História Runaway Baby - Capítulo 58


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bruno Mars
Personagens Bruno Mars
Tags Brunomars, Runawaybaby
Exibições 17
Palavras 1.037
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ficção, Musical (Songfic)
Avisos: Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 58 - Capitulo 58


Fanfic / Fanfiction Runaway Baby - Capítulo 58 - Capitulo 58

Bruno narrando


Alguns minutos depois la estava eu sendo seguido pelos olhares curiosos dos seguranças e porteiros do condominio, apenas sorri pra todos e fui para o apartamento da karol . Bati na porta e então ela abriu
Nos encaramos por alguns minutos. Ela estava tão fragil, daquelas pessoas que sentimos vontade de abraçar  e não soltar mais. E então  quando dei por mim ja estava abraçando ela. E ela me abraçou de volta. Sim, aquela durona boca suja tinha um coração, não que eu já  nao soubesse disso, é que agora eu sentia ter um também
-entra brunz
Eu entrei. Ficamos nervosos então eu puxei ela pro sofá.E em seguida levantei pra ir buscar um copo d agua pra ela. Aproveitei e passei no banheiro pra pegar um remedio pra dor de cabeça

-obrigada bruno.
-porque você ta chorando?
Ela ficou quieta
-e porque você ta ouvindo "close" repetidamente?
Ela sorriu
-ja sei. Você esta chorando porque ta ouvindo "close" o tempo todo e nao sabe desligar?
Ta. Piada era comigo mesmo
Ela me olhou nos olhos e depois voltou a olhar para as unhas
-bruno.. Peter..brunz.. Eu, eu não consigo mais controlar meu sentimento por você, ta muito forte aqui dentro - e la estava ela chorando de novo- eu nunca senti isso, ta me sufocando, eu preciso de você bruno.. Nem que seja pouco, mas preciso de você presente na minha vida.
-isso.. É muito… - tossi pra aliviar a tensão
-engraçado?  Humilhante? Eu sei…

-muito parecido com o que eu sinto..quando penso em você looh..

  Ela levantou o olhar e eu pensei "puta que pariu", tudo estava muito mais serio que eu pensei

-eu to tentando evitar. A todo tempo pensar nisso karol, mas te ver assim.. Você parece um reflexo de todos os meus pensamentos. Você não  sabe como ta dificil ficar nos ensaios te vendo sem poder chegar perto, porque não quero sentir a necessidade de te tocar e ficar perto de você.  De ouvir sua voz a noite. Eu se quer tenho escrito musicas..
-bruno eu não quero que você fale essas coisas só pra me fazer sentir melhor
-você é cega ou o que karol?  - me exaltei e levantei do sofá -  Nao da pra ignorar o que estava rolando entre a gente. To mentindo?- abri meus braços questionando ela

-bruno calma - ela segurou em meus braços se levantando também
Droga como era dificil resistir a ela . Me acalmei e continuei

-quando me questionei sobre você estar grávida,  eu realmente pensei que você estava, como eu queria isso. E eu queria que fosse meu karol. Eu .. Sinto tao forte o que sinto por você que eu te aceitaria mesmo se você gostasse do ryan, em nenhum momento eu deixei de te desejar, so que ele é meu amigo e eu precisava respitar
-Nunca tivemos nada mars! Que droga. Nunca! Eu sei que pareceu. Mas é vocé!
Cheguei mais perto dela, enfeitiçado por toda situação,  enfeitiçado pela curiosidade
-eu o que?
-É VOCÊ QUE EU AMO PETER GENE HERNANDEZ!

Me aproximei dela na intenção de sei la o que. Entao juntei nossas testas segurando as laterais do rosto dela. Eu precisava ouvir de novo. Eu Senti a respiração quente dela no meu rosto e aquilo estava me arrepiando. Eu não sabia como pedir, mas eu precisava ouvir. Abri meus olhos e ela mantinha o dela fechado. Não havia palavras a sair da minha boca, como se lesse meus pensamentos ela repetiu, dessa vez mais suave
-eu te amo peter.
-Então porque ficamos tão separados? Porque fugimos disso?
-porque somos orgulhosos..
Levantei o rosto dela e sequei toda lágrima,  eu já sabia o que viria apois isso e ainda sim senti minhas maos tremerem.

-eu quero você - ela realmente sabia como me tirar dos eixos
Então eu a beijei , colei nossos lábios - que se encaixavam perfeitamente- e puxei o corpo dela junto a mim. Eu precisava senti - lá, como a muito tempo eu não sentia. Ela arranhava minha nuca e retribuia o beijo majestosamente.

-isso esta errado - ela disse após pararmos e nos deitarmos no sofá, sim, de cochinha. -e a anny??
-terminamos.
-assim? Facil?
-Acho que o que tivemos foi uma mistura de confusão  de sentimentos, com carência e um pouco de vingança, amo demais a anny. Mas ela e eu não combinamos, não como ela e o ryan sabe?!

Ela sorriu . Fiz carinho em seus cachos, como sempre fiz. E senti o cheiro maravilhoso que aqueles cachos tinham.ela se aproximou mais de mim, Por um motivo qualquer sai daquele paraiso que se passava em minha mente e então me lembrei de julian
-karol e essa história  do julian?
-ja mandei uns e mails pra uns advogados que me foram indicados. Espero respostas até amanhã, fica calmo, tudo vai dar certo baby
Beijei a nuca dela e percebi os pelos daquela regiao se arrepiarem
-bruno…
-oi?
Ela se virou pra mim
-promete não me magoar mais? Eu não to te pedindo pra me amar.. Mas se for pra ficar.. Que fique pra nao me machucar mais
-prometo. E voce? Promete o mesmo?
-prometo!
-vamoos então cruzar os dedinhos
Ela sorriu e eu a roubei um selinho, logo depois cruzamos o dedinho
-parecemos crianças - eu sorri e fiz voz de criancinha
-criancinhas que se beijam - ela fez a mesma voz
-será que nossos filhos farão o mesmo?
-os meus com certeza.
-como assim? SEUS?
-meus.. Ue, meus filhos
-nossos looh.. - bufei
-Você pensa mesmo nisso bruno? - ela corou
-mais é claaaro. Vamos lotar a casa
-diz isso por que esta envelhecendo?
-para de duvidar de tudo garota . Digo isso porque confio em você, eu acredito em você, eu escolhi você.

Ela mordiscou os labios e eu os beijei
Ela levantou e me puxou pela mão

-vem. Vamos deitar no quarto
-sim senhora mars!
-senhoora mars?
-sim. Pra quando nos casarmos
Ela parou e voltou a olhar pra mim
-naao seria senhora hernandez?
-senhora mars! Eu digo que você não  é desse mundo - sorrimos
Nos deitamos de conchinha. E apenas. Dormimos, sem fazer amorzinho igual gorillas, estavamos fazendo exatamente o que precisavamos fazer. Dormir juntos.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...