História Sacrifice and Retribution - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Jimin!seme, Jungkook!uke, Kookmin, Yoonkook, Yoonmin
Visualizações 702
Palavras 1.815
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá
Quase dois mil palavras... Tô cansada... Ta muito quente aqui pelo amor de min yoongi

Bom
Eu nao tenho muito o que falar
Mas enfim
Espero que gostem

Capítulo 6 - Seis


Desde a partida de Jungkook, o Park se sentia solitário. Não falava mais com seus pais e nem ir para a escola ia direito, apenas se trancava no quarto que antes era do ex-Park. Os pais do garoto começavam a ficar preocupados, sua mãe chegou a pensar que o filho entrara em depressão, mas não entendia todo esse drama de Jimin.

- Jimin, meu filho, abra essa porta – Jihyun batia na porta de madeira, não recebendo respostas. – Jimin, por favor, fale comigo. – a mulher novamente não recebeu respostas, as lágrimas começavam a sair de seus olhos. – Por favor... Eu estou tão preocupada com você...

- Preocupada com o Jungkook você não está, não é? – Jimin perguntou com desdém.

- Park Jimin! – a mulher gritou irritada – Não fale o nome dele, nunca mais, ouviu?

- Eu falo o nome dele quando eu quiser! – o garoto abriu a porta, o rosto inchado e as lágrimas escorrendo pelo seu rosto – Você o abandonou! Agora ele está na rua, passando fome, sede e frio. – Jimin gritava aos prantos. Mesmo não transparecendo, se importava tanto com o mais novo.Se ele morrer a culpa será sua! Toda sua!

Jihyun não acreditava nas palavras de seu próprio filho. Em um momento de raiva, a mulher desferiu uma tapa no rosto do loiro, deixando o mesmo estático. Jihyun também não acreditava no que tinha feito, nunca havia batido em seu primogênito.

- Nunca mais... – Jimin encarou a mãe com lágrimas nos olhos – Nunca mais me chame de filho... Você não é mais minha mãe...

- Jimin – a mulher pareceu acordar com as palavras do loiro – Por favor... Desculpe – Jimin ignorou a mais velha e andou até a porta de casa – Jimin, volte aqui!

A mais velha fora deixada só em casa, Jimin não queria mais saber da mulher, apenas queria o conforto de seu melhor amigo, Kim Taehyung.

(...)

O Park bateu na porta do amigo já soluçando. Sendo atendido pelo avermelhado, que o olhou preocupado.

- Jimin, o que aconteceu? – Jimin nada respondeu, apenas abraçou o garoto, forte. – Venha, parece que você precisa desabafar.

Taehyung entrou com o mais velho, o sentando no sofá e sentando ao seu lado. Jimin deitou a cabeça nas pernas do avermelhado, que passou a afagar as madeixas loiras do mesmo. Jimin respirava fundo, na tentativa de se acalmar, Taehyung apenas esperava que o garoto se acalmasse, esperaria o tempo que Jimin precisasse. O Kim não conseguia parar de encarar a marca avermelhada que estava no rosto do Park.

- Tae... – Jimin fungou – Eu... E-Eu sinto tanta a falta dele... – Jimin disse fraco – Eu... Espero que ele esteja bem... – Taehyung sabia de quem Jimin estava falando, mas é claro que não entregaria o garoto. – Eu estou preocupado... Ele não devia passar pelo que está passando.

- Minnie, de quem está falando? – o Kim fingiu não saber.

- Do Kookie... Jihyun o expulsou de casa – Jimin suspirou – Tae... Eu... Eu preciso o encontrar...

Taehyung suspirou, continuava calado, apenas ouvindo o desabafo do mais velho, porém se assustou com a última frase do garoto.

- Eu acho que estou apaixonado por ele – o garoto havia ficado boquiaberto com a frase do Park.

- V-Você... Não acha que “apaixonado” é uma palavra muito... Forte? – Jimin encarou o amigo confuso e se sentou no sofá.

- Claro que não! Eu o amo... Eu me sinto tão... Tão triste longe dele... É como se uma parte de mim tivesse sido tirada, sabe? – o Kim assentiu – Quando ele estava perto meu coração acelerava... Mesmo eu tendo me relacionado com ele tantas vezes... Eu tenho certeza TaeTae, eu estou apaixonado pelo Jungkook. Mesmo eu nunca ter demonstrado gostar pelo menos um pouquinho dele... Eu me arrependo disso, pois agora, talvez eu nunca mais o encontre.  - Taehyung ficara com pena de Jimin. Queria dizer que Jungkook estava bem, que ele não precisava se preocupar, mas não queria entregar o mais novo.

Enquanto isso, Jungkook escutava tudo, até a última palavrinha. Seu coração estava acelerado, não conseguia raciocinar muito bem, acabara de descobrir que seu irmão adotivo retribuía seus sentimentos, porém tinha medo de “retornar” para o irmão. E se ele estivesse enganado? E se saísse machucado novamente? Não queria correr o risco.

- Ouvir a conversa dos outros é feia, sabia? – Jin apareceu atrás do mais novo, assustando o mesmo.

- Jin-hyung... Ah… E-eh… D-Desculpe  - Jungkook abaixou a cabeça, envergonhado.

- Não fique assim, estava brincando – o mais velho bagunçou os fios negros do novo Kim.

- E-Eu... Vou... Subir – Jungkook se reverenciou e seguiu para a escada.

- Querido, vá para um dos quartos de hospedes. Provavelmente Jimin ficará com Taehyung esta noite – Jungkook assentiu e subiu.

Já sabia onde era o quarto de hospedes, pois Taehyung havia o mostrado a casa para ele. O moreno seguiu para um dos quartos e se deitou na cama, fechando os olhos e deixando que o sono o consumisse.

(...)

Jungkook estava sentado no jardim, o garoto sentia um déjà vu naquele local. Sentiu uma mão em seu ombro e olhou para o dono da mesma, era Taehyung, este que tinha um seu lindo sorriso desenhado em seu rosto.

- Está tudo bem? – o Kim perguntou sentando ao lado do mais novo

- Sim hyung – Jungkook sorriu deitando a cabeça no ombro do garoto. – Eu me sinto bem aqui... Me trás lembranças boas...

- Jin disse que amava brincar com o nosso irmão mais novo – Jungkook encarou confuso o Kim.

- Vocês tinham um irmão? – o mais novo perguntou confuso

- Sim – Taehyung sorriu – Eu não cheguei a conhecê-lo... Nossos pais se separaram antes de ele nascer, e meu pai me levou com ele...

 

Taehyung chorava em seu quarto e Jin consolava o mais novo. Teria que ir embora de casa com seu pai, Jin não iria, pois queria cuidar de sua mãe que estava grávida de oito meses.

- Tae... Não se preocupe, irei sempre ver você – Seokjin dizia afagando os fios castanhos do menor.

- M-Mas Jinnie... Eu quero conhecer nosso irmãozinho – o pequeno Taehyung soluçava.

- Eu contarei sobre ele em minhas visitas – Jin sorriu beijando o topo da cabeça do mais novo

- Mas...

- Taehyung, vamos – a voz grave de seu pai fora ouvida do lado de fora do quarto – Ande logo ou perderemos o voo.

Jin pegou as coisas do mais novo e levou para fora do quarto, enquanto o pequeno andava na frente com a cabecinha baixa.

- Levante essa cabeça e pare de chorar – o pai dos garotos ordenou, fazendo com que o pequeno engolisse o choro rapidamente.

- Appa... Não o trate assim, ele tem apenas dois anos – Jin, com seus dez anos de idade, repreendeu seu pai.

- Meu amor, por favor, não faça isso comigo – a mulher pediu segurando as mãos do marido.

- Já disse que não irei assumir este bastardo – o homem soltou suas mãos e seguiu para fora de casa, com seu filho ao seu alcance. Jin se despediu do irmãozinho pela última vez e Taehyung entrou no carro, que não demorou a andar para fora da grande mansão.

 

Taehyung terminou de contar a história e suspirou. Jungkook encarou o Kim, este que tinha lágrimas nos olhos.

- Tae... – Jungkook abraçou o garoto – Você sabe o que aconteceu com ele?

- Ele... Foi para um orfanato... Meu appa disse que só voltaria para minha omma se ela fizesse isso... Eu queria tê-lo conhecido... Jinnie me disse que você se parece com ele – Taehyung riu fraco. – Eu nunca entendi por que meu Appa o chamava de “bastardo

- Eu acho que sei... Ele deveria ser filho de outro homem – Jungkook respondeu triste.

- Como...

- Eu sou um bastado – o moreno suspirou – Eu fui para o orfanato por causa disso...

 

- Já disse... Eu o levarei... Não o chame de bastardo... Amor... – Jungkook ouviu a voz de sua mãe, parecia falar no celular – Eu sei... Está bem... Já estou arrumando as roupas dele...

- Omma? – o pequeno Jungkook chamava sua mãe, que mexia em seu guarda-roupa – O que está fazendo omma?

- Ah... Meu pequeno – a mulher encarou o mais novo com um sorriso forçado – Apenas arrumando suas roupas, vá brincar com o seu irmão – a mulher riu e Jungkook assentiu.

O pequeno desceu e encontrou o mais velho sentado no sofá, com cara de poucos amigos. Jungkook se aproximou e sentou ao lado do irmão.

- Hyung, está tudo bem? – o pequeno pegou na mão do maior.

- Sim pequeno – o garoto sorriu e puxou o mais novo para o seu colo – Vamos brincar?

- Vamos! – Jungkook riu e passou a correr pela casa.

Depois de um tempo correndo com o irmão mais velho, a mãe do garotinho apareceu o chamando.

- Kookie, vamos sair? Vamos a um lugar cheio de criancinhas para você ficar brincando – a mais velha viu os olhos do pequeno brilharem

- Vamos Omma! O hyung também vai? – a mais velha negou – Por que omma?

- Seu irmãozinho prefere ficar, não é meu amor? – a mulher olhou para o garoto, que continha um olhar triste.

- Sim pequeno. Vá lá com ela. Mas antes, me dê um abraço apertado – o garoto se abaixou e Jungkook correu para os braços do meu irmão – Eu te amo Jungkookie... Nunca se esqueça disso.

- Eu também amo você hyung – o mais novo sorriu e depositou um beijo na bochecha do garoto.

(...)

Jungkook olhava o local abismado, correu por todo o local, fazendo amizade com quase todas as crianças, porém não esperava se perder de sua mãe. Ou pior, não esperava que ela o abandonasse ali.

 

- Ela me deixou lá... E eu não tive mais noticias dela e nem de meu irmão... Meu appa me odiava, as vezes ele ia em nossa casa, o seu olhar... Eu me sentia tão triste com o seu olhar... – Jungkook suspirou deitando no gramado e olhando o céu – Eu soube que eu ainda tinha mais um irmão... Mas eu nunca cheguei a conhecê-lo, ele foi embora... Com meu appa...

Taehyung estava estático com a história que Jungkook o contara. Era exatamente a história de Jin.

- Ahn... Kookie... Eu... Preciso falar com o Jin hyung – Taehyung se levantou e Jungkook o encarou.

- Eu disse algo errado? – os olhos do mais novo se tornaram tristes

- Não... Claro que não! – o avermelhado sorriu terno – Eu só preciso falar com ele.

Assim o Kim entrou rapidamente na casa e seguiu para a sala, onde sabia que Jin estaria.

- Jin, precisamos conversar... É urgente! – Taehyung disse sério, assustando Seokjin, que seguiu o irmão em silencio.

Ao entrarem no quarto, Taehyung fechou a porta e encarou o mais velho, que se sentava na cama, parecia tão calmo.

- Jin, desde quando pretendia me esconder isso? – o Kim perguntou de braços cruzados

- O que? – Jin arqueou uma sobrancelha

- Que Jungkook é nosso irmão?


Notas Finais


Iiih Fodeu ashauhsa
Algumas pessoas já devem ter desconfiado isso
Se alguém está se perguntando tipo "Por que o Kookie não reconheceu o Jin?"

Bom, Jungkook pegou meio que um trauma, afinal ele foi simplesmente abandonado, ele, pensando que sairia para brincar com a mãe e as crianças, um dia divertido para ele acabou se tornando uma tragédia, e ele acabou pegando um trauma e se esqueceu de algumas coisas de seu passado. Ele lembrava que tinha um irmão, de algumas coisas que seu irmão mais velho o contou, porém não lembrava do rosto deles, por isso eu não mencionava os nomes, até por que ele não era de mencionar o nome do irmão mais velho, ele apenas o chamava de hyung, era raro disso acontecer.

Bom, espero que tenham gostado

Grupo do Whatsapp

https://chat.whatsapp.com/9EnShE2XlUTJhPQ9n5qslh


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...