História Runaway (Imagine Jin) - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Imagine, Romance
Visualizações 42
Palavras 1.768
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Encontro


Eu não esperava achar a casa de Jin tão aconchegante, apesar de haver quatro meninos furiosos e gritando alto enquanto jogavam algum jogo em um vídeo game, eu me sentia confortável nesse lugar.

-- Eles não vão me cumprimentar mesmo né? -- Eu pergunto para Jin, apontando para os meninos no sofá.

-- Não até acabar essa partida. -- Ele me responde. Dou de ombros, vencida e o deixo me guiar até uma mesa de jantar, onde vários pratos foram arrumados. O cheiro está delicioso.

Me sento a mesa, onde dois pratos e alguns talheres também haviam sido postos cuidadosamente. Com esse pequeno tempo no restaurante, eu já conhecia a maior parte dos pratos coreanos, mas por outro lado não havia provado a maioria, então nada melhor do que aproveitar a oportunidade. Boto um pouco de cada coisa no meu prato e levo a boca em seguida.

Foi inevitável conter um gemido de prazer, eu nunca havia comido algo tão bom na minha vida inteira. Jin cora de um jeito fofo com a minha reação.

Nós começamos a conversar animadamente sobre coisas aleatórias. Parecia como se eu o conhecesse há anos, não somente um mês.

Ouço um barulho de tiro, vindo dá televisão, me dando conta de que eles jogavam Call of Duty, um dos meus jogos preferidos. Tinham uns bons dois anos que eu não jogava.

-- Você quer jogar? -- Jin me pergunta, enquanto alternava o olhar entre mim e a televisão.

-- É mais forte que eu -- Me levanto da mesa, indo em direção ao sofá onde os meninos jogavam freneticamente.

Me aproximo deles sorrateiramente, vendo que estavam jogando no modo competitivo, um contra o outro e que Jimin era o que perdia no momento. Em um movimento rápido, pego o seu controle. Ele protesta por um momento, mas ao ver que eu recuperava rapidamente a sua pontuação, cessou os protestos. Logo eu já havia passado até mesmo Tae, que por pouco está atrás de mim.

-- Onde você aprendeu a jogar tão bem? -- JungKook pergunta claramente chocado.

-- Eu sempre gostei de jogos assim.

O barulho de um trovão se faz presente no ambiente, fazendo eu dar um pulo para trás assutada. O meu coração a bater mais rápido como um sinal de que eu estou começando a ficar apavorada. Na noite em que os meus pais foram encontrados mortos também chovia e trovoava.

-- Está tudo bem? -- Jin se aproxima me olhando preocupado. Acabo com o espaço entre nós, o abraçando, surpreendendo não só a ele como a mim. Naquele momento eu desliguei o meu lado racional e me deixei levar pelo meu emocional. Seus braços passam em volta do meu corpo, fazendo eu me sentir protegida como nunca antes.

-- Eu não quero ir pra casa -- digo entre soluços, contra seu peito, que agora parecia a coisa mais recunfortante do mundo.

-- Você não precisa, pode dormir aqui se quiser. Eu posso dormir no sofá. -- Suas mãos afagam meu cabelo carinhosamente, fazendo o meu corpo relaxar.

Lembro então da primeira vez em que tive que aguentar uma dessas tempestades sozinha, encolhida em um canto esperando até que tudo acabasse, sozinha e indefesa. Mas porque hoje estava sendo tão diferente? O que Jin está fazendo comigo?

Quando eu finalmente me acalmei, a chuva ainda caía lá fora, mas era como se eu não me importasse mais. Os meninos já tinham subido nessa hora, de modo que eu estava sozinha aqui com Jin.

-- Pode dormir no meu quarto, eu durmo aqui no sofá se você quiser. -- Ele diz me tirando dos meus pensamentos.

-- Tem certeza que eu não estaria te encomodado?

-- De jeito nenhum, venha vou te levar até lá -- em um gesto rápido ele pega a minha mão, me fazendo corar.

Subimos as escadas e viramos na segunda porta a direita. Ele abre a porta, revelando uma cama bem espaçosa e um armário, nada muito luxuoso.

-- Boa noite (S/N).

-- Boa noite Jin. -- Ele se aproxima, levantando meu rosto e me dando um beijo demorado na testa.

Entro no quarto ainda com o coração a mil, porque Jin exercia esse efeito em mim? E foi com esse pensamento que eu acabei adormecendo.

Acordo com uma mão deslizando suavemente pelos meus cabelos escuros. Abro os olhos, me deparando com Jin do outro lado da cama, me olhando carinhosamente. Agora mesmo que eu não queria mais levantar.

-- O que você está fazendo aqui? -- Eu pergunto com voz de sono.

-- Vim te acordar, o café da manhã já está pronto. -- Ele dá um sorriso tímido. O cheiro da sua comida se faz presente no ar, me fazendo sorrir em deleite.

Eu não percebi que havia me aproximado dele até notar que estávamos a centímetros de distância, nossos rostos se aproximando e o meu corpo agindo por conta própria. Sinto os seus lábios nos meus em um beijo cheio de sentimentos, correspondo pensando " Que se foda, eu estou realmente gostando disso".

-- Eu sabia! -- Um Tae super animado invade o quarto, fazendo eu me afastar de Jin visivelmente corada. -- Vocês me devem 10.000 wons.

Olho para a porta do quarto, vendo JungKook, Jimin e Namjoon nos olharem com com sorrisos nos rostos.

-- O que vocês estão fazendo aqui? -- Jin pergunta em um misto de vergonha e curiosidade.

-- Você e a (S/N) não desciam, eu já suspeitava do que estava acontecendo, então resolvi apostar com os outros quando seria o primeiro beijo de vocês. -- Tae responde espontaneamente, de bobo esse garoto só tem a cara.

-- Poxa Jin, achei que seria só no segundo encontro -- Namjoon diz. O garoto ao meu lado cora mais ainda, envergonhado pela pequena festinha em nosso quarto.

-- Vamos descer, eu estou morrendo de fome -- Respondo, me levantando da cama e descendo as escadas, seguida pelos meninos.

O cheiro maravilhoso da comida de Jin invade as minhas narinas, me fazendo dar um suspiro. Os outros devoraram tudo que era comestível na mesa, enquanto eu resolvi saborear cada mordida.

De súbito, um baque me atingi, fazendo eu lembrar que hoje era o nosso último dia de folga, eu precisaria voltar para casa, tomar um banho antes de ir trabalhar.

-- Gente, eu preciso voltar para casa -- Todos me encaram espantados.

-- Eu fiz alguma coisa errada? -- Jin pergunta.

-- Não, longe disso. Eu não posso ir para o serviço assim, eu nem tomei banho.

-- Verdade, o seu cheiro não está dos melhores agora -- Jimin diz, mas logo emite um gemido de dor, como se alguém tivesse pisado com força no seu pé. Como havia a mesa entre nós, não conseguiria identificar quem era, apesar de suspeitar de Jin.

Um pedaço da noite passada se passa pela minha mente. Foi a primeira vez que eu consegui dormir tranquila em uma noite de chuva, o acidente dos meus pais havia sido traumático a esse ponto.

-- Fica mais um pouco -- Porque eu acabava tão fofo o jeito como Jin disse isso.

-- Por favor, joga mais uma partida de Call of Duty com a gente, dessa vez eu quero te vencer -- Kook diz animadamente. Dou um suspiro, me rendendo.

-- Tudo bem, acho que eu posso ficar por mais algumas horas. -- Levanto as mãos em sinal de rendição. -- E você nunca vai me vencer.

-- Isso é o que vamos ver. -- Ele rebate.

Rapidamente nós ligamos o console e a televisão, começando a jogar em uma competição acirrada. No final, eu venci novamente, fazendo Tae e JungKook ficarem irritados, os dois pareciam duas crianças no momento. Eu nem mesmo notei quanto tempo se passou até eu me dar conta de que já estava escurecendo. Espero até que a partida acabe, para avisar aos meninos.

-- Gente, tenho que ir para casa e já está ficando tarde. -- Todos olham para mim, com aquelas expressões de cachorro perdido, como esses garotos podiam ser tão fofos?

-- Vai chamar o Jin para te levar de volta. -- Tae diz, substituindo a sua cara triste por uma mais maliciosa, Jesus esse menino não sabe o que significa limite! Dou um soco em seu ombro, fazendo o mesmo dar um gemido de dor.

Então começo a minha procura por Jin. Ele não estava na cozinha nem em nenhum dos banheiros, logo só restava o quarto. Subo as escadas e abro delicadamente a porta, encontrando uma das cenas mais fofas do mundo. Ele dormia tão pacificamente que eu estava com pena de acorda-lo.

Naquele momento a minha consciência e o meu emocional lutavam entre si, por um lado eu sabia que deveria ir para casa para estar no trabalho amanhã, mas um outro lado meu preferia ficar somente admirando o garoto adormecido ao meu lado. Até que por fim, derrotada, eu sento na cama sem saber o que fazer. Seus olhos se abrem quase que no mesmo instante, me fazendo tomar um pequeno susto.

-- Desculpa por ter apagado, eu só não dormi muito bem na noite passada. -- Ele esfrega seus olhos de um jeito meigo, fazendo um sorriso se formar automaticamente no meu rosto.

-- Não precisa se desculpar, é porque já está ficando tarde.

-- Eu te levo de volta -- Ele diz em um tom autoritário, se levantando calmamente da cama.

Me despeço dos meninos, mesmo que contra a minha vontade e sigo para a garagem junto de Jin, que abre a porta do carro para eu entrar.

Praticamente todo o caminho de volta nós conversamos, tanto pelo meu interesse em "jogos sangrentos", como Jin chamou, como sobre as receitas dos meus pratos brasileiros, que ele jurou que tentaria fazer.

-- Acho que chegamos -- Ele diz, destrancando a porta do carro, sua expressão agora toma um ar mais triste.

Por um momento, eu realmente considerei a ideia de sair do carro e ir embora, me despedindo com um aceno. Mas uma parte minha precisava, em um ato necessitado fazer algo antes.

-- Esqueci algo.

-- O que? -- Ele pergunta.

-- Isso. -- Aproximo nossos rostos, tomando os seus lábios em um beijo necessitado. Jin pareceu surpreso pela minha ação, mas não tardou a me corresponder.

-- Você só está dificultando para mim ter que me despedir de ti. -- Ele diz, com um sorriso triste.

-- Daqui a algumas horas nos encontramos novamente. -- Digo dando um último selinho em seus lábios antes de abrir a porta e sair do carro, acenando para Jin.

"Foda-se a minha promessa, agora algo de bom finalmente está acontecendo na minha vida. ", é o meu último pensamento antes de me jogar na cama e apagar quase instantaneamente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...