História Runnin - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Visualizações 9
Palavras 2.052
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Sejam bem vindos!
Essa é minha primeira fanfic.
EU NÃO APOIO PLÁGIO DA MINHA HISTÓRIA, LEMBRANDO QUE PODE DAR CADEIA ISSO!
Eu não apoio nenhum ocorrido na fanfic, como o uso de armas, drogas, bebidas alcoólicas, tortura, envolvimento de maiores com menores de idades, manipulação, roubo, hackear, etc. LEMBRANDO TUDO ISSO É FICCIONAL!
Lembrando que é minha primeira fanfic, então se ocorrer alguns erros ao longo do enredo espero que entendam e me ajudem a consertar eles.
NÃO APOIO NENHUMA PRÁTICA DE PLÁGIO!

Capítulo 1 - Flashback


Institut Le Rosey - Cantão de Vaud, Suiça. 

05 de agosto de 2017. 

Olivia Butler – Ponit of views 

Me olhava no espelho admirando meu vestido de formatura, nude com pedras swaroski onde as mesmas desciam em seu decote em v parando um pouco abaixo da minha cintura com o vestido então se descolando do meu corpo. Ryan realmente havia exagerado demais em seu presente de formatura. Retoquei minha maquiagem, então por fim soltando meu cabelo que estava com leves ondulações sobre ele.  

-Meu deus. - levei um pequeno susto com Sarah entrando no meu quarto - Você está maravilhosa, seu irmão realmente tem bom gosto. 

Revirei os olhos, então me virando e a encarando. Ela estava deslumbrante com seu vestido vermelho sangue.  

-Você está maravilhosa, pensei que ia parecer uma menstruação ambulante - dei um sorriso sacana pra ela, rindo com o nariz. 

-Você é tão idiota livi, realmente não sei como virei sua amiga. 

Quando ia responder bateram na porta nós chamando para irmos se encontrar com o resto dos formandos no local combinado. Peguei meu celular e chamei Sarah para uma foto. "Sempre registre os momentos Olivia, eles não são para sempre" lembrei da frase que minha mãe sempre dizia, sorri ao lembrar dela, ela estaria tão orgulhosa de mim.  

(...) 

-Se lembrem, só entrem salão quando for chamado seu nome inteiro. - George nosso diretor falou pela milésima vez- Estou orgulhoso de todos que estão nessa sala, a partir de hoje vocês não me terão mais para os lembrarem das provas, dos esportes ou até mesmo de mandar as inscrições para a faculdade. -ele olhou para mim, nesse momento todos riram lembrando do episódio.- Apenas os desejo boa sorte. 

(...) 

-Olivia Butler. 

Ouvi meu nome ser chamado e comecei a andar sobre o tapete vermelho no meio do salão de baile indo em direção ao palco. Eu estava radiante enquanto caminhava, me lembrando de todos os bons momentos que tive nesse internato, até os ruins me faziam rir agora. 

Sentei em minha cadeira, esperando todos os nomes serem chamados. Quando todos entrarão, começaram os discursos e mais discursos, aplausos, risadas e choradeira. Eu realmente estava nervosa, pois ia fazer um breve discurso, sobre o Institut Le Rosey, olhei para Sarah que estava rindo de nervoso ela sempre ria de nervoso, principalmente em momentos inapropriados como velórios de familiares.  

-Chamo aqui na frente umas das melhores e mais bondosas aulas desse internato e futura Psicóloga Olivia Butler. -todos aplaudiram e minhas mãos começaram a suar frio, porra

Peguei minha folha do discurso com o George que me aguardava no púlpito. Olhei para os lados a procura de meus pais, realmente era uma procura e vão, eles morreram já faz 5 anos Olivia, meu subconsciente gritava. Foi quando meus olhos se encontraram com aqueles olhos mel, aqueles olhos que eu guardava tanta ressentimento e raiva. 

Flashback On 

5 anos atrás 

Estávamos cantando minha música preferida, rindo. Fazia tanto tempo que não vivia mamãe rindo, depois que meu irmão foi embora com o seu melhor amigo para os Estados Unidos para trabalhar, mamãe ficou muito doente. Não entendia o por quê, ela não devia ficar feliz? Ele estava seguindo sua vida sozinho, meu pai nunca me contou no que meu irmão trabalhava, mais eu achava que era em uma loja de brinquedos, ele sempre me mandava brinquedos novos pelos correios.  

-Amor diminui a velocidade, assim vamos chegar em casa daqui 5 minutos e eu quero aproveitar mais a vista. -mamãe disse para papai. 

Meu pai não diminui a velocidade, mas vi pelo retrovisor ele fazer uma cara estranha. 

-Sofia –ele disse devagar- estou sem freios. 

Nesse momento o carro começou a ficar de ponta de cabeça várias vezes, segurei muito forte meu urso fechando os olhos com força, enquanto não sentia mais corpo. Comecei a perder o controle do mesmo e apaguei. 

1 mês depois  

Tentei abrir meus olhos e me mexer, mas era impossível. Escutava pessoas andando no meu lado e mexendo no meu braço, sempre. Onde eu estava?! Quero só minha mãe e meu pai, estava entrando em desespero, queria gritar pedir socorro. 

-CÓDIGO AZUL, ELA ESTÁ TENDO UMA PARADA! –alguém gritou. 

E tudo ficou escuro de novo. 

(...) 

-Ryan a culpa não é sua. -uma voz doce falava. 

-COMO NÃO?! -alguém gritou, acho que era a voz meu irmão mais velho. 

Quando ele gritou minha cabeça gritou junto de dor. 

-Ryan... 

-CALA A BOCA CAITLIN! COMO NÃO FOI MINHA CULPA?! SABOTARAM O CARRO DOS MEUS PAIS, PARA MOSTRAR QUEM MANDA NA MERDA DA MÁFIA. MINHA IRMÃ TEM SÓ 12 ANOS E ESTÁ EM COMA, VOCÊ SABE O QUE É ISSO?  

-Ryan não grita, eu não sei o que é essa dor da perda, eu não sei, meus pais estão vivos e meu irmão também. Mas quando você entrou para esse mundo do tráfico, sabia onde estava se metendo eu estou tentando de ajudar. - a voz doce disse com calma. 

-Caitlin meu pais morreram, como eu vou dizer a minha irmãzinha que a culpa é do cara que ela achava que era seu super herói? Ela está em coma por minha culpa, MINHA CULPA CARALHO! 

O que aconteceu? Meus pais morreram? Por que eles morreram? Onde eu estava? Em coma? Quem era Caitlin? O que era máfia? Senti meu coração muito rápido, NÃO, NÃO NÃO, NÃO, NÃO QUERO O ESCURO DE NOVO. 

Porém dessa vez foi diferente, abri meus olhos rapidamente sentindo uma dor muito forte na minha cabeça e meus olhos, tudo era branco. Dois olhos azuis apareceram na minha frente com espanto.  

-Olivia? Está sentindo alguma dor? Caitlin chama a porra do médico, AGORA!  

Então lembrei de tudo, sorrisos, risadas, mamãe, papai, freios, carro capotando, sangue e tudo escuro. Meus pais estavam mortos. 

2 meses depois  

-Bom dia –Ryan entrou no meu quarto com uma bolsa- hoje você pode sair desse hospital. -ele sorriu- Comprei roupas novas para você, vamos só esperar a enfermeira vir tirar seu soro. 

Apenas concordei com a cabeça. 

Durante esses dois meses, Ryan me contou muitas coisas, coisas que eu acho que eu nunca deveria saber. Meus pais morreram no acidente, eu bati a cabeça com muita força e fiz uma cirurgia no crânio, fiquei em coma por 1 mês e tive uma parada cardíaca. 1 semana depois do acidente fui transferida para os Estados Unidos, já que Ryan morava aqui. E por fim, finalmente ele me explicou qual era o seu trabalho, não ele não trabalhava em uma grande loja de brinquedos como pensava. Ele mexia com armas, drogas, mulheres que ganhavam a vida vendando seu corpo, aprendi que são chamadas de putas, roubo de bancos pequenos ou grandes, torturas, essas eram apenas as principais funções do seu trabalho. Ele me apresentou seus amigos, mas eu lembrava vagamente de todos, todos eles moravam no Canadá. Justin Bieber, melhor amigo do Ryan, dele eu me lembrava bem, ele que trouxe o Ryan para esse mundo, ele era o chefe. Chaz Somers, ele adorava torturar então as torturas mais pesadas sempre eram dele. Christian Beadles, hacker. Caitlin Beadles, ajudava seu irmão com o hacker e na administração das putas. Ryan Butler, armas. Todos faziam o que os outros faziam, porém cada um tinha sua área de maior afinidade.  

(...) 

Todos moram juntos em uma mansão ou aquilo poderia ser um castelo? Desde o acidente evitava falar, falava apenas o necessário. Ryan me colocou para dormir em seu quarto, eu podia reparar que ele estava apavorado, queria que eu estivesse 24 horas ao lado dele. Até que completou uma semana que eu estava na casa deles. 

-Oli, não quero que fique chateada, mas é o melhor sem dúvida. Você vai estudar no melhor internato que existe na Suíça, Institut Le Rosey. Eu sei que você gosta de analisar pessoas e já percebeu que eu estou apavorado e com muito medo. Eu não queria que aquele acidente existisse, não posso voltar no tempo. Eu não consigo cuidar de você, eu te amo demais para deixar você comigo onde o perigo é constante. 

Escutei tudo em silêncio, apenas concordei com a cabeça e me virei. Iria tirar tudo que estava dentro de mim desde o dia que acordei do coma. Desci as escadas e entrei no escritório do Justin Bieber sem bater, ele estava olhando alguns papeis enquanto bufava. Quando aporta se fechou ele me olhou. 

-Olivia o Ryan não está aqui, não posso te ajudar estou ocupado. 

-Eu sei não sou cega, - ele me olhou com uma cara surpresa por estar falando, enquanto eu o encarava com uma raiva incontrolável meu olhos já estavam cheios de lágrimas- EU ODEIO VOCÊ! -gritei- Você trouxe meu irmão para esse mundo nojento. VOCÊ SABIA QUE DEPOIS QUE MEU IRMÃO FOI EMBORA MINHA MÃE TENTOU SE MATAR 3 VEZES? TODAS NA MINHA FRENTE, MEU PAI SEMPRE CHEGAVA NO ULTIMO SEGUNDO PARA SALVAR ELA. ELA AMAVA TANTO O RYAN, ELE ERA O AMOR DA VIDA DELA, EU TINHA SÓ 10 ANOS QUANDO ELE FOI EMBORA. SABE O QUE É AMADURECER COM 10 ANOS? MINHA MÃE ESTAVA BEM, ESTAVA VOLTANDO PARA A REALIDADE. ATÉ ESSE ACIDENTE, FOI A PRIMIERA VEZ QUE VI ELA SORRIR DEPOIS DO RYAN IR EMOBRA! ELA ESTAVA RINDO, SABE O QUE É VER SUA MÃE FELIZ DEPOIS DE DOIS ANOS? ELA CANTAVA COMIGO, ELA CHAMOU MEU PAI DE AMOR DEPOIS DE ANOS. SABE ONDE ESTAMOS INDO NO DIA ACIDENTE? TINHAMOS ACABADO DE BUSCAR MINHA MÃE DE UMA CLÍNICA, DEPOIS DA TERCEIRA TENTATIVA DE SUICÍDO MEU PAI INTERNOU ELA. 6 MESES SEM UMA MÃE. -já chorava compulsivamente, enquanto o Bieber tinha o maxilar travado- Eu não guardava ressentimentos do Ryan, até hoje. Sabia que hoje vou embora para um internato na Suíça? Obvio que você sabe, deve ter sido ideia sua. Ryan não está trabalhando desde o acidente, estou atrapalhando seus negócios. Não é mesmo? -ri com muito sarcasmo- Você é o maior filho da puta que eu já conheci. A CUPA DE TUDO É SUA, APENAS SUA! 

Justin estava vermelho de raiva, ele estava incrédulo, quando ele imaginou que com 18 anos uma menina de 12 anos ia vir atrás dele apenas para falar que ele é um filho da puta. Me virei para sair daquele escritório dando de cara com Ryan, Caitlin, Chris e Chaz, todos eles estavam em choque? Nunca viram alguém brigar com o Justin, antes?  

-Ryan eu quero ir embora agora. 

Ele apenas assentiu e se virou me conduzindo até a garagem, onde minhas malas já estavam no carro. 

Flashback off 

Ele deu um sorriso malicioso, olhei para o seu lado vendo todos eles ali. Ryan falou que não viria na minha formatura, o que ele estava fazendo aqui?! E por que trouxe todos eles?! Fazia 5 anos que não via meu irmão pessoalmente, imagina então Justin, Chaz, Chris e Caitlin. Desviei meus olhos olhando para o meu discurso.  

-Como começar a falar do Institut Le Rosey? Onde que para muitos que estão se formando hoje, aqui é sua casa e eu me incluo nessa categoria. Pisei nesse salão pela primeira vez a 5 anos atrás, fiquei realmente admirada com o lustre principal. -todos riram- Aqui realmente parecia minha casa, só que com o triplo de parentes. Aqui conheci as melhores pessoas da minha vida e pretendo levar um pedaço de cada uma delas comigo para o resto da minha vida. -me virei e olhei Sarah- Realmente criamos laços familiares aqui, ganhamos irmãos, pais, tios e até mesmo avós, desculpa George. –novamente todos riram- Como posso me despedir do lugar que me ensinou a nadar, a falar diversas línguas, culinária, a pedir perdão e tantas outras coisas, me ensinou a amar de novo que é normal chorar quando estamos cheios. Posso disser com garantia que se pudesse voltar no tempo, para o meu primeiro dia aqui faria tudo igual, até meus micos que todos vocês sabem que não foram poucos. Eu sorri com cada lembrança e com cada decepção também, pois aqui é a minha casa e aprendi a perdoar, é com muita dor no meu coração que tenho que me despedir e colocar um ponto final nessa história, para iniciar um novo parágrafo da minha vida. -me virei para todos os meu colegas. 

-PARA SEMPRE INSTITUT LE ROSEY –todos gritávamos ao mesmo tempo se abraçando enquanto os convidados e professores aplaudiam. 


Notas Finais


Jesus que vergonha...
Gostaram?!
Comentem amores :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...