História Safe and Sound - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Drama, Fluffy, Jeongguk, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Naoésadfic
Visualizações 355
Palavras 2.504
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Poesias, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Me desculpem qualquer erro, e boa leitura <3

Capítulo 4 - O dia que eu realizei o seu sonho


Fanfic / Fanfiction Safe and Sound - Capítulo 4 - O dia que eu realizei o seu sonho

Eu nunca tinha sentido tantas coisas em apenas um ato, aquele beijo sem nenhuma duvida vai ficar pra sempre marcado em minha vida, é uma das minhas lembranças favoritas. Beijar Jungkook foi um ato tão simples, mas trouxe tantas sensações. Eu achei que dentre os sentimentos, eu me sentiria envergonhado. Mas não aconteceu isso. Pelo menos não durante o ato. O que realmente predominou foi o nervosismo, e a certeza deque eu o amava. Pois quando tive sua boca junto a minha, foi como se todas minhas duvidas tivessem sido cessadas.

Não é como se tivéssemos aprofundado o beijo, não foi nada erótico ou afobado. Foi delicado e cuidadoso. Foi perfeito.

Me lembro de que depois apenas deitamos na cama e ficamos olhando para algum ponto aleatório do teto. Mas por mais que eu não tivesse o olhando, podia sentir que ele estava sorrindo, apesar de fungar as vezes pelo seu choro de antes.

No dia seguinte, eu acordei bem cedo e eu também estava animado. Fazia tempo que eu não me animava daquele jeito. Fiz um café da manhã bem caprichado para Jungkook e quando ele acordou e viu aquilo, ele chorou!

Me recordo também de ter ficado bem assustado por ver ele chorando de novo, mas ele dizia que ninguém nunca tinha feito algo assim para o mesmo. Que eram lagrimas de felicidade. O que me fez achar Jungkook ainda mais adorável.

Os dias dele na minha casa foram passando, e todo dia eu descobria coisas sobre ele que eu jamais imaginava. E eu me sentia feliz com isso, pois quanto mais eu sabia, mais eu o amava. Se é que isso era possível.

Mas em um dia em especial, no qual saímos, foi o que mais me marcou.

Foi nesse dia que eu descobri seus sonhos e os juntei aos meus.
 

Estávamos quase chegando no parque no qual Jungkook tinha me pedido pra ir, ele me disse que nunca foi em um e gostaria de saber como é. Eu sinceramente não consigo acreditar na quantidade limitada de coisas que o Jungkook já fez, se fossemos por tudo em uma lista, creio que ela não seria muito longa, mas eu estava disposta a aumentar essa lista, e de fato era o que eu estou fazendo.

— Espera Kookie. — Falei sorrindo. Ele estava andando na minha frente, bem animado. Era normal dele estar naquela alegria, ele ficava assim o dia inteiro, principalmente quando saiamos.

— Voce anda igual uma tartaruga. — Parou e se virou pra mim com um rosto sapeca. — Acho até que ela é mais rápida que você. — Arqueei uma sobrancelha.

— Voce não devia ter dito isso... — Falo o olhando antes de dar partida atrás do mesmo, que começou a rir e correu para não ser pego. Como o caminho era apenas reto até a porta do parque, ele acabou indo até uma arvore ao lado e se escondeu.

Tão bobinho...

Me aproximei e já podia escutar sua respiração pesada, eu não gostava quando ele corria, ele ficava bem cansado e isso me preocupava, mas eu nunca comentava. Cheguei por trás com passos lentos e quando ele estava virando para ver aonde eu estava eu pulei nele o agarrando pela cintura. Ato que fez ambos cairmos, mas eu o virei e ele caiu em cima de mim.

— haaaa, trapaceiro! — Acusou usando as mãos para apoiar no chão e finalmente pude ver seu rosto, próximo do meu. — Não valeu.

— Ah mas claro que valeu, e espera, como assim trapaceiro? Voce tem que aceitar a derrota, é um ato mais honroso. — Mostrei a língua. Eu ainda segurava sua cintura com cuidado. Ele sorria, o sorriso mais lindo do mundo. Se aproximou e eu senti meu coração bater mais rápido, e minhas bochechas estavam extremamente vermelhas, até mais que as dele. Ele fez um biquinho e fechou os olhos com força beijando a ponta do meu nariz. E eu recebi tudo sorrindo bobamente. E pelo vento leve algumas folhas caiam fazendo o cenário ainda mais lindo.

Quando eu estava pra dizer algo ele se levantou limpando sua roupa dando umas batidinhas e estendeu a mão pra mim, que a segurei e levantei imitando seus atos.

Quando finalmente entramos no parque, Jungkook parecia realmente uma criança, ele queria simplesmente ir em todos os brinquedos, até nos mais assustadores, que mesmo EU fiquei com medo, mas ele não parecia ter medo de nenhum deles, já eu.... Ele segurou minha mão para me acalmar diversas vezes, principalmente na montanha russa, que era a mais assustadora na minha opinião.

— Jungguk, vamos dar um tempo. Voce não ta com fome? — Ele concordou me olhando. — Então, o que quer comer?

— Espera um pouquinho. Eu já volto. — Fiz uma cara confusa, onde ele iria afinal. Bom, apenas dei de ombros e me sentei em um banco um pouco afastado de onde o resto de pessoas estava, não gostava de multidões. Já estava anoitecendo, e eu acho melhor ir embora, mas vamos comer algo antes.

Depois de alguns minutos Jungkook apareceu segurando dois palitos com algo na ponta. Se sentou ao meu lado e estendeu um deles.

— O que é isso? — O segurei.

— Maças do amor. — Disse baixinho, mas logo sorriu e me olhou. — Eu sempre quis experimentar. Com... Voce. — Corei com o comentário.

— Eu também nunca comi, mas vamos ver se é bom. — Concordou com a cabeça e deu uma mordida em sua maça do amor, eu fiz o mesmo. Era delicioso.

— Eu não acredito que a gente tava perdendo isso! — Exclamou dando mais uma mordida logo em seguida. — Isso é muito booom. — Ri nasalmente.

— Verdade.

 
                                    [xXxXx]

Não estávamos com pressa nenhuma para chegar em casa. O sol não se fazia mais presente, e uma noite limpa e com uma gostosa brisa chegou. Não estava frio, nem calor. Estava muito agradável. E não tinha muitas pessoas na rua do caminho pra casa, apenas era iluminado pelos postes. O cenário era lindo, e era mais lindo ainda ter Jungkook se equilibrando no meio fio. Eu já tinha percebido essa mania dele, ele adorava se equilibrar no meio fio da calçada. Normalmente eu tinha que ajudá-lo a não cair, mas ele estava indo bem então achei que não precisaria. Apensa caminhei ao seu lado.

— Sabe Ji. — Jungkook chamou, ele ainda estava tentando se equilibrar com os dois braços abertos, porem parecia realmente querer dizer algo, eu apenas murmurei em resposta. — O que você quer ser quando crescer?

Aquela tinha sido uma pergunta um tanto quanto aleatória, até que me peguei pensando nela. Eu nunca tinha pensado afundo em um futuro. Até a pouco tempo atrás eu nem mesmo me via nele. Mas com Jungkook, tudo tinha mudado. Eu me sentia uma pessoa diferente, ele tinha me melhorado, ele me inspirou a melhorar. E muito dos meus pensamentos de antes, eu não tinha mais, e quando tinha, só de ouvir sua voz eles logo desapareciam.

— Eu realmente gostaria de te responder Jungguk. Mas eu não tenho muita certeza agora... —Fui sincero. Ele ainda andava lentamente com um paço atrás do outro, prestando atenção em minhas palavras. — Mas tem algo que eu tenho certeza. Eu quero você comigo no meu futuro.

Mesmo escuro, o rubor das suas bochechas era perceptível. E seu sorriso inegável.

— E-eu também quero estar com você no... Futuro. — Sorri e o olhei. Podia sentir borboletas dançando em minha barriga, e carros de corrida em meu coração. Mas, o rosto do Jungkook ficou apagado de repente.

Ele apenas olhava pra baixo, o seu sorriso não tinha morrido, porem eu sentia que não era mais felicidade, era um sorriso melancólico. Ver ele daquela forma acabava comigo, então eu resolvi tentar distraí-lo o mais rápido possível.

— Jungguk. — O chamei e ele me olhou. — Eu não sei o que vou ser quando crescer, mas tem algo que eu gostaria de ser.

— Jura! E o que é Hyung? — Seus olhinhos brilharam, ele parecia curioso.

— Eu... Nunca contei isso pra ninguém, porque eu acho que é uma coisa meio boba, entende? — Nós andávamos lentamente, e eu estava nervoso pra admitir isso, não que eu tivesse vergonha, é que penas era a primeira vez que eu comentava com alguém sobre meu sonho de criança. — Eu sempre gostei muito de... Escrever, porem eu realmente não acho que eu tenho talento pra isso... É um sonho bem idiota. — Suspirei.

— Não é — Falou um pouco mais alto que o costume, me assustando. —Isso é maravilhoso. Escritor é uma profissão muito bonita na minha opinião, eu tenho certeza que você se sairia bem. — Respondeu e eu o olhei meio esperançoso por suas palavras. — Eu acho que você pode ser o que você quiser, você só precisa se esforçar e se agarrar em todas as oportunidades que conseguir! Voce pode chegar aonde quiser chegar, você impõe seus limites, não os outros.

A energia que ele transmitia enquanto falava era invejável. Pela primeira vez eu senti que realmente podia ser o que eu quisesse. Meus olhos lacrimejaram sem eu perceber, mas eu consegui disfarçar muito bem.

— Eu... Eu também tenho um sonho. — Ele disse de repente e eu o olhei tombando a cabeça pro lado. — É algo meio irreal, eu acho. Mas eu realmente quero. — Ele começou a andar um pouco mais rápido no meio fio e eu tive que apressar meus passos um pouquinho para acompanhá-lo. — Ta mais pra algo que eu quero muito fazer, mas eu penso nisso há tanto tempo.

— E o que é? — Perguntei.

— Eu... Eu gostaria de ver a Aurora Boreal. — Ele parou de andar e cobriu o rosto com as mãos. — Mas... Mas eu sei que eu talvez nunca veja. Só que ela é tão bonita Hyung. — Tirou as mãos do rosto devagar e olhou para o céu, e eu segui seu olhar. — É como se fosse um arco-íris noturno. Como se alguém tivesse deixado várias tintas caírem no céu. Eu realmente o acho tão bonito. — Eu podia sentir suas palavras carregadas de sentimentos, era lindo. — Mas eu sei que não posso. — Abaixou a cabeça novamente. — Logo logo vou ter que voltar para o hospital, e começar o tratamento. — Sorriu, mas eu não via nada em seu sorriso, nada. Aquilo fez meu peito doer. Eu juro que daria minha saúde a ele, juro que se eu pudesse o faria sem pensar duas vezes.

Mas eu não podia fazer nada, nada para ajudar, aquilo me deixava frustrado. Jungkook precisava de mim e eu estava do seu lado e simplesmente não sabia reagir aquela situação. Até que me lembrei de algo.

Andei até ele e sem mais nem menos o abracei apertado. Vi que ele ficou surpreso, mas não negou o abraço, na verdade ele retribuiu na mesma intensidade. Afundando seu rosto em meu pescoço.

— Uma vez uma pessoa me disse, que a melhor maneira de confortar alguém triste, é abraçando. — Disse num tom divertido me referindo a vez que ele me ajudou quando eu precisei. Aquele dia realmente tinha me marcado. Ele apenas riu nasalmente concordando.

— Eu te amo Ji. — Falou me fazendo corar, porem eu o apertei mais um pouquinho em meus braços. Se eu pudesse jamais soltaria.

— Eu também te amo.

 

Infelizmente os dias que Jungkook Ficaria na minha casa foram se esgotando, mas eu queria fazer algo especial, algo que deixasse ele muito feliz. Para retribuir tudo que ele me fez sentir nesses dias que mesmo que não tenham sido muitos, foram os melhores da minha vida. Então, um dia antes dele ir embora de volta para o hospital, me lembro da ansiedade que eu senti.

Foi nesse dia que eu realizei o seu sonho.

Eu segurava sua mãozinha e o guiava pela casa, ele estava com uma venda vermelha nos seus olhos que o impedia de ver qualquer coisa. Porem eu estava o guiando.

— Sério Hyung. Me conta aonde vamos, por favoor! — Insistiu pela sétima vez. Suspirei, mas ri divertido, ele realmente era curioso.

— Não adianta perguntar Jungkook. Mas fica tranqüilo, é aqui dentro mesmo.

Jungkook fez um bico adorável nos lábios, segurei minha vontade de beijá-lo, e continuei o guiando até meu quarto. Abri a porta de vagar, estava completamente tudo escuro. Fui para trás de Jungkook e tirei sua venda. Ele abriu os olhos e olhou para o cômodo, porem não entendeu muito.

— Essa ainda não é a surpresa Jungguk. Venha.— Segurei sua mão e o fiz sentar no meio do meu quarto, aonde tinha um tapete fofinho. Estava tudo escuro, e apesar do quarto ser grande, eu conhecia muito bem aquele lugar e não precisava de luz para saber aonde aos coisas estavam. Fui até a luminária que eu havia comprado e a liguei. Assim que eu apertei o botão, o quarto ganhou uma iluminação linda de estrelas, como a cor da parede era azul escuro, deu um destaque ainda maior. Jungkook arregalou os olhos, parecia maravilhado.

— Meu deus Ji. — Olhava tudo em volta. — Isso é lindo.

— Ainda não acabou. — Jungkook me olhou confuso. Eu apenas peguei uma grande caixa embaixo da cama de casal e levei até Jungkook. Que já estava sentado na cama. Me sentei também e abri a mesma. Tinha alguns cacos de vidros e muitos espelhos em volta dela, todos posicionados.

— O que é isso Hyung? — Perguntou me olhando.

— Pega Kook. — Estendi uma lanterna para o mesmo e ele a pegou. Eu coloquei a caixa no chão e o olhei novamente. — Liga essa lanterna e aponta para a caixa. — Ele assentiu e assim o fez.

Assim que a luz da lanterna foi de encontro com os inúmeros cacos de vidros coloridos, e espelhos dentro da caixa, acabou refletindo um ao outro fazendo um jogo de cores fantástico no teto do meu quarto. Como uma aurora boreal.

Jungkook estava com os olhos arregalados, eu nunca tinha o visto tão surpreso, eu estava muito feliz que eu tinha gostado, passei muito tempo planejando tudo e fazendo o possível e o impossível para que funcionasse.

— Jimin... I-isso é lindo, é... Maravilhoso Hyung. — Ele não conseguia parar de olhar para a imensidão de cores que havia se formado, e eu não conseguia parar de olhá-lo.

— Sim... É maravilhoso. — Finalmente ele me encarou, e acabou vendo que eu o olhava, eu desviei os olhos. — E-eu sei que não parece tanto com a de verdade, mas como eu não podia te levar pra ver uma, eu pensei que poderia fazer uma para você... Na- — Quando eu ia terminar de falar, fui calado por Jungkook que me atacou com um beijo.

Eu arregalei os olhos, porque jamais esperaria algo assim de Jungkook, mas fora um beijo tão apaixonado que tudo que eu mais queria fazer era retribuir, e foi o que eu fiz. Passei minha mão por suas costas de forma carinhosa, Jungkook estava magro por causa dos remédios, mas não magro esquelético, apenas, magro. Fui subindo até chegar em seus cabelos e enfiei meus dedos em seus fios lisos e macios. Os afagando.

— Jimin. — Jungkook depois de um tempo cessou o beijo. Tanto para tomar ar, quanto para me dizer algo que parecia que ele queria me dizer. Ele parecia envergonhado, porem decidido.

— Faz... Faz amor comigo?


Notas Finais


Joguei a bomba e sai correndo mesmo, e tem mais. SÓ TEM MAIS UM CAPITULO PRA ACABAR AAAAAAA VAI ACABAR GENTE EU TO TRISTE DEMAIS. Segurem os cus pq o proximo capitulo é bom mas é bom e triste D: SEM SPOILER RSRRSRS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...