História Safe and Sound - Capítulo 60


Escrita por: ~

Exibições 148
Palavras 1.226
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 60 - A perda da Inocente


Fanfic / Fanfiction Safe and Sound - Capítulo 60 - A perda da Inocente

 

Pov’s Raylee

 - AAAh - ia gritar, as ele colocou as mãos em minha boca.

- Xiu! Ninguém pode saber que estamos aqui - ele cochichou me soltando da parede - Me desculpa por ter te prensado na parede, machucou? - ele se preocupou.

- Quem é você? - eu gritei.

- Xiu! - ele colocou as mãos em minha boca outra vez

- É o Gilinsky.

- O que? Mas... O que você ta fazendo? - estranhei.

- Eu preciso acertar as coisas com você... Nós precisamos conversar! - ele disse desesperado, como se tivesse um tempo certo para dizer.

- E pra que tanto desespero? - dei uma pausa - Fala logo então - cruzei os braços.

- Eu fiz burrada. A pior possível... Me desculpa. Eu não devia ter feito isso! - Gilinsky estava quase chorando.

- Olha, se você estiver se referindo ao nosso fim... Não tem volta e eu não quero falar disso - disse levando as mãos ate a maçaneta da porta, pronta para sair.

- Espera - ele me puxou pelos braços - Eu não estou falando disso... - ele ficou tenso. O quartinho estava escuro, talvez para que ninguém soubesse que havia alguém ali, mas mesmo na escuridão deu pra se notar as lagrimas escorrendo dos seus olhos.

- Jack. Eu to começando ficar preocupada. O que você fez? Seja direto, por favor... - senti bater um desespero em mim.

- Eu... To na gangue do Travis... - ele deu uma pausa e meu queixo foi ao chão de tanta indignidade - Eu fui um tonto ao entrar eu sei, mas eu não sei o que deu em mim. No começo parecia tudo tão divino. E as propostas então... - ele deu uma outra pausa e se entregou ao choro - Raylee, eu estava prestes a ter a coisa que eu mais queria nessa vida, você! Eu estava cego, não percebi o que estava fazendo. Só me dei conta na hora...

- Do que você ta falando? Jack... O que você fez? - dei uma pausa - Cadê o Craw? Onde ele esta? Você fez alguma coisa com ele? - me desesperei analisando as possibilidades de Jack ter feito algo com Craw. Jack ficou em silencio e chorava cada vez mais. - Jack me fala logo. O que você fez? Se você continuar quieto eu vou chamar a polícia. Fala logo de uma vez! - me desesperei.

- Eu envenenei a bebida do Crawford. Era pra ele morrer, mas a Karisma pegou essa bebida, sorte a dela que não bebeu. Mas se não fosse por ela Crawford estaria morto agora... - ele chorava desesperadamente.

- Eu não acredito que... - ele me cortou.

- Foi por amor Raylee! Me desculpa. Não tinha ideia do que eu estava fazendo. Eu só precisava de você... - ele disse se aproximando de mim tentando me abraçar.

- Me solta. Eu tenho nojo de você. Isso não é amor. É doença! - disse me virando de costas e sai do quartinho.

Não estava acreditando no que Jack fez. Não sabia que ele era capaz de chegar a esse ponto. Não era por amor, jamais seria, pois quem ama cuida, quer que o amado seja feliz, não tenta matar, tirar do mundo uma das maiores de suas felicidades... Corri pelos corredores da festa, a procura de Crawford e torcia para que ele estivesse bem.

Pov’s Mariana

- Mariana, você não é burra, não faça isso! - Travis pedia para que eu não o matasse. Minhas mãos tremiam, não queria mata-lo, mas se eu deixasse essa oportunidade passar, quem morreria seria eu, por tentar mata-lo...

- Eu te prometo que se você me poupar eu não irei fazer nada com você... - ele pareceu sincero, mas Travis não era boa pessoa para se confiar.

- Travis ate que enfim achamos você! - Alice apareceu gritando na área de bebidas. Era só o que me faltava, era agora que eu estaria morta! - Mariana? Porque você esta com essa arma nas mãos?

- Ela estava prestes a me matar - Travis largou a postura de desesperado e começou a rir - Seu tempo acabou, você deveria ter me matando no primeiro segundo que teve, mas ficou enrolando... - ele riu de forma vitoriosa - Me passa a arma - Travis ordenou Alice.

- Olha, se você pretende mata-la, eu tenho uma ideia bem melhor! - Alice riu - Derek entra com a nossa surpresinha...

- MARIE? - me espantei - O que vocês irão fazer com ela? - fiquei totalmente desesperada.

- Bom, talvez ver a melhor amiguinha morrer seja pior do que... morrer! - Alice disse e Travis sorriu gostando da ideia.

- Mas... O que ela fez? - Travis estranhou.

- Ah, bom, essa mocinha aqui - Alice puxou Marie pelos cabelos - Ela nos denunciou, sabe? Que pena, tão jovem, tão burra! - Alice riu.

- Não Marie, você não fez isso! Não acredito - disse me entregando ao choro.

- A polícia esta a caminho Mariana, vai ficar tudo bem! - Marie disse de forma confiante.

- Não vai Marie, não vai! - dei uma pausa - Eu te amo Marie, me desculpe por tudo...

- O que? mas do que você ta falando? Vai sim Mariana! Eu os chamei - Marie advertiu. Travis, Alice e Derek riram escandalosamente.

- Sua burra, o delegado da cidade é nosso pai. Ele jamais nos prenderia - Alice ria desesperadamente - Ele nos avisou de sua denuncia, iremos te matar agora, assim como fazemos com todos que nos denunciam...

- Vocês só podem estar brincando! - Marie estava indignada.

- É verdade Marie - lamentei.

- Últimas palavras? - Travis deu sinal para a matarem.

- NÂÃÃO - gritei desesperada e acabei disparando a arma por impulso, assim acertando o peito de Derek que me encarou e logo caiu no chão em cima de sua própria poça de sangue.

“POOW POOW” - eram os disparos da arma de Alice. Ela havia acertado Marie, que logo morreu. Fiquei perplexa e sai correndo, e eles vieram atrás de mim. Sei que pagaria mais caro ainda por ter matado Derek, um dos melhores da gangue e melhor amigo de Travis...

Corria desesperadamente, empurrava todos que estavam em minha frente, derrubava copos de bebidas que estavam nas mãos do povo e nas mesas. Estava deixando um estrago por onde eu passava. Vi Hayes me seguindo, estranhei. Ele não estava mais na gangue, bom que eu saiba. Então resolvi fugir dele também. Só não sei ate quando essa fuga vai durar, pois uma hora ou outra alguém ia acabar morrendo, ou seja, eu.

- Mariana, calma! Mariana! - Hayes me puxou pelos braços - Calma, o que ta acontecendo?

- Eles vão me matar! Me solta! - disse entre um choro desesperador.

- O que? mas.. - eu o interrompi.

- Eu tentei matar o Travis. E eu matei o Derek! O Dereck! - gritei. 

- Você ta muito ferrada! - Hayes lamentou.

- O que eu faço? - perguntei chorando.

- Eu não sei Mariana. Você sabe, se meteu com a gangue do Travis, o único fim é a morte... - ele foi o mais sincero possível.

- Olha ela lá! - Alice gritou.

- Vem, vou te esconder. Ou melhor te levar daqui! - Hayes me puxou.


Notas Finais


Nossos tributos a Marie :(


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...