História Run Away - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Kai, Sehun
Tags Exo, Gânsters, Lemon, Love Me Right, Sekai, Yaoi
Exibições 402
Palavras 1.750
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiii meus amores!

Não era para eu estar aparecendo hoje, maaaas eu sou muito ansiosa e queria muuuuto dar esse presente para @minseokjdae.

Minha lindaaaaa não foi uma das melhores fics que já escrevi na vida, eu sinto muito por isso, eu queria muito te dar algo melhor, mas espero que você goste pelo menos um pouco ❤

Espero qie todos gostem!

FELIZ DIA DAS CRIANÇAS MEUS BEBÊS!

Boa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo Único - Gangsta


Fanfic / Fanfiction Run Away - Capítulo 1 - Capítulo Único - Gangsta

                         Run Away


            Capítulo Único - Gangsta


                            XXXX





"Eu preciso de um gangster

Para me amar mais

Do que todos os outros amam

Para sempre me perdoar

Correr ou morrer comigo

Isso é exatamente o que os gangsters fazem



Estou ferrado, eu sou preto e azul

Eu fui construído para isso, todos os abusos

Eu tenho segredos, que ninguém, ninguém sabe

Eu sou bom nisso, nessa merda

Eu não quero, o que eu posso conseguir

Quero alguém, com segredos

Que ninguém, ninguém, ninguém sabe



(...)



Minha loucura está à solta

E, correndo, em cima de você

Por favor, me leve a lugares que ninguém vai

Você me tem ligado no sentimento

Você me deixa pendurado no teto

Me tem tão louco que eu mal respiro

Então não me deixe, não me deixe, não me deixe, não me deixe ir"



Mais uma vez naquela semana, em um bairro do suburbio, havia uma competição entre gangs.

Kim Jongin ostentava seu taco de basebol como um perfeito maniaco, quebrando tudo por onde passava, enquanto Sehun corria e desenhava pelos muros sujos das vielas por onde passavam.

Ao ouvir as sirenes soarem um tanto distantes, os garotos - a grande maioria no fim da adolescência - corriam rumo aos trilhos dos trens, por entre as rochas e montanhas por onde poderiam se esconder.

Jongin e Sehun acabaram por escolher a mesma pedra para se esconder dos guardas.

O moreno sentou no chão sujo e secou o suor que escorria por suas temporas e pescoço, soltando um riso sarcástico.

— Isso é culpa sua por fazer tanto barulho. — disse Sehun irritado jogando a lata de spary, que ainda tinha em mãos, em frente ao moreno.

— É você quem só faz merda, então pense bem antes de dirigir suas palavras a mim outra vez. — Jongin levantou e olhou sério nos olhos de Sehun. 

— A única coisa que você sabe fazer é destruir tudo que toca.

— Tem outra coisa que eu sei fazer bem, e você sabe disso.

— Me mostra. — Sehun provocou com tom malicioso e Jongin o agarrou pelos cabelos, jogando o maior contra a grande rocha e tomando seus lábios de forma agressiva.

Jongin segurou a coxa de Sehun a levantando, tendo mais liberdade para juntar o seu quadril ao do Oh, passando seus beijos e mordidas dos lábios para o pescoço do rival.

— Eu conheço um lugar. — disse Sehun levemente ofegante e puxou Jongin pela camisa, o guiando pelos trilhos até uma pequena cabana entre as rochas — Espero não me arrepender depois. 

Aquela escolha poderia ser a sua ruina.

Sehun entrou na pequena cabana, onde era a sede de sua gang.

Entre a bagunça e a poeira do local havia um pequeno sofá, e foi para esse que Sehun seguiu, voltando a beijar Jongin, ele sentou-se no sofá e acomodou o moreno em seu colo, o beijo intenso, fazendo com que Jongin puxasse alguns fios de cabelo da nuca de Sehun enquanto se dedicava a rebolar no colo do maior.

Jongin tirou a blusa do maior e a sua, mudando o rumo da sua boca para o pescocço de Sehun e descendo para o peito, onde encontrou os mamilos que sabiam ser sensíveis.

Entre os beijos intensos e a troca de caricias o ambiente foi parencendo cada vez mais quente, as poucas peças de roupas que cobriam os corpos logo estavam caidas no chão sujo do lugar, enquanto Sehun se encontrava entre as pernas do moreno, o chupando de forma lenta e torturante.

Sehun sabia do que ele gostava. Não era a primeira vez que dividiam uma "cama". Na verdade, já foram muito mais do que apenas parceiros de foda.

Se conheceram muitos anos antes, quando eram adolescentes imaturos e os hormônios falavam mais alto, em uma festa de gangs em um bairro do suburbio, onde Jongin descobriu pela primeira vez a intensidade de ter o homem o fodendo.

Mas Sehun era obsessivo demais, ciumento demais. Ele queria que Jongin olhasse apenas para ele, fosse apenas dele.

Gostava de ter o moreno entre os braços, enquanto o mais velho gostava de ser livre e não dever satisfações nem aos próprios pais.

Passaram a primeira noite na cadeira graças a uma briga de rua causada por Sehun e seu ciúmes. agora com mais de dezito anos os dois tem uma ficha extensa na polícia, seja ela por roubo, desortem ou homicidio.

Sehun nunca deu valor aos seus atos, um gangster frio que não media esfoços para ter o que almejava, e no fim de tudo o que ele queria era o moreno em sua cama, para que pudesse o devorar feito um animal selvagem com sua presa. Pode se dizer que Jongin fazia sua parte com a obsessão do outro.

Os dois eram eram loucos, quebrados, obsessivos, corrosivos...

Sehun já preparava Jongin com três de seus dedos, vendo o moreno afundar a cabeça no estofado de couro velho do sofá preto.

Os corpos estavam suados e os gemidos de Jongin eram baixos, roucos, mas preenchiam o lugar como música, a música favorita de Sehun.

— O que você quer, Kai?

— Você não vai me ouvir pedir. — o moreno disse baixo, sua respiração entrecortada pelos gemidos difíceis de segurar com os dedos do Oh fazendo um excelente trabalho o preparando.

— Vamos, Kai, diz o quer quer. Já fizemos isso antes. — o maior argumentou enquanto lambia e mordia as coxas fortes de Jongin.

 — Você quer ouvir que eu gosto de você me fodendo com força? — perguntou com alto tom de malicia, apertando os dedos de Sehun dentro de si — Que eu gosto de gemer seu nome e pedir por mais enquanto você vai bem fundo e forte... do jeitinho que eu gosto? É isso que você quer ouvir Sehun?

O maior sorriu abertamente e tirou seus dedos do interior do mais velho, pegando uma camisinha que tinha dentro de sua carteira e colocando em seu membro, enquanto sua língua passava pelos lábios só de imaginar seu membro invadindo Jongin, só isso já era suficiente para quase o fazer gemer.

Lentamente começou a penetrar Jongin, ouvindo o moreno arfar e afundar novamente sua cabeça no estofado.

O mais velho arranhou as costas de Sehun e puxou novamente os fios do maior, esperando seu interior se acostumar com o membro dele o envadindo daquela forma.

Sehun esperou que o moreno se acostumasse, mordendo e beijando o pescoço do mesmo.

Os movimentos começaram lentos, fazendo Jongin gemer baixinho enquanto Sehun apertava sua coxas com força e impulsinava seu quadril o penetrando com força e lentamente.

Não havia amor em seus atos era apenas um desejo... Um desejo doentio de prazer que se apossava dois, disfarçado de algo que parecia ser uma antiga paixão .Que parecia ter sido amor.

Sehun se movimentava ainda mais depressa, o sofá rangia com a intensidade de seus movimentos e Jongin gemia mais alto sentindo sua prostata ser esfregada de maneira tão gostosa.

— Sehun, ah ah rápido, me faz gozar caralho.

O Maior sorriu com o jeito de Jongin falar, seu menino parecia ter crescido muito nas semanas em que não se encontravam, nem como rivais nas ruas nem como parceiros na cama.

Sehun saiu do interior do moreno e o virou no sofá, deixando a bunda bem empinada em sua direção voltou a estocar Jongin com força, fazendo o corpo do mesmo deslizar pelo sofá por conta do suor que orvalhava a pele, deixando Jongin numa visão incrivamente sexy, "como sempre", pensava Sehun. Não demorou para que os dois tivessem gozando como há tempos não acontecia.

Os cospos cairam cansados sobre o sofá, Sehun ainda ofegante puxou Jongin para mais perto e colou os lábios novamente. O mais velho apertou a coxa de Sehun  e acariciou toda a lateral do corpo magro e bem desenhado, até que suas mãos encontrassem o ponto sensível entra as nádegas do outro.

Jongin ao ver Sehun suspirar e jogar o quadril contra o seu. Afastou o maior minimamente e chupou dois dedos, levando de volta a entrada do ex-parceiro e penetrando lentamente, vendo a pose de durão de Sehun cair aos poucos, enquanto gemia roucamente em seu ouvido. 

O mais velho estava sentindo seu pau ganhar vida de novo, aqueles gemidos tão próximos de seu ouvido e tão gostosos estavam o fazendo perder a sanidade.

Sehun abraçou o corpo do moreno e escondeu a cabeça na curva do pescoço do mesmo, o maior não controlava seus gemidos, apenas deixou que eles saissem livremente enquanto sentia os dedos se mexendo com agilidade dentro de si.

Ao fundo as sirenes começavam a ficar levemente mais altas, indicando que os guardas voltaram a andar por aquele local, mas os dois estavam tão imersos em prazer que isso nem era notado pelos dois que trocavam um beijo sedento, cheio de desejo.

Jongin não ligou para mais nada, se posicionou entre as pernas de Sehun e o penetrou com força, vendo o maior gemer alto e longamente e logo em seguida o puxar para outro beijo.

O moreno estocava Sehun com força, os gemidos estavam entrecortados pelas respirações ofegantes, os corpos ainda mais emaranhados enquantos os labios se alimentavam daquele vício que era beijar seu semelhante.

— Vai Jongin, vocẽ sabe como eu gosto... 

Sehun gemia alto enquanto apertava as nádegas do moreno, o ajudando a se impulsionar para dentro de si.

— Caralho, por que você me deixa assim aah

O movimento dos corpos era cada vez mais intenso, o barulho dos corpos se chocando, dos gemidos, eram ainda mais altos.

"polícia, abram a porta e saiam com as mãos pra cima." 

— Ahn não para, continua hmm eu vou gozar... — Sehun gemeu perdido em seu próprio prazer — Vai mais forte.

"abram a porta ou vamos entrar"

— Eu amo você...

Jongin disse e voltou a beijar Sehun que sussurrou um "também amo você" contra seus lábios.

"um. dois. três..." 

Quando em fim chagaram ao seu limite, apenas se limitaram a rir dos polícias que estavam dentro da pequena cabana. Os dois corpos jogados no sofá, ainda ofegantes e levemente sonolentos.

— Lá vamos nós outra vez... — disse Sehun rindo e ponto sua calça, para logo ser algemado por um dos polícias.

— Juntos. — completou Jongin enquanto seguia para a viatura.

"Eu preciso de um gangster

Para me amar mais

Do que todos os outros amam

Para sempre me perdoar

Viajar ou morrer comigo

Isso é exatamente o que os gangsters fazem"


Notas Finais


Essa música é a gangsta da Kehline, mas eu prefiro na versão de um homem, que tem um vídeo ChanBaek chamado gangsta que ele canta.

Enfim, foi isso, espero que vocês tenham gostado disso 🙈🙈🙈

Fiquem ligados que terá novas enquetes viu...

Pra falar comigo:

http://ask.fm/AvallonJae


https://twitter.com/_Avallon ;;


https://www.wattpad.com/user/_Avallon


kakao e Line: mybabybyunnie


Bjooos ^.~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...