História Run - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens V
Tags Bts, Taehyung
Exibições 7
Palavras 844
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Cross-dresser
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Renascido


Fanfic / Fanfiction Run - Capítulo 2 - Renascido

Pessoas ajoelhadas em torno de um objeto que parecia um pedestal, parecia coisa de rei. Deveria ser alguma relíquia de alguma província, ou reinado. Senti um calor instantâneo naquele momento:

– Eu hein! Será que é problema de pressão, nunca tive isso. – Enquanto pensava nisto sinto alguém me tocar ao ombro.

– Você não vai saudar o rei nem adorá-lo? Se aproxime e receba a sua benção. – Disse o jardineiro novamente ao me tocar os ombros.

– Ah não muito obrigado, mas não to vendo nenhum rei aqui não, benção de quem?

– O rei Jesus bem a sua frente, não em forma de pessoa mais em forma de matéria no pão que foi consagrado e está ali dentro. – Disse apontando para o pequeno pedestal.

– O que? Deus? Ali naquele objeto pequeno? Tá de brincadeira.

– Ele mesmo Jesus. Está naquele pão consagrado que se torna seu corpo após a santa missa. Aquele objeto se chama Santíssimo e serve para levar o rei Jesus sempre que a comunidade está em oração e adoração. Mas Ele o nosso Deus também se encontra no sacrário dentro da catedral quando não está ali no Santíssimo.

– Mas desde quando Deus é pão agora?

– Antes de ser entregue e de ter sido morto naquele tempo Jesus tomou o pão, e o vinho e os consagrou em seu corpo e sangue para remissão dos nossos pecados. Ele sofreu na cruz, morreu para nos salvar para nos libertar do pecado para carregá-los nos próprios ombros. Um rei que nunca quis ser carregado, mas que carrega o seu povo nos próprios braços e com as próprias forças. Então toda vez que o padre repete essa consagração da última ceia de Jesus Ele se torna presente no pão e nos o recebemos na boca para perdão dos pecados. Isto é quando estamos arrependidos e nos confessamos ao padre apontando nossos pecados e nossas falhas.

– Interessante, mas por que devemos falar dos nossos erros para o padre?

– Se chama confissão, é um sacramento fundado também por Jesus, foi Ele que instituiu a primeira igreja e nas suas recomendações ele pede para que os lideres da igreja perdoem os pecados dos fiéis e que todos quantos forem perdoados por esse líder também os serão no céu em outras palavras ele diz a esses lideres, seus apóstolos, os primeiros lideres da nossa igreja a mais de dois mil anos atrás, “tudo que ligares na terra será ligado no céu e tudo o que desligares na terra, será desligado no céu.” Por isso as chaves que se encontram ao topo de cada confessionário.

– Há dois mil anos? Como assim?

– Nossos antecessores pessoas que lideraram a nossa religião antes de nós, que também foram os apóstolos de Jesus. Após a morte deles foram surgindo sucessores, até o dia de hoje que o líder atual é o Papa.

– Você sabe muita coisa para quem é um simples jardineiro hein que vergonha eu não sabia nada disso, mas valeu ai pela aula eu respeito à crença de todos, mas não acredito muito nesse Deus porque pra mim ele nunca deu moral, eu tenho que sair agora avisa o padre Colin meu tio que fui distribuir currículos.

– Deus com certeza sempre esteve com você, mas você nunca o percebeu, eu aviso o padre Colin sim vai com Deus e que ele o acompanhe!

“Que Deus me acompanhe” tá bom nunca me acompanhou, vai acompanhar agora ainda mais um cara com a vida virada como eu. Abri o portão e fui andando em busca de um lugar para imprimir currículos. Encontrei um lugar e imprimi agora viria à parte mais difícil que era distribuir, um ex-presidiário que mora em um seminário que bizarro, mas fui à luta. Entrei num posto de gasolina onde havia um aplaca indicando uma vaga de frentista:

– Oi e aí eu queria saber da vaga de frentista – Perguntei ao homem que estava no balcão da loja de conveniências do posto.

– Você não é o V aquele kpopper famoso que foi preso?

– Eu fui preso sim, mas kpopper você deve estar me confundindo.

– Não, não estou não é você mesmo era seu fã lógico até você sair da banda e se meter com coisa errada. A vaga existe sim, é pra quem?

– Pra mim

– Pra você? Não me leve a mau rapaz, mas não vai dar não. Tenho esse posto aqui a anos uma clientela fiel, não posso botar tudo a perder colocando um ex presidiário aqui e ainda por cima um kpopper que todo mundo sabe e reconheceria a sua história de longe.

– Tá vai se ferrar cara. – Disse isso e sai furioso do local.


Não seria tão fácil assim arrumar um emprego, caminhei dez quadras e muitos estabelecimentos e nada, estava morrendo de sede. Parei para descansar em uma praça quando senti um puxão e não pude ver quem havia me dado um soco:

– Olha quem tá aqui se não é o nosso companheiro de quebrada Taehyung Lembra meu parceiro da nossa última aventura? É assaltamos um banco só que teve uma falha, você ficou com todo o dinheiro e adivinha quem veio cobrar?


CONTINUA



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...