História Russian Roulette (Hiatus) - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~Baebae1306

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chanbaek, Exo, Kaisoo, Lemon, Suspense
Visualizações 169
Palavras 2.164
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ollaaa, Cammys aqui como smpr :)
Gente, eu sei que demorei, mas quem leu o aviso entendeu porque
Enfim, eu passei na prova com nota máxima \0//////
E vim aqui presentear voces com esse cap kk que eu enrolei taaaanto mas ta ai

Boa leitura, e ate as notas finais ♡

Capítulo 5 - Don't Deny


Fanfic / Fanfiction Russian Roulette (Hiatus) - Capítulo 5 - Don't Deny

Disse puxando seu pulso com toda força que tinha e saiu correndo, sem olhar para trás, mas sabia que o tal homem ainda o seguia...



Correu cerca de 4 quadras ate tropeçar em uma parte quebrada do concreto da calcada e cair

"Merda" Pensou

Olha para trás com a visão um pouco embasada e se depara com o homem ainda atrás dele, ele sorriu igual um maníaco quando o viu caido e indefeso no chão e foi andando calmamente ate Kyung

- VAI EMBORA

Gritou se levantando do chão e tentando sair correndo de novo, mas o homem é mais rápido, o segura e da um tapa em seu rosto

- Eu ja disse que você vem comigo

- ALGUEM ME AJUDA!! POR FAVOR

Começou  a gritar para quem passava na rua enquanto o homem o arrastava, ele ja não tinha mais forças para lutar

- Por favor... Me deixa ir

Dizia ja aos prantos, usando sua ultima carga de energia para tentar se soltar dele, mas não era o suficiente

- CALA A BOCA

Ele o da outro tapa, e puxa seu pulso com força, o torcendo, o fazendo soltar um grito alto de dor

- Ei você! O que pensa que está fazendo com este pobre garoto?!

Finalmente

Um homem alto, bem mais alto do que o que o sequestrava, com cabelos castanhos chega, o interrompendo

- Não é da sua conta

- POR FAVOR ME AJUDA, EU NAO QUERO IR COM ELE

O homem ve seu desespero e da um soco no meio do rosto do "sequestrador" o fazendo cambalear

- Va para a casa de algum amigo, se salve, eu cuido dele

Diz o homem, sorrindo. Ele conhecia aquele sorriso, só não lembrava de onde, mas conhecia. Seguindo sua dica, sai correndo até a casa mais próxima, a de SuHo, e pra sua "sorte" , começa a chover

"Ah, que ótima coisa para se acontecer agora" Pensou

Ao chegar, bate na sua porta com muita força, quase a quebrando, e logo ouve alguem gritar de dentro e casa

"Ta abeeerta meu Deus"

Ele entra com tudo dentro da casa, bato a porta e ve SuHo sentado no sofá o olhando com cara de espanto

- Meu Deus Kyung..

Assim que ouve a sua voz e se da conta do que havia acontecido, desaba no choro, e fica paralisado em pé, abaixa a cabeça e fica ali, chorando igual um bebê

- Ei, ei, calma, não chora, o que aconteceu? Me conta, eu vou la pegar uma toalha e um cobertor pra você

Enquanto ele sobe até seu quarto pegar as coisas ele continua chorando. Após alguns segundos, ele consegue se acalmar um pouco, e para de soluçar, mas lágrimas ainda escorriam pelo seu rosto

- Tome, se sece, não quero que pege um resfriado

Ele chega e o entrega a toalha

- Tudo bem Hyung...

Responde pegando a toalha, se secando

- Vou fazer um chocolate quente para conversarmos melhor

Assentiu com a cabeça, terminando de se secar, senta no sofa se cobrindo, ele chega com os chocolates quentes, lhe entregando um. Ele toma um pequeno gole e coloca a xícara na mesinha de centro que havia ali

- Agora me conte, o que aconteceu Kyung?

- Bom..

Suspira, escolhendo bem as palavras em sua mente antes de pronuncia las

- Eu tomei cafe com Kai, ele foi pro seu trabalho e eu fui dar uma volta, encontrei Minseok hyung, conversei um pouco com ele e segui caminho, um tempo depois, um cara estranho surgiu do nada e tentou... me sequestrar ou sei la o que ele iria fazer comigo, mas outro homem me ajudou

- Meu Deus Kyung.. Voce lembra pelo menos o rosto dele?

- Nao, ele usava uma máscara que cobria o rosto

- Droga, mas quantas vezes eu ja disse pra você se cuidar melhor quando sair sozinho na rua?

- Eu sei Hyung. Mas eu estava.. ah você sabe.. perdido nos pensamentos

- Como sempre. E esses pensamentos tem nome

- Tem? Como assim?

- É, se chamam Kim JongIn

- Ah hyung...

- Não tente negar o que está claro nos seus olhos, eu sei que vocês eram tudo um para o outro, os momentos difíceis que passaram, eu sei como foi mais difícil ainda para você quando Kai foi embora, eu sei o quanto foi difícil esquce lo, ou pelo menos tentar... Mas ele está de volta, voltou por você KyungSoo

Um silêncio ensurdecedor invadiu o cômodo, Kyung ainda estava engolindo as palavras que acabaram de escutar, estava as processando, mas parecia mais é que se cérebro havia parado e funciona. Novamente, da outro suspiro e cruza os braços 

- Duvido muito Hyung, se ele voltou por minha causa, por que foi embora para começo de conversa? Não existe razão lógica para isso, e se fosse mesmo, ele podia ter avisado, mandado uma mensagem, qualquer coisa Hyung, mas não, e por que ele foi justo naquele dia? não podia esperar o dia seguinte?

- Olha Kyung, isso eu não sei, não sou adivinho, isso é tudo o que ele me contou, voltou por você, apenas isso. Mas veja, não queira que todas as respostas venham de uma vez só, muitas delas podem não ser o que você espera ou quer que elas sejam, então seja paciente, com o tempo todas as suas dúvidas vão sumir, o tempo tudo responde, de um jeito ou outro, lembra?

Mais uma vez o silêncio a fez, Suho aguardava uma resposta enquanto Kyung, estava perdido em seus devâneios, lembrando

- Lembro Hyung... Mas é claro que eu lembro, mas por favor, mudando de assunto, posso passar a noite aqui na sua casa? Estou com medo de ficar sozinho na minha

- Soube o que aconteceu, o e-mail... Mas infelizmente tenho um jantar de família, e vou ter que ir agora antes do almoço para ajudar minha mãe a arrumar as coisas, e não posso te levar junto, mas..

- Você pode ficar na minha casa

Os dois olharam em direção a porta e viram ninguém mais ninguém menos, que Kai

- Me desculpe, vi a porta entre aberta e achei que estivesse em casa, vim buscar umas coisas que deixei aqui, e vejo que cheguei numa boa hora

Se explica, abrindo um sorriso meio tímido

- Chegou sim Kai

Respondeu Suho se levantando e sorrindo também

- Isso é uma ótima ideia, assim vocês podem.. conversar melhor, tudo bem por você Kyung?

- Bom.. acho que sim, desde que eu não fique sozinho, mas... preciso passar em casa pegar umas coisas

"Coisas com as quais se estivessem comigo, nao deixaria aquele cara me levar tao facilmente"

- Que bom, agora se me dão licença, daqui a pouco tenho que ir, e eu ainda bem tomei banho, e Kai, se puder passar outro dia para pegar suas caixas, eu agradeço

Diz suho, os três deram pequenas risadas. Kyung se levanta, agradeçendo o amigo

- Obrigado Hyung, seu chocolate quente é uma delícia, obrigado pelos concelhos, e bom jantar

- Obrigado Kyung, até mais. Cuida bem dele em Kai

- Pode deixar, e amanhã eu passo aqui, não irei trabalhar

- Ue, porque?

- Uma colega de trabalho minha faleceu, amanhã sera o enterro dela

"A amiga de Minseok..." Pensou

- Você sabe como ele faleceu?

Pergunta Kyung curioso

- Hmm não ao certo, mas pelo o que me disseram, suicídio

- Nossa, que trágico

Responde Suho

- Pois é, e ninguém sabe ao certo por que, ela estava normal, indo trabalhar todos os dias, pontual, ria e brincava com a gente, e do nada isso

- Estranho, mas acho melhor vocês irem

- Também, até mais

- Até

Os dois acenam, virando as costas e indo em direção ao carro de Kai

- Você deve estar me odiando agora

Diz Kai assim que da a partida no carro

- Na verdade não, Suho tem razão, temos algumas coisas para conversar

- Algumas? Temos muitas coisas para conversar, mas, sem clima pesado agora

- É, ja foram coisas ruins demais por hoje

- Tipo o que?

- Você sabe

- Claro que n...

- Não me faça de idiota Kai, você ouviu a conversa inteira, fingiu ter chegado naquela parte só pra não ficar sem graça

- Você é esperto ate demais sabia Kyung

- Mas é claro

Os dois riram, estavam voltando a serem como antes, mas KyungSoo nao queria que isso acontecesse tão rápido

- Quer ligar o rádio?

- Pode ser

Sendo assim, kyung se inclina, ligando o rádio e o ligando em uma estação qualquer

- Oh, eu gosto dessa

Diz Kai, começando a dançar e cantarolar, fazendo Kyung rir

- Idiota vai bater o carro

Diz ainda rindo

- Só entra na vibe Kyung

E assim, o fez, e foram os dois ate a casa de Kyung, rindo, dançando, e cantarolando

- Chegamos, quer que eu va junto ou posso esperar aqui no carro?

- Não vou demorar muito, pode esperar aqui

- Okay

Kyung desce do carro, indo ate a porta, ao chegar a sua frente encontra um papel, um envelope, preso um pouco acima do trinco, entre a porta e a parede, ele pega o envelope e na frente dizia


De :

Para : Do KyungSoo


Não havia o nome de quem o tinha colocado ali, apenas o de Kyung, com medo, ele guarda o envelope no bolso, abre a porta, olhando em volta antes de entrar. Ele sobe ate o quarto, pega uma de suas bolsas com fundo falso, e nele coloca sua arma, munições, e algumas facas, fecha o fundo, e coloca as roupas por cima, fecha a mala, uma mochila com seus demais pertences e volta ao carro.

Kai abre o porta malas, ele coloca suas malas la, voltando ao banco da frente, fechando a porta

- Algo de diferente?

- Hmm... Não

Responde Kyung sem contar do envelope para Kai. Eles fazem o caminho dessa vez em silêncio. Chegando, eles entram no estacionamento de um condomínio de prédios, lindos prédios. Kai estaciona o carro, abre a porta para Kyung, pegando a mala maior e indo em direção ao seu prédio

- Nossa, se por fora ja são lindos, imagine por dentro

- Sim, na verdade, depende da decoração que você coloca

- É, isso também, você mora em qual deles?

- Aquele lá

Responde apontando para o prédio mais alto dali, e também o maior e mais bonito, com sacadas totalmente de vidro. Kyung fica maravilhado, mas o que aquele prédio tinha de bonito, provavelmente tinha de caro

- Em qual andar você mora?

- Cobertura

- O que??

- O duplex da cobertura

Responde Kai rindo um pouco com a reação do menor

- Nossa senhor JongIn, por onde andou esses 3 anos?

Diz Kyung num tom e brincadeira, mas o clima logo fica sério. Eles vão até o apartamento, e quando Kai abre a porta, o queixo e Kyung vai quase que literalmente ao chão. O apartamento era lindo, a decoração, os móveis, o jeito que foi planejado, até o teto tinha detalhes de gesso pintado em branco e marrom

- Exagerado, Não?

Pergunta Kai tomando a atenção de Kyung

- Exagerado? É lindo, olhe so esses detalhes da decoração, tá brincando? o sonho e todo mundo é ter uma casa assim

- Todo mundo me diz isso, mas enfim, vamos guardar suas malas, vai ficar no meu quarto?

- Hm.. p-pode ser

Diz gaguejando um pouco, fazendo Kai rir. Levam as malas ate o quarto no segundo andar, o quarto também era enorme, e muito lindo, havia uma hidromassagem contornada por vidros azuis água , iguais aos das janelas

- Kyung?

- Sim?

- Sabe.. eu to com saudades da sua comida, se importa em.. fazer almoço para mim?

- Claro que não

Responde Kyung sorrindo

- Deixa que eu guardo as suas coisas no closet

- Okay

Responde KyungSoo descendo as escadas até a cozinha, tirando o envelope do bolso e deixando em cima da mesa. Enquanto cozinhava o KimChi especial que Kai tanto gostava, o mesmo chega na cozinha, e sem que Kyung percebe-se, pega o envelope e volta para a sala, sentando no sofá, e o abre, lendo seu conteúdo



Oi Kyung,

Você provavelmente não sabe quem eu sou, afinal, você não sabe meu nome, não sabe meu rosto, mas logo irá saber, e tenha certeza, não vai demorar muito

Mas eu escrevi isto aqui para outro fim, eu não gostei nem um pouco de como me tratou na rua hoje, eu fiquei bem magoado, você sabe o que é ser totalmente ignorado e abandonado por quem você ama?

Pior que eu acho que sabe

E saiba de outra coisa tambémn, que eu nunca vou parar de ir atrás de você, um dia você sera meu, e somente meu, vou te esconder desse mundo, e te guardar no meu, você vai gostar, nao precisa ter medo, por que não se entrega logo?

Mas ja que você quer assim, do jeito difícil, agora vai ser assim, do jeito difícil



Ao terminar de ler a carta, Kai permaneceu espantado e perplexo, ate ter sua atenção tomada por KyungSoo

- Ei, o que pensa que está fazendo? Esse envelope é meu

- Primeiro me diz, quem te deu isso?

Pergunta Kai ficando de pe, erguendo a carta bem alto onde o menor nao alcancava. Kyung se amaldiçoou por ser baixinho

- Eu nao sei

- Sabe sim

- EU NAO SEI CARALHO! Eu fui abrir a porta de casa, e esse envelope tava la, eu nem abri essa merda ainda

- Pois é, eu abri

- E?..

- Acho bom você se sentar...


Notas Finais


Bom, é isso, acho que nao tenho mais o que dizer kk
MENTIRA TENHO SIM
Eu acho que essa fic ta meio, sem sal, e estive pensando em re posta la, mas pra isso é claro, eu preciso da opinião de vocês, entao me digam o que estao achando da fic, vou levar todos os comentários em consideração
e Críticas Constitutivas sao sempre bem vindas ♡

Beijins de kookieee ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...