História Saindo da Normalidade- Imagine Kim Taehyung - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Exibições 77
Palavras 1.093
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Iaê gente?! Voltei!
Boa leitura! ;)

Capítulo 4 - Se soltando aos poucos


Quando soou o sinal para o horário de intervalo, eu calmamente comecei a organizar minhas coisas dentro da mochila. Ainda estava voando um pouco.

                Recolhi o dinheiro de que eu precisava para comprar o meu lanche e o coloquei no bolso de trás de minha calça e jeans e comecei a me levantar da cadeira. Olhei para trás e Taehyung já estava pronto e com uma cara ansiosa me esperando. No segundo em que ele estava para abrir a boca e falar alguma coisa, eu senti um puxão muito forte em minha cintura e longo em seguida um beijo.

Lucas: Já estava com saudade do seu beijo anjo.

Alice: Parece que alguém aqui tá querendo marcar território.

Alguns alunos próximos começaram e rir e eu lhes mandei parar. Olhei para Taehyung e ele parecia um pouco constrangido. Beijos assim não eram muito comuns de serem dados em público na Coréia e com certeza não estava acostumado. E quando eu fui tentar explicar a situação a ele, Lucas me interrompeu.

Lucas: Iaê cara. Meu nome é Lucas e eu sou namorado da (S/N). Espero que sejamos bons amigos. –Ele falou pausadamente para que Taehyung pudesse entender e lhe estendeu a mão.  Esse se animou novamente abriu o largo sorriso quadrado e apertou-lhe a mão amigavelmente.

Taehyung: Prazer em te conhecer.

(S/N): Essas são nossas duas amigas. Pâmela e Alice.

Elas também lhe estenderam a mão. Alice muuuuuito mais entusiasmada que Pâmela. Mas pelo menos as duas conseguiram ser educadas.

Começamos a nos dirigir até a porta da sala e eu fazia uma breve apresentação dos outros alunos a medida que passávamos por eles. No caminho para a cantina comecei a lhe mostrar algumas salas, os banheiros e a diretoria.

Ele escutava tudo com muita atenção cada palavra que eu pronunciava, estava realmente tentando aprender tudo ou entender meu coreano que ainda não era perfeito, mas não falava muita coisa.

Enquanto isso, Alice não parava de olhar para ele. Olhava com a mesma cara que as outras meninas da turma. De que ele era só mais um pedaço de carne, só dessa vez seria peixe cru, o que era mais exótico, fazendo as meninas ficaram mais atiradas do que já são. Alice não era diferente das outras nesse aspecto, mas era minha amiga. Ela parecia realmente interessada, mas com certeza total, ela não estava entendendo nada do que eu falava. As vezes acentia fingindo e ele Taehyung olhava para ela e dava um sorriso sem graça. Se bem que dava para imaginar. Afinal porque eu apontaria para o banheiro e estaria dizendo outra coisa senão que era o banheiro.

Pâmy parecia focada no nada e Lucas mantinha as mãos dentro do moletom o tempo todo. Obviamente ele estava com ciúme. Muito ciúme. Mas do que o normal. Eu com meus 17anos não tinha namorado outro cara que não ele, mas sabia que ele exagerava nesse quesito. Apesar que eu não dava muito motivo para tal. Eu não era lá a mais bonita, nem mais popular. Eu era eu. Do meu jeito, com minhas estranhezas. Ele ao contrario era bonito, popular e cavalheiro, mas sempre deixou claro para as outras que gostava de mim, assim elas pararam de incomodar. Mas esse caso era diferente. Era Taehyung, um cara da Coréia.

(S/N): (em coreano) Bom e aqui é a cantina. Hoje pode escolher que eu pago para você.

Taehyung: (em coreano) Sério? Não precisa. Eu trouxe dinheiro brasileiro.

(S/N): (em coreano)Não, é sério. Pode escolher. Vai ser meu presente de boas vindas.

Taehyung: (em coreano) Ótima escolha de um presente para um coreano. –Ele falou levantando e baixando as sobrancelhas e dando um sorriso de lado muito safado.

Não me contive e começamos a rir juntos. Os outros apenas nos olharam com caras de “não tô entendendo nada”, o que nos fez rir muito mais. Acho que agora ele está se soltando. Ele não é tão tímido assim.

Taehyung: (em coreano) Tudo bem! Eu aceito. Mas tenho uma condição.

(S/N): (em coreano) Então fala.

Taehyung: Fale em português comigo. Eu preciso aprender.

(S/N): Tudo bem Taehyung, mas vamos logo, se não o lanche vai acabar.

Taehyung: O que? –Falou colocando a mão na orelha e fazendo uma careta. Eu parei olhando para ele sem entender e ele abriu novamente aquele sorriso.

Foi uma tentativa de piada que tinha demorado para entender. Mas quando entendi, começamos a rir juntos novamente, mas do que da ultima vez, pela minha lentidão em entender essa piada muito merda. Ele realmente não era tímido, era até engraçado. Caminhei até suas costas, segurei em seus ombros e o empurrei para a fila.

Compramos nossos lanches e nos sentamos em uma das mesas. As meninas, Lucas e eu começamos a conversar de assuntos aleatórios por um tempo. Taehyung prestava atenção em cada palavra tentando aprender. As vezes ele tentava comentar alguma coisa, as vezes cometia errinhos e eu o ajudava a entender e corrigir. Ele até aprendia fácil. Afinal se ele estava nessa escola, ele era no mínimo inteligente e estava se esforçando muito.

Alice: Então Taehyung. Porque você decidiu se mudar para o Brasil e fazer intercambio? –Ela perguntou pausadamente para que ele pudesse entender.

Taehyung: Trabalho do meu pai. –ele conseguiu responder depois d um tempo.

Pâmy: Seu português é bom. Onde você aprendeu?

Taehyung: Estudei um pouco na Coréia antes de viajar.

(S/N): Você ta indo super bem. Daqui a pouco vai estar falando como a gente.

Taehyung: “gente”???

Meninas: Como nós. –dissemos em uníssono

Taehyung: aaaah é a mesmo significado.

(S/N): (em coreano) “a gente” é uma forma mais informal e mais usada nesse caso, enquanto “nós” é mais formal.

Taehyung: (em coreano) Entendi.- E fez um sinal de “joinha” com o dedo polegar e sorriu e eu retribui.

Nesse momento, Lucas se levantou de repente e saiu da mesa.

(S/N): Onde você vai?

Lucas: Vou ficar com os meninos um pouco. –Voltou e me deu um selinho rápido e saiu novamente.

As meninas me olharam com uma cara e Taehyung dessa vez parecia não ter entendido. Pâmy segurou em meu braço e me puxou.

Pâmy: Com licença. Precisamos conversar uma coisa rapidinho e já voltamos. Podem ficar conversando por enquanto.

Taehyung: Foi algo que eu fiz?

(S/N): Não. Não se preocupe, voltamos logo.

Ela me carregou até o banheiro mais próximo e só falou quando entramos e fechamos a porta.

Pâmy: Precisamos conversar sobre o Taehyung. –Ela parecia séria.

(S/N): O que? Mas por que?

Pâmy: Talvez seja porque ele é simplesmente a personificação do homem perfeito para você.


Notas Finais


Espero que tenham gostado. Desculpem qualquer erro.
O que vcs acharam?
Bjuuu!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...