História Saga Marians: João de Barro! - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Comedia, Escolar, Romance, Shoujo
Exibições 11
Palavras 1.438
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Musica: Charlie brow Jr. Ela vai voltar
Obs: Projota Ela só quer Paz é a musica favorita da Anya :}
Outro Obs: desulpem a demora é que eu trabalhei um pouco pra melhorar minha forma de escrever... espero que gostem.
e mais um Obs: a imagem e a irmã mais velha da Anya.

Capítulo 9 - Algumas coisas que não deveriam escaparam... E agora?!


Fanfic / Fanfiction Saga Marians: João de Barro! - Capítulo 9 - Algumas coisas que não deveriam escaparam... E agora?!

Anya on 

 

fazia exatamente trés dias dês do acidente com minha perna, mas o André insistia em tentar me ajudar (claro do modo dele), e isso já estava me dando nos nervos. vesti minha camiseta com a estampa do Neji e uma causa dins preta rasgado nos joelhos, causei minha sapatilha e prende meu cabelo em um coque. desci as escadas ouvindo minha musica favorita nos fones mas quando cheguei na sala de estar o André sentou no sofá me dando espaço. ja estava no meu limite... fui ate lá e sentei na guarda do sofá e dei um impulso... assertei o meio das costas do André.

Ele caio no chão se contorcendo de dor  sai correndo ate a porta ele veio atras de mim, me segurou em um abraço de urso e tocou por cima dos seus ombros.

- sua estupida, isso doeu sua pirralha nojenta...

-me solta, me solta... seu ogro, bruto, nojento... - Comecei a bater nas suas costas com os punhos fechados.

- só solto quando você me pedir desculpas...

-vai sonhando seu alien pervertido, idiota.

-nossa agora intendi o que o papai queria dizer! que problema... - olhei por cima do ombro do André era minha irmã mais velha. Finquei minhas unhas nos ombros do André que deu um grito é me largou corri até ela como uma criança e a abrasei.

-ALICE!!! E tão bom ver você!

-credo e depois reclama quando eu te chamo e pirralha, mais infantil imposivel. - Tirei minha sapatilha e toquei nele que desviou com perfeição.

-eu fui um idiota de tentar ser bonzinho com você! - Alice me olhou.

- Ele chama aquilo de ser bonzinho? - fiz que sim com a cabeça, isso me dava nos nervos, eu quase morria pra tentar me vingar por tudo que aconteceu e ele simplesmente retribuia como se não fosse nada... como se estivesse sendo bonzinho comigo. Babaca.

 

Anya of

André on

 

A irmã da Ana era incrivelmente parecida com ela, devia ser por causa do cabelo.  puxei a camiseta pro lado, meus ombros estavam todos arranhados.

-que merda Anya, vou ficar todo marcado e hoje tem educação fisica

-e só dizer que e uma das suas ficantes fez, não é como se as garotas que você pega fossem exigentes nao é?!

Rangi os dente, estava louco de vontade de contar a ela que avia terminado com todas as garotas e que estava recusando as que viam até mim, mas mantive a boca fechada nao daria esse gostinho a ela de forma alguma. Foi quando notei que tinha um homem com as mão no ombro da Anya, fechei a cara e fui pra frente e parei a centimetros do cara fazendo ele dar um passo pra tras e soltar o ombro da Ana.

-e quem é você? - ouvi a Anya resmungando, a ignorei como as coisas andam indo podia ser outro dos admiradores dela. o cara deu uma risadinha nervosa e estendeu a mão pra mim...

-prazer meu nome é Rafael sou o marido da Alice.

ignorei a mão dele e fui em direção a cozinha, se é marido da Alice eu nao tinha com o que me preocupar, 'e com o que exatamente você tem que se preocupar?' perguntei a mim mesmo enquanto sentava na mesa pro almoço todos já estavam la  é tinha duas cadeiras a mais, sentei ao lado de Lucia quem eu nem me dava mais o trabalho de questionar a presença (ela estava sempre lá), o novo casal tomou o outro lugar na mesa um ao lado do outro, sobrando apenas o lugar ao meu lado. encarei o meu pai.

-você tem que parar de fazer isso, sou sempre eu que tenho que sentar do lado dela.

-deixa seu pai em pais! - foi a minha mãe. A Ana serviu meu prato e o dela, por alguma razão  ela sempre servia meu prato desde o dia da mudança, acho que virou uma espesse de abito. Começamos a comer.

-ela serviu o seu prato? - quem perguntou foi a Alice.

-é ela sempre faz isso.

-sempre? - a Ana perguntou. - comecei a dar risada, 'aposto que vai dizer que nem notou'. vi ela ficando vermelha.

-eu não tinha notado. - Comecei a rir mais alto, a olhar pra ela e rir. acho que ela ficou brava, porque pegou o celular e começou a olhar os contatos, congelei no lugar ela não faria isso neh?

-vamos Anya não seja assim? eu so estava brincando?

 

André of

Anya on

 

aquele idiota quem ele pensa que é pra rir de mim, 'mais que ele fica bonito rindo nao da pra negar, aff, maldito Deus Grego do mal'.

-você é insuportavel! - guardei o celular, minha irmã estava me encarando sabia que teria que dar explicações depois. Levantei da mesa.

- vamos meninas! - Lu e a Ma levantaram da mesa concordando (a Ma e a Alice estavam brigadas). estava prestes a sair quando a Alice levantou.

-você não vai ir juntos, voces sao noivo.

-nao nos chame disso -dissemos juntos.

- a um limite de ate onde se pode ir com uma birra vocês dois, ta na cara que vocês se gostam, parem logo de enrolar. - senti o chão escapar dos meus pés, tudo que me mantinha de pé era o choque, o André levantou paresia inritato, por um segundo a palavra coisa me veio a cabeça... me encolhi mais ainda.

-realmente da pra ver que vocês são irmãs, você é completamente estupida.

- eu sou estupida. Você fica ai se fazendo de garanhão, mas teve ciumes da Anya com o Rafa, Deus quem tem ciumes do Rafa nem eu tenho ciumes dele - ela olhou pro marido - desculpa mais é verdade.

- ora sua... - Puxei a ponta da camiseta dele o arrastando pra trás de mim, enquanto tentava não desmoronar, ele estava tão inrritado só de alguém mencionar essa hipótese. coloquei as duas mãos sobre a mesa.

-Alice eu adoro você mais serio para com essa merda - todos me encararam - tem muita coisa envolvida nisso que só os négocios estupidos do nossos pais ou a suposta paixão que você encontrou nesse casamento arranjado que vamos é conviemos não passa de acomodação.

-Anya - ela me olhou abismada.

Anya of

André on

 

Eu estava em choque a Ana , que sempre era legal com todo mundo (menos comigo), estava brigando com a irmã por minha causa.

-eu sei que você quer ajudar mais, você não pode falar de uma pessoa só pelo que ela aparenta ser, você acha mesmo que se ele fosse mesmo só um galinha arrogante e bruto eu estaria na mesma casa que ele a por favor - ela puxou a cadeira e sentou com as pernas cruzadas, estava no modo 'troca de favores' o que quer dizer que a Alice realmente tinha feito merda - eu não estaria nem na mesma casa que ele, já teria transformado a vida dele num inferno!

-então porque? - Alice sentou na cadeira de novo. fiz sinal para as meninas irem embora, a coisa tava feia. 

-você quer mesmo saber porque Alice. é porque esse cretino e meu amigo mesmo que não pareça... - ela estava evitando olhar pra mim.

-amigos? - o pai dela perguntou levantando, Anya lé lançou um olhar mortal de "não se meta" e ele sentou novamente assustado, acho que os pais dela nunca aviam mostrado esse lado pra eles.

- e como eu estava dizendo... apesar de tudo, ele gosta de outra garota Alice, se é que dá pra chamar aquilo de garota...

-ei!

-calado André. - fiquei quieto e baixei a cabeça - você tem que pensar em como as outras pessoas se sentem antes de abrir a boca, nao pensei que você fosse tao insencivel.

-eu sou insencivel?! - deu pra notar que a ultima parte era pra machucar. Anya se levantou e saio ela passou de pressa por mim mas acho que estava prestes a chorar. fiquei em choque no mesmo lugar ate meu pai me chamar.

-André? você pode me explicar o que foi isso?

-bom - passei a mão pelos cabelos - essa era a Ana em modo de negocios - olhei para a porta - embora isso só acontesse quando alguem tira ela do serio ou quando alguém não paga algo que deve a ela, ela consegue entrar na cabeça da pessoa de uma maneira inacreditavel mas...

'porque ela fez isso agora, com a propria irmã, isso não é algo que combine com ela'.

-André?

- eu explico depois.

Sai da cozinha correndo é fui até o quarto da Ana.

 


Notas Finais


obrigada por ler!!!
Comentarios, opiniões e criticas construtivas são sempre bem vindas
°3° bjs!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...