História Run away with me - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Doyoung, Haechan, Jaehyun, Johnny, Taeyong, Winwin, Yuta
Tags Johnchan, Johnhyuck, Nct 127
Visualizações 40
Palavras 1.970
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Escolar, Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Suspense, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 16 - Promise


HaeChan P.O.V

 

- Então eu vou te mandar o endereço por mensagem. Vou fazer mesmo com que meu pai me leve na minha tia e quando for a hora, peço para que meus primos relevem a situação e me dêem cobertura. - abri um sorriso travesso quase como se ditasse um plano maléfico.  - Eles me devem várias... - finalizei baixinho.

 

Johnny parecia se incomodar com frequência com aqueles olhares e apesar de eu dizer silenciosamente com os lábios palavras como "esquece" ou "foca em mim", o moreno se levantou, fez questão de pagar a conta - me fazendo resmungar mentalmente - e me puxou para fora.

 

- O que vamos fazer agora? Precisa ir embora? - Dando alguns passos iniciais para as ruas, ele me dirigiu outra pergunta.

 

-Eu iria andar na praia. - levei minha mão para a sua e puxei seus dedos para o encontro aos meus. Esperava no fundo que isso não parecesse desconfortável. - Podemos ir, papai? - ri não sabendo da onde aquilo tinha surgido.  - É logo ali. Pertinho, juro. – Ele acabou concordando com cabeça e não pude deixar de sorrir animado.

 

Andamos todo o caminho sem pressa e ao chegar a centímetros da areia, apenas tirei meus tênis, enganchei-os nos meus dedos e pulei para aquele terreno fofo e desregulado.

 

O dia estava levemente frio por conta que o inverno não passará completamente, mas eu já andara de bermuda, então não precisei dobrar as barras como o maior.

Andei na frente até chegar a beira do mar e sendo seguido por Johnny, deixei com que a água tocasse e cobrisse meus pés, fazendo com que todo meu corpo se arrepiasse.

 

-Está gelada! - meus lábios tremeram, mas mesmo assim não saí dali. Apenas balancei a cabeça e tentei controlar aquela sensação.  Aos poucos, comecei a andar por ali, me virando de costas para o mar e encarando o rapaz sorridente a minha frente.

 

- Lá é bonito assim? - me referia a Chicago. Nunca o ouvi falar o bastante desse lugar para matar toda a minha curiosidade, então pensei que as perguntas deveriam vir de mim para que houvesse respostas. - Você não comenta nada sobre.

 

- Para mim, lá é bem mais bonito do que aqui. - Fiz uma careta ao ouvi-lo falar aquilo. Depois que o moreno me roubou um breve selar, eu me agarrei ao mesmo, tentei idealizar e fazer um desenho mental do lugar enquanto ele citava tudo que lá tinha - Lá tem bastante prédios, bastante lugares interessantes para ir, igualmente aqui. Lá pessoas são muito gentis, animadas e não são cabeças de vento igual aqui. Eu sinto saudades, sabe... Sinto saudade de poder ser quem eu realmente sou sem sofrer tanto.  - Parecia realmente ser mais bonito, mas o centro de Seul também era. As luzes na noite ainda mais vistas de um andar alto de um dos vários apartamentos luxuosos era realmente algo que merecesse horas de apreciação.

Mas resolvi não retrucar.

 

-Nós vamos para lá? - o soltei, sentando na areia e o puxando para baixo também para se juntar a mim. Depois de alguns segundos, deitei em seu colo, não me importando se depois demoraria a tirar os gãaozinhos brancos e chatos de areia que grudavam como glitter na roupa. - Mas me prometa que vamos o quanto antes, hm? Sermos livres logo, podermos viver juntos, acordar juntos e aprender a enjoar um do outro. - Quando o vi sorrir com meu comentário, puxei o tecido de sua camiseta sutilmente.

 

 

- É claro que vamos. Só precisamos terminar a escola. Prometo que assim que terminamos a escola vamos para Chicago. E eu não vou enjoar de você. Nunca!

 

- Vou me lembrar disso. - abri um sorriso repentino e fechei os olhos perante seus dedos que carinhosamente deslizavam pela lateral do meu rosto.

Os mesmos toques me fizeram virar e encará-lo e assim outro beijo se iniciou, demorando mais que os outros para se afastar. Estava adorando mais que tudo aqueles momentos que criávamos sem ter realmente a intensão.

 

- E disso também. - continuei e ri anasalado, aproximando minhas duas mãos de seu rosto, pousando-as nas bochechas e brincando com as mesmas.

 

- Não vejo a hora de acordar ao seu lado, fazer café da manhã pra você, e você aparecer na cozinha só com uma camisa minha, de cueca e meias.

 - Não deixei de corar com seu comentário me fazendo idealizar aquela cena. Era realmente adorável e uma das coisas que eu precisava e que só ele podia me dar: tranquilidade, carinho e com certeza a melhor companhia que eu poderia querer.

 

-Ei, ei! - ri de nervoso e ajeitei minha cabeça em suas pernas. - Você acha que seríamos bons... pais? - corei mais ainda e percebi seu rosto fazer o mesmo. - Não seríamos uma família completa sem alguém para nos unir ainda mais.

 

- Eu não sei tomar conta nem de mim mesmo. Assim que formos a Chicago vou precisar aprender a ser responsável o suficiente para cuidarmos de nós dois. Mas, sim...seriamos bons pais, porquê não seriamos não é?! Somos muito novos pra pensar nisso agora. Vamos pensar em nós dois okay? Ainda temos muito que fazer. – Outro selar foi deixado em meus lábios. Gargalhei um tanto alto. Acho que era mais fácil realmente deixar isso para mais tarde. Tínhamos tempo, éramos tão novos, mas eu também era tão ansioso, futurista e idealista que eu chegava a pensar demais e fazer de menos. Esperava conseguir mudar isso.

 

- Tem razão, mas eu acho divertido pensar nessas coisas. - fiz uma careta envergonhada enquanto começava a observar o céu além de seu rosto.

 

- Mas me diga... Qual a primeira coisa que quer fazer quando chegar a Chicago? - Me levantei de seu colo antes de respondê-lo e fixei meus olhos no horizonte enquanto esticava minhas pernas completamente para frente sentindo as ondas já insignificantes baterem no meu calcanhar.

 

- A primeira coisa que eu faria lá? Hm... Acho que passaria o dia fora. O dia e a noite, só passeando e conhecendo tudo que eu conseguisse em cada segundo. - fiz uma pausa. - Mas você estaria a todo o momento comigo! Seria meu guia. Meu guia tradutor. Meu namorado guia tradutor. - sorri finalmente.

 

- E seu sorriso é coisa mais linda do mundo, sabia?  Eu me derreto por completo quando sorri assim.-  Virei meu rosto para observá-lo mais uma vez, aumentando o sorriso e o vendo se contagiar com aquilo.

 

- Espero que esse nosso amor não acabe nunca. - como era tudo novo, parecia um sonho, mas todo o casal tinha uma linha tênue entre o amor e ódio.  Principalmente quando brigam.

 

Levei meus olhos para a aliança que eu tinha no dedo e acabei recriando uma cena que vi quando era pequeno: de minha mãe arrancando a sua do dedo e tacando janela a fora como uma bolinha de papel.

Pode parecer brincadeira de minha parte, mas depois daquele dia aquele anel nunca brilhara como antes.

 

-Johnny... - chamei sua atenção. - Vamos tentar ser um casal sem muitas brigas. Às vezes é bom porque soltamos o que temos dentro na hora que é pra soltar e ninguém sai morto, mas você fica assustador quando se irrita! - deixei uma risada sair e alisei o objeto com a ponta dos dedos da minha outra mão. Tirava a minha concentração rápido, mas logo chegou na minha cabeça como eu esconderia aquilo dos meus pais. Não, eu não tiraria nem morto, mas também não usaria luvas até completar dezenove anos ou terminar a escola. Se fosse um anel simples, poderia dizer que comprei como um acessório, mas aquilo brilhava mais que o sol.

 

- Me desculpe. Eu prometo que vou tentar não agir daquela forma quando eu ficar zangado com alguma coisa. Mas não prometo que vou conseguir.  - Sorri minimamente com seu pedido de perdão e logo suspirei. - Deve estar pensando em como vai esconder de seus pais não é? Só tire quando estiver perto deles, por favor, eu não quero que mais nada de ruim aconteça.

 

- Eu realmente não queria ter que tira-la, mas seria extrema burrice da minha parte. - mordi com força meu lábio inferior, odiando ter de manter aquilo escondido. Eu era horrível com aquelas coisas. Não é como se houvesse um curso para esconder alianças de namoro de seus pais homofóbicos porque se tivesse com certeza eu não gastaria minhas economias em comidas fora de casa. - Tenho medo de perdê-la, mas vou cuidar direito dela. - e logo depois de terminar minha frase, meu celular vibrou indicando que o tempo havia acabado.

 

Levei meus olhos lentamente para a mão do maior e a segurei, me levantando e penteando seus cabelos com a ponta dos dedos.

 

- Eu vou ter que ir... - disse com a voz mergulhada em chateação.  - Mas nos vemos mais tarde, certo? - me abaixei um pouco e beijei o topo de sua cabeça, esperando que ele se levantasse para fazer uma despedida decente. Assim que ele o fez, olhou ao redor certificando-se de que não havia ninguém, e como antes, continuava vazio. Um selar fora deixado em meus lábios e logo em seguida em breve abraço.

 

- Acho que vou ficar aqui por um tempo. Então... até mais meu amor, eu te amo. – Ele se abaixou por conta da enorme diferença de tamanho, deixando um selar em minha testa.

 

-Eu te amo mais! Te vejo mais tarde. - abri um sorriso tentando deixar aquilo menos frustrante. Até porque certamente nos veríamos de novo e ainda hoje!

 

Enquanto me afastava e tomava caminho para casa batendo na minha roupa para tirar aquela areia toda, cheguei a lembrar de que nem perguntei aonde iríamos e rapidamente mandei uma mensagem a ele mesmo que só seria enviada quando eu chegasse em casa já que ali eu não tinha nenhum sinal de internet.

Acho que havia sido a caminhada mais rápida que fiz e até me assustei quando pisei casa a dentro.

Me apressei para me limpar e também limpar o chão que havia sujado, assim, esperando no sofá até que meus pais chegassem em casa para que finalmente eu pudesse por meu plano em ação.

 

Meu pai foi o primeiro a chegar então reuni toda a coragem que eu tinha e também a que eu não tinha para me dirigir a ele. Até que havia sido fácil. Ele abriu um sorriso vitorioso e pareceu mais que aliviado ao me ouvir falar em umas pequenas férias. Tentei me manter o máximo sério, mas no fundo estava rindo de sua cara.

 

Era errado? Era, mas continuava sendo se ele tivesse errado primeiro em me privar da minha liberdade?

 

Algumas horas passaram voando e logo eu já me encontrava na casa de meus primos. Depois de meu pai ter me mandado subir com o par de gêmeos, consegui ouvi-lo começar a contar toda a história sem se esforçar para esconder as partes mais vergonhosas.

 

- Então... quem é? - o gêmeo mais novo cruzou os braços e se virou para mim. Empurrei os dois para dentro do quarto e fechei a porta.

 

- Ninguém que deva algo a você. - Seong não gostou muito do tom que eu respondera, mas Cheong nem parecia estar ouvindo. - Eu só preciso que vocês deixem tudo nos conformes, entendido?

 

- E como vamos fazer isso? - perguntaram em coro, me deixando perdido por algum segundo encarando suas faces angelicais.

 

- Vocês são criativos... Vai ser como nos velhos tempos. - sorri e assim me sentei numa das camas, começando a transparecer nervosismo.

 

Saquei meu celular do bolso da calça e mandei uma mensagem para Johnny com o endereço e aproveitei também para perguntar afinal que horas ele me buscaria.


Notas Finais


Eu disse que esse capitulo mataria geral, mas acontece que tive que encher linguiça. A fanfic não vai ser tão longa assim por isso foi necessário. Quase 2k de palavras de pura enrolação kkkjljjkljkj me perdoem e não desistam de mim.
Mas agora é real oficial; se preparem pro próximo cap, que vou tentar postar essa semana ainda.
Eu não revisei direito por preguiça, então me desculpem por qualquer erro ou confusão. Já que essa fanfic foi tirada de um rpg, pode ser que tenha algum erro que deixem vcs ??? Mas é só ignorar fniwfnwijfnw
Até o próximo cap~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...