História Sabor Cereja - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Hinata, Sasuhina, Sasuke
Visualizações 171
Palavras 2.106
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá Leitores, tudo bem?

Eu escrevi está história baseada na imagem da capa, isso porque eu participei de um desafio do grupo do facebook do casal SasuHina.

Grupo: Curtidores da Sasuhina/BR, OFFICIAL®

E a imagem foi retirada do devianart do perfil: Crispelter a imagem possui o titulo: Cherry Tomato.

Não quero prolongar muito aqui, mas gostaria de agradecer ao meu namoro Marcello que ficou ouvindo minhas ideias e me aconselhando e minha melhor amiga Láiza que fez a betagem para mim. Obrigada pela ajuda e apoio de vocês.

Boa leitura!

Capítulo 1 - A cereja, o festival e os Senkou Hanabi


Fanfic / Fanfiction Sabor Cereja - Capítulo 1 - A cereja, o festival e os Senkou Hanabi

Essa semana está uma correria na escola, todos estão agitados por causa do festival que se aproxima e estamos correndo para nos certificar de que tudo vai estar finalizado e funcionando em perfeita ordem, mas para nós representantes de sala o trabalho é em dobro: além de irmos em incontáveis reuniões sobre a organização e os bastidores ainda temos que supervisionar e documentar cada detalhe sobre a loja de sobremesa da sala.

Hoje é o último dia para revisarmos os detalhes e os documentos, por isso Sasuke me pediu para ir verificar com a turma se tudo estava certo enquanto ele iria terminar de revisá-los. Faltava só a finalização de um panfleto que seria entregue na escola e, percebendo que muitos deles estavam preocupados em como iriam tirar cópias da quantia necessária, eu me ofereci para fazê-lo, assim a turma poderia ficar mais calma. O pessoal ficou tão grato pela minha ajuda que acabei ganhando um bolo de chocolate com chantilly e cereja em cima! Parecia tão apetitoso! Assim que terminei de conferir tudo voltei para a sala onde Sasuke estava trabalhando na revisão de tudo.

 

— Voltei Sasuke-kun. Os preparativos e a decoração estão em ordem e acabei ganhando este pedaço de bolo, aceita? – Perguntei ao me sentar ao seu lado.

— Que bom que está tudo certo e obrigado, mas não quero o bolo. – Respondeu Sasuke sem tirar os olhos dos documentos.

 

        Eu deixei o panfleto na minha mesa e entreguei para Sasuke-kun a folha que usei para anotar os detalhes das verificações que fiz e ele anexou junto com seu relatório sobre a organização da sala. Os festivais, mesmo sendo muito legais também tinham seu lado negativo. Temos que registrar cada detalhe do que fizemos para organizar a nossa exposição ou loja e isso torna tudo para nós, representes, um pouco cansativo e chato. Acabei soltando um suspiro antes de pegar a cereja do bolo para comer e, assim que a coloquei na boca...

 

— Hinata? – Chamou Sasuke virando seu rosto para mim.

 

Ao ouvir Sasuke chamando me virei para ele, porém nada me prepararia para o que iria acontecer a seguir. Meu rosto estava a centímetros de distância do de Sasuke e para piorar minha situação, estava com a cereja entre os meu dentes quando senti o nariz dele roçar o meu nariz de leve. Assim que senti seu toque acabei deixando a cereja cair no chão enquanto sentia meu rosto ficando vermelho de tanta vergonha que estava sentindo com esta aproximação acidental. Meus sentimentos adormecido despertaram e tê-lo perto de mim desta maneira me faz perder o ar, meu coração acelerar e sinti meu corpo estremecer ao menor toque seu. Olhar em seus olhos ônix fez com que eu precisasse me lembrar que não posso e não devo me perder dentro deles; sua respiração misturada com a minha fez minha barriga e mãos gelarem. Como eu desejo ter a coragem necessária para diminuir esta distância, mas tudo que consigo é sentir vontade de desmaiar de tanta vergonha - o que eu faria se não soubesse o quanto isso chatearia Sasuke - por isso estou tentando esvaziar a mente para que isso não ocorra, mas está difícil com ele tão perto de mim. Para minha surpresa e alivio é Sasuke que age como se nada tivesse acontecido e faz a pergunta que queria.

 

— O que você vai fazer com este panfleto? – Perguntou voltando à sua postura original.

— Vo-vou tirar cópias para a turma. Eles não sabiam onde iriam fazer isso em um período tão curto. – Informei enquanto me virava para o bolo afim de me acalmar.

— Onde você vai fazer isso e qual a quantidade?

— Na minha casa, já que meu pai tem uma impressora eu vou usá-la, e pensei em 200 cópias. O que acha?

— Acho que é o suficiente. Vou anotar aqui. – Avisou ele voltando a escrever.

 

        Depois desse momento constrangedor Sasuke voltou a trabalhar mais silencioso do que antes e eu comi meu bolo, tentando me manter calma enquanto consultava o relógio que parecia não querer cooperar comigo. O tempo passou mais devagar do que o normal e tudo que eu desejava era poder ir para casa logo e fazer com que meus sentimentos voltassem a adormecer pois não seria nada bom se Sasuke percebesse. Para piorar e ele é um bom observador. Estremeço só com o pensamento.

        Alguns minutos mais tarde terminamos de preencher e verificar todos os documentos, por isso nós levamos tudo para a sala dos professores, nos despedimos e pude enfim voltar para casa e me recuperar do último acontecimento, afinal amanhã precisarei estar bem alerta já que será o dia do festival. Lembrei que precisava tirar as cópias  e perguntei para o meu pai se podia usar a impressora. Ele permitiu e tirei as 200 cópias do panfleto, já que nós calculamos que seria mais que o suficiente para entregar pela escola para os visitantes.

        No dia seguinte acordei mais cedo que o habitual, fiz minha higiene matinal, desci e tomei café da manhã com meu pai e minha irmã, que está chateada por não poder ir na minha escola. Consegui animá-la durante o café e satisfeita, me despedi deles, peguei minha bolsa e a pasta que peguei emprestada do meu pai para colocar os panfletos e fui para a escola.

        Quando cheguei fui avisada pela professora que Sasuke já havia pegado a chave da sala então fui direto para lá. No momento em que cheguei o vi conversando com algumas pessoas e, para não atrapalhar, decidi esperar afastada. Quando terminou me aproximei.

 

— Bom dia Sasuke-kun, desculpe chegar atrasada.

— Bom dia Hinata, não se desculpe, eu que me adiantei. Olha – disse ele apontando para o relógio de parede da sala – viu? Está no horário.

— Tem razão. Antes que me esqueça – entreguei para ele a pasta dos panfletos – 200 cópias.

— Ótimo. Vou entregar pro pessoal. Você poderia ver se os ingredientes das sobremesas estão todos em ordem?

— Posso sim.

 

        Durante o dia todo fiquei correndo de um lado pro outro me certificando de que tudo sairia certo, busquei ingredientes no estoque, ajudei a costurar uma roupa de um dos garçons que rasgou, vi Sasuke ajudar a entregar os panfletos e verificar se todos estavam seguindo o cronograma do descanso deles e muitos outros detalhes que foram ocorrendo ao longo do dia, que não vejo a hora que termine. Estou cansada e ainda tem a limpeza e os ultimos detalhes antes da festa de encerramento somente para os alunos no final do festival.

        No final do festival os visitantes foram embora e nós começamos a limpar e colocar as mesas e cadeiras em seus devidos lugares na sala, cada um de nós tinha uma tarefa para fazer e me pediram para ajudar a levar os sacos de lixos para a fora. Assim que os coloquei no lixo lavei minhas mãos e voltei para a sala, porém uma colega veio falar comigo, me parando na porta da sala.

 

— Hinata-san, você poderia me dizer que horas vai iniciar o encerramento? – Perguntou a menina curiosa.

— Ah sim, daqui uns 15 minutos – Respondi, após consultar as horas.

— Obrigada. – Agradeceu voltando para sua tarefa.

No instante em que fiquei sozinha na porta, pude sentir como se estivesse sendo observada, por isso acabei me virando para ver se estava certa ou se era apenas uma simples sensação. Assim que virei me deparei com Sasuke olhando em minha direção e senti meu rosto corar de leve. É isso mesmo? Quer dizer ele está me observando? Resolvi olhar a minha volta para ter certeza e, no momento em que olho para trás, me deparo com o quadro de notas do corredor. Nele vejo um cartaz que o clube de kendo fez para o festival e acabo me dando conta de que Sasuke estava lendo o cartaz já que antes ele fazia parte do clube; acho que sente falta de praticar. Hinata, deixa de ser boba, ele não estava olhando para você e sim para o cartaz que estava atras de você! Com isso em mente, abaixei a cabeça e resolvi entrar na sala e terminar de ajudar o pessoal.

***

Na festa de encerramento é costume os professores montarem uma fogueira e deixarem a gente acender Senkou Hanabi[1], mas como o dia foi muito cansativo para mim e o incidente no corredor com o Sasuke não ajudou muito pois fiquei com vergonha pelos meus pensamentos precipitados, resolvi me afastar do tumulto.

        Estou observando os alunos se aglomerando envolta da fogueira conversando, dando risadas e brincando com os Senkou Hanabi, quando  decido me afastar. Pegando meus fogos, vou em direção a uma árvore que estava bem afastada daquele tumulto todo, acendo meu fogos de artificio e fico brincando com ele até se apagarem. Acabo me distraindo e fico observando o crepúsculo do céu quando de repente vejo um pequeno saquinho com algumas cerejas balançando na minha frente. Quando me viro para ver quem era vejo Sasuke o segurando.

 

— Oi Sasuke-kun, o que faz aqui com essas cerejas? – Perguntei curiosa.

— Me sinto culpado por você ter derrubado sua cereja ontem, então peguei essas do estoque da sala para compensar. – Explica me entregando o saquinho.

— Obrigada Sasuke-kun, mas não precisava, você não é culpado.

— Bem, também é uma desculpa para sair do meio daquele tumulto todo. – Completou se justificando.

— Pensei que você iria ficar com seus amigos.

— Entre eles e ficar aqui, prefiro aqui. — Admitiu me olhando.

— É – É, eu também prefiro aqui. – Respondi gaguejando enquanto ia ficando vermelha de vergonha. Preciso me acalmar, meu coração não pode ficar agitado por um simples comentário dele, ainda mais porque é da boca para fora.

— Você está ficando vermelha, está com vergonha do que? – Perguntou se aproximando de mim.

— De – De nada Sasuke-kun – Respondi tentando me afastar, mas acabo tropeçando na raiz da arvore e antes que eu possa bater minhas costas no tronco dela, sinto um braço passando pela minha cintura e me segurando.

— Cuidado Hinata, vai se machucar assim – Avisou Sasuke me puxando para perto dele – Você está bem? Se machucou? – Perguntou me soltando e se afastando.

— S – Sim, obrigada Sasuke-kun – Respondi olhando para baixo com tanta vergonha que me obrigo a disfarçar e resolvo fazer isso utilizando a cereja. – Vou experimentar a cereja, você quer uma? – Pergunto enquanto abro o saquinho e pego uma cereja e como. – Está deliciosa inclusive, obrigada por elas.

— Já que está deliciosa, eu aceito uma. – Respondeu se aproximando novamente.

 

        Vê-lo se aproximar de mim assim me fez ter uma ideia inusitada da qual não saberia se iria conseguir. Meu coração está acelerado com esta ideia, mas talvez ele sinta o mesmo por mim. Depois do incidente na sala de aula, não sei se posso continuar escondendo este sentimento, preciso que ele saiba o que sinto por ele, talvez este seja um método desesperado não sei... Hinata, pare de ficar indecisa! Tome uma atitude pela primeira vez na vida! Só faça e pare de tremer!

        Em um momento de coragem, levanto minha cabeça e, ficando na ponta dos pés, dou um breve selinho nele, mal podendo acreditar no que estava fazendo. Minha cabeça ficou vazia, me senti fora de mim, a sensação dos nossos lábios se tocando me fez estremecer inteira, minha barriga congelar e minhas pernas enfraquecerem. Como consegui coragem para fazer isso? Não sei. Só sei que a razão está voltando e... O que eu acabei de fazer? Ele nunca mais vai olhar para mim novamente, não consigo encara-lo, eu não posso! Estou com medo de sua reação. Preciso fugir daqui e, sem pensar duas vezes, saio correndo dali sem se quer olhar para trás.

        No instante seguinte sinto uma mão segurar meu pulso e puxar, me forçando a olhar para trás e quando faço isso, vejo Sasuke me segurando. Ele envolve minha cintura com seu braço me puxando para mais perto de si, segurando gentilmente meu queixo com a outra mão e me forçando a olhar para ele.

— Eu não consegui sentir o gosto da cereja. – E sem esperar respostas ele me beijou, agora um beijo profundo e carinhoso. Na mesma hora em que nossos lábios se tocaram novamente eu fechei os olhos e me entreguei ao momento. Ser beijada por Sasuke faz minhas pernas enfraquecerem, o que força Sasuke a me segurar mais firme e sinto que estou quase desmaiando de tanta vergonha e surpresa. Minha mente, que estava cheia de pensamentos, fica vazia, não consigo pensar em nada, só no beijo, só nesse momento, só em nós dois.

               Assim que nos separamos Sasuke pegou minha mão e me levou novamente para a árvore em que estávamos. Ficamos de mãos dadas enquanto conversávamos, acendendo os Senkou Hanabi e também nos beijando.

 

 


Notas Finais


[1] Senkou Hanabi: uma vara com cerca de 20 centímetros parecido com queimador de incenso. Com ela você pode observar o fogo de artifício sem nenhum perigo e na sua própria casa. Fonte: http://skdesu.com/hanabi-fogos-de-artificio-no-japao


* * *

Obrigada por lerem, aceito criticas construtivas, dicas, conselhos tudo é muito bem-vindo.

Obs: Eu vou postar esta história no Nyah Fanfiction também.

Até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...