma conclusão de que não era isso que eu devia fazer,não era o meu sonho de verdade,eu não influenciaria diretamente a vida de alguém dessa forma. – Ele parou,suspirou,apertou o diploma nas mãos e olhou para mim. – Então eu me tornei um jovem adulto e decidi que queria ser professor,queria levar sonhos para outras pessoas. E cá estou eu quatro anos depois,adulto e finalmente livre! – Todos aplaudiram inclusive eu,não achei que ele se sairia tão bem naquele discurso mas ao vê-lo ali tão confiante me senti aliviado. – Quero agradecer especialmente ao meu professor de musica preferido o Sr. Portman que alem de professor foi o meu melhor amigo. – Frank disse olhando um pondo logo atrás de mim e eu notei um homem,robusto e velho que sorria para Frank; - Queria agradecer aos meus colegas de dormitório Mikey Way e Bert Mccracken por serem tão legais apesar de chatos as vezes. – Mikey levantou o diploma sorrindo e percebi que Frank procurava por Bert,vi um desapontamento em suas feições ao perceber que o amigo não estava ali mas ele continuou. – Quero agradecer aos meus pais; A minha mãe por ser a pessoa que eu mais amo nesse mundo e quem eu vou sempre confiar. – Sua mãe caiu em um choro desesperado no ombro de seu marido e quando olhei para Frank de novo ele me encarava. – E por ultimo e não menos importante,Gerard Way o segundo maior filho da puta do mundo,porque eu sou o primeiro. – Então todos riram e eu gargalhei corado ao que ele me lançou aquele sorrisinho bonito dele. Seu pai grunhiu ao lado de sua esposa quando ele notou que era sobre mim e me lançou o pior olhar do mundo. – Sempre haverá idiotas no mundo. Mas eu acredito, de verdade, que há mais pessoas boas que más na Terra, e que as pessoas boas olham umas pelas outras, cuidam umas das outras. Esse e o meu recado para vocês,apenas seja gentil e tente o seu melhor,você pode alcançar o céu se você persistir, não importa o que aconteça. Meu avo costumava me dizer que a vida era uma balança de equilíbrio e tínhamos que aprender a deixá-la na medida certa e eu estou tentando fazer isso agora.  É muito estranho como um dia você pode estar neste mundo e, no dia seguinte, não estar mais. Coisas ruins acontecem o tempo todo,mas você sempre vai superar porque você tem pessoas ao seu redor que se importam com você, - Seu olhar se direcionou para mim e eu não abaixei nenhum segundo sequer vendo-o falar sobre coisas tão importantes. Sabia que ele estava falando sobre seu caso específico,não e como se alguém ali soubesse que ele foi abusado e o pior disso e que eu tinha quase certeza que os criminosos filhos da puta estavam entre nos e eu não conseguia enxergá-los porque não sabia como eram seus rostos,tinham formas mas não um rosto especifico e isso me deixava louco as vezes enquanto eu andava por esse campus,nunca tinha certeza se estavam a espreita esperando Frank estar vulnerável e sem mim ao redor para pega-lo de surpresa .  – A melhor medida é o que vocês fizeram com seu tempo, como escolheram passar os dias e quem cativaram. Para mim, essa é a melhor medida do sucesso. Obrigado.

 

 

 

Então os aplausos fortes que pareceram ensurdecedores cessaram e Frank desceu do palanque,me levantei na mesma hora e quando ele se aproximou abri meus braços e deixei que ele se aconchegasse entre eles descansando a cabeça em meu ombro. Era só a minha forma de agradecer o que ele havia dito e tranqüilizá-lo sobre todo o discurso. Quando nos separamos e ele se sentou em seu lugar e fez questão que eu segurasse sua mão quente e tatuada, me permiti olhar para o lado e ver seu pai me encarando daquela mesma maneira esquisita. A mãe de Frank no entanto tirava várias fotos nas quais eu acabava saindo também e depois desses breves minutos a diretora assumiu a frente no palanque e falou mais algumas palavras,elogiou o discurso de Frank e o chamou de ‘’brilhante’’ o que o deixou vermelho e fez sua mãe borbulhar de orgulho. Logo foi pedido que todos os formandos se levantassem e jogassem suas becas  para o alto; Frank o fez assim como todos os colegas e me agarrou em mais um abraço assim como todos que abraçavam seus familiares e amigos. Ele abraçou seus pais e algumas pessoas ao redor.

 

 

 

Assim que a cerimônia se encerrou por completo eu parabenizei Mikey e Alcia que estavam mais preocupados em se atracar por aí. Foi quando eu percebi algo no dedo anelar de Alicia e de Mikey,demorei para processar até que ofeguei e puxei meu irmão para um abraço.

 

 

 

- Mikes! Alicia! – Disse e logo eles se voltaram  para mim com sorrisos tímidos e Frank parou ao meu lado,seus pais logo atrás olhando o diploma de Frank como se fosse jóia de rubi. – Meu Deus,eu...

 

 

- Não acredita e blá blá blá,pois é,eu e meu amor estamos noivos. – Mikey afirmou puxando Alicia delicadamente para um beijo. – Quero meus presentes em Way! E Iero também.

 

 

- Mikey! – Alicia deu um tapão na cabeça de Mikey fazendo Frank rir baixinho comigo. – Não precisa de presente nenhum,serio caras o Mikey tomou umas antes de vir pra cá,só pode...

 

 

 

- Estou sóbrio meu anjo. – Mikey disse concertando os óculos e Alicia apertou suas bochechas enquanto o mesmo passava o braço ao redor dela. – Agora se nos dão licença estamos indo embora comemorar nossa genialidade e desfrutar do fato de não termos mais provas e trabalhos.

 

 

- Uh,amorzinho lembre-se que agora e a fase do emprego. – Alicia disse e Mikey bufou,voltando a sorri assim que Alicia depositou um beijo suave em sua bochecha. Quando me dei conta estava de vela junto com Frank que parecia desconfortável.

 

 

 

Os dois se foram aos tropeços entre beijos,piadas e abraços,tudo que um casal que estava junto há nove anos e finalmente estavam noivos podiam fazer. Revirei os olhos e me voltei para Frank que me olhava terno e apenas indicou a cabeça para outra direção,onde estavam seus pais. Estaria mentindo se dissesse que não estava nervoso,porque eu estava a beça; Nos aproximamos aos poucos e a mãe de Frank de repente levantou a câmera em nossa direçã e um flash invadiu minha visão,deixando tudo branco para voltar a normalidade logo depois. Forcei o melhor sorriso que podia e Frank passou um dos braços ao redor do pescoço da mãe fazendo-a me olhar com um sorrisinho travesso.

 

 

- Mãe,pai,esse e Gerard. – Ele indicou e sua mãe apertou minha mão gentilmente enquanto seu pai apenas acenou. – Certo,Gerard esses são Anthony e Linda Iero.

 

 

 

 

- Prazer em conhecê-los. – Disse e eles assentiram esperando que eu continuasse minha apresentação,na verdade eu não sabia se era isso mesmo ou era só um daqueles momentos desconfortáveis que ninguém tinha mais o que falar,ainda mais com  o pai dele me olhando daquela forma estranha. Decidi quebrar o silencio. – Uh,Frank se saiu muito bem no discurso.

 

 

 

- Oh meu Deus eu sei,meu bebe brilhou lá em cima. – Linda abraçou Frank dando um beijo de mãe em sua bochecha e apertando logo em seguida deixando-o um tanto vermelho,ao que logo saiu de perto da mãe e se pos ao meu lado.

 

 

 

- Mãe! Qual é eu já disse que tenho vinte e três e não cinco. – Ele cruzou os braços extremamente adorável  e fez um bico irritado. Troquei alguns olhares com sua mãe e rimos. Seu pai não pareceu gostar muito e interveio.

 

 

 

- Frank esta certo mulher! Ele e um homem,sempre foi. Tem vinte e três anos e logo vai se casar e ter filhos,você vai  humilhar ele na frente da esposa tratando-o com esse mimo todo? – Travei quando o Sr. Iero falou sobre ‘’filhos’’ e ‘’esposa’’ Logo notei um olhar significativo entre Frank e sua mãe,porem  Linda não disse nada,apenas assentiu sem se opor,o que eu achei super errado. Pela primeira vez eu estava percebendo que nem tudo era perfeito  nessa família,tinha um ruptura e era o pai de Frank falando coisas que ele não queria ouvir,talvez o pressionando demais,apertando e sufocando e eu senti a agonia com a careta que ele fez. – Alias,onde se conheceram? Não lembro de Frank falando de você nem nada.  

 

 

 

- Uma festa. – Frank respondeu seco  evitando olhar para o seu pai que assentiu com um ‘’hum’’ – Ele me deu carona e viramos amigos,e isso.

 

 

 

- Então. – A mãe de Frank pigarreou e me olhou risonha se virando para o filho e pondo uma de suas mãos em seu ombro. – Vamos para casa,o taxi chega logo...já arrumou suas malas?

 

 

- Estão no dormitório,tome, - Frank entregou a chave para a mãe que assentiu. – Estão no quarto,não esquece de nada esta bem?

 

 

 

- Não vai voltar conosco? – Seu pai questionou e ele negou com a cabeça.

 

 

 

- Não,eu e Gerard,huh...eu nem perguntei mas que tal irmos tomar um sorvete que nem naquele dia? – Assenti na hora confirmando com um ‘’claro’’ e ele se virou para os pais. – Ele me leva de volta depois,okay?

 

 

 

- Está bem meu amor. – Linda se aproximou e beijou a cabeça de Frank que assentiu sorrindo,a senhora parou a centímetros do filho e alternou o olhar entre nos dois. – Você estava certo meu neném! Vamos criar uma nova regra de vida... Sempre ser um pouco mais gentil que o necessário! – Ela falou a última frase mais alto como se quisesse que o marido escutasse. -  Juízo!

 

 

Frank assentiu enquanto assistia os pais sumirem entre a multidão de pessoas que haviam por ali. Então se virou pra mim retirando aquela roupa gigante e pesada de formatura pendendo em um dos braços e me abraçou  jogando  seu  corpo leve contra o meu de novo.  E merda...como eu gostava daquele aperto,da fricção entre nossos corpos quando abraçados dessa forma. Ele estava tão feliz que não conseguiu parar de me abraçar e quando me soltou olhou para todos os lados antes de dar um beijo em minha bochecha um tanto demorado,deixando uma leve mordida do local e se afastando rapidamente,me puxando como se nada tivesse feito.

 

 

Às vezes, as mínimas coisas são pontos iniciais de algo e os abraços de Frank já haviam iniciado esse ‘’algo’’ há muito tempo. Talvez tenha sido seu sorriso impressionante e bonito também. Não sabia explicar. Era como se ele fosse um largo oceano profundo e inexplorado enquanto eu era a terra solida e que vivia se escorando nas margens desse oceano sem realmente atravessá-lo. Era uma péssima analogia ,mas era a única forma que eu arranjei de explicar a mim mesmo isso tudo.

 

 

Existem coisas na vida que não precisam de palavras para descrever, porque um simples olhar de admiração já resolve.

 

 

E enquanto abria a porta do meu carro e dava passagem para ele entrar eu pude ver de novo,da mesma forma que vejo há muito tempo mas em constante evolução. Mais intenso.

 

 

Não consegui parar de olhá-lo e ele me encarou,sobrancelhas franzidas,sorriso de canto e olhos perdidos,tão adorável em tentar me decifrar.

 

Droga,ali e agora eram o meu lugar favorito.

 

 

Aquelas orbes indecifráveis que me faziam suspirar e sorrir para o ar como um bobo agora me faziam questionar minha sanidade.


Notas Finais


HI.
Serio,eu sou muito rápida,mas eu não sei se o próximo vai sair assim. Eu pretendo aumentar o próximo capítulo. BASTANTE. So wait.
Ahhh que bonitinhos meus pais.
Só postei o último a 22 horas O.o esse e o meu recorde.
Não rolou nada muito WOW nesse capítulo sorry :(
Mas a perspectiva de quem ta lendo as vezes e diferente de quem escreve,de repente vc enxerga alguma coisa aí que eu não vi.
Sinais. Sim,eu vou tentar melhorar os sinais. ´ ` são meu pesadelo,eu sempre erro alguma coisa com eles.

Anyway.

Beijos.


PLAYLIST: https://open.spotify.com/user/sadthingstuff/playlist/3nmvXvhI4t0uPhcVpkyBAP


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...